Home Aviação de Ataque EUA formalizam venda de jatos F-16 para Taiwan em alta tensão com...

EUA formalizam venda de jatos F-16 para Taiwan em alta tensão com a China

4836
94
F-16V
Lockheed Martin F-16V

Pedido de 66 jatos é parte de $ 62 bilhões em vendas potenciais

Taiwan assinou formalmente um acordo para comprar 66 dos modelos de jatos F-16 mais recentes fabricados pela Lockheed Martin Corp., uma medida que provavelmente aumentará as tensões entre os EUA e a China.

A compra dos F-16 por Taiwan marca a primeira venda de jatos de combate avançados para a ilha desde o presidente George H.W. Bush anunciou a aprovação de 150 F-16s em 1992.

Um valor de US$ 62 bilhões anunciado pelo Pentágono na sexta-feira é o limite máximo de vários contratos se todos os clientes estrangeiros em potencial colocarem seu número máximo desejado ao longo da década.

A medida provavelmente será denunciada por Pequim, embora os EUA tenham sinalizado pela primeira vez seus planos de aprovar a venda há um ano em uma notificação informal ao Congresso e ainda pode levar anos antes que os jatos sejam entregues.

O anúncio dizia que o trabalho nos 90 jatos potencialmente vendidos sob o anúncio de sexta-feira estaria concluído no final de 2026.

Diretores da empresa disseram anteriormente que projetam um mercado para até 400 dos novos F-16s.

Quando a venda planejada foi anunciada em agosto do ano passado, uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China disse a repórteres que “ as vendas de armas para Taiwan violam gravemente o princípio de uma só China ”.

Lockheed Martin F-16V (Viper) Block 70/72 Fighting Falcon em configuração de ataque e de defesa aérea

Além de Taiwan, o Marrocos está comprando 24 jatos F-16 no primeiro tranche de 90 aeronaves que, segundo o Pentágono, estão avaliadas em US$ 4,9 bilhões. O anúncio do Pentágono não mencionou Taiwan ou Marrocos, mas eles foram identificados em um comunicado anterior e foram confirmados na sexta-feira por uma pessoa familiarizada com o contrato.

Os novos F-16s estão sendo montados nas novas instalações da Lockheed em Greenville, Carolina do Sul, inauguradas em abril de 2019. O mecanismo de contratação usado pelo Pentágono “facilitará a adjudicação de contratos mais rápida e maior clareza de preços para nossos parceiros militares estrangeiros”, Brian Brackens, disse um porta-voz da Força Aérea, em um comunicado à Bloomberg News antes do anúncio do contrato.

“Espera-se que Taiwan e Marrocos sejam as duas primeiras nações parceiras a utilizar este contrato”, disse Brackens.

Os F-16 de Taiwan serão equipados com um radar de controle de tiro de primeira linha feito pela Northrop Grumman Corp. Chamado de APG-83, ele permitirá que munições guiadas com precisão sejam lançadas a distâncias maiores, disse um funcionário familiarizado com os detalhes.

O diretor financeiro da Lockheed, Kenneth Possenriede, disse a analistas em uma teleconferência de resultados de 21 de julho que a empresa estava prevendo um pedido “bastante grande” do F-16 “que deve ser anunciado em algum momento deste trimestre”, no qual “o principal cliente é Taiwan”.

Os 90 F-16s adicionais aumentariam a carteira atual de 38 aeronaves da Lockheed.

FONTE: Bloomberg News

Subscribe
Notify of
guest
94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

China e Taiwan e Coreia do Norte e Coreia do Sul são duas situações que não tem previsão de solução.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

É verdade, é um barril de pólvora que a qualquer momento pode explodir.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Tem solução sim, com ao fim dos regimes totalitários de partido único comunista na China e Coreia do Norte!

Teropode
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

USA : Me de a CN que libero Taiwan .

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Teropode
1 mês atrás

CN é um lugar economicamente atrasado e culturalmente alinhado com o comunismo chinês há anos e que vai exigir US$ 10 trilhões ou mais pra deixar no mesmo nível do sul, uma conta que não é tão fácil achar alguém que queira bancar… Já Taiwan é uma democracia mais ocidentalizada e industrializada, com quase US$ 1 trilhão de PIB e que pode gerar grandes recursos em parceiras potenciais…
.
Não faz sentido nenhum isso proposto…
.
Sds

Wagner
Wagner
Reply to  Theo Gatos
1 mês atrás

Controlar um dos únicos locais detentores de posições de onde se podem lançar uma ofensiva terrestre em larga escala contra a China? Faz muito sentido. O que não faz sentido é sua análise!

