Home Aviação de Caça FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

3027
76

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira

No período de 27 a 30 de outubro, ocorreu a Operação de Adestramento Conjunto Escudo Antiaéreo, sob a condução da Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), em Brasília (DF).

A Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a FAB, e consistiu no acionamento das Unidades de Defesa Antiaérea do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA).

A FAB empregou, ainda, aeronaves em apoio ao adestramento, efetuando missões de ataque ao solo. Já a Marinha e o Exército atuaram no treinamento de suas Unidades de Artilharia Antiaérea e na autodefesa da Corveta Barroso.

De Brasília, o COMAE acompanhou a evolução do cenário em tempo real e transmitiu as ordens aos Centros de Operações Militares, que detectavam as aeronaves inimigas realizando a incursão; e às Unidades de Defesa Antiaérea, para disparo simulado dos armamentos antiaéreos.

Para a realização da atividade, foram criados dois setores, o Continente e o Litoral.

  • O primeiro, sediado na Ala 2, em Anápolis (GO), abrange as regiões de Cristalina (GO), Ipameri (GO) e Uberlândia (MG).
  • O segundo, com sede na Ala 12, no Rio de Janeiro (RJ), engloba São João da Barra (RJ) e Macaé (RJ), bem como a área marítima onde se encontra a Corveta Barroso, da Marinha do Brasil, no litoral do Rio de Janeiro.

Também estão envolvidos os Esquadrões de Caça da Força Aérea: 1º Grupo de Aviação de Caça, 1º/14º GAV – Esquadrão Pampa, 2º/3º GAV – Esquadrão Grifo e 3º/3º GAV – Esquadrão Flecha, com o emprego das aeronaves F-5EM e A-29 Super Tucano.

O Chefe do Estado-Maior Conjunto do COMAE e Diretor do Exercício, Major-Brigadeiro do Ar Ricardo Cesar Mangrich, explica que a proposta foi treinar a estrutura de Comando e Controle e, ao mesmo tempo, oferecer treinamento para quem está em solo. “Não é fácil coordenar, supervisionar e comandar a Defesa Antiaérea de um País tão grande como o Brasil, por isto, precisamos treinar”, afirmou.

O Chefe da Célula de Operações Aéreas, com ênfase na coordenação da figuração inimiga, Coronel Aviador Sandro Bernadon, explica que um dos objetivos da Operação foi gerar os ataques aos pontos sensíveis que são defendidos pelas Antiaéreas. “Nós escalamos um conjunto de aeronaves para fazer ataques, em diferentes perfis, a todos estes pontos que são defendidos pela Antiaérea, de forma a gerar o melhor treinamento possível, com o máximo de lições aprendidas”, disse.

O Coordenador do Exercício pela FAB, Major Aviador Henrique Moraes Furtado, explica sobre a escolha das localidades. “Nos anos anteriores, nós realizamos o treinamento de forma dispersa, por todo o território nacional. Dessa vez, resolvemos concentrar as ações nas regiões denominadas Continente e Litoral, onde identificamos pontos de possível interesse estratégico para o País, de modo que fosse realizada a análise de defesa destes pontos e, então, o posicionamento das Antiaéreas“, explica.

Médio Alcance/Altura – Em aproveitamento à estrutura do adestramento, um grupo de trabalho atuou para aprimorar o debate para desenvolvimento da doutrina da Defesa Antiaérea de médio alcance/altura. Para tanto, um software simulou, por meio de imagens, todo o procedimento de alarme de suposto ataque.

Artilharia Antiaérea do EB

Gepard
RBS 70
Igla-S

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
76 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bille
Bille
2 meses atrás

Buenas. O problema de chamar de escudo antiaéreo é que falta o escudo. A antiaérea do BR é só baixa altura. Talvez quando o MD finalizar o PBC a antiaérea receba a prioridade que merece hoje, ou seja: a mais alta. Vamos defender o país? Antiaérea Vamos defender nossa tropa? Antiaérea As forças são voltadas para proteção interna? Antiaérea. E pra fazer isso? Tem que comprar e treinar. Tem que saber as restrições do sistema. Não sai do dia pra noite. Falta um norte conjunto. No mais, os exercícios conjuntos, quando geram padronização e mudança (de cultura principalmente), São as… Read more »

Aguiar Silva
Aguiar Silva
2 meses atrás

Eu estou gostando de ver a interoperabilidade entre as forças armadas. Mas infelizmente, não possuímos baterias antiaéreas de médio alcance, lamentável.

vlademir baltazar
vlademir baltazar
2 meses atrás

DESCULPEM…MAS ESCUDO O QUE????

