Home Aviação de Ataque VÍDEO: Colaboração Real 3 – Episódio 8 – Sistema de Guerra Eletrônica...

VÍDEO: Colaboração Real 3 – Episódio 8 – Sistema de Guerra Eletrônica do Gripen

4276
55
Sistema de guerra eletrônica do Gripen E
Componentes do sistema Arexis de guerra eletrônica do Gripen E

A aeronave Gripen possui diversos sistemas de Guerra Eletrônica, como por exemplo, um radar que consegue detectar inúmeras aeronaves a grandes distâncias simultaneamente, além de ser imune a diversos tipos de interferência eletrônica.

Esse sistema faz com que o piloto tenha vantagem tática para ser o primeiro a atacar, uma vez que ele tem a visão de todo um cenário a sua volta. Quer saber mais? Assista ao vídeo completo.

Subscribe
Notify of
guest
55 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Observador
17 dias atrás

Está estabelecido que a supremacia aérea será estabelecida pela superioridade em guerra eletrônica, até certo ponto. Pois suponhamos que dois adversários possuam suítes eletrônicas de ponta capazes de anular os mísseis BVR lançados por ambos os lados. O que lhes restará será o dogfight, que tantas vezes disseram que não tinha mais espaço nos embates atuais.
E como todas a FAs do mundo estão obrigatoriamente adquirindo estas capacidades de contramedidas, uma repetição do que ocorreu na Desert Storm com todos aqueles abates BVR será improvável. Os caras vão literalmente voltar a sair na mão, habilidade, manobrabilidade, etc, para vencer.

Vinicius
Vinicius
Reply to  Observador
17 dias atrás

Voce está esquecendo dos misseis IR, mesmo no pior cenário, dificilmente veremos combates no tiro, na bala, um eventual conflito por exemplo um F-15 contra um Mig29 onde o mig levaria clara vantagem num dogfitght, após ambos lançarem todos os misseis IR(imaginando que nem levem mais BVR pelos motivos que vc citou), o F-15 provavelmente aceleraria e fugiria e o MIG 29 não iria atrás por questões de combustivel

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Vinicius
17 dias atrás

Nos anos 90 o MIG-29 levaria vantagem nos combates a curta distância em cima do F-15 ou qualquer outro caça ocidental por conta de sua mira no capacete e de seus mísseis IR de tecnologia superior, mas os Mig-29 tiveram pouca evolução comparado com os F-15 e suas armas que evoluíram muito e hoje a vantagem esta com os F-15 tanto no BVR como você citou quanto no dogfitght!

Observador
Reply to  Vinicius
17 dias atrás

Sim, não estava me referindo apenas a combates com canhões, mas também com mísseis de curto alcance.

JSilva
JSilva
Reply to  Vinicius
17 dias atrás

“após ambos lançarem todos os misseis IR(imaginando que nem levem mais BVR pelos motivos que vc citou), o F-15 provavelmente aceleraria e fugiria e o MIG 29 não iria atrás por questões de combustivel.” Se estivermos falando de misseis IR modernos essa possibilidade é improvável, esses misseis podem ser lançados praticamente de qualquer posição, suportam manobras com muito mais G’s que os caças e são difíceis de serem enganados. O mais provável é que ambos sejam abatidos. Talvez a fuga seja aconselhada a quem ficar sem misseis BVR primeiro. Levará vantagem quem tiver maior capacidade de sobrevivência (guerra eletrônica, furtividade,… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Vinicius
17 dias atrás

Combates com misseis IR entram no quisito dogfiht.

Teropode
Reply to  Vinicius
16 dias atrás

Cara os IR são na atualidade os mais fáceis para ludibriar , entre os players os combates serão decididos no dogfighter, lançamentos de 20km abaterá apenas distraídos .

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Observador
17 dias atrás

O BVR vai resolver a maior parte dos combates, mas o dogfight sempre vai existir, os combates vão começar no BVR e se ainda restar caças em condições no dois lados vai terminar no velho dogfight!