Victor Teixeira
Victor Teixeira
Reply to  Wagner
1 mês atrás

E ainda faz fronteira com a Rússia, apesar dos vestígios de guerra fria estarem cada vez menores.

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Wagner
1 mês atrás

Existem muitos locais de onde se podem lançar ofensivas terrestres contra a China que tem uma fronteira extensa e com muitos países… Talvez pelo Sudeste Asiático faça até mais sentido por ser menos populoso e talvez menos guarnecido do que pela fronteira com a CN… E acredito que os EUA não estejam interessados em ofensivas terrestres contra a China, e sim a China contra Taiwan…
.
Fora tudo isso que cedo ou tarde é bem capaz do regime da CN ruir de dentro pra fora sozinho…
.
Sds

tadeu54
1 mês atrás

Desculpem mas duvido muito, a China Comunista quer é crescer economica e politicamente, uma escalada militar com Taiwan ou Coréia do Sul não trará ganho real algum, claro que isso pode mudar, principalmente se em Pequim assumir alguém mais belicoso.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  tadeu54
1 mês atrás

Mas a China só vai tentar algo se conseguir diminuir sua dependência do petróleo externo, esse é um problema que os EUA e a Rússia não tem, os EUA compram muito petróleo fora mas possuem grande reservas. Sem combustível ninguém faz guerra! E as possíveis reservas de petróleo e gás no Mar da China é a razão para a China querer dominar o Mar da China diminuir sua dependência do petróleo externo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A China não tem problemas com fornecimento de petróleo, pois em caso de extrema necessidade, pode importar milhões de toneladas da sua vizinha e aliada Rússia.
Em situação normal tem o Irã e a Venezuela que estão doidos para vender mais para ela.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Países arábes na esfera de influêncial ocidental são os que mais vendem pra China, Emirados, Arábia Saudita, etc.. Até o Brasil tá exportando muito pra lá.. EUA tava quase auto suficiente no ano passado, agora que deu uma queda absurda por causa da invviabilidade econômica do Shale. Ninguém via deixar de ganhar dinheiro, não vã odeixar o povo passar fome e aniquilar essas monarquias Árabes por conta de embargo Americano.

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Isso é verdade.
Mas uma decisão governamental pode mudar esses fornecedores.
Não podemos esquecer que a Venezuela tem as maiores reservas do Mundo e Rússia e Irã também são muito bem aquinhoados.

Angelo
Angelo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

É bom lembrar, sempre, que nem todo petróleo é igual.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Angelo
1 mês atrás

Isso é verdade.
Parece que no refino é necessário uma mistura de tipos de petróleo.
Eu li, certa vez, que os EUA precisam de um tipo de petróleo que a Venezuela exportava para eles.
Como pararam de comprar dos venezuelanos, tiveram de recorrer a um tipo de petróleo da Rússia denominado ‘Ural’.
Corrija-me se eu estiver errado.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Não fale do que não entende. Ninguém no mundo precisa do oleo pesado e com elevados teores de contaminantes como o óleo da Venezuela, cuja grande virtude é ser muito barato.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Caerthal
1 mês atrás

Texto extraído da publicação que mencionei.

“Isso porque a maioria das refinarias nos Estados Unidos foi construída quando o país ainda era obrigado a depender muito do petróleo importado, por isso a maioria delas é otimizada para lidar com o material chamado “pesado” do exterior, em vez do “leve” do Texas. “

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Se quiser entender mais do assunto leia mais em:

https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/estados-unidos-exportacao-petroleo/

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Não é verdade a questão da mistura dos óleos da forma que Você citou. As diferenças são simples entre os dois tipos de petróleo normalmente comercializado. O óleo leve é chamado de”Brent” (negociado na Inglaterra) e WTI (negociado nos EUA), fácil de ser refinado, gerando baixos custos de produção, muita produtividade e produtos mais nobres do refino. O Brasil praticamente produz o segundo tipo de óleo, o mais pesado. É um óleo de dificil refino e do mesmo é muito dificil extrair os produtos mais sofisticados do refino. Sendo de dificil refino os paises importam petroleo “Brent/WTI” para misturar com… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O Venezuelano precisa cruzar o Atlantico…

Obs.: Acho que o Blog deveria publicar uma materia da mais temivel força naval do mundo… a força de submarinos da US Navy…

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

“pois em caso de extrema necessidade, pode importar milhões de toneladas da sua vizinha e aliada Rússia.”. Tem idéia do tempo necessário para suprir toneladas de petróleo, processar e distribuir “cara-pálida”?. Quando o primeiro barril for carregado, não teria muita coisa a ser abastecida. Estamos no seculo 21 amigo. Vontade é normal, mas passa.