Wagner
Wagner
Reply to  vlademir baltazar
2 meses atrás

É o escudo imaginário das possibilidades impossíveis.

sj1
sj1
Reply to  vlademir baltazar
2 meses atrás

kkk

Agressor's
Agressor's
Reply to  vlademir baltazar
2 meses atrás

O brasileiro é um feriado! 😀

PauloR
PauloR
2 meses atrás

Risos

Paulo Sollo
2 meses atrás

Nosso “escudo antiaéreo”:
https://imgbox.com/4TW8hls8

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Paulo Sollo
2 meses atrás

I escudo anti aéreo que o Brasil tem…

21F56BCF-AB43-4908-A9B6-5A8324F39A45.jpeg
sj1
sj1
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

A primeira vez que concordo com vc.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  sj1
2 meses atrás

Hehe 😉

Mgtow
Mgtow
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

kkkkkkk

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
2 meses atrás

Acho legal as 3 FA’s trabalhando e se exercitando em conjunto.
Mas fico pensando…
Digamos que um bombardeiro ou mísseis de cruzeiro inimigos estejam a caminho da…digamos…usina de Itaipu ou da nova base de subs da MB. O que nossas defesas ATUAIS poderiam fazer?

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Acompanhar os mísseis via radares e no máximo solicitar a evacuação total.
Interceptar sem chances.

Ersn
Ersn
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Isso se antes não tiverem sido destruídos ou incapacitados pelos AGM88 ou ECM dos EA18G ou F16CG

Ersn
Ersn
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Ficar o mais longe possível de um radar e fazer de conta que está atirando em alguma coisa no céu, igual os iraquianos em 2003.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Ersn
2 meses atrás

No Brasil existe uma vantagem que os iraquianos não tinham, e ajudou muito os vietnamitas…mato!!!
Metam-se rápido lá na selva e desapareçam.

Fabio leo
Fabio leo
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

kkk

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Rezar em conjunto.

Chico Tripa
Chico Tripa
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Absolutamente NADA!

Jack
Jack
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Correr…E rápido! Infelizmente…

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Decretar uma semana de carnaval, parada gay, marcha não sei do que, etc. Depois que o inimigo parar de rir, assinamos a paz no primeiro boteco disponível.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Está aí um assunto crítico. Até quando nossas forças armadas vão fechar os olhos e evitar a aquisição de um sistema antiaéreo de médio ou longo alcance?
Esperar pelo possível ASTROS antiaéreo será complicado. Pensei que a aquisição de sistemas SPYDER de Israel iria acontecer, mas pelo andar da carruagem, vamos ter que combinar com possíveis caças inimigos que adentrarem em nosso espaço aéreo faça vôos na altura máxima de 5 km rsrr…
Nesse exercício eles simularam apenas vôos em baixa altitude dos F5 e A29 ?

Last edited 2 meses atrás by WELLINGTON RODRIGO SOARES
Allan Lemos
Allan Lemos
2 meses atrás

Atualmente, é consenso entre os estrategistas militares que é impossível uma guerra ser vencida sem que antes tenha se estabelecido uma superioridade aérea. Isso ficou bem evidente na Guerra do Golfo, onde a prioridade máxima teve que ser a destruição da poderosa defesa antiaérea do Iraque através de uma complexa operação de SEAD. Nesse sentido, já que a doutrina das forças armadas brasileiras é mais defensiva do que ofensiva, o investimento em uma defesa antiaérea de médio e longo alcance deveria ser tão prioritário quanto a renovação da frota de caças. Mas é inacreditável que isso seja deixado em segundo… Read more »

marcos
marcos
2 meses atrás

tão de brincadeira né ? parem de palhaçada e comprem loco as defesas anti-aereas ate ficarem prontas as nossas !

