Home Aviação de Ataque Caça KF-X de 4.5 geração da Coreia visa o mercado do Sudeste...

Caça KF-X de 4.5 geração da Coreia visa o mercado do Sudeste Asiático

2956
20

SACHEON, Coreia do Sul — Um projeto conjunto de desenvolvimento de aviões de combate entre a Coreia do Sul e a Indonésia, conhecido como o projeto de aeronaves KF-X ou Korean Fighter eXperimental, tem um grande potencial no mercado do Sudeste Asiático com seu baixo preço.

O caça KF-X é um caça de 4.5 geração cujas tecnologias “furtivas” ficam atrás das dos caças de quinta geração como os EUA, F-35 ou F-22. O KF-X, no entanto, possui uma grande vantagem de preço, com 65% de suas peças produzidas localmente.

O projeto está indo bem, disse um funcionário das Korean Aerospace Industries (KAI) na terça-feira, durante uma apresentação da revisão do projeto para repórteres que visitam a sede da empresa em Sacheon, província de Gyeongsang do Sul. O governo sul-coreano contratou o KAI em dezembro de 2015 para concluir o desenvolvimento do KF-X até 2028.

Se desenvolvido com sucesso, o KF-X será uma plataforma voltada para os mercados do sudeste asiático, dizem observadores do setor, já que o custo operacional de um jato KF-X é cerca de metade do exigido para o F-35A dos EUA.

O projeto KF-X é o maior desde a fundação das forças armadas sul-coreanas, com um orçamento total de cerca de 8,8 trilhões de won (US$ 7,56 bilhões). Os governos sul-coreano e indonésio cobrem 60% e 20% do orçamento, respectivamente, enquanto as empresas de defesa sul-coreanas fazem 20% da contribuição.

O projeto de 14 anos iniciado em 2015 é dividido em duas fases, com o desenvolvimento de sistemas para desempenho básico de voo e capacidade de combate ar-ar a serem concluídos até 2026, seguidos por armamentos adicionais para recursos de combate ar-superfície até 2028.

Com a revisão crítica do projeto do KF-X, realizada em setembro deste ano, após a revisão preliminar do projeto em junho de 2018, o primeiro protótipo do jato de combate KF-X deve ser lançado na primeira metade de 2021. O primeiro voo de teste deve ser realizado um ano depois. Após 2.100 voos de teste programados para serem concluídos no primeiro semestre de 2026, a KAI produzirá seis dos primeiros caças KF-X naquele ano.

O governo sul-coreano apresentou uma maquete em tamanho real do KF-X durante a Exposição Internacional Aeroespacial e de Defesa (ADEX), a exposição bienal de defesa do país, realizada de 15 a 20 de outubro.

KF-X

FONTE: Korea Times

20 COMMENTS

    • Não se trata de um caça furtivo, e sim com características furtivas. São coisas diferentes. A adoção de baias internas resultaria em uma aeronave mais complexa, e até o momento parece estar claro que o projeto está focado em preço e simplicidade.

      • Os armamentos nas asas são iguais os 4 g, porém sob a fuselagem os 4 mísseis ficam bem grudados na fuselagem, que possui uma curvatura para dentro.

        Caso a missão exija uma discrição maior, o kfx pode operar com esses armamentos na fuselagem e ter uma RCS bem próxima de um 5g. Principalmente se voar baixo e for irradiado por radares posicionados mais acima, como em montanhas, prédios e de outras aeronaves como caças e AEW.

      • Características furtivas sem ser um verdadeiro (e caríssimo) stealth. Por isso admiro o Gripen, que se enquadra neste quesito, com seu RCS de 0,1 m^2.

    • Conforme dito no artigo, o objetivo dos coreanos é desenvolver um caça 4,5G e nesta categoria as armas vão externas mesmo. O Design é apenas para reduzir a assinatura no radar, mas, como dito no artigo, não tem como objetivo atingir os mesmo índices de furtividade dos caças de 5G.

  1. Se vai custar tanto assim pra operar (metade do F35) e não vai ter grande furtividade, melhor mesmo seria se eles cancelassem esse projeto e comprasse o Gripen E, que teoricamente custa menos para operar e já está pronto.

    • Sua força aérea acha bonito um caça furtivo mas não tem dinheiro?
      Seus problemas acabaram
      Chegou o KF-X, o caça que tem cara de furtivo, pela metade do preço.
      Organizações Tabajaaaa-ra!!!

    • Tá. Você tem um orçamento de 100 mi para gastar com operação, aí alguém te oferece um avião que, apesar de mais furtivo, consome 200 mi, o dobro do que você tem pra gastar, e você mesmo assim acha melhor comprar o mais furtivo. É isso?

      Além do mais, pra que comprar F-35 se você pode tê-lo de graça? 😉

  2. O fato de atrapalhar bastante a furtividade dele são esses pilones expostos… Deveriam ser tudo com baias e os tanques ser projetados aero-dinamicamente…

    • Apesar de não entender o porque de se gastar tanto dinheiro com um caça uma geração atrás dos que estão sendo lançados a sua explicação é válida. Além do mais o contribuinte sul coreano não esta reclamando quem sou eu para falar algo neh?

      • O KF-X se insere dentro de um contexto maior que engloba interesses estratégicos e comerciais do país. Para começar, há décadas está sendo criado uma indústria aeroespacial no país com empresas que se dedicam a criar toda gama de produtos necessários (hardware e software) para esta indústria. Empresas como a Hanwha Techwin (antiga Samsung Techwin), KAI e KAL realizam manutenção, montam aviões, produzem peças, projetam componentes e estruturas há décadas e hoje são fornecedores de primeira linha de empresas de aviação mundial como a Boeing e Airbus, e fabricantes de turbinas como a GE e a Pratt & Whitney. Além destas empresas existem um incontável número de empresas de médio porte que produzem sensores, peças e equipamentos que serão usados no KF-X para aumentar o grau de nacionalização do avião. Estas empresas se prepararam há anos para atuar nesta indústria seguindo instruções do governo. Um exemplo bom disto é a Hanwha que monta turbinas em sua nova fábrica em Vietnam e recentemente adquiriu a empresa norte americana EDAC que fabrica componentes de turbinas para a GE e P&W. Tem o fator estratégico também, que visa diminuir a dependência tecnológica e política do país dos EUA. Só para citar um bom por exemplo: Os EUA se negam a integrar mísseis desenvolvidos na Coreia nos caças que os coreanos compram deles, com isso eles são obrigados a comprar 100% dos mísseis dos EUA e são controlados por eles que decidem o que e como os coreanos devem usar nos caças comprados. O KF-X será uma avião de 4.5 geração mas como todo projeto de longo processo que o país adota é apenas a fase inicial que visa a longo termo se igualar aos seus pares no ocidente.

  3. Os coreanos são realmente realistas e corretos. O caça em questão é classificado como 4.5 geração, mesmo com algumas características stealth.
    Diferente do SU-57 que diz ser “invisível”, mesmo notoriamente ser inferior ao F-22 e F-35.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here