Last edited 1 mês atrás by Luiz Antonio
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Luiz Antonio
1 mês atrás

‘Pau que bate em Chico, bate em Francisco.’
Os EUA também não teriam de quem importar petróleo com seus principais fornecedores tão longe de casa e praticamente no quintal da Rússia.
E certamente com ajuda da China.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

EUA possuem imensas jazidas no Alaska,possuem fronteiras petrolíferas com países aliados como Canadá,México e sem contar o Brasi!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Kings, em caso de conflito as reservas americanas dão conta do recado… o mesmo não acontece com os Chineses…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Ricardo Bigliazzi

Nem EUA e nem China conseguiriam suprir suas demandas com produção interna por conta dos gargalos na produção e refino.
A China também tem reservas e produz cerca de 4 milhões de barris dia.
Segundo o anuário da BP a China tem reservas de cerca de 25 bilhões de barris e os EUA de 48.
Só para efeito de comparação, a região do Oriente Médio tem reservas de 800 milhões, a Venezuela 300, Canadá 170 e Rússia 109 (dados de 2016)
Mas também tem restrições de extração e refino.

Marcelo-SP
Marcelo-SP
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Em uma situação de guerra, nunca o petróleo venezuelano chegaria na China. Impossível atravessar oceanos sob controle das marinhas dos EUA, RU, Australia, Japão e outros.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Marcelo-SP
1 mês atrás

Do mesmo jeito que uma gota de petróleo do O.M. chegará aos EUA.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O brasil, Noruega e UK supririam fácil os EUA. não precisaria do O.M, o único problema seria o preço do barril que ia para números estratosféricos

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Eles não precisam desse óleo, compram hoje pois é mais inteligente queimar o óleo dos outros a torrar o próprio. É dificil entender???

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Isso é lógico.
Estamos falando de situações limite em que esse fluxo é interrompido, né?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

É tipo aquele acordo.: ‘Uma mão lava a outra.’
‘Vc compra esses F-16, nós tentamos garantir a sua segurança.’
E a L.M. mantém por mais algum tempo a linha de produção dele.
Depois eu procuro as reportagem em que a L.M. anunciou o possível fechamento dessa linha de produção por falta de encomendas.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Como disse um analista militar indiano: ‘F-16 é corda velha com nós novos’.
Esses tanques são um dos exemplos desses nós.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Concordo com você. A produção de petróleo é hoje bastante pulverizada.

Last edited 1 mês atrás by Adriano RA
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Adriano RA
1 mês atrás

E em processo de substituição acelerada.
Semana passada, a British Petroleum anunciou que instalará 70.000 estações de carregamento para carros elétricos.
Previu também sua produção de petróleo cairá 40% nos próximos.
Além disso, anunciou que deixará de ser uma empresa de petróleo para se tornar uma empresa de energia.
Novos tempos se aproximam.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Qual a fonte de energia primária para estes carros eletricos?

glasquis7
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Acho difícil os Carros elétricos se saírem tão triunfantes na atualidade. Enquanto não se encontre um alternativa ao Lítio, continuarão a ser “o futuro” e não o presente. As grandes potências não quererão ter que depender de países de terceiro mundo numa parte tão importante na sua matriz energética.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Está muito longe o dia em que os veículos elétricos se tornarão baratos e que poderão substituir as centenas de milhões de veículos movidos a petróleo e etanol.

Marcos Borges
Marcos Borges
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Só que existe um pequeno problema nessa equação, a marinha dos EUA tem domínio sobre as principais rotas marítimas, tanto no Pacífico quanto no Atlântico.

sagaz
sagaz
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Complete a sua análise, a Rússia hoje tem essas “milhões de toneladas” a disposição ou comercializa com “alguém”? Quem será que compra da Rússia? A sua análise então em uma hipotética guerra é: “A Rússia deixa de vender para o mundo livre para vender para a China que agride o mundo livre (EUA, Europa, Japão, Coréia do Sul…” E a China precisa só de petróleo? Eles são autossuficientes em mais o que? Minérios, alimentos, …? Fazer bugigangas não sustenta uma guerra, por mais que o chinês seja só commoditie para o governo, sem comida o soldado não luta, a fábrica… Read more »

