Home Aviação de Ataque Coreia do Sul começa a produzir protótipo do caça KF-X

Coreia do Sul começa a produzir protótipo do caça KF-X

10913
118
Mockup do caça sul-coreado KF-X, designado como KF-70A

De acordo com um comunicado de imprensa da Administração do Programa de Aquisição de Defesa da Coreia do Sul (DAPA), a Korea Aerospace Industries (KAI) começará a trabalhar no primeiro protótipo do KF-X, seu jato de próxima geração.

A decisão foi tomada após uma revisão crítica do projeto (CDR) do KF-X pela DAPA, realizada de 24 a 26 de setembro. Como parte do CDR, a DAPA revisou 390 parâmetros de “dados técnicos” “para garantir que os requisitos militares fossem refletidos adequadamente no projeto”. A DAPA afirma que o KF-X “passou com êxito na CDR”.

A fase de produção do protótipo deve durar até a primeira metade de 2021, com o primeiro voo programado para a primeira metade de 2022. A KAI espera concluir o desenvolvimento até 2026.

A DAPA iniciou o programa KF-X em 2016 como uma joint venture com a Indonésia, com a última designando a PTDI (PT Dirgantara Indonesia) para participar do projeto.

A Indonésia deveria se comprometer com 20% dos custos do programa de US$ 7,4 bilhões do KF-X, mas a empresa está tendo problemas para manter sua parte. No final de 2018, a Indonésia começou a renegociar sua parceria com o governo sul-coreano, e isso pode resultar em um compromisso menor.

Mockup do cockpit do KF-X

Após mais de dois anos de trabalho de desenvolvimento, a KAI revelou o design congelado do KF-X em junho de 2018. Oficialmente definido como um caça de ‘geração 4,5’, o KF-X foi revelado como um design bimotor com um estrutura de baixa observação e pilones externos.

A variante de lançamento do KF-X carece de uma baia interna para armas, mas a KAI incorporará uma na versão “Bloco 2”. O KF-X usará uma motor turbofan General Electric (GE) F414 modificado.

A Força Aérea da Coreia do Sul (ROKAF) planeja substituir as aeronaves F-4E Phantom e F-5E Tiger II com 120 caças KF-X. Não está claro quantos KF-Xs a ROKAF planeja adquirir, embora possa expandir seu escopo à medida que seus F-16 mais antigos comecem a chegar ao fim da vida útil da estrutura da aeronave.

KF-X

118 COMMENTS

  1. Eu acho que eles deviam atrasar o projeto e fazer tudo com baias internas de mísseis, nem precisa levar bomba se for atrasar mais, seria um caça de superioridade aérea puro e ataque naval.

    • A algum tempo atrás vi um projeto de casulos stealth para o F 18, para levar mísseis, bombas, sensores e combustível, agora eu não sei ao certo o quanto isso beneficia o RCS de um caça como este.

    • Carlos, a Coréia pretende substituir seus caças antigos ate quarta geração e se tudo der certo no projeto evoluir para um furtivo de quinta geração. Achei a solução bem interessante pois se dilui o valor do projeto em quantidade maior aviões e diminui o risco de perder investimento se náo chegar a um de quinta geração operacional. Alem de criar conhecimento tecnico,industrial e ter producão interna com todos os ganhos decorrentes para Coréia e coreanos. Se sair bom ate conseguir exportação dos mesmos.

    • A questão é: tempo de desenvolvimento e recursos. E também tem o cenário político regional… Se estão optando por essa via, com toda certeza essa é a melhor opção discutida e analisada por vários especialistas tanto em segurança, política, produção e engenharia.

      • Chris, são bimotores porque e muito difícil chegar a uma potencia igual ao motor do f35. Vide Rússia e China ate momento náo conseguiram. Fica uma solução boa , porem volume, consumo e assinatura térmica ficam comprometidos. O f22 e bimotor e a solução para estes problemas fica bem cara e no momento só EUA tem esta tecnologia.

