sábado, outubro 16, 2021

Gripen para o Brasil

Exercício Operacional Tínia somou mais de 1.100 horas de voo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Treinamento reuniu mais de 35 aeronaves e cerca de 400 militares para simular combates aéreos

Com mais de 1.100 horas de voo, foi concluído, na sexta-feira (27), o Exercício Operacional (EXOP) Tínia, realizado nas Alas 3 e 4, em Canoas (RS) e Santa Maria (RS), desde o dia 5 de novembro. A reunião de encerramento, que avaliou os objetivos alcançados com o EXOP, contou com a presença do Chefe do Estado-Maior do Comando de Preparo, Major-Brigadeiro do Ar Raimundo Nogueira Lopes Neto, e do Chefe da 6ª Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), Major-Brigadeiro do Ar Jefson Borges.

Mais de 35 aeronaves e cerca de 400 militares do efetivo de Unidades da Força Aérea Brasileira (FAB) distribuídas por todo o País estiveram envolvidos no EXOP Tínia. O Comando de Preparo (COMPREP) esteve à frente da atividade, que segue a proposta de adequar os treinamentos nacionais ao perfil comumente encontrado no cenário internacional.

“O saldo do EXOP é extremamente positivo. Todo o planejamento foi executado conforme previsto e isso representa um grande ganho nessas condições de treinamento complexas que foram proporcionadas às nossas tripulações”, ressaltou o Comandante da Ala 3 e Diretor do Exercício, Brigadeiro do Ar Mauro Bellintani.

Durante os 22 dias de Exercício, foram treinadas ações como: Escolta, Reconhecimento Aéreo, Controle e Alarme em Voo, Ataque, Varredura, Reabastecimento em Voo, Posto de Comunicação no Ar, Defesa Aérea, Defesa Antiaérea e Transporte Aéreo Logístico. Os voos foram realizados em espaço aéreo reservado, localizado ao Sul do estado, entre as duas cidades que sediaram o Exercício.

Para garantir a segurança dos participantes e da população local, foi elaborado um plano de biossegurança com base nos protocolos estabelecidos pelas autoridades de saúde para o enfrentamento à COVID-19.

FONTE: Força Aérea Brasileira

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

1.100 horas. Agora imagine o quanto disso seria reduzido se a FAB comprar um caça “de patrão”, como muitos defendem, custando 20/30 mil dólares por hora de voo.

RPiletti

Não tenho ideia. Podemos iniciar comparando o nosso orçamento com o de FAs que possuem esses “caças de patrão”.

João Fernando

Qtos dólares o amjgo acha que um gripen NG custa por hora de voo???:

Pablo

menos que um Rafale ou um F-18, que eram os concorrentes do Gripen no FX-2 e muita gente defendia a compra no lugar do escolhido pela FAB

Jean Pierre

Isso depende muito do risco que você sofre x a necessidade de salvaguardar o seu patrimônio, no nosso caso, o patrimônio se chama “Brasil”. Respondendo em modo off: Você pode contratar uma empresa de segurança especializada, ou, simplesmente, contratar o “zé” com o cachorro vira-latas velho e cheio de pulgas dele!!! Voltando ao modo on… O cenário que temos não requer momentaneamente equipamentos, mas sempre temos que lembrar que em momentos de crise, não teremos nada de prateleira para adquirir. Sou a favor de ter, de gastar com treinamento e de preparar a população para ameaças futuras, visto que somos… Read more »

Maurício.

Clésio, mas um caça “de patrão” serve para guerra, já um F-5, mesmo que modernizado, serve só para manter doutrina, tipo o que falam do pobre A-4 da marinha…

Tallguiese

Coisa boa, a FAB tá voando. Teve um tempo atrás que tava osso. Agora da -lhe horas de vôo!

Rafael costa

Muito bom isso, treinamento é tudo !

Funcionario da Comlurb

Quando será iniciada a fase de entrega seriada dia Gripens?

Flanker

Previsao é a partir de outubro de 2021.

Eduardo Ribeiro

2021 chegam quatro e em 2022 teremos um lote maior

Salomon

Aí estão incluídas as horas dos dentistas,motoristas, taifeiros etc..

Camargoer

Caro Salomon. Horas de voo… horas de voo…. horas de voo……

Salim

Muito bom.

Alessandro

Só eu que acho ou alguém mais concorda que esse ano as FA foi muito ativa com vários exercícios e operações de guerra pelo país?

Achei um ano muito atípico dos anos anteriores, muitas noticías de movimentação de tropas, apreensões e disparos de todo o tipo de material bélico, isso é bom espero que ano que vem continue assim.

Last edited 10 meses atrás by Alessandro
Flight_Falcon

Muito interessante ver uma mulher no comando de um C-130.
Não estou lembrado de ter visto nenhuma no comando de um F-5, só uma que ficou famosa por ter sido a primeira a pilotar A-1 e depois foi para o GTE.

Últimas Notícias

ESPECIAL: A Força Aérea Sueca durante a Guerra Fria

A Força Aérea Sueca (Svenska flygvapnet ou somente flygvapnet) foi criada em 1º de julho de 1926, quando as...
- Advertisement -
- Advertisement -