Home Aviação de Patrulha Aviões russos Tu-142M3 concluem voo de 12 horas sobre o Oceano Pacífico

Aviões russos Tu-142M3 concluem voo de 12 horas sobre o Oceano Pacífico

2319
45

No dia 23 de maio, duas aeronaves antissubmarino de longo alcance Tu-142M3 da aviação naval russa da Frota do Pacífico concluíram um voo planejado sobre as águas neutras do Oceano Pacífico.

O tempo total de voo excedeu 12 horas. Durante esse período, as aeronaves superaram uma rota de 9.000 quilômetros.

As tripulações dominam as habilidades de voo sobre a superfície do mar.

O voo foi realizado como parte do programa de treinamento de combate para tripulações de aeronaves antissubmarino e realizado em estrita conformidade com o Sistema Internacional de Gerenciamento do Espaço Aéreo.

FONTE: Ministério da Defesa da Rússia

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
David R
David R
4 meses atrás

Engenharia à moda antiga… mais 100 anos no ar… tal como o B-52

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  David R
4 meses atrás

David, esses aviões nem sequer têm 100 anos de existência. São contemporâneos dos B52 norte americanos que igualmente têm menos 100 anos.

Last edited 4 meses atrás by Alexandre Cardoso
Ten Murphy
Ten Murphy
Reply to  Alexandre Cardoso
4 meses atrás

Ele disse mais 100 anos no ar, e não mais de 100 anos no ar. Mesmo achando que ele quis dizer mais de 100 e omitiu o de por desatenção, precisamos ler o que ele escreveu e não o que achamos ter escrito. Mais 100 anos é futuro. Mais de 100 é passado.

Dexter
Dexter
Reply to  Ten Murphy
4 meses atrás

WTF???

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  David R
4 meses atrás

100 anos? Primeiro voo em 1952, sendo assim 68 anos (ainda incompletos)

Kemen
Kemen
Reply to  David R
4 meses atrás

O TU-142 é um projeto aeronautico de 1968, antigo, mas a sua produção foi até 1994, os modêlos M não foram os primeiros a serem montados, são mais recentes que os primeiros de de 1968.

Os P-3 Orion foram montados entre 1961 e 1990, também aviões de atuação maritima.

Kemen
Kemen
Reply to  David R
4 meses atrás

O primeiro modelo M (TU-142M) teve seu voo operacional na aviação naval russa em 1993.

Leo Neves
Leo Neves
4 meses atrás

Imagino que pilotar um avião desse não deve ser fácil .
Qual míssil anti navio ele pode carregar ? Kh-35?

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Leo Neves
4 meses atrás

Pelo que encontrei, apenas o Kh-35, para além de bombas, foguetes e torpedos. Parece que havia planos para integrar o Kh-61 (versão aérea do P-800) provavelmente ligado à intenção da India integrar o Brahmos nos seus Tu-142. Os Indianos foram retirados, substituídos por P-8 e a Russia não precisa de usar os seus Tu-142 em alvos de superfície quando tem outros aviões mais indicados, logo não deveria fazer sentido integrar outro armamento. Se estiver enganado por favor me corrijam Estes aviões são de patrulha de longo alcance e anti submarino, são demasiado grandes, lentos e vulneráveis para fazerem a missão… Read more »

Mirade
Mirade
Reply to  MestreD'Avis
4 meses atrás

Lentos? São só os Turbohélicies mais rapidos do mundo com velocidade maxima de 942 km/h e de cruzeiro de 711 km/h mais rapido que muitos aviões a jato por ai… obviamente para missões anti navio poderia ser feita.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Mirade
4 meses atrás

Lentos para essa missão sim. Ser o turbohélice mais rápido do mundo é um mérito, mas não serve de muito contra um Super Hornet com um par de AIM-120… O vector anti-navio da URSS/Russia foi/é o Tu-22M que poderia aproximar, lançar maior quantidade de misseis e fugir ao par F-14+Phoenix nos anos 80. Hoje seriam usados na mesma função armados provavelmente com o Kh-32, muito mais potente e rápido que o Kh-35, ou talvez no futuro o Kinzhal. Colocar Tu-142 para atacar um Carrier Group é suicídio, não foram feitos para isso! Agora, se você me está a falar de… Read more »

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  MestreD'Avis
4 meses atrás

Não entendo porque levo negativos por apresentar o que penso serem factos óbvios. Se estou errado, por favor mostrem onde meu raciocínio falhou.