        • Salim, na verdade o problema de ser monomotor como o F-35 e ter perto de 190 kN de empuxo afeta negativamente na estrutura do avião e principalmente na durabilidade do motor. O F-35 já teve certos problemas com superaquecimento de certos componentes do motor, principalmente com as pás e ainda não foi totalmente corrigido. Por isso que é muito mais em conta você dividir essa potência toda que precisa para o supercruise em 2 motores.

          • Qualquer desenvolvimento de produto novo tem riscos e ajustes. O pulo da quarta para quinta geração náo ficou imune a isto. A historia do f35 esta sendo escrita, o tempo trará verdade.

  2. a diferença em uma nação que investe em tecnologia e Defesa e outra que investe em Carnaval e deixa de lado a Defesa. Mantendo mordomia para políticos sujos e um grupo no judiciário que burla a lei para se manter inatingível. Além da maioria dos comentaristas que se referem diuturnamente as benesses para o Alto escalão das Forças Armadas. de 1988 para cá ou até antes.

      • Marquês, Voce acha isso é desculpa para nem termos redes de esgoto e precisarmos de importar tecnologia de defesa? Ha 40 anos atras estavamos bem melhores que a Coreia do Sul. Nem carros fabricavam.

        • Tente descobrir quantos bilhões de dólares os EUA injetaram lá nestes 40 anos, e ao mesmo tempo tente descobrir quanto eles levaram daqui.

          • Imagine, Emilio, os EUA investirem bilhões de dólares aqui no Brasil, iam roubar tudo!!!!!! E nem a patuléia ia gostar, já que metade da população é contra os EUA por ideologia burra e acéfala, são seguidores do “Nine”, não raciocinam, tem a inteligência de uma ameba e a vontade irresistível de roubar dos irmãos metralhas, o Brasil NUNCA vai dar certo, é o único lugar do mundo que leva a sério o comunismo.

          • Ah beleza, raciocinar é bater continência pra o país que atrapalhou nosso programa nuclear, nosso programa espacial, negou vendas de componentes do MAR-1 alegando que não era interessante para eles que o Brasil desenvolvesse armamento anti radiação na região.
            Um adendo interessante, segundo o Regulamento de Continências, Honras, Sinais de Respeito e afins (RCont), a continência parte do militar de MENOR patente, só não vê quem não quer

          • Tem quem bate continência e tem que use camisinha LGBT com dizeres em inglês e um toque de bajulação gratuita…

        • Jmboston,

          A Coreia do Sul ultrapassou o Brasil, em menos de sessenta anos.

          A explicação para o fenômeno existe, mas a maioria não quer nem ouvir a respeito.

          A Coreia do Sul prática um modêlo de Engenharia Social, baseado no nível intelectual dos cidadãos, fazendo uma espécie de seleção natural através do QI.

          • Pleno acordo Tadeu. Li em algum lugar que estavamos à frente daqueles pequenos países asiáticos em qualidade de internet. Recentemente fiquei sabendo que a Tanzânia e o Kênia estão à nossa frente nisso. O que podemos esperar do resto? Estou em Ipatinga agora. Todas as vezes que paro para lanchar alguem me pede comida. Como poderemos melhorar em algo com essa desigualdade?

          • Tadeu, o nome da coisa que tem feito a Coreia do Sul progredir se chama “darwinismo social” e existe por lá desde o fim do século 20 quando o país estava fragilizado por causa de disputas políticas internas e começou a sentir a ameaça imperialista/colonialista de seus vizinhos. Desde aquela época o país vive uma sensação de insegurança que o faz buscar autossuficiência de todas as formas possíveis, e a engenharia social de que você fala entra neste contexto, pois eles sentem a necessidade constante de crescer e evoluir colocando pressão nos seus cidadãos que são obrigados a “evoluir ou morrer” em nome desta autossuficiência que nunca chega pois seus vizinhos serão sempre superiores por causa do tamanho deles. É uma situação totalmente diversa do Brasil onde as pessoas não sofrem desse tipo de pressão logo não sentem necessidade de evoluir, mudar, etc … É a manifestação do pensamento determinista que diz que o meio, a herança genética e o momento histórico definem o destino das pessoas …

          • Andromeda,

            O sistema funciona, mas sem matar ninguem.

