sexta-feira, setembro 17, 2021

Gripen para o Brasil

Caça F-15C dos EUA acerta alvo aéreo a uma distância recorde na história da USAF

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Um caça F-15C da Força Aérea dos Estados Unidos realizou o “kill” mais distante já registrado em um teste recente. O caça acertou um drone alvo BQ-167 em março, ao largo da Base Aérea de Tyndall, na Flórida.

O F-15C disparou um míssil ar-ar avançado de médio alcance AIM-120 (AMRAAM) contra um drone alvo BQ-167 e marcou um “kill” da distância mais longa já registrada durante o teste na Base Aérea de Tyndall na Flórida em março , disse a 53ª Ala em um comunicado.

A Ala não disse exatamente qual era a distância, já que essa informação poderia ser valiosa para os adversários, especialmente dados os esforços contínuos dos rivais dos EUA para desenvolver mísseis ar-ar de longo alcance para aumentar o distanciamento no combate ar-ar.

AIM-120 AMRAAM
AIM-120 AMRAAM

AIM-120 AMRAAM em corte

A arma que foi disparada durante os testes no mês passado foi um AIM-120D, a versão mais recente de um míssil ar-ar para todos os climas, além do alcance visual, que entrou em serviço no início de 1990.

Não está claro se a arma ou aeronave envolvida no teste foi modificada de alguma forma.

A USAF planeja, eventualmente, substituir o AMRAAM pelo AIM-260 Joint Advanced Tactical Missile, um míssil ar-ar de longo alcance que deve ser capaz de competir melhor com alguns dos sistemas desenvolvidos por rivais dos EUA, como como míssil PL-15 da China.

O alcance divulgado do AIM-120D é de mais de 160km (> 86 milhas náuticas), mas nos combates aéreos mais recentes onde o míssil foi usado na Síria, os kills foram obtidos a distâncias bem menores, como pode ser visto na seguinte tabela:

- Advertisement -

48 Comments

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JuggerBR

É uma não notícia… É um recorde, mas a distância é informação classificada. Era melhor nem ter anunciado…

Victor Filipe

A distancia ser classificada é algo natural, revelar ela da para todo potencial adversário americano no cenário Ar-Ar o maior presente possível em bandeja de prata.

A matéria se tornou mais uma curiosidade interessante por causa disso.

Chris

Concordo ! Talvez tenha sido acima da distância máxima divulgada para o missel, e eles não queiram divulgar !

CESAR ANTONIO FERREIRA

Então é mais natural ainda você não dizer nada, afinal se você não pode dizer, não faz sentido dizer que fez…

MFB

Crie um blog e faça posts em branco sobre assuntos militares. Ou você acredita que os “jogadores” jogam esse poker com as cartas viradas para o adversários? É uma informação sim, truncada, mas declararam um teste bem sucedido.

Last edited 5 meses atrás by MFB
Teropode

Que isso , basta cruzar algumas informações que teremos um idéia da distância , vcs querem tudo mastigado .

Allan Lemos

É mas você deve saber que americanos gostam de se autoafirmar.

Jefferson

E os russos e chineses não…lá tudo é uma transparência enorme. Nunca vi nada russo dar errado, tudo nasce perfeito…da China então, só perfeição. Eua cheio de problemas nas FA, já os adversários é o jardim do éden.

Allan Lemos

Amigo, não há razão para meter russos e chineses na conversa, até porque eu não estou defendendo-os, apenas ressaltei que os americanos de fato gostam de se enaltecer e dar tapinhas nas costas uns nos outros, dando a impressão de que são os melhores em tudo.

Jefferson

Sem problemas, eu so quis dizer que para muitos só os EUA tem problemas. Tem vários aqui no site que só enxergam problemas nos EUA. Abraço!

Rafael Gustavo de Oliveira

Se esse fato fosse na época da guerra fria, com certeza teriam informado a distância…presidente iria até apertar a mão do piloto herói protetor da américa

Vinicius Momesso

O pior foi o “Click Bait”. Seria melhor ter escrito o título assim por exemplo: “USAF afirma que F-15C teria acertado alvo aéreo a distância recorde em treinamento”

Wagner

Ou seja, entra no estilo “acredite, se quiser”…

Victor Filipe

Noticia interessante. mas a própria natureza dela não traz muita claridade ao assunto.

não da pra especular absolutamente nada.

a unica coisa que da pra dizer é que esse F-15 deveria ta voando muito alto e rápido alem do míssil ter subido ainda mais pra cair sobre o alvo.

