Home Aviação de Caça Força Aérea Indiana planeja comprar míssil I-Derby ER para os Su-30MKI

Força Aérea Indiana planeja comprar míssil I-Derby ER para os Su-30MKI

3138
54
Sukhoi Su-30 da IAF

A Força Aérea Indiana (IAF) planeja armar sua frota de caças multifuncionais Sukhoi Su-30MKI com o míssil ar-ar (BVRAAM) Rafael Advanced Defense Systems I-Derby ER (alcance estendido) para substituir os mísseis russos Vympel R-77 (AA-12 ‘Adder’) em 2021-22.

Fontes oficiais disseram ao Jane’s que a IAF está em negociações com Rafael para adquirir o I-Derby ER guiado por radar, que tem um alcance de 100 km, acrescentando que o processo de aquisição dos mísseis pode ser finalizado “iminentemente”.

Os últimos desenvolvimentos vieram depois que o míssil I-Derby ER, que conta com um motor de foguete sólido de pulso duplo, foi selecionado para ser o míssil primário para armar o Tejas Light Combat Aircraft (LCA) projetado pela IAF após testes de sucesso em julho de 2018.

Uma versão anterior do Derby, que pode ser configurada como um míssil superfície-ar, também faz parte dos 18 sistemas de defesa aérea Spyder-SR da IAF adquiridos da Rafael em 2008-09 por um valor estimado em US$ 1 bilhão.

A entrega dos sistemas Spyder-SR, que incluiu 750 mísseis Derby, começou em 2012 e foi concluída três anos depois.

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

Interessante. A Índia está desenvolvendo o seu próprio míssil BVR, o Astra, inclusive testando-o no Su-30. E agora vem com essa encomenda de I-Derby ER.

De duas uma: ficou caro demais, ou não atingiu os requisitos operacionais.

https://www.aereo.jor.br/2017/09/18/india-realiza-testes-finais-do-missil-astra-no-sukhoi-su-30/

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Clésio, fiquei curioso com aquela matéria que vc postou ontem a respeito de troca de informações entre EUA e URSS.

A matéria fala que a Boeing foi contactada pelo DOD para conseguirem informações sobre o titânio, isso em 1968.

Porém em 1964 já voava o SR-71 que era baseado em titânio.

Tudo bem que ele era secreto e da concorrente LM…. . Mas acho estranho o DOD chamar os caras para mandarem informações pra URSS.
Afinal, o DOD já sabia da existência do SR-71 e já tinha a tecnologia para trabalhar com o titânio.

Vc não achou estranho isso não?

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Rui Chapéu
1 ano atrás

O Boeing SST seria uma aeronave civil de produção em massa, portanto teria que ter baixo custo de fabricação. As aeronaves da Lockheed foram (mal) construídas em baixa escala, sem muita consideração pelo custo porque eram de uso militar e estratégico. Eu imagino que os americanos viram a proposta soviética como um ato de aproximação, que talvez levasse a diminuição das tensões entre os dois países, algo que foi tentado várias vezes durante a Guerra Fria, até que Mikhail Gorbatchov deu passos maiores nos anos 80, culminando com as exibições em shows aéreos europeus e, no começo dos anos 90,… Read more »

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Colocar em produção seriada para fabricar em quantidade leva anos, devido a vizinhança tem que ter mísseis operacionais no estoque, por isso tem que fazer compras externas.

Nostra
Nostra
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

50 limited series production standard Astra mk1 ordered. This order will be used to set up the production facilities for the Astra BVRAAMs. It is going to be a long process because different vendors have to selected , certified before they can start manufacturing the components. Also realisation of toolings and complete manufacturing cycle will require additional time. The entire chain from vendors to lead integrator will need to be proven and stabilized before further orders can be given for the same. Also longer range Astra mk2 BVRAAM with dual pulse motor is in development , once the Astra mk1… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 ano atrás

comment image

DRDO SFDR it uses nozzle-less booster, boron based solid fuel ducted ramjet and sports dual air intakes much like in MBDA Meteor. It will have similar ranges of meteor.

2 ground based tests done and within next 5 years should be ready for pre production trials.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Boa compra, armas israelenses são sempre bem testadas e muitas provadas em combate.

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Qualquer dúvida é só perguntar para os Sírios ….

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rafael Coimbra
1 ano atrás

Os que presenciaram o último combate aéreo entre sírios e israelenses já morreram. De velhice.