Kemen
Kemen
Reply to  Observador
17 dias atrás

Observador, uma colocação muito veridica, com a capacidade das contramedidas eletrônicas atuais nos caças de nova geração e alguns sendo modernizados para esses novos ECM, o dogfight sera uma alternativa viável por um periodo, até surgirem novos misseis imunes ou parcialmente imunes a esses novos ECM.

Gabriel
Gabriel
17 dias atrás

E pensar que como “entusiasta” o meu preferido no F-X era o SH.

E pensar que cheguei a suspeitar que o Gripen E seria apenas o C melhorzinho.

Fico realmente satisfeito em verificar que eu estava totalmente equivocado.

Mérito da Comissão da FAB que fez a escolha correta.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
17 dias atrás

O problema é que ele nunca encarou ninguém! Ou melhor a Suécia!

OSEIAS
OSEIAS
17 dias atrás

Pois pelo que entendi, os Gripens possuem a habilidade de enganar vários sistemas de busca, informando local errado e simulando para o inimigo falsas informações, logo sua tomada de decisão sempre será equivocada. Sendo assim, o Gripen não ve necessidade de ser stealth. É correto afirmar isso? E se sim, a característica de um 5G para um 4.5G seria essa furtividade, isso então não contaria para nada nesse senário e que um Gripen se igualaria aos supostos caças 5G?Pois um tem a capacidade de se esconder e o outro a capacidade de enganar onde está. Abraços.

Hcosta
Hcosta
Reply to  OSEIAS
16 dias atrás

O F-35 pode ser stealth e ser um jammer, dependendo das missões.
Mas as defesas anti-aéreas deverão ter vantagem sobre os caças 4G porque terão radares mais potentes, mais recursos humanos e mais equipamentos. Mesmo os caças 5G não os irão atacar directamente. Atacam com mísseis de cruzeiro ou anti radiação a uma distância segura. Por exemplo os B-2 contornam a área de busca do radar para fazerem os seus ataques.

Hcosta
Hcosta
Reply to  OSEIAS
16 dias atrás

Fazer jammer indica ao inimigo que, no mínimo, naquela área tem um avião. Um stealth não. Um é um método activo, outro é passivo.
Mas nestes casos temos que ter em conta que sempre existirá uma infraestrutura de apoio (outros radares, informações secretas, satélites, aviões de apoio, etc..) quer seja a atacar, quer seja a defender.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
17 dias atrás

A modernização dos F-5 foi um avanço que nos trouxe para a virada do século, com esse caça finalmente vamos entrar no Séc. XXI!

Allan Lemos
Allan Lemos
17 dias atrás

Acho que o ideal seria se a FAB adquirisse os pods exclusivos para a guerra eletrônica para que os aviões não dependessem apenas das tecnologias embarcadas,isso nos daria ainda mais vantagem.Mas mesmo que não aconteça,nossos Gripens já serão disparado os caças mais avançados e letais da região,embora ainda seja preciso mais unidades.

Santiago
Santiago
Reply to  Allan Lemos
16 dias atrás

Mas comprou. Com exceção do A-darter que depois de investir milhões de dólares com a Empresa Sul Africana Denel, acho que morreu na praia, os outros armamentos continuam de pé. entre eles o Pod Reccelite 2 e o Pod Litening G4 para o Gripen.

https://www.aereo.jor.br/2017/09/15/conheca-as-armas-do-caca-saab-gripen-ef-da-fab/

Marcelo Silveira 75
Marcelo Silveira 75
17 dias atrás

Olá bom dia.
Por meio deste ofício aos membros no fórum Poder Aéreo peço desculpa se fui grotesco desrespeitoso para com os que aqui interagi.
Fui penalizado pelo administrador e entendo os porquês,, em especial minhas sinceras desculpas a Glasquis 7, não qual reprovo certas atitudes.
Tentarei não ser descortês, serei o mais moderado possível, espero o mesmo pois minha atitude é recíproca.
Bom debate a todos.