Pedro ESIE

Na Guerra Fria também era comum ter esse tipo de anúncio, tudo para impressionar os adversários.

Luiz Trindade

Uma curiosidade legal mas… E somente mas… Atingir um alvo sem contramedidas é realmente muito fácil. É válido por saber que o míssil pode ir tão longe e sem acompanhamento (Dispare e Esqueça) pode ir sozinho e buscar o alvo plotado mas não podemos esquecer que um piloto vendo um míssel às 06 horas não vai ficar parado esperando ser atingido!

Victor Filipe

Dependendo de como o lançamento do míssil é realizado, não da pra saber se você tem um disparo nas costas até ser tarde de mais. Isso acontece quando a aeronave está sendo engajada por um inimigo que está usando o modo de radar TWS (tracking while scanning) que é basicamente travar seu radar no inimigo enquanto continua rastreando a região por inimigos extras. a vantagem desse modo é que ele não alerta a aeronave inimiga de que um disparo foi realizado contra ela. Sim ela pode saber que esta sendo rastreada e vigiada, mas se o atacante disparar um míssil… Read more »

Luiz Trindade

Muito show sua explicação mas porém no teatro moderno de dog fight um caça nunca esta sozinho ou os caças nunca estão sozinhos. Sempre tem um aeronave de radar de alerta antecipado em conjunto. A tecnologia pode até ter avançado muito mas nunca o suficiente para subjugar o inimigo tão facilmente como você descreve acima. Mas valeu… Isso mostra que temos pessoal altamente gabaritado para as discursões no blog como vc Victor Filipe.

Victor Filipe

Sou apenas um entusiasta Luiz haha, tem gente aqui que realmente da Aula, eu tento ajudar como da, a explicação foi mais voltada ao AIM-120 da matéria porque estávamos falando dele, mas Russia, China e outros países também tem equipamentos com a mesma capacidade Isso que eu falei não é só uma função do AIM-120, Aeronaves com misseis de radar ativo e com tecnologia PESA e principalmente AESA são capazes de fazer isso. Um AWACS na região de ambos os lados vai dar uma visão muito mais clara do ambiente de combate isso e um fato, sabendo a localização do… Read more »

carcara_br

Na minha ignorância eu realmente não entendo esse salto enorme em alcance dos mísseis mais recentes. Praticamente não se alterou as dimensões, nem a altitude e velocidade iniciais (mesma energia potencial, quantidade de combustível e etc..) nem o perfil aerodinâmico e de voo (imagino que estejam sujeitos a força de arraste semelhantes e implementem trajetórias já bem otimizadas a algumas décadas). Não me refiro aos americanos em especial, mas toda família de mísseis que conseguem esse aumento de alcance mantendo-se as características básicas do projeto inicial. Estão trocando a velocidade máxima por alcance? mudaram o perfil de queima de combustível?… Read more »

Carlos Ribeiro

Acredito q seja por dois motivos Carcara_br, o primeiro sendo a utilização de propelentes mais eficientes principalmente nas versões mais recentes de mísseis mais antigos como o AIM-120. E o segundo nesse caso para mísseis de desenvolvimento mais recente, a adoção de outro tipo de propulsão como como motores ramjet.

Danieljr

As possibilidades podem ser, como o Carlos também colocou, combustível mais eficiente, peças eletrônicas menores e mais leves, materiais de construção mais leves (carcaça, parafusos etc). Uma teoria minha: pode ser que haja algum ganho marginal com melhorias no software do míssil, mas somente em caso de tiros “reais” e não disparados “em linha reta”. isso levando em conta que a parte eletrônica do míssil não consegue controlar o quanto e como o propelente é queimado. Se o software antigo controla o míssil de determinada maneira perante um alvo real, se movendo de forma defensiva e aleatória, o míssil tem… Read more »

Clésio Luiz

Acho que tudo isso que vc disse. Mísseis mais novos podem ter circuitos eletrônicos menores, abrindo espaço para mais propelente (como aconteceu com uma das versões do Sparrow).