Vejam se preferem assim:

Avião Poderoso!!! Um desses carrega 20 misseis hipersónicos e afunda um Nimitz e escoltas fácil fácil. Aquele canhão de cauda abate o gordo do F-35 que não pode nem voar rápido e perde feio no dogfight. Os SM-2 nem chegam perto disso ai pois ele lança os misseis a 1000Km de distancia. E dentro tem até jacuzzi, spa para os pilotos e lindas hospedeiras para não dar tédio.

Kemen
Kemen
Reply to  MestreD'Avis
4 meses atrás

Sim, são grandes e lentos, para se ter uma ideia, o P-3 Orion que era seu equivalente ocidental do periodo, tem como velocidade máxima 761,17 Km/hora.

O P-8 poseidon de 2013 (jato), tem velocidade maxima de 907 Km/hora.

O P-1 (jato da Kawasaki é um excelente avião), tem como velocidade máxima 996 Km/hora.

Um avião de patrulha maritima não necessita ter capacidade supersônica, pela propria missão que executa, o que vale são os sistemas e armas que tem, seu alcance para patrulha e se requer pouca tripulação.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Kemen
4 meses atrás

Kemen, não entendi se me estava respondendo directamente, mas era isso que eu dizia. São óptimos para patrulha marítima onde o que interessa é tempo de patrulha e capacidade de carregar sonobóias e torpedos mas não para ataque com misseis onde seriam presas fáceis.

Roger
Roger
4 meses atrás

Acho o TU-142/95 um dos bombardeiros mais belos já criados :p

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Roger
4 meses atrás

barulhendo mas belo

Mauro
Mauro
4 meses atrás

Parabéns aos nossos irmãos russos. Bom trabalho.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Mauro
4 meses atrás

Nossos irmãos russos ???!!!!!

Só se forem SEUS irmãos. Me inclua fora dessa !

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Mauro
4 meses atrás

Irmãos Russos… estão dando dinheiro…

EdcarlosPrudente
EdcarlosPrudente
4 meses atrás

Que imagens belas, esse tipo de aeronave, projeto quase centenário, vai fazer falta quando não estiverem mais voando!

Saudações!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
4 meses atrás

Esses caras são tão barulhentos que os submarinos mesmos submersos podem captar a aproximação deles pelo som de seus motores.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Não tinha visto teu comentário qdo mencionei o barulho deles, mais acima.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
4 meses atrás

“As tripulações dominam as habilidades de voo sobre a superfície do mar.”

Grande asneira.

Por força do meu trabalho eu vôo 12:30hs e na volta 13:00hs ou mais por conta do vento no trajeto GRU IST umas 3 ou 4 vezes por ano. Qual é o problema em voar essa qtd de horas dos aviões russos ?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Luiz Galvão
4 meses atrás

Pura propaganda. Não se podia esperar outra coisa de uma noticia estatal.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Luiz Galvão
4 meses atrás

Eu diria que o mais difícil seria o desconforto físico, mas não chegaria a ser um desafio. Não conheço o interior do T-95, mas duvido que seja mais confortável que um B-52. E eu fiquei surpreso ao descobrir, através da entrevista de um piloto, que o BUFF é uma mer** para voar longas distâncias, devido ao auto nível de ruido da cabine e falta de espaço para descanso das tripulações. E o cara disse que os B-52H que ele voa ainda são um passo à frente das primeiras versões, que eram mais apertadas e barulhentas ainda. Consta que bombardeiros de… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Clésio Luiz
Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Ótimo comentário Clésio.