            A engenharia social sul coreana, se faz atraves de incentivo monetario.

            Funciona da seguinte maneira: Os casais que atingem altos niveis academicos (maior QI), recebem ajuda economica para que possam ter e criar mais filhos.

            Os casais de baixo nivel academic (QI baixo), recebem ajuda economica para que limitem o numero de fihos.

            O resultado a longo prazo, beneficia a sociedade como um todo.

            Mais pessoas com QI elevado, e menos pessoas com QI inferior.

    • Lá eles tem uma China, Coreia do Norte e até um certo grau Japão, enquanto aqui a nossa maior ameaça somos nós mesmos.
      Se for pra criticar, critique certo e não venha com esse vira-latismo patetico.

      • Matheus, lhe pergunto o mesmo que perguntei ao Marquês, Marquês, Voce acha isso é desculpa para nem termos redes de esgoto e precisarmos de importar tecnologia de defesa? Ha 40 anos atras estavamos bem melhores que a Coreia do Sul. Nem carros fabricavam.

        • Eu concordo com você Jmgboston, é pior ainda achar que por que não temos inimigos que a defesa e o desenvolvimento tecnológico deve ser a última coisa a se fazer no país. Lembrem que o mundo caminha para um grande conflito novamente, quando os lá de cima ficarem ruins vão procurar briga com os de baixo. O Brasil era para esta muito a frente de qualquer outro país até mesmo a china, temos tudo, porém com um povo desses que da prioridade a coisas progressistas nunca seremos nada, conhecidos apenas como o país do futebol e do carnaval. Opinião sincera não estou atacando ninguém.

          • Aqui os últimos governos assaltaram o país, é incrível que ainda estamos respirando, se perderem tempo lendo a delação do cumpanheiro “Palófi” vão ver a realidade, os das classes mais baixas são os piores, quando tomam o poder roubam 10X mais que qualquer outro, só pensaram em enriquecer saqueando as instituições, o Brasil já formou bilionários com roubos e saques, a cleptocracia foi a que mais deu certo, aqui não tem jeito, basta ver o pacote anticrimes emperrado, não interessa pra eles, o negócio que mais dá certo no Brasil é roubar.

        • Até o Irã está na nossa frente em muitos aspectos, satélites ja lançaram vários, até um macaco mandaram pro espaço e o trouxeram intacto, e aqui todo mundo sabe a novela infindadel do VLS.

    • Tudo é uma questão de necessidade. Estamos, para o bem ou para o mal, deitados em berço esplêndido coroado de paz. Não há nada que motive o investimento pesado em meios de defesa de forma acelerada.

      Também vale lembrar: estamos com o F-X2 a todo vapor na personificação do Gripen NG. Há investimento, de acordo com a nossa realidade.

    • Até meados dos anos 60 a Coreia do Sul era um país pobre, com parâmetros macroeconômicos, educacionais e de saúde piores que os do Brasil. Em vez de apostar, como no Brasil, no modelo de Substituição de Importações, preconizado pelo Nacional-Desenvolvimentismo, eles apostaram num modelo de Plataforma de Exportações de Alta Tecnologia. Este modelo obrigatoriamente exigia um investimento maciço em educação, mas não qualquer educação, mas educação de qualidade baseada em Ciência, Matemática e Línguas. O modelo coreano foi desenvolvido sob influência da experiência japonesa no pós-guerra (intensive technology industries). A implementação do modelo exportador coreano ocorreu sob regimes militares, como foi o caso do Chile. Em meados dos anos 80 a Coreia do Sul já tinha industrias de equipamentos eletrônicos que começavam a competir com o Japão. No Brasil a Samsung começa a investir numa fabrica no final dos anos 80 e já nos anos 90 se torna uma marca importante no mercado nacional. Foram 50 anos de investimentos pesados em educação de qualidade (sem ideologia), mercado aberto e governos fiscais responsáveis. Hoje é um dos países com melhor qualidade de vida.

    • Olha… é importante lembrar que temos o KC-390 e o Gripen NG em fases finais. E são dois projetos gigantes, de ótima qualidade e reconhecido internacionalmente.