Delfim
Delfim
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

O Derby é virjão.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 ano atrás

Os Indianos acharam o R-77 ineficiente se comparado ao Derby… se for o caso isso é um problema para os Russos. o R-77 e o R-77-1 são um dos misseis mais proeminentes no arsenal dos Russos… “ain mais o AIM-120C-7 do Paquistão não derrubaram os Su-30 da índia” Meu amigo, se um AIM-120C-7 tivesse conseguido derrubar um Su-30MKI no limite do alcance máximo do míssil das duas uma, ou o Avião era ruim ou o piloto tava dormindo. No limite do alcance operacional um míssil chega no alvo praticamente sem energia. E consenso entre todos os envolvidos de que o… Read more »

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Então, não pensa em índios, mas em um site indiano em inglês. E isso é tudo.
O intervalo para o R-77-1 é de 110 km, esse é o intervalo para a versão de exportação.

Nostra
Nostra
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

110 km range is when fired from high altitudes head on.

At low altitudes this drops to around 25 km head on.

Same for other comparable missiles

Rustam
Rustam
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

У Индусов нет R-77-1, у них РВВ-АЕ с дальностью 80км! Прочитай текст еще раз ниже )

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Rustam
1 ano atrás

Eu sei. Sou eu sobre os “mísseis russos mais proeminentes” de Victor Filipe.

Rustam
Rustam
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Этому обьяснить? )) Плохая затея , медведя и то легче обучить

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Nossa! Já pode ir pra Red Flag.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Segundo a prestigiosa publicação (Military Watch), a possível compra seria meramente política.

PauloSollo
1 ano atrás

Dizem que o R-77 falhou miseravelmente contra os paquistaneses e alem de substituí-lo pelo I-Derby, também vão adquirir o SRAAM da MBDA para substituir o R-73. O SU-30 é um bom caça, desde que armado com mísseis e pods de contramedidas israelenses e europeus.

Max Machado
Max Machado
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Depois do “dizem” e do “miseravelmente”, qualquer coisa que vir depois não tem credulidade

PauloSollo
Reply to  Max Machado
1 ano atrás

Pois então vá convencer os indianos a continuarem comprando os mísseis russos.

Munhoz
Munhoz
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Vc só sabe a real eficiência de um míssil numa guerra, o resto é especulação!

Esses mísseis R 77 já devem estar no limite de sua vida útil, além de serem ucranianos, deve ter ocorrido algum desentendimento entre a Rússia e Índia no retrofi destes mísseis!

Dai vem notícias como estas !

Nostra
Nostra
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

That’s wrong because no R 77 was fired in the first place. There are 3 main reasons for it 1. Restricted RoE ( rules of engagement ) which forbade crossing LoC / firing missiles across LoC without explicit authorization. The MiG-21 which crossed over in the heat of the moment technically violated the standing order. 2. The Su30mki could not generate the optimal firing solutions for the R77 , as they were at lower altitudes dodging the AMRAAMs , at lower altitudes there is significant loss in head on and tail chase range for any BVRAAMs and in this case… Read more »

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Não sabe nada, mais um fã-boy perdido na net…

Ricardo N. Barbosa
Ricardo N. Barbosa
1 ano atrás

Efeito F-16 Paquistão? Não pegou muito bem o Su-30MKI não conseguir revidar aos F-16, em que uma das prováveis causas pode ter sido a cinemática inferior do RVV-AE em relação ao AIM-120C5. Com o Derby-ER o Su-30MKI ganharia uma pegada mais longa com um míssil mais leve.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Ricardo N. Barbosa
1 ano atrás

Se você ler as declarações indianas anteriores sobre esta situação, que foram incluídas neste site. Então os indianos tentaram primeiro expulsar o grupo paquistanês, sem usar armas. Mas o F-16 disparou um voleio da distância máxima, mas o SU-30 estava livre para ir dos mísseis disparados. Depois disso, a acusação começou o MiG-21bis indiano. Os próprios paquistaneses, todas as vitórias atribuídas ao seu FC-1, mas não podem confirmar. A conclusão é muito simples. O lobby israelense de armas, que agora é muito ativo na Índia, provavelmente encomendou tal artigo. Isso é bastante perceptível a partir da análise de toda a… Read more »