Claudio Moreno
Claudio Moreno
2 meses atrás

Bom dia Senhores camaradas do Aereo e da Trilogia! Abrindo aspas “Em aproveitamento à estrutura do adestramento, um grupo de trabalho atuou para aprimorar o debate para desenvolvimento da doutrina da Defesa Antiaérea de médio alcance/altura”, fechando aspas. Os caras pediram seis meses para o tal grupo de trabalho de estudos… Isso foi lá no ano passado certo amigo Tutu. E ainda estão nessa… Eu disse é repito, estudo conjunto não dá, não rola, as específicidades de cada força são por demais peculiares. Essa droga vai se arrastar, engolir mais recursos e não dará em nada. (me contive para não… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Sem estudo conjunto, continua como sempre foi. Cada força compra o seus sistema que faz exatamente a mesma coisa. Lembrando que a maioria dos sistemas posem ser lançados de terra e ar.
Ai o exército, compra uma bateria se A, a FAB compra uma de B e a Marinha A, B ou C. O custo será maior do quê o ministério da defesa comprar uma bateria de um sistema para cada.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
2 meses atrás

Cristiano… o problema é que dificilmente compram algo, há sempre um motivo para postergação…
Estudos, requerimentos, análises, viabilidades e assim segue a carruagem… EUA fez pedido para mais de 100 Strykers “anti-drone”… nós nem defesa para além de 20km temos, que é item básico para antes de eu ter nascido…

sj1
sj1
Reply to  RPiletti
2 meses atrás

Sim fizeram aquele grupo de estudos da AA que todos sabem ser uma embromação. Tão fazendo vários desses nas tamandarés tbm.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Mais de 20 anos desde o início do primeiro FX e ainda não temos o novo caça em estágio operacional… enquanto o efetivo não for reduzido e o dinheiro aplicado onde precisa, estes estudos serão estendidos até onde puderem…

sj1
sj1
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

CM, a defesa AA tem a mesma função para todos os que operam no Brasil, essa de cada força adquirir uma diferente é que não dá mais. Perdemos dinheiro e oportunidades com isso, devido a escala. Outra coisa muito errada e que persiste no brasil é que as FFAAs recebem dinheiro e escolhem quais equipamentos utilizar (me refiro aos mais importantes), quando na verdade quem deveria determinar o que elas vão utilizar é o Estado, o Poder Político, a partir de uma estratégia defensiva. Nas grandes potencias é assim, principalmente EUA, China e Rússia, aqui é o contrário e resulta(além… Read more »

glasquis 7
2 meses atrás

É o primeiro passo.

Acredito que este exercício permita visualizar melhor o ambiente de combate e a inetroperabilidade das forças..

A partir disso, poderão ser estabelecidas as reais necessidades e principalmente as lacunas que encontra a defesa do espaço aéreo do país e assim realizar os estudos de requerimentos pra implementação de uma defesa Antiaérea.

Depois disso, às compras.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  glasquis 7
2 meses atrás

Cara, eu acho que as necessidades e as lacunas eles já conhecem há muito tempo. O que falta é os oficiais pararem de se preocupar apenas com seus benefícios de carreira, levantarem o traseiro da cadeira e irem bater à porta do Congresso para fazer lobby por mais verbas.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  glasquis 7
2 meses atrás

Primeiros passos, como se aprendesse a andar aos 40 anos…

glasquis 7
Reply to  Mauro Cambuquira
2 meses atrás

como se aprendesse a andar aos 40 anos”

Não, como se fosse a primeira etapa da aquisição de um novo sistema de defesa antiaérea. Verifica as suas capacidades perante as suas necessidades, avalia suas deficiências e determina até onde vc quer proteger.