      Eu diria apenas que, um projeto como esse da KAI não é para nós. Já temos o que precisamos nessa área.

  3. Com o Kim III logo ao lado da Zona Desmilitarizada recheado de armas nucleares, tem mesmo que se preparar adequadamente.
    Quer paz ? Prepara-te para a guerra, já diziam os romanos.

    • Bem por aí. Mas acredito que a maior ameaça para os sul-coreanos além dos primos do norte, seja a China e sua política belicosa. Vejo que esse projeto é uma resposta mais pesada contra a China, como meio de dissuasão do que aos primos do norte.

  4. Os Sul coreanos sabem que nem todos os países que querem caças de 5 geração estão dispostos a se submeter as amarras geopolíticas das grandes potências e estão visando o mercado de exportação aproveitando sua grande capacidade tecnológica.

    • Elton, apesar de concordar com o seu raciocínio de modo geral, o texto diz de forma explícita (e implícita*) que se trata de um caça de Geração 4,5 e que tem como principal diferencial uma fuselagem com menor visibilidade ao radar frente aos seus congêneres.
      A grande sacada parece ser custos de desenvolvimento e operação menores, como a escolha da turbina (a mesma que equipa versões do Gripen) e o montante a ser investido no programa – se comparamos ao do F-35, por exemplo – deixam transparecer.
      Nada de revolucionário, mas sim de (muito) útil.
      Sds.
      *Ausência de baias internas de armas, ao menos num primeiro momento.

      • Perfeita análise MBP77. Estão desenvolvendo uma aeronave para substituir várias centenas de outras que estão na linha de frente. Dado o número de aeronaves que se pretende substituir e construir, a opção de desenvolvimento e construção doméstica se torna não só justificável como muitíssimo atraente. Estão fazendo o que é certo, de acordo com a realidade deles.

  5. Senhores, peço licença para um comentário acessório;

    Creio que os textos poderiam ser melhor escritos/traduzidos. Exemplo disto, é o penúltimo parágrafo, onde a palavra “variante” aparece três vezes, quando o sinônimo “versão”, ou mesmo a expressão “como alternativa” poderiam ser usadas.

    Em textos passados tal acontecimento é similar no que concerne à repetição desmedida de palavras e ao uso das expressões “o mesmo/a mesma” ou da palavra “questão” como tentativas (nem sempre bem-sucedidas) de driblar problemas de tradução.

    A qualidade das informações trazidas por este Portal merece uma preocupação maior com o texto.

    Por favor, vejam este comentário como uma contribuição de melhoria, não como crítica pura e simples de quem tem menos o que fazer.

  6. Um país do tamanho de um ovo, por ai vc vê que quando se quer uma coisa se faz, a o Brasil não tem inimigos,… Ate quando irão usar esta desculpa?
    Sera que só vao criar vergonha na cara quando um exército estrangeiro entrar aqui e fazer como fizeram no Iraque… Estuprar nossas mulheres e pisarem em nossas caras.
    Mas enquanto estivermos vivendo como zumbis em uma ilha ilusória de carnaval e futebol… A Brasil, assim nunca seram gigantes… Ou acordamos. . . ou morreremos dormindo.
    Se quer paz prepare-se para a guerra.

    • Aconteceu uma coisa parecida com os sul-coreanos na guerra da Coreia e que quase foram aniquilados se não fosse a ajuda dos EUA/ONU,eles foram pegos despreparados e sub-armados tanto que quase não tinham artilharia e blindados e muito poucas aeronaves para segurarem os norte coreanos