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  sagaz
1 mês atrás

Exato. Exércitos marcham sobre seus estômagos,e a China é em boa parte árida e/ou imprópria para agricultura.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O Russos nunca foram aliados de ninguém…

Andre
Andre
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Por 1/3 da segunda guerra, foram aliados formais e maiores fornecedores da Alemanha nazista.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Petróleo a China acaba por dar um jeito, no Oriente Médio mesmo. O que poucos olham com a devida importância é a enorme necessidade de soja, brasileira e americana. Sem ela não existe segurança alimentar na China…e isso é seríssimo. O interessante é que nosso país (e até mesmo os EUA) nunca soube explorar essa grande vulnerabilidade chinesa. Meses atrás, bloquearam nossos respiradores, por exemplo, e abaixamos as orelhas…. Petróleo é cada vez menos importante, mas demorará décadas para os chineses substituírem a soja brasileira e americana pela, talvez, soja africana.
Acorda Brasil!
https://www.fastcompany.com/90240606/chinas-hunger-for-soybeans-is-a-window-into-an-encroaching-environmental-crisis

Last edited 1 mês atrás by Adriano RA
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  tadeu54
1 mês atrás

Essa situação de Taiwan está mais para ‘mise-en-scene’.
É muito falatório, mas as relações comerciais entre os dois continuam de vento em popa.
Ademais, não seriam 66 aviões que fariam diferença em caso de uma invasão chinesa de Taiwan.
Os problemas seriam apenas políticos e econômicos.

Teropode
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Agora fiquei curioso 🤔, se 66 novos caças não são problemas , por que a China fica na choradeira desesperada ? Oque vc viu e os chineses ignoram ? Seria os chineses chorões compulsivos ? 🤔

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Procure o significado da expressão ‘mise-en-scene’.
A preocupação da China não é a força militar de Taiwan, mas a dos EUA.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Na tua cabeça, né, pq o que ia ter de soldado na ilha, em casa prédio, em cada floresta, e os misseis de cruzeiro e anti navio, a China vai pagar um preço alto pela invasão.

Fernando Jesus
Fernando Jesus
Reply to  tadeu54
1 mês atrás

Eu concordo. China quer fazer negócio e não guerra. A escalada militar que vemos por parte da China é para manter equilíbrio e não para aventuras militares.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Fernando Jesus
1 mês atrás

Regime totalitário. Guerra é um tipo especial de negócio, mais imprevisível.

Wagner
Wagner
Reply to  Caerthal
1 mês atrás

Os Eua desde sua independência se envolveram em quase 100 conflitos armados de grande escala. Invadiram dezenas de países, mataram milhões de pessoas nesses conflitos e seus grandes capitães da indústria, hoje, junto com os capitães da TI, controlam boa parte do mundo ocidental. Guerra é o negócio que fez dos Eua a potência que vemos.

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Caerthal
1 mês atrás

Guerra é diplomacia por outros meios,e negócios também.

Augusto L
Augusto L
1 mês atrás

A França também esta para vender armas para Taiwan.

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Augusto L
1 mês atrás
LEONARDO CORREIA BASTOS
LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

A China terá coragem de fazer algo…??

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

Claro, uns DFs nas bases desses F-16 aí e adeus capacidade de combate aéreo de Taiwan. A China acerta de dentro de seu território, de olhos vendados.

Taiwan só segura a China no solo mesmo, já que cada buraco da ilha pode esconder metralhadoras, morteiros, ATGMs e Manpads. E mesmo assim não sei se as forças regulares duram um ano.

Last edited 1 mês atrás by Defensor da liberdade
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

mesma coisa para os Chineses que tem zonas fabris perto de Taiwan, fora o estreito de Taiwan que os militares querem minar, e deixar um corredor com mísseis anti-navio.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Mina sem aviação para atacar os caça-minas chineses não servem de nada, o mesmo vale para esses mísseis antinavio aí sem proteção aérea.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

Acredito que em um eventual ataque chinês, na primeira passagem de sua Força Aérea e na primeira salva de mísseis, as defesas de Taiwan desmoronam.
A disparidade de forças é tamanha que Taiwan só pode esperar resistir um pouco em terra à espera de ajuda externa.