Carlos Pietro
Carlos Pietro
2 meses atrás

“Escudo” Antiaéreo, mas qual?

sj1
sj1
Reply to  Carlos Pietro
2 meses atrás

Um escudo de casco de tartaruga

Canarinho
Canarinho
2 meses atrás

O que devem pensar o MD e o alto comando referente a esse tema? Eu digo porque literalmente nao existe defesa anti aerea de media altura e elevada altura, nao ha nada nacional sendo desenvolvido neste momento em que falamos referente a isso que nao seja o radar M200,(nao que haja conhecimento publico ao menos), e as iniciativas neste sentido sao tímidas. Nao sei se os colegas foristas compartilham da mesma opniao que a minha, mas pra mim isso tudo já virou uma piada, me desculpe a franqueza e o desabafo, mas as forcas armadas parecem que brincam de defender… Read more »

Wagner
Wagner
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

Parece que o generalato brasileiro foi descrito por Groucho Marx, que disse que inteligência militar é uma contradição em termos.

sj1
sj1
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

Teve um TRILHÃO pro Covid !

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

A sua ideia é boa, mas infelizmente, o Governo brasileiro atual tem uma visão de mundo extremamente míope. Se alguém propor uma conversa com o Putin, essa pessoa vai acabar sendo alvo da ira da ala ideológica, que acha que ainda vivemos na época da Guerra Fria. Além do mais, mesmo se tentássemos conversar com os russos sobre a possível aquisição se seus sistemas de defesa antiaérea, os EUA iriam “sugerir” que o Brasil não levasse a negociação adiante, e como todos já sabemos, o atual Presidente prefere a morte a contrariar os interesses de seu amo. Então sem chances… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Allan Lemos
ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

“E antes que digam que nao tem dinheiro, era caso do Brasil ir la e conversar com os Russos para trocar alguns sistemas antiaéreos com soja, carne, seja o que for, os caras fazem qualquer negócio, haja visto o que foi feito com os helicópteros Mi-35”. Canarinho,se nossos militares fossem inteligentes e deixassem a ideologia de lado,poderia adquirir sistemas russos usando moeda própria. Os egípcios compraram quinhentos tanques T-90MS pelo valor de RUB156BI de Rublos,por quê será que não poderiamos fazer o mesmo?! Comodismo? Falta de grana? Falta de coragem e medo de afrontar o Tio Sam?! Vai saber… Quando… Read more »

Pavan
Pavan
2 meses atrás

Como dizia um certo presidente francês… O Brasil não é um país sério !!

Wagner
Wagner
Reply to  Pavan
2 meses atrás

Só um aditivo, que não reduz nem um pouco o valor do comentário: apesar de quase sempre atribuída a ele, a frase não foi proferida pelo Charles de Gaulle e sim pelo embaixador brasileiro Carlos Alves de Souza, que atuou representando o Brasil no exterior até os anos 1960. Ele conta como ela surgiu em sua autobiografia, “Um Embaixador em Tempos de Crise”, de 1979. Vale a pena ler para entender um pouco mais do pensamento brasileiro.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Wagner
2 meses atrás

Wagner, boa dica e adiciono: para entendermos melhor ainda os motivos de sermos o que somos — e o que não somos — enquanto povo, por favor, leiam Sobrados e Mucambos e Casa-Grande e Senzala, ambos do genial e ostracizado pelas classes ”pensantes” Gilberto Freyre, por ser considerado conservador. Antropologia, História e Sociologia de primeira grandeza em dois livros que mostram as fraquezas e forças de nosso povo em sua origem e como isso impacta até hoje em nossa sociedade. Quanto ao tema da postagem, acho que iremos de Sistema Spyder em sua versão MR, que caberia como uma luva… Read more »

Wagner
Wagner
Reply to  737-800RJ
2 meses atrás

Excelente dica! Obrigado, lerei!

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  737-800RJ
2 meses atrás

Sugiro lerem Carlos Zéfiro, o mago da “manipulação”. Bem mais coerente com Pindorama.

Luiz
Luiz
2 meses atrás

Deprimente…

Bardini
Bardini
2 meses atrás

Se nem AAA nós temos uma que preste, imaginem a situação da nossa capacidade de fazer EW…

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Nossa capacidade EW saiu da guerra do Vietnã para a II guerra do golfo, não e ruim,as a nossa AA e deprimente sendo otimista.

