Home Aviação de Caça A origem norte-americana da tecnologia chinesa de furtividade

A origem norte-americana da tecnologia chinesa de furtividade

4929
47

 

Por Sérgio Santana*

Em meio às celebrações dos oito anos do primeiro voo da aeronave chinesa de caça Chengdu J-20 “Wēilóng” (conhecido também como “Mighty Dragon” ou “Dragão Poderoso), lembrado aqui e dos recentes comentários de analistas chineses segundo os quais a aeronave será superior ao Lockheed Martin F-35 Lightning II após a exploração do seu potencial de crescimento, o que gerou considerável volume de manifestações nas redes sociais e sites especializados, é adequado trazer à tona a origem da tecnologia chinesa de furtividade empregada nas suas aeronaves.

Tal como tem sido comum na história do desenvolvimento dos sistemas de armas, a espionagem também desempenhou neste caso uma função fundamental, a exemplo do que já havia ocorrido pelas ações de Adolf Tolkachev (1927-1986), engenheiro eletrônico soviético que a partir de janeiro de 1977 aproximou-se de altos funcionários do governo norte-americano em um posto de combustível em Moscou, reservado à diplomacia estrangeira.

Depois de perguntar ao um dos motoristas em espera se ele era americano, discretamente lançou um bilhete para dentro do carro, dando início então o que é considerada uma das mais abrangentes, benéficas ou danosas (para os soviéticos) operações de repasse de documentos secretos de todos os tempos, já que Tolkachev, sob o codinome “CKSPHERE”, entregou absolutamente todos os detalhes técnicos dos sistemas de armas e aviônicos de missão de todas as aeronaves projetados pela empresa em que trabalhava, o Instituto de Pesquisa de Engenharia de Radio, mais tarde conhecido como “Fazotron”.

Tolkachev foi denunciado, preso, julgado, condenado e executado nove anos depois, mas entrou para a história das operações de inteligência como “O Espião de Um Bilhão de Dólares”, sendo este o valor estimado dos documentos que repassou, muitos ainda sob segredo.

No caso chinês, o responsável é outro diplomado em ciências exatas, o engenheiro de projetos Noshir Sheriarji Gowadia, nascido em 1944 em Mumbai na India, mas que emigrou para os Estados Unidos, tendo obtido a cidadania norte-americana.

Gowardia trabalhou para a Northrop entre 1968 a 1986 e foi o principal projetista dos sistemas de propulsão do primeiro bombardeiro furtivo da História, o Northrop B-2A Spirit, tendo também concebido os sistemas de supressão de radiação infravermelha do Spirit, responsáveis por protegê-lo contra mísseis guiados por calor.

Na década seguinte, ele passou a trabalhar no Laboratório Nacional de Los Alamos, no Novo México, um dos campos responsáveis pela pesquisa em tecnologias críticas nos Estados Unidos, inclusive no setor nuclear.

Em 1999, ao deixar a Northrop ele fundou a companhia de consultoria N.S. Gowadia, Inc. e passou a ministrar cursos para interessados estrangeiros em um segundo país não especificado, que incluía informações secretas, às quais ele obteve acesso enquanto trabalhava para a Northrop e como subcontratado para Los Alamos.

Chengdu J-20
Chengdu J-20

Três anos depois Gowadia enviou por fax uma proposta para desenvolver tecnologia de supressão de infravermelho em aeronaves militares para um representante em um país estrangeiro não especificado. E entre 2003 a 2005, Noshir Gowadia fez seis viagens à China, conspirando para ocultar algumas de suas visitas, fazendo com que os agentes de fronteira deixassem o selo de imigração do passaporte. A cidade de seu interesse era Chengdu, sede do Chengdu Aircraft Industry Group que desenvolveu o Chengdu J-20.

Obviamente esta movimentação não poderia passar despercebida e ainda em 2005, no mês de outubro, a sua sorte começou a virar: Gowadia foi acusado de revelar segredos de supressão de infravermelho do B-2A aos representantes de oito governos estrangeiros. Outros crimes federais incluem o repasse deliberado de informações de defesa nacional a pessoas não autorizadas.

A acusação se baseava em vários documentos secretos copiados de quando ainda trabalhava na Northrop em Los Alamos, encontrados em sua casa milionária no Hawai. Na impossibilidade de refutar o óbvio ele confessou compartilhar informações confidenciais “tanto verbalmente quanto em documentos, apresentações de computador, cartas e outros métodos, para estabelecer a credibilidade tecnológica com os clientes potenciais para negócios futuros.” Gowadia também foi acusado de ajudar a projetar tecnologia furtiva para mísseis chineses e com lavagem de dinheiro através de contas em paraísos fiscais e movimentadas por “laranjas”.

B-2 Spirit
Bombardeiro stealth B-2 Spirit

Entretanto, os danos provocados pelos documentos vazados já não poderiam revertidos, porque a China já havia começado a desenvolver aeronaves furtivas, a exemplo do já mencionado J-20 que voou pela primeira vez em janeiro de 2011, mesmo mês que Gowadia foi condenado a 32 anos de prisão, atualmente sendo cumpridos na prisão de segurança máxima Florence, no estado do Colorado, de onde ele só deve ser liberado em setembro de 2033.

Portanto, a tecnologia furtiva atualmente empregada nas aeronaves chinesas derivou diretamente do desenvolvimento encampado pelas indústrias norte-americanas, reconhecidas líderes no setor, o que contribui para que caças como o J-20 não estejam, para dizer o mínimo, tão aquém dos seus rivais diretos como a grande maioria dos analistas e entusiastas gostam de pensar.