  7. Vejam na ilustração desse caça como os mísseis ar-ar de médio-longo alcance, estão colados na fuselagem do avião, aí questiono o por que da Saab não ter feito o novo gripen com essa configuração, mesmo que fossem para levar somente três mísseis ar-ar, isso junto com o baixo RCS do gripen E, talvez faria com que o caça mantivesse um RCS ainda muito reduzido, mas com os mísseis dependurado, provavelmente o RCS será aumentado para níveis em que a aeronave poderá ficar mais fácil de ser detectada. Tudo bem que o gripen terá uma grande suíte de proteção através da guerra eletrônica, mas isso os outros caças também terão, ou alguém acredita que o F-35 por que é furtivo não tem uma grande capacidade de guerra eletrônica?
    Segundo foi divulgado, entre os requisitos da FAB para a Saab, foi a redução do RCS do novo gripen que ela iria operar, e foi divulgado também que a Saab realmente reduziu ainda mais o RCS do gripen, mas em configuração limpa, mas e em configuração de combate? e me refiro aqui no combate ar-ar, pois para o ar-superfície existem as armas de longo alcance, mas e nas missões de proteção aérea contra caças, como fica se a aeronave ter grandes chances de ser detectada por outras aeronaves de caça?

    • Concordo. Começam um avião do zero e colocam dificuldade para fazer as baias internas.
      Aí querem entregar um meus boca.
      Por que não logo com baías internas?

  8. 0s militares, em tempo de paz, tem vida muito melhor que qualquer trabalhador brasileiro . Vivem nos quarteis praticando esportes e a cada curso ganham mais. Tem hospitals proprios e chegam aos 60 anos com mais saude que qualquer civil. E no caso de guerra os civis sao convocados. Sao privilegiados e agora tem aumento salarial para compensar o aumento da presidencia. Nada produzem economicamente e sao um peso para a sociedade.

    • Na sua opinião, não deveria haver militares, já que nada produzem economicamente…
      Que visão brilhante.
      Atores e comediantes e cantores também não produzem nada, não é?
      Ficam só cantando e contando piadas… 🤔

  9. O Brasil caminhava a passos largos para se tornar uma super potência em aviação, mas a doação da Embraer para a Boeing matou tudo.

  10. A base para uma melhor base militar é a base sócio-educacional. Sem uma sociedade educada, alcançar qualquer objetivo maior é mais longo e difícil. E divido essa educação em duas partes: a educação transmitida em casa e a de sala de aula. A de casa deveria primar pelo respeito ao próximo, aos bons valores da sociedade e ao pais. Ou seja, resumidamente ser um bom cidadão. Sem isso o sujeito vai aprontar de tudo em sala de aula, vai votar errado tanto para lá como para cá e o país vai se atolando na lama. A guinada da Coréia foi à partir dos anos setenta com grande investimento em educação [curiosamente nossa educação começou a despencar nesse mesmo período]. Tradicionalmente os orientais são mais respeitadores da sociedade e pensam mais seriamente no seu futuro, tanto por conta dessa cultura como pela competição para alçar degraus mais altos na vida. Resumida e atabalhoadamente essa é uma descrição das “diferenças” entre nós e eles.

    Ah, sim! Muita corrupção rolava por lá e, talvez, ainda role. Essa é uma triste semelhança…

    • Eu já falei isso aqui antes: acredito que a latinidade seja um obstáculo quase intransponível para se chegar a um status de potência. Nós somos muito paternalistas e pensamos somente no agora, no lucro rápido, em se dar bem as custas dos outros. Somos corruptos e não tratamos a corrupção com penas duras, tudo ao contrário dos asiáticos. Nos EUA tbm somos muito diferentes, lá filho sai de casa com 16,17 anos e vai trabalhar e estudar em outros estados, aqui tem marmanjo de 35 anos morando com os pais. Um país com 1/3 de analfabetos funcionais que continuam elegendo Maias, Renams, Gleisis não tem como dar certo. Que deus tenha piedade de nós.

  11. E pensar que a Coreia nos anos 70, estava no mesmo nível de desenvolvimento que o Brasil. Aí dá para sentir o quanto estamos atrasados. Muito desanimador.

