Harmonização de armas em caças americanos da Segunda Guerra Mundial

    5185
    37

    Os gráficos abaixo mostram como era a harmonização de metralhadoras dos principais caças da USAAF na Segunda Guerra Mundial.

    As metralhadoras de calibre ponto 50 montadas nas asas eram calibradas para um alcance ideal de 1.000 pés. Depois disso a dispersão dos tiros prejudicava a eficácia das armas.

    Na artilharia aérea, harmonização de armas, padrão de convergência, zona de convergência, ponto de convergência ou ponto de boresight refere-se à mira de armas fixas ou canhões transportados nas asas de uma aeronave de caça.

    Os canhões nos caças normalmente não tinham mira direta apontando para a frente; em vez disso, eles eram apontados ligeiramente para dentro, de modo que os projéteis se encontrassem em uma ou mais áreas várias centenas de metros à frente do nariz do caça. A intenção era espalhar o fogo de várias armas para aumentar a chance de um acerto, chamado de “pattern harmonisation”, ou concentrar o fogo para causar um dano maior em um ponto, chamado de “point harmonisation”.

    Uma desvantagem da harmonização era que os canhões funcionavam de maneira eficaz em uma zona limitada, de modo que os alvos mais próximos ou mais distantes da zona não eram tão danificados ou os tiros erravam completamente. Os projéteis divergem ainda mais depois de passar pelo ponto de convergência.

    A convergência de múltiplas armas era uma prática comum dos anos 1930 aos anos 1950, especialmente na Segunda Guerra Mundial. Aeronaves militares da década de 1960 em diante geralmente não carregavam armas nas asas, então a convergência não era uma grande preocupação.

    Clique nos gráficos de harmonização abaixo para ver os detalhes.