Heitor
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Depois do burquesinhos mbl de luta que bate em velho, quebra metro e um dos slogan era nos também samos ingleses de hong Kong não dar bons frutos, ainda mais depois das baderna e violência racista das autoridades , os americano estao usando taiwan para infernizar e só . Assim ppde disser como a china e agreciva e totalitária e manten o seu galinheiro assustado

Last edited 1 mês atrás by Heitor
Fernando C. Vidoto
Fernando C. Vidoto
1 mês atrás

Procurei na net e parece que os EUA só estão dispostos a vender f16:

https://militarywatchmagazine.com/article/why-the-u-s-is-willing-to-sell-f-16v-fighters-to-taiwan-but-not-the-f-15-or-f-35

Com receio de no futuro haja uma reunificação com a China.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 mês atrás

Não sei se é apenas falatório. O porta-aviões USS Ronald Reagan foi detectado no Mar da China Meridional com o navio de assalto anfíbio USS America. Os EUA não estão de bobeira e dificilmente seriam pegos de surpresa novamente. A surpresa e mesmo assim bem dífícil seriam grupos terroristas em suas fronteiras. Em combate regular, em qualquer dos meios, os EUA tem muita experência, além das melhores armas do planeta. Hoje, quantidade não significa muita coisa e sim qualidade e eficacia. Eles tem os dois, aliás. Para encarar ou provocar além da “corda esticada” é preciso muito “aquilo roxo”. Quer… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Luiz Antonio
Heitor
Reply to  Luiz Antonio
1 mês atrás

experiência contra insurgente? Isso não e experiência é vício e perderam no Afeganistão

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Heitor
1 mês atrás

1-nao perderam no Afeganistão
2- eu escrevi “combate regular”. Preste atenção no texto.

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

Deve ser duro para a China fazer bullying com os vizinhos e saber que não pode nada contra os EUA.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Interessante que quem está esperneando contra China são os EUA, né?
Jiping está apenas praticando a máxima do futebol: Em time que está ganhando não se mexe.’.

Heitor
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

bullyng é invenção anglo-americano como as revoluções coloridas que vão virar vergonha nos livros de história

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 mês atrás

Próximo capítulo de emprego de armas em conflitos. Caças furtivos assistidos por drones com IA. Não vão divulgar já, mas provavelmente testarão em condições reais e divulgarão daqui há uns 15 anos.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
1 mês atrás

Tio sam só jogando a isca e esperando os chinas morderem.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Esse F-16, Viper é muito atual e tem lugar entre caças de terceira, mais meia, geração. Taiwan fica bem servida com um vetor que dispõe de amplo leque de armamento, provados em combate e um suporte reconhecido como dos melhores. Quem tem o bafo do dragão, na nuca, não pode esperar desenvolvimento e certificações de caças de prancheta.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Concordo com o Sr. Floriano Alves. Poderia ser uma segunda linha de defesa para o nosso espaço territorial imenso. ” Depositar ovos em uma única cesta é arriscado” Grande abraço.

Teropode
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Se houver uma guerra na região a China vai usar seu peão CN para criar um fato novo e distrair a ONU , um ataque s CS poderia tirar o foco de uma invasão a Taiwan .

Heitor
Reply to  Teropode
1 mês atrás

E usar nosso messias limítrofe e ex deputado para vender mais soja a custo da soja brasileira, porque trump precisa do voto do interior produtor para ganhar ja que a propaganda foi grande contra ele

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Claro que irão morder, e como retaliação certamente irão armar os iranianos, assim como os russos certamente o farão , já que as sanções caíram por terra.

Tallguiese
Tallguiese
1 mês atrás

Fala sério, F-15 e F-16 são eternos. Pensa por mais Quantos anos essas aeronaves ainda vão voar pelo mundo heim?

Fernando C. Vidoto
Fernando C. Vidoto
Reply to  Tallguiese
1 mês atrás
Last edited 1 mês atrás by Fernando C. Vidoto
Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Serão convencidos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Tente convencer os chineses disso,
Não a mim.
Mas, vc terá muito trabalho, visto que são quase 1,5 bilhão de pessoas para vc tentar convencer.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Verdade!Foram convencidos sendo atropelados pelos tanques na praça da paz celestial!!!!!

jusé
jusé
1 mês atrás

Hong Kong também pensava assim….hihihi…..e já foi….hihihi. Taiwan seguirá pelo mesmo caminho. E o decadente eua não poderá fazer nada e nem fará por uma minúscula ilha. Só conversa fiada. Guerra convencional, jamais ganharão dos chineses, aliás, faz muito tempo que não ganham nenhuma guerra. E guerra nuclear, os chineses não estarão sozinhos, contam com um aliado poderoso, que pelas circunstâncias, fatalmente será envolvido. Haverá aniquilação nos dois lados….aliás no planeta todo. Que DEUS nos proteja e esses loucos (estado profundo estadunidense) no seu desespero ao verem a decadência econômica, politica…tecnológica e etc dos eua não resolvam ou não sejam… Read more »