Abs.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Achei a entrevista. Eu recomendo assistir o vídeo todo se tiver tempo, mas o trecho onde ele comenta sobre a cabine está aos 21:59 min do vídeo:

https://youtu.be/kroPXRgm2DU?t=1319

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Blz Clésio.

Obrigado.

J L
J L
4 meses atrás

Enquanto não sai nada de definitivo para proteção da chamada “Amazônia Azul” poderíamos ter meios com maior alcance, tipo os Ejets 190 adaptados e equipados para patrulha marítima de longo alcance, fazendo sensoriamento remoto, e talvez uma base de radar lá na ilha de Trindade, que está no meio do oceano atlântico. Este é apenas um comentário de um leitor aqui da triologia, Não saberia dizer se o alcance e a autonomia dos P3 teria profundidade de alcance e de tempo no ar tanto quanto os E 190. Desculpem-me se o comentário acima for equivocado. Através dos comentários tenho aprendido… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  J L
4 meses atrás
comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás
comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás
comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás
comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás
comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

Haveria até um pouco de espaço para construir algo JL,mas será que valeria o esforço?

Será que não seria melhor fernando de Noronha?

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  J L
4 meses atrás
comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

Seria muito bom ter um ponto no atlântico como vigilância,ainda mais sabendo que há outros países aqui instalados…

comment image

J L
J L
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

Prezado Adriano, antes de mais nada gostaria de agradecer todas as informações passadas em resposta ao comentário feito por mim. Confesso que não lembrei-me de Fernando de Noronha, que realmente teria uma logística muito mais fácil, pela proximidade com o continente tanto por mar quanto por ar, já que possui aeroporto com capacidade para aviões de médio porte tipo 737. A ideia é ter um ponto avançado de rastreio de quem passa por via aérea ou marítima ao longo de nossa costa. Quando citei a ilha da Trindade foi por lembrar que já existe presença constante da MB, apesar de… Read more »

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  J L
4 meses atrás

JL, vou tentar ajudar no alcance e autonomia. O E-190 tem um alcance máximo de 2450 milhas náuticas, típico de um jacto de passageiros de médio alcance. Já o P3 tem um raio de alcance de 1350 milhas náuticas contando depois com 3 horas de tempo de patrulha + 1350 milhas de regresso (Dados da US Navy). O ferry range do P3 são 4832 milhas náuticas, por isso dá uma ideia da diferença de alcance. Outra diferença é o peso máximo de descolagem: 63 toneladas para o P3, 52 para o E-190. São 10 toneladas a mais de combustível, armas,… Read more »

J L
J L
Reply to  MestreD'Avis
4 meses atrás

Prezado MestreD’Avis, agradeço imensamente a explicação sobre o alcance e tempo de patrulha de cada aeronave citada, não tinha esses dados de grande importância. Como disse acima, é dessa maneira com boas informações que podemos melhorar nossos comentários

Milton
4 meses atrás

Uma aeronave fantástica. O número de missões que pode executar, ainda não está definido. Até como avião de passageiros já foi utilizado

Italo Souza
Italo Souza
4 meses atrás

Ela toda branca é muito linda, contrasta bem com o mar

JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
4 meses atrás

Me pergunto como será que deve ser aguentar voar neste avião por 12 horas seguidas com o barulho das hélices no ouvido… Ou fica surdo ou confessa até o que não fez

Luiz Trindade
Luiz Trindade
4 meses atrás

Rapaz… 12 horas de vôo não é para qualquer tripulação heim… Show de bola… Parabéns para Força Aérea Russa!

Mgtow
Mgtow
4 meses atrás

Um colosso dos céus. Belissima aeronave