Nos últimos 30 anos (desde o surgimento do AIM-120) houveram muitos avanços de engenharia, que isolados não chamam a atenção do público, mas em conjunto produziram grandes avanços em quase todas as áreas de armamento.

Victor Filipe

Os colegas aqui praticamente cantaram a pedra. os misseis mais modernos vem com combustível mais eficiente e com uma bateria para os sensores internos durarem mais tempo, mesmo alguns segundos a mais de duração na queima de combustível e duração da bateria pode resultar em algumas dezenas de quilômetros a mais no alcance. e como foi dito, misseis com motores Ramjet tem a vantagem de poder desligar e ligar o motor durante o voo. Mas ainda assim, o principal fator no alcance do míssil ainda é os parâmetros de lançamento um AIM-120D lançado a 40 mil pés e Mach 1.4… Read more »

Marcelo M

Alguém sabe dizer se essa tabela mostra o que parece, que de 7 disparos, houve apenas um dogger e 6 kills, todos BVR?! Se sim, parece mesmo impressionante, mesmo que os caças abatidos não tenham sido de primeira linha.

Pedro

A tabela abaixo esta com varios erros. Nao foi abatido Su-22M Russo algum. Foi um Su-24 e abatido por AIM-9, sem falar que a Russia nunca teve Su-22.
Quanto aos Su-24 Sirios abatidos, ambos foram por misseis portateis/antiaereos ate por que o local onde foram derrubados é bem mais distante do que essa da fronteira turca.

Cleber

Vida longa ao F 15 e ao F 16 . Ja q o F 35 deu B.O na USAF .

William Duarte

Assim fica fácil de fazer matérias dando sequência ao recorde americano, semana que vem a Sputnik News e lança: Russia lança míssil ar-ar bate o recorde americano em dezenas de quilômetros e no fim diz que os dados não podem ser revelados assim como os americanos para não dar dicas ao adversário. Depois vem a China, o Irã cada um fazendo um lançamento mais longo que o outro, até chegar a Coreia do Norte e chutar o pau da barraca: Fizemos um míssil que nossos caças daqui da Coreia do Norte podem abater F-22 ainda taxiando nos Estados Unidos, e… Read more »

Gal. Ruela

Pelo visto os sírios estão gostando muito desse jogo…

pangloss

Parece até conversa de bêbado tentando tirar onda. “Peguei dez mulheres em uma única noite, mas sou um cavalheiro e vou preservar a identidade delas”.
Acredita quem quiser.

Maurício.

Até um L-39 levou um AIM-120 na “lata”? Coitado rsrsrs, se bobear, o míssil deveria ser mais caro que o avião, avião esse, que poderia ser facilmente abatido pelo canhão do F-16, mas, guerra é guerra.

Renato Carvalho

Vendo a tabela não consigo não pensar…sò derrubou sucata, queria ver derrubar Su 35,
Mig 35, J10 etc.

Andre

Em combates reais, o record continua sendo do phoenix iraniano?

JT8D

O Piranha já ficou obsoleto, é um míssil com desempenho muito inferior aos atuais.
O A-Darter está pronto, mas precisa ser comprado, ou seja, algum governo tem que enfiar a mão no bolso

JT8D

Aliás, é incompreensível a estratégia da FAB no caso do A-Darter. Investem uma verba considerável no desenvolvimento do míssil para alcançar independência tecnológica e em seguida engavetam o projeto e compram Iris-T. Isso é uma irresponsabilidade. Ou compram o míssil no qual investiram ou então que comprassem de prateleira logo de cara.
Eu sou engenheiro e entusiasta, torço muito para o desenvolvimento tecnológico do país, mas já cheguei à triste conclusão que no Brasil ToT é dinheiro público jogado fora.
Tem alguém aqui da FAB que poderia nos explicar isso, por favor?

Rinaldo Nery

Não consegui essa resposta. Ainda.