Theo Gatos
Theo Gatos
1 mês atrás

Claro que a China tem mais força que Taiwan, não se discute isso, mas quem acha que uma invasão dessas seria tão fácil assim se engana… Além de obstáculos geográficos e de 22 milhões de habitantes (de novo, sei que não é a China, mas não é desprezível) Taiwan tem uma área maior que Alagoas ou Sergipe, maior que o Líbano por exemplo… Não é uma ilha tão minúscula assim pra cair tão fácil e de uma só vez como alguns comentários sugerem, parece que com meia dúzia de navios e aviões os chineses conseguiriam… . Eles podem vender caro… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Theo Gatos
Augusto L
Augusto L
Reply to  Theo Gatos
1 mês atrás

Correto, eles simplesmente não entende o que é dispersão

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

Já é um grande passo e demonstração de apoio dos EUA à Taiwan. Mas não basta somente isso… Tem de reconhecer #Taiwan com um país livre, soberano e parceiros dos EUA e do mundo ocidental. Fora dá apoio para venda de submarinos convencionais de primeira linha e bateria de artilharia área de primeira linha.

Heitor
Reply to  Luiz Trindade
1 mês atrás

Brasileiro é tão bonzinho!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Heitor
1 mês atrás

Não entendi o teu sarcasmo…

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Vi recentemente que Taiwan vai minar parte do estreito de taiwan, então vai piorar a vida dos chineses em uma invasão, assim os chinas teriam que mandar drones se suicidarem contra as minas, além de que as rotas estarão sob a mira de mísseis anti navio e anti aéreo, e vai haver uma guerra de mísseis de cruzeiro dos dois lados, a China pode vencer, mas sair toda ferida, vários navios novos podem acabar sendo afundados nessa guerra. infra estrutura no continente afetada, se Huawei já tá sofrendo perda de bilhões, por simplesmente desconfiarem de espionagem, imagina bloqueio de Xiomi,… Read more »

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

De acordo.

Heitor
1 mês atrás

China devia ter uma grande base em cuba como os EUA tem no Japão , nao acha ja viu o filme do snowdan que ele dis que a nsa pedio ao Japão para botar uma rede de vigilancia para segurança e combater o terrorismo , Japão se recusou e eles botaram mesmo assim sem eles saberem, e com opção de desligar toda rede de internet e eletricidade se Japão quisesse se drsfazer do pacto co EUA e quisesse ser uma potencia neutra nao peao de um EUA cada vez mais agracivo . A Alemanha assina o todo presidente o secreto… Read more »

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Heitor
1 mês atrás

É verdade.Fiquei sabendo através de uma fonte extremamente confiável num vídeo no youtube,que os iluminatti,os maçons que dominam os EUA,os Reptilianos que dominam a Europa,junto com os Incas Venusianos,fazem de tudo para que o Império do Meio não consiga trazer o céu na terra para nós,seus camaradinhas. Ah,se não fossem us americanus marvados!!!! Tenha dó. Entre nações existem interesses que divergem ou convergem,é ingenuidade achar que as relações internacionais são totalmente limpídas e transparentes. Tolos são aqueles que não se protegem de problemas futuros por abdicar de informações preciosas. E quanto ao Japão,existe uma lei universal que se chama causalidade.… Read more »

LeoL
LeoL
1 mês atrás

Tem que vender mesmo, os Taiwaneses não querem fazer parte da China e esse direito de escolha deve ser respeitado.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

É um pais que precisa ter mais armas do qualquer outro pais naquela região, pois vai ser o primeiro a levar chumbo.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

A economia americana agradece em tempos de pandemia… não entendo o porque da China fica chateada, o Kings fica chamando os F-16 de “vetustos”…esse avião “quarentão” é para ser respeitado???

Jagdverband#44
Jagdverband#44
1 mês atrás

Que beleza esse Viper hein!
Deveríamos operar o F15 há uns 30 anos pelo menos!!!
Baita máquina!

Jagdverband#44
Jagdverband#44
Reply to  Jagdverband#44
1 mês atrás

Ops, F16.

vinicius
vinicius
1 mês atrás

Taiwan é perfeita para conter a China e sua expansão no Mar do sul, cabe agora ver como a China com sua pretensão expansionista vai reagir frente ao império americano, um maior alinhamento com a Rússia ?