Rustam
Rustam
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Привет бро , обьясни им по Португальски так как перевод не даст картины и они не поймут суть ! Потому что ща начнется срач какие говняные ракеты У русских а израильские само совешенство, до че то израильская система обороны на су-30 не особо помогла заглушить )) ——————— Начать с того, что у индийцев нет Р-77, у них РВВ-АЕ!!! Индийцы хотели 20 лет назад много ракет с АРЛГСН по смешной цене 100 тыс долл , они их получили, чего жалуются? И 20 лет назад десяток РВВ-АЕ стоил как один AMRAAM. Ну во пусть теперь Дерби покупают по 1,5 млн за штуку.… Read more »

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Rustam
1 ano atrás

Rustam

Todo este artigo, esta opinião de um jornal indiano, não é claro sobre o que é baseado.
RVV-AE e agora pode muito bem ser aplicado. Tudo depende das condições de uso e da situação tática específica.
A propósito, foi a “aranha” indiana que empilhou o MI-8 indiano no mesmo dia. Então, isso, uma e as primeiras vitórias de combate “aranha”.

Este lobby israelense foi ativado na Índia, incluindo desta forma.

Rustam
Rustam
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Ага , с крещением ))

Конечно лобби + индусы такие проныры , все им нахаляву и подешевше а если что не так это гамно типа

Ricardo
Ricardo
Reply to  Ricardo N. Barbosa
1 ano atrás

Vocês acham que comprar armas é a mesma coisa que ir no boteco compra uma coca-cola. Essas compras são programaras com meses e até anos de antecedência.

rfeng
rfeng
1 ano atrás

Os caras disparam os misseis fora do envelope, tem um péssimo treinamento e a culpa são dos misseis.

USMC Semper fi
USMC Semper fi
Reply to  rfeng
1 ano atrás

Their Air Force is far better trained than any country in Americas after the US . Using a 80 km range missile for 100 km is not possible use your common sense.

Arariboia
Arariboia
1 ano atrás

Não esquecer que os R77 Indianos são ‘Ucranianos” não possuem nada em comparação ao R-77-1 russo tirando o corpo parecido. Um dos motivos que fizeram os russos a não comprar-los e partir para um próprio desenvolvimento do R-77-1 e o R-77M

Rustam
Rustam
Reply to  Arariboia
1 ano atrás

Arariboia
——-

India has no R-77 missiles, finally learn the material, or read the comments and don’t look stupid!

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Os mísseis básicos de um país são:
Lançados de terra:
1- antitanque de médio alcance
2- antiaéreo manpads
3-antiaéreo de médio alcance
4-SSM tático

Lançados de helicópteros:
1-antitanque de longo alcance
2-antinavio de curto alcance
3- torpedo leve
4- ar-ar de curto alcance

Lançados de submarinos:
1-torpedo pesado
2- antinavio de médio alcance

Lançado de navios:
1-defesa AA de ponto
2-defesa AA de aérea
3-míssil antinavio de médio alcance
4-torpedo leve

Lançado de avião:
1-ar ar de curto alcance
2-ar ar de “médio” alcance
3-antinavio
4- bomba modular guiada

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Na realidade eu me empolguei na minha listinha. Armas como o SSM Tático para o exército, míssil ar-ar para helicópteros e antinavio para submarinos são dispensáveis em nome de um salutar “enxugamento” , apesar dos dois últimos serem desdobramentos de outros que são essenciais. Vale salientar que em nome da padronização, o mesmo míssil pode ter diferentes configurações, por exemplo, o míssil ar-ar de curto alcance pode ser o mesmo de defesa de ponto naval e o ar-ar de médio alcance pode ser o míssil de médio alcance do exército. E por aí vai. Basicamente com 8 ou 9 tipos… Read more »

Bardini
Bardini
1 ano atrás

Su-30 MK”Israeli”

Rustam
Rustam
Reply to  Bardini
1 ano atrás

SU-30MKI !!!!

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Os R-177 tem alcance mais longo, 148km pelo Wiki. A troca soou estranha :
1 – os indianos estão cedendo à pressão americana para não comprar armas russas ?
2 – os Derby nem os israelis usam. Índia entraria meio de cobaia.
3 – se os russos depois disso continuariam a dar suporte aos Su-30MKI. Desconheço os termos de venda e fabricação licenciada dos caças.
Por outro lado o Su-30MKI usa aviônicos israelis que facilitariam a integração do DerbyER.