Last edited 17 dias atrás by Marcelo Silveira 75
OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Marcelo Silveira 75
16 dias atrás

Marcelo, sua atitude de se desculpar demostra sua grandeza e gostaríamos muitos que todas aqui fossem capazes de perceber que estão errados e que possam mudar de opinião diante dos fatos. Parabéns por sua coragem respeito e exemplo.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Rival Sensor
17 dias atrás

esperando ansiosamente!!!

Welington S.
Welington S.
17 dias atrás

Sinto falta dos Likes e dos Deslikes no Fórum kkkkkkkkkk

Fabio Araujo
Fabio Araujo
17 dias atrás

E um detalhe essa tela WAD que falam no vídeo é de tecnologia nacional desenvolvida a pedido da FAB e ficou tão boa que também foi incorporada na versão sueca e agora é apresentada como um diferencial do Gripen E/F!

Last edited 17 dias atrás by Fabio Araujo
Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Fabio Araujo
17 dias atrás

Fábio, lembro o tanto que, na época, alguns “mais entendidos” daqui desceram o pau nessa tela e nos demais itens que integravam aquele pacote adicional contratado.

Kemen
Kemen
Reply to  Felipe Morais
17 dias atrás

Poi é Felipe, mal de brasileiro e outros tantos que tem por ai, desprezam, falam mal, e não se importaram em conhecer detalhes, antes de opinar, o que realmente incomoda bastante, mas enfim é isso ai. Venho tentando mostrar que o F-39 não é um caça qualquer, tem tecnologia de ponta e como aeronave é um excelente projeto.
Ainda bem que o site vem mostrando como é o nosso F-39.

Last edited 17 dias atrás by Kemen
Juarez
Juarez
Reply to  Kemen
15 dias atrás

O F 39 até o presente momento e uma promessa e será tudo isto que você quer que ele seja após ser declarado plenamente operacional.
Isto não e nenhum problema e parte do sistema, mas até lá todos torcemos para que tudo funcione como esperado, inclusive eu.

Juarez
Juarez
Reply to  Felipe Morais
15 dias atrás

Felipe, uma das razões de eu não postar mais aqui e a campanha de desclassificação que tu de forma baixa e cretina sempre o fez contra mim, mas eu, Juarez e um dos que tem sérias dúvidas sobre o nível de segurança deste tipo de aviônica porque a FAB já teve várias experiências desagradáveis com “flame out” de telas do F 5 M em voo, o que não foi uma experiência agradável para o piloto . Felipe, ao contrário de ti que baseia as tuas afirmativas em press releases de fabricantes que tem tanta validade quanto o papel higiênico, eu… Read more »

ted
ted
Reply to  Fabio Araujo
16 dias atrás

Correção: o wad é de tecnologia Israelense, montado no Brasil pela AEL. empresa que pertence ao governo de Israel.

Coutinho
Coutinho
Reply to  ted
14 dias atrás

Na verdade não. Ví em uma live do Canal Arte da Guerra que esse WAD foi desenvolvido por brasileiros e não simplesmente um modelo estrangeiro montado aqui.

Santiago
Santiago
17 dias atrás

Agora sim. 20 caças Gripen-E armados como este da foto abaixo com 7 mísseis ar-ar Meteor cada, apoiados por AeW&C da conta de todos os caças da América do Sul juntos. ( cerca de 130 caças).

comment image

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Santiago
17 dias atrás

AeW&C 

Esse é o detalhe, agora estamos avançando com uma versão modernizada.

https://www.aereo.jor.br/2013/02/28/embraer-fecha-contrato-com-a-saab-para-modernizar-sistema-erieye-aewc/

Santiago
Santiago
Reply to  Carlos Alberto Soares
17 dias atrás

Pois é. Inclusive acho que já saiu o primeiro E-99M. Não sei se o Link BR-2 da Fab já foi implantado. Com ele + Gripen- E + Meteor + E-99M vai colocar a FAB no estado da arte. sds.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Santiago
17 dias atrás

Quando a FAB disparar um Meteor melhor que o alvo valha a pena ser abatido já que o missil não sai por menos de €1.5 milhão cada.