    • O que isso significa?
      Que eles são mais desenvolvidos ou nós mais atrasados?
      A China também era bastante atrasada há uns 40 anos…
      Desenvolver um caça por si só nem sempre tem a ver com o desenvolvimento de um povo ou de sua tecnologia.
      Nós tínhamos a Embraer.
      A África do sul tem a Denel.
      A Coreia do norte tem mísseis balísticos…

  12. Para os sul coreanos a ameaça hoje é a Coreia do Norte, este avião mesmo sem baias internas e não sendo tão stealth quanto seus contemporâneos (F-35, F-22, PAK, J-20) para substituir F-5s e F-4s e enfrentar a Coreia do Norte já está de bom tamanho….talvez consiga abocanhar algum cliente estrangeiro …

    • É o que eu estava pensando.
      Acho que não deveriam fazer assim.
      Mas parece que a ideia é para substituir F5, F 16, assim como o Japão já tinha construído F 16 locais.
      Mas já que resolveram fazer com aparência stealth, não entendi a dificuldade de colocar baias internas.
      Se fosse eu, colocaria baías até debaixo das asas..
      Poderiam ser baías removíveis e até colocadas no sentido das asas.
      Ou ter mísseis stealth.
      Não faz sentido baías só para 2 ou 4 mísseis.
      Já que é do zero, as baias deveriam comportar mísseis maiores.

  13. Acho que esse projeto é mais um ensaio tecnológico, uma espécie de bancada de teste para o desenvolvimento de um legítimo caça de quinta geração no futuro, mas em uma plataforma diversa. Apesar de ser modular, acho que o KF-X ao atingir sua maturidade, já vai estar beirando em atraso tecnológico. Mas de qualquer forma, parece ser uma projeto ousado, que pode dar certo e servir para saltos tecnológicos futuros.

  14. fico admirado como um monte de gente aqui,ao invés de se aterem em comentar sobre a matéria,toda vez vem com comentários sobre de quem foi ou é a culpa de o brasil estar nessa situação,um monte de especialistas em brasil,que não agregam em nada ficar de choro aqui ou se fazendo de salvador da pátria ( nas palavras ).
    o país esta voltando para uma mudança de postura que não vai ser da noite pro dia,sera dura a batalha,mas se não confiarmos e fizermos nossa parte,não criticando ou buscando enes culpados,mas acreditando e usando nosso espaço para divulgar a verdade,não importa quem esteja sentado na cadeira da presidência..importa o brasil que queremos para mudar. o crescimento vai acontecer gradual e firme. esse deveria ser um espaço para comentar sobre defesa,não um palanque para muitos ficarem fazendo politicagem de A E B.
    todo comentário aqui sempre leva pra se discutir quem errou ou quem ta errando na politica,e deveria ser para se buscar aprimorar o conhecimento na área militar. e sobre o que a matéria esta discutindo.
    todo mundo sabe que o país precisa avançar agora,para ai sim,ter condição de se ter as contas equilibradas e ter a verba necessária para investir nas FFAS brasileiras como se deve. olhar para frente agora.

  15. Se cortar de 513 deputados para 54 , sobra alguns milhões para investimento! Muito deputados senadores etc… Corta o desnecessário e vai sobrar dinheiro para Saúde, educação, segurança e infraestrutura.

    • Se vc não sabe que isso não é verdade, sugiro olhar a execução orçamentária do governo federal para ter uma idéia das proporções das coisas.

  16. Frankstein. Mas ficou bonito o mock up.

    Quem diria hein? De país agrícola palpérrimo, vivendo na Era do Bronze, evoluiu para o nível denação industrial e tecnoloicamente avançada, com um altíssimo nível de educação, em menos de sessenta anos.

    Enquanto isso, os Parentes do norte, vivem como uma colmeia de acéfalos da Idade Média.

    A Coreia do Sul , se desenvolveu sob as asas protetôras dos Estados unidos.

    A Coreia do Norte está fossilizada pelo comunismo.

  17. Pergunta de leigo para os foristas daqui:

    Empresa coreana de engenharia (Doosan Heavy Industries) acaba de desenvolver turbina a gás para geração de energia após anos de pesquisa e desenvolvimento (adquiriram tecnologia por meio de pesquisa local e aquisição de empresas estrangeiras do setor, além de receber ajuda de recursos públicos que custeou parte do valor das pesquisas).

    O país poderia aproveitar esta turbina para instalar no KFX? Se possível seria fácil? afinal o site da empresa afirma que a turbina desenvolvida possui tecnologia superior ao existente em turbina de aviões.