Flanker
Flanker
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Nossa capacidade de EW é maior que a capacidade de defesa antiaérea. Se somarmos todos os meios antiaéreos da 3 Forças temos (considerando apenas armas, sem os sensores): MB: Mísseis Aspide, Sea Wolf (não sei se estão operacionais) Mistral Canhões: Bofors 40 (em várias versões) e Oerlikon 20, 25 e 30 mm (multifuncionais, que podem ser usados com função antiaérea) FAB: Mísseis Igla/S EB: Mísseis: Igla/S, RBS70 e 70NG Canhões: Gepard (35 mm), Bofors 40 mm e Oerlikon 35 mm (Não sei se estão operacionais) Guerra Eletrônica (EW) Meios de EW da MB e EB não sei quais são, mas… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Guacamole
Guacamole
2 meses atrás

Como tem tido treino em todas as forças nesses últimos meses.
Não estou reclamando. Na verdade eu queria que isso acontecesse o ano todo, todos os anos.
Mas é de se estranhar toda essa prontidão, de uma hora pra outra.

Prelúdio de algo no futuro próximo?

Wilson França
Wilson França
Reply to  Guacamole
2 meses atrás

Sempre foi assim.
O que não tinha antes era divulgação pela internet.

CRSOV
CRSOV
2 meses atrás

Mas que diachos de escudo é esse que não consegue abater algo que voe acima dos 5000 metros ?? Qualquer objeto voador que voe acima disso passa impunemente pelo nosso espaço aéreo !!

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
2 meses atrás

Escudo antiaéreo de média altura? É zoeira das nossas forças armadas, escudo de média altura com igla e bofors, que nem é controlado remotamente?

Voltem com uma combinação de S-300, CAMM-ER, rapidfire 40 mm, Krashuka para jammear os mísseis e radares inimigos e a gente conversa, ainda mais agora com a Venezuela recebendo mísseis de longo alcance do Irã.

Flanker
Flanker
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Concordo totalmente Com a precariedade da AAé das FFAA, mas o que foi exercitado foi a AAé de baixa altura. AAé de média altura foi simulada através de software….não existem esses meios no Brasil……talvez, os Aspide das fragatas classe Niterói.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Flanker
2 meses atrás

Então para mim é perda de tempo, treinar algo com software para uma estrutura que nem existe?

Flanker
Flanker
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

Não chega a ser perda de tempo, pois se aprende mesmo assim. Mas, concordo que é muito aquém das necessidades, realmente.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

O Brasil precisa de um bom sistema antiaéreo de longo alcance e de cruzeiro, capaz de interceptar mísseis e aviões de caças inimigos. Sistemas antiaéreos do tipo MIM-104 Patriot norte-americano e o Iron Dome israelense.
De curto e médio alcance nós já temos.

Jean Jardino
Jean Jardino
2 meses atrás

Meia duzia de misseis de cruzeiro, lançados por aviões, navios ou subs, ja deixa toda destruída ta defesa aérea do Brasil….esse escudo ai, eh brincadeira ne.

Robsonmkt
2 meses atrás

Se ainda não temos defesa nem contra ataques de média altura, então, por mais duro que pareça, é correto afirmar que nossa defesa antiaérea está abaixo da linha da mediocridade, visto que a palavra medíocre deriva da palavra médio.

Alexandre
Alexandre
2 meses atrás

Realmente, tem coisas que não tem explicação. Nossas forças já deveriam ter uma defesa aérea qualificada de médio e alto alcance há muito tempo. É um absurdo alegar falta de dinheiro, porque um sistema como o S 125, NASAM 2, Spyder MR ou o Spada 2000 não custa caro. A India comprou 18 sistemas Spyder por 260 milhões de dólares em 2011. Cada sistema desse tem 6 lançadores com 4 mísseis, e já tem uma nova versão de 4 lançadores com 8 mísseis em cada. É um sistema interessante porque combina mísseis com detecção por radar ativo e também por… Read more »

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

O sistema Spyder seria fantástico para o Brasil. Inclusive o Brasil deveria fazer uma parceria com Israel para fazer o ASTROS antiaéreo sair do papel.

Alexandre
Alexandre
2 meses atrás

O Brasil precisa de um bom sistema antiaéreo de longo alcance e de cruzeiro, capaz de interceptar mísseis e aviões de caças inimigos. Sistemas antiaéreos do tipo MIM-104 Patriot norte-americano e o Iron Dome israelense.

De curto e médio alcance nós já temos.