Doug385
Doug385
Reply to  Filipe Prestes
17 dias atrás

O míssil é caro mesmo, mas vai ser a nossa bala de prata. O pé de boi deve ser o Derby, espero que da versão mais nova.

Kemen
Kemen
Reply to  Filipe Prestes
17 dias atrás

Supondo que o alvo não seja para treinamento e também não seja um Meteor para tal, quanto custaria para o pais de origem o alvo abatido?

Santiago
Santiago
Reply to  Filipe Prestes
17 dias atrás

Bom pelo menos já saiu matéria aqui que a Fab adquiriu cerca de 200 mísseis. Seria interessante, não sei se é viável a Fab continuar com alguns F-5M como caça de 2º linha para dogfight. Armados com Pyton IV e capacete Dash + Derby bvr (ER), o que não valesse a pena abater com meteor ou o que passar, deixar com os F5. No curto alcance o F-5m é um caça imbatível para o nosso TO.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Filipe Prestes
16 dias atrás

Filipe,pelo que li,o MBDA meteor custa ‎€2,000,000 de euros ou R$12.489.800,00 de reais,apesar que oque vale é a cotação da assinatura do contrato,que eu não sei quando foi mas certamente quem deve saber é a trilogia…

RPiletti
RPiletti
Reply to  Filipe Prestes
16 dias atrás

Não sendo drone…
O valor de um piloto sempre será superior ao de um míssil…

Pablo Maroka
Pablo Maroka
17 dias atrás

GRIPEN NG vc é um caça fantástico!

Ulisses
Ulisses
17 dias atrás

Acredito que os combates BVR não vão terminar tão cedo, pois com a evolução dos IRTS e do mísseis IR tanto em alcance como em distância de engajamento, esse tipo de armamento vai ser cada vez mais utilizado além do alcance visual.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Ulisses
17 dias atrás

Trnasportar em navio uma carga de eletrônicos, caríssimos é inimaginável. Quem importa eletroeletrônicos usa via aérea. Se os Tucanos das Filipinas foram voando, pq os Gripen não fazem o mesmo?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Luiz Floriano Alves
17 dias atrás

Os tucanos tem todas as licenças, o Gripen E/F como ainda esta em desenvolvimento é considerado um avião experimental e precisa de licenças especiais para voar, para fazer uma viagem curta entre dois países que tem fronteira como aconteceu agora para a Finlândia é mais simples, mas para voar da Suécia para o Brasil passando por vários países serão necessárias várias licenças. Aqui no Brasil o Gripen para voar do aeroporto onde será montado ao lado do porto até o centro de teste foi emitida uma licença especial! E outra coisa os navios podem ser preparados para levar equipamentos eletrônicos… Read more »

Last edited 17 dias atrás by Fabio Araujo
OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Luiz Floriano Alves
16 dias atrás

Caro Luiz, os foguetes Ariane da Airbus (franceses) que são levados a Guiana francesa vem de navio. Transporte marítimo corresponde a quase 95% das cargas internacionais no mundo, logo praticamente tudo que é eletrônico vem de navio. Abraço

Tomcat4.0
Tomcat4.0
17 dias atrás

Um sistemas de armas completo e ultramoderno, seu sistema ,conforme este e outros videos mostram, de eletrônica embarcado e seus sensores junto ao baixo RCS o deixam semi Stealth,quase ou basicamente invisível aos radares ao suprimir e confundir os sinais. Fui torcedor do Rafale mas, ao conhecer o Gripen E melhor virei fâ.