    Desde já grato.

    http://www.doosanheavy.com/en/media/news-view/?seq=20173144&pageNo=1&searchword=

    https://en.yna.co.kr/view/AEN20190919002300320

  18. Bem, não é um 5a. geração full….esta mais paea um 4,75 geração.

    Mas bem coerente e o importante é saber o recheio eletronico.

    Tempão atras….a época do MAKO….lembro que um oficial havia afirmado que o Brasil poderia construir um caça de 4a. geração em 10 anos….

    Lembro que de brincadeira, eu desenhei um MAKO no mesmo tamanho, mas fuselagem mais larga com baias e asas maiores….ficou a cara deste ai…. mas com empenagem simples

  19. Uma coisa é certa, se conseguirem esse objetivo será sem dúvida a melhor escolha para substituir seus caças mas antigo, com a vantagem se ser uma aeronave nova com possibilidades de atualização.

  20. Eles iniciando o voo do projeto 4.5g (se não me engano o qual convidaram o Brasil para participar e declinamos) e nós com muita sorte estaremos recebendo os primeiros gripens no GDA…

  21. Mais um “quinta geração” tipo “me engana que eu gosto”. Com todo respeito aos coreanos, pra fazer isso aí seria melhor comprar F-35. Quando tiver condições de fazer um quinta geração de verdade, aí sim deveriam investir

    • Se nem mesmo os coreanos falam que é se 5ª geração, porque nós devemos colocar essas palavras na boca deles? Acho que eles fizeram bem ao tentar algo mais pé no chão para eles, já que não tem nenhuma experiência no desenvolvimento e contrução de aeronaves como caças, apenas do treinador T-50. A partir desse projeto, eles podem ter a experiência que precisam para iniciar um de 5ª ou 6ª geração.
      E convenhamos, já passou da hora das aeronaves serem projetadas com aquele formato cônico e cilíndrico. Os radares adoram esses formatos.

  22. Gostei do visual dele….meio F22/F35/F15…
    Vamos fazer assim ó….transformamos todos os esquadrões do Brasil em GDMA (Grupo de defesa Multimissão Aérea), colocamos 36 gripen em cada um, um destes em cada região do Brasil (180 no total), que vai propiciar defesa aérea, ataque e missões táticas em todo o território nacional.
    E então criamos o GADA (Grupo de Apoio e Defesa Aérea) em Brasília, com 36 destes novos caças.
    Pronto!!
    Estes últimos apoiam os demais esquadrões nas missões que forem necessárias.
    Bom isso???
    Kkkkkkkk

    • Como assim, Estados Unidos não conseguiram?
      A Europa não fez porque não quis.
      Não é porque a União soviética não foi a lua que a China não pode ir.
      Não há nada difícil. Basta querer.
      E o fator mais importante para se obter tecnologia não é dinheiro.
      Se fosse, a Embraer não teria fabricado aviões em um país que não tinha fabricante nacional de bicicletas ou montadora nacional de automóveis.
      Nem teríamos desenvolvido o pro álcool…

  23. 1) Coreia do Sul – KF-X 4,5g e depois 5g
    2) Turquia – TF-X 5g
    3) Paquistão – AZM 5g
    4) Índia – AMCA 5g
    5) França e Alemanha – FCAS 6g
    6) Inglaterra, Itália e Suécia – Tempest 6g
    7) Japão – F-3 6g

    E o Brasil…
    A) Devemos desenvolver um projeto próprio de um caça 5g como esses países, ainda que com ajuda externa?
    B) Devemos entrar como parceiro em um desses projetos? Qual deles?
    C) devemos ficar somente com o Gripen E/F até 2050 – 2060?

      • Sério? Fora esses projetos de 5a ou 6a geração que eu citei, ainda tem os EUA, China e Rússia. F-35, F-22, Su-57, J-20, J-31 E os de 6a geração destes países em um futuro próximo.

        Somando com estes 7 que eu citei no post anterior, vai dar mais de 15 caças de 5a ou 6a geração nos próximos anos.

        E você acha que o Brasil, 5o maior país do mundo, deve ficar na 4a geração Plus até 2060?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here