Last edited 2 meses atrás by Alexandre
Marcelo
Marcelo
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Só de curto alcance.

Arariboia
Arariboia
2 meses atrás

Tudo que queríamos e não temos sendo operado em treinamento pelos russo.
BUK-M2/M3, TOR-M2U, S300V4
Só lembrando que são equipamentos do exército russo.

https://youtu.be/S0IB5lCZ3AQ

Last edited 2 meses atrás by Arariboia
sergio ribamar ferreira
Reply to  Arariboia
2 meses atrás

Todos os 36 Gripëns estão programados para 2026 e só teremos isso. AA mais um ou dois anos para se pensar em obter algo. Não temos Um generalato das três Forças tendo seriedade. acrescento que as pessoas nesse site são sérias pois estamos criticando há anos sobre, não só o problema da defesa AA mas também as dificuldades enfrentadas pelas Forças Armadas num todo. Então, não é o país que não é sério e sim nossos dirigentes civis e generalato pois são estes que decidem o que é bom “enfeitando sempre o pavão”. Um pé para frente dois, três, quatro,… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Concordo com o sr. Arariboia, porém será que os grandes iluminados das Forças Armadas levam isso em conta? Esperar até 2030 quando estarei com 70 anos. Se estiver vivo.

FighterBR
FighterBR
2 meses atrás

E a Rafael anda investindo bastante em propaganda AdSense no YouTube Brasil. Está passando direto propagandas do Iron Dome e David Sling em qualquer vídeo do YouTube.

Beto Santos
Beto Santos
2 meses atrás

Caramba lendo este artigo fiquei pensando onde foi que tudo mudou, li este outro artigo ontem e achei melhor compartilhar com vocês pra verem que nem sempre fomos assim, um dia já fomos bons e tínhamos uma força que respeito, leiam a reportagem e me digam o que acham e ao editor peço que se tem conhecimento desta época ou informações que faça um artigo sobre o assunto pra que todos nós possamos ler e comentar, abraços a todos.
https://www.defesa.tv.br/a-poderosa-marinha-imperial-brasileira/

Chico Tripa
Chico Tripa
2 meses atrás

O problema não é este país não ter tido, não ter e pelo andar da carruagem, jamais terá FFAA equipadas e prontas para enfrentar e derrotar ou impor grandes perdas à um possível ou possíveis agressores externos. Temos sim uma força terrestre equipada e pronta para….GLO! Temos dinheiro sim…e muito! Essa cantilena de “falta de verba” não cola mais. Aliás nunca colou! Temos políticos imprestáveis e corruptos? Pelo que estamos acostumados à vêr, temos sim! Mas temos uns bons também. Tem militar incompetente? Acredito que sim. Mas a grande maioria é inteligente. Emfim…somos um povo trabalhador, inteligente…donos (?) de uma… Read more »

Agressor's
Agressor's
2 meses atrás

A Grécia me deu a sabedoria, a Itália a honra, a China a disciplina e o Japão a inteligência. E o Brasil? Ah o Brasil me deu a vergonha…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Belo nome operacional para algo inexistente e esdrúxulo : Escudo antiaéreo…

Nossa armadura é furada e defendida por meios limitados.

Podemos nos defender de players regionais,mas contra o poderio de países como o da aliança,russos ou chineses,duvido muito que possamos nós defender.

comment image

Almeida
Almeida
2 meses atrás

Bem pequeno esse escudinho, né?

GripenBR
GripenBR
2 meses atrás

Eu queria ver como que funcionaria este escudo frente a uma realidade dessas. https://www.youtube.com/watch?v=FOBs-kf5tks (https://en.wikipedia.org/wiki/Bayraktar_TB2). É melhor não derrubar mais nenhuma arvore na Amazônia e cada capital ter uma imensa reserva logo ao lado. O mato como “escudo”. Outra opção e fazer como a Dinamarca na segunda guerra e ter o telefone (Vale o Twitter na mídia oficial do governo atual) como principal meio de “defesa” e assim que o inimigo colocar a botas no solo brasileiro é só ligar e se reder logo de cara.

Roberto Santos
Roberto Santos
2 meses atrás

Piada com o escudo, Escudofobia