Gabriel

No meu ponto de vista, uma situação não anula a outra. Comprar uma pequena quantidade de Iris-T (como parece que foi o caso), não invalidaria o investimento no desenvolvimento no A-Darter. Caso realmente for confirmado que não serão adquiridos A-Darter, terão que ser analisados os motivos e ai sim poderá ser verificado se o uso do recurso foi mal empregado. Como engenheiro, você sabe que as vezes, particularmente em projetos de grande complexidade e agregados tecnológicos, existe o risco do produto final não atingir o parâmetro adequado. Caso isso eventualmente tenha acontecido (mera hipótese), seria, por exemplo, um motivo que… Read more »

A6MZero

“mas já cheguei à triste conclusão que no Brasil ToT é dinheiro público jogado fora.”

na verdade vai é parar nas contas e nos bolsos de alguns privilegiados …

Wellington Góes

Xi, colega, tenho batido nessa tecla sempre…. A resposta é simples, interesses de alguns poucos, mas deixa eu explicar como o sistema funciona… Quando a força, oficialmente, resolve bancar um projeto, o dinheiro transita diretamente sem intermediários, ou seja, da instituição pública e seus institutos de pesquisa, com a indústria responsável, não há a grana que paga as comissões de vendas. Entretanto, quando é uma aquisição pura e simples, diretamente do exterior, sempre, eu disse, SEMPRE, há algum “consultor” que intermedia o negócio, esse “consultor” é invariavelmente um oficial da reserva, SEMPRE. Então, havendo a relação direta da indústria com… Read more »

Thiago A.

A África do Sul fez uma encomenda de US$ 66 milhões, porém a quantidade não foi divulgada.
Esperava-se o mesmo do Brasil. Pelo que li em alguns comentários a FAB poderia estar esperando os Grifos para fazer a homologação do A-darter.
Tenho minhas dúvidas, espero a FAB faça de verdade isso.

Kemen

É um recorde norte americano ? Tudo bem… e em termos internacionais também seria um recorde ? Não informar a distância e as condições atmosféricas, altura, etc na ocasião, além dos sistemas empregados pelo excelente F 15 C deixam muita coisa em dúvida. O drone aliás é bem grandinho. Ficou numa comemoração interna, que pena.

groosp

Recorde da USAF não diz muito. Se fosse da US Navy um recorde teria superado o Phoenix.

Rafael M. F.

Bom, os Sidewinder e Sparrows de 1a geração tinham alto Pk nos testes por conta de condições meteorológicas excelentes e tendo como alvos drones voando em linha reta.

No Vietnam, foi aquilo que é mostrado nos relatórios…

Esse tipo de n(ã)otícia não me seduz

Wagner

EUA anuncia que testou com sucesso misseis ar ar em distancias recordes, mas nao pode apresentar os dados pois são sigilosos: “nossa como os americanos sao incriveis! Que tecnologia! Naçao mais poderosa do mundo! Chup@ essa China!”… China anuncia que testou com sucesso misseis balisticos anti navio, mas nao pode apresentar os dados pois sao sigilosos: “comunistas mentirosos! Mentira descarada! Absurdo!”…

Rodrigo Martins Ferreira

Ele atingiu a meta, que ele não pode falar qual é..

O Objetivo agora é dobrar a meta..

Notícias by Dillma

Wagner

Kkkkkkkkk boa

Pablo Maroka

Resumo vendem a mãe e entregam a avó.

Até 160km mas registado no máximo 50km.

CESAR ANTONIO FERREIRA

Você lê a matéria, mas não se depara com o dado mais importante e que deveria ser a razão de ser da matéria: a distância do feito, do abate do drone BQ-167…

No último parágrafo existe um dado, de que o alcance máximo do AIM-120D seria de 160 Km…
Só que este é o dado fornecido pelo fabricante, afinal, qual foi a distância do abate do drone BQ-167?

Pois…

Last edited 4 meses atrás by CESAR ANTONIO FERREIRA

Últimas Notícias

Governo argentino reserva US$ 664 milhões para compra de caças JF-17 Thunder em 2022

Segundo o site Aviacionline, foi apresentado ao Congresso Nacional da Argentina o projeto de orçamento para o ano fiscal...
- Advertisement -
- Advertisement -