OBS ; A turma do …”é um caça de papel que nem existe…” que malhou pau na FAB deve estar rasgando o chalalalala com a unha!!!hauhauhauhau

Maurício.
Maurício.
Reply to  Tomcat4.0
17 dias atrás

Tomcat, o Gripen E realmente está bonito, ficou com mais cara de caça, digamos que ficou mais possante, mas na época do FX-2, você querendo ou não, ele era sim só um caça de papel, a FAB conheceu o SH e o Rafale, mas não chegou a conhecer o Gripen E porque ele simplesmente não existia, e isso é um fato.
Se a FAB fez uma boa opção, os próximos anos vão dizer.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Maurício.
16 dias atrás

Mas o fato é que ja conheciam o C/D e esta versão já era paritária aos concorrentes. A versão E/F por sua vez, era uma promessa de superar os concorrentes e pontos que existiam a melhorar no anterior tal como alcance e carga. A eletronica como sendo nova e uma melhoria que ja era centrada em rede, prometia e promete aproximar-se do F35…é usar e testar para comprovar ou não…

Maurício.
Maurício.
Reply to  Carvalho2008
16 dias atrás

Carvalho, o Gripen E continua sendo um Gripen, você tem razão, mas mesmo assim, existem mudanças, e essas mudanças estavam só no papel, não só mudanças na estrutura da aeronave, mas mudanças nos sistemas também.
Você tocou num ponto certo, o Gripen E era uma promessa, promessa essa que estava só no papel.
Não podemos nos esquecer que SH e Rafale também tem sistemas de guerra eletrônica, tão bons quando a do gripen.
De resto, é como você disse, é usar e testar para comprovar ou não.

Deywid Medina
Deywid Medina
16 dias atrás

Incrível a capacidade de guerra eletrônica!!
Atualmente estou me especializando em linguagem de programação que o display WAD utiliza, com o intuito de trabalhar aqui em POA na AEL SYSTEMAS, e futuramente estar dando suporte e atualizando nossas tão belas aeronaves que estão por chegar ainda este ano.
Sonho cada dia mais, de fazer parte de uma equipe que trabalhara diretamente com esses sistemas e caças da FAB.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Deywid Medina
16 dias atrás

Tomara que tu consigas…

Deywid Medina
Deywid Medina
Reply to  RPiletti
16 dias atrás

Muito obrigado RPilrtti!!
Deus te ouça 🙏

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Deywid Medina
15 dias atrás

Sucesso aí pra vc, já está se esforçando,capacitando , e onde há esforço e vontade há vitória!!!

Paulotd
Paulotd
16 dias atrás

Com um país do tamanho do nosso poderíamos fazer muito mais bonito que meros 36 Gripens, embora a FAB ainda esteja melhor que a MB que tá navegando de canoa, ainda tá muito ruim, merecemos mais de 100 Gripens, mas tem muito pessoal, muita aposentadoria e pensão..

MMerlin
MMerlin
Reply to  Paulotd
16 dias atrás

Paulo. Você faz parte do mesmo grupo que torce para um segundo lote (e até um terceiro) de compra dos caças, assim como eu, os editores da Trilogia E os editores dos outros sites especializados.
Mas esta resposta, creio eu, nem a FAB tem.

Juarez
Juarez
Reply to  Paulotd
15 dias atrás

Historicamente Paulo, a FAB teve aproximadamente 100 anvs na chamada primeira linha, mas jamais conseguiu manter e operar mais do que 50% deste efetivo.
Então dificilmente a força conseguiria manter com os custos de operação de uma Anv moderna mais do que uns 60 Gripens no pau da goiaba.

Marcelo Silveira 75
Marcelo Silveira 75
Reply to  Juarez
15 dias atrás

Não me leve a mal Juarez. Sempre aprovei a maioria de seus comentários, aproximadamente uns 65% “frio” e realista. Más convenhamos, tu é bem pessimista! rsrsrsrs. Bem! Discordo desse total operativo acima relacionado por ti, dê 50% no efetivo, más isso não vem ao caso. Vá quê tenhas razão! O caso é o seguinte: Nestas 100 aeronaves de primeira linha que tu citastes, na trajetória da FAB sempre houve diversos tipos de aeronaves. O que basicamente dificulta sua reposição na linha de vôo, partimos desse suposto. Além das dificuldades orçamentárias da força que todos aqui conhecem, e os motivos que… Read more »

Last edited 15 dias atrás by Marcelo Silveira 75