Nostra
Nostra
Reply to  Delfim
1 ano atrás

IAF is trying to standardise on its systems where ever possible. Derby is one of the primary BVRAAMs for the LCA mk1 and LCA mk1a , total 123 aircrafts as of now , so Derby will be inducted in large numbers , if Su30mki can use the same it will reduce overall costs and maintenance. India has a independent foreign policy, if US tries too hard it will loose Indian market , they already have a good share , why kill the golden goose ? Russia is involved in Indian strategic programs like the nuclear submarines etc , India will… Read more »

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
1 ano atrás

Su-30 é maravilhoso, só trocar a aviônica e armas kkk Ahhhh mas os misseis são Ucranianos kkk sempre tem uma desculpa, ah esse lote foi produzido na sexta a tarde kkkk … Tratores voadores … sempre!

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Rafael Coimbra
1 ano atrás

Todos os aviões ‘americanos’ que Israel tem em seu arsenal, tiveram seus aviônicos trocados pelos seus próprios. Por que será né?

Maurício.
Maurício.
1 ano atrás

Derby é um quebra galho para aeronaves antigas tipo o F-5, ou aeronaves novas pequenas tipo o Tejas, se fosse tudo isso Israel não usaria o AIM-120.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Segundo o Caiafa, a FAB comprou o i-Derby para os F-5M

Flanker
Flanker
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Pode até ser, em sua versão original…mas, a versão ER não é bem assim.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
1 ano atrás

A Índia adota a seguinte política de aquisição de armas: dois fornecedores distintos para cada armamento, ou classe vetor. Fornecedores preferencialmente de campos geopolíticos opostos. O motivo é simples de entender: tendo tido cinco guerras contra o Paquistão e um conflito fronteiriço com a China, a Índia enfrentou embargo de armas. Por isso a dispendiosa política de aquisição que é aliada a um programa de desenvolvimento interno de uma Base Industrial de Defesa.

A integração do Derby obedece a política listada.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
1 ano atrás

E toda vez surge um gênio diferente questionando os nossos mísseis BVR, a capacidade e combate aéreo da FAB e blablabla. Aí quando você vai ver, os indianos, provavelmente o país importador com mais bala na agulha e os caras estão cogitando o mesmo fabricante, da mesma família de mísseis BVR da FAB.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Por associação então os mísseis “ucranianos”, hoje em utilização por alguns países dos ex bloco soviético, são uma porcaria ?

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Dentre inúmeras coisas que o Brasil tem que aprender, esta é uma delas.
Os Indianos compram de tudo e de todos, sem deixar de lado o desenvolvimento local.
Muitas das vezes dão prioridade ao equipamento loca.
Agora irão comprar um míssil israelense e integrar num caça Russo.
Compram mas não se alinham politicamente (não vendem sua soberania).
Diferente do Brasil, que além de comprar aceita imposições em sua política.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

Com “aprender”, leia-se: eles tem dinheiro tirado de uma população 4x mais pobre que a brasileira pra poderem gastar como gastam em armas.
Não que não precisem, eles precisam, mas nós não. Nós se gastassemos bem o que já tem no ministério da defesa estaríamos bem servidos, mas não ache também que isso seria perto do bastante pra brincar de Índia. Não é.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

E quem está falando em situação sócio econômica?
Fale de uma política de independência política sem aceitar imposições estrangeiras.
Irão incorporar um míssil ocidental em um caça oriental sem ter grande nação alguma de mi mi mi com isso.
Coisa que nunca aconteceria no Brasil.
Você realmente acredita que o cancelamento da compra do Pantsir , SU-35BR etc foi por falta de verbas e ou incapacidade técnica?
Agora mesmo os militares do EB irão a Israel para analisar o sistema Soayder daquele país.
Acorda e interprete melhor o texto antes de opinar caro Fernando.

Mickey
Mickey
1 ano atrás

The R77 in Indian Air Force inventory was inducted in 1996, so its already over its shelf life, Derby is a logical choice until their Astra production stabilize.

Nostra
Nostra
1 ano atrás

Information which missed the headlines completely is that of ASRAAM WVR missile which is being integrated on Su30mki , as a complement to existing R73.

2 Su30mki platforms were cleared to carry out initial carriage trials with ASRAAM.

This comes after ASRAAM was selected for Jaguars due to compatibility with overwing launch pylons and the LCA due to flutter issues with Python 5 during trials, which was the original choice.

So if one connects the dots one can see IAF is trying to ensure maximum compatibility across its fleet.