*Bacharel em Ciências Aeronáuticas (Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL), pesquisador do Núcleo de Estudos Sociedade, Segurança e Cidadania (NESC-UNISUL) e pós-graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG). Único colaborador brasileiro regular das publicações Air Forces Monthly, Combat Aircraft e Aviation News.

47
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
31 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
29 Comment authors
Edson Wilson Brossi da Cunhajohnny-walkerDenisSergioChen Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
William Munny
Visitante
William Munny

Ótima matéria! Bem esclarecedor! Quero ver agora se os “incrédulos” ainda continuarão desdenhando da China…

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Explique mais sobre o “desdenhar”? “Uma Andorinha só não faz Verão”

FRANCISCO CARLOS TOLLMEINER
Visitante
FRANCISCO CARLOS TOLLMEINER

Uma pessoa não tem total acesso as informações nos EUA, sempre fazem projetos em módulos justamente para um depender do outro. China não cria nada, só escraviza a população e rouba tecnologia, por isso nada de lá presta.

johnny-walker
Visitante
johnny-walker

Meu amigo, você vive em que mundo, provavelmente nas verdes planícies das Highlands, neste mundo não existe inocentes, principalmente países como China, EUA e Rússia, todos fizeram o escambau para promover o desenvolvimento tecnológico, mataram, roubaram, extorquíram, empregaram até os nazistas para seu desenvolvimento e até alguns cientistas que fizeram verdadeiras carnificinas utilizando prisioneiros dos campos de concentração para pesquisas médicas, transplantes e etc.
Ninguém neste mundo é santo, principalmente governos.

Pedro Bó
Visitante
Pedro Bó

Oito países, um sabemos que é a China. Outra nação pode ser a Rússia. Quem serão os outros seis?

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Considerando o primeiro voo do J-20 e que se trata de tecnologia Stealth projeto iniciados na mesma época: China J-20 (2011 1° voo) J-31 (2012 1° voo) Russia Su-57 (2010 1° voo) França Dassault nEUROn (2012 1°voo) Reino Unido: BAe Taranis (2007 inicio, 2013* 1° voo) Japão X-2 (inicio 2007, 2016 1° voo) *Houve relatos de que tenha feito o 1° voo 2009 no qual o MoD desmentiu, teria ocasionando dano a torre eólica… PS.:Não estou dizendo que tais projetos tenham vindo de tecnologia furtada (!) PS2.: Os projetos que iniciaram pós-2010 não entraram na lista PS2.: Estou considerando que… Read more »

Caio
Visitante
Caio

A espionagem é mencionada até no velho testamento da bíblia cristã, logo só não a prática quem não pode ou não tem coragem.

Rafael Coimbra
Visitante
Rafael Coimbra

Os editores estão completamente apaixonados pela China…rsrsrs cada 5 matérias 3 ou 4 tem china no meio! Monstros de papel até o momento, jac motor com turbina… depois de provarem em combate quem sabe podemos classificar de modo diferente… mas até o momento, só belas fotos e matérias de propaganda…

William Munny
Visitante
William Munny

Liga não! O choro é livre!!!

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Os editores apenas postam o que rola pelo mundo em se tratando de poder aéreo e é mais do que óbvio que a China tem realmente avançado neste e em outros setores do poder militar. Mas concordo contigo sobre “jogar de verdade” o jogo. Não só tecnologia vence uma guerra ou combates. Há muitos outros fatores envolvidos.

nonato
Visitante
nonato

Realmente. Matéria demais da China. De uns tempos para cá.

Tu-160
Visitante
Tu-160

O Brasil possui excelentes Hackers, poderíamos estar bem avançados na construção de submarinos nucleares, Caças, mísseis… Mas nenhuma autoridade Brasileira tem/teve saco para autorizar uma espionagem industrial.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Eu mandaria roubar, ninguém é santo, todo mundo rouba tecnologia, a 2 em em roubo dos EUA é a França.

Sergio
Visitante
Sergio

Concordo plenamente, o brasil deveria roubar tecnologia ou mesmo pagar no mercado negro da espionagem. O mundo bélico não é pra bonzinhos.

Denis
Visitante
Denis

As centrífugas da Marinha do Brasil, usadas no enriquecimento de urânio, e admiradas mundo afora pela sua qualidade, tiveram um “quezinho” de espionagem no seu desenvolvimento, segundo o depoimento de um oficial da MB, que vi anos atrás.]

johnny-walker
Visitante
johnny-walker

Na verdade foi adquirida uma tecnologia ultrapassada, acho que uma centrífuga muito antiga, mas com a ideia na mão construíram a sua, mas as primeiras não eram com mancal magnético, ocorre que as primeiras funcionavam pouco tempo e já precisavam de manutenção devido ao desgaste das peças, então surgiu esta ideia, mas foram necessários 20 (vinte) anos para colocar em prática.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Na década de 1940, os soviéticos estavam muito atrás das outras potências na corrida para produzir o caça à reação. Capturaram (uma palavra mais bonita que roubar…) planos alemães sobre aerodinâmica, assim como vários engenheiros, adquirindo todo o conhecimento necessário sem ter que desenvolver eles próprios. Aliás, algo de que as potências ocidentais também são culpadas. Mas os alemães estavam atrás dos americanos e ingleses na área de motores. Por um golpe de sorte, o primeiro ministro britânico Winston Churchill, num raro momento de estupidez, resolveu se aproximar economicamente da URSS e vendeu os planos completos assim como várias unidades… Read more »

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana

Pois é, Clésio. Além dos motores Nene Churchill autorizou o repasse de motores Derwent…Sobre a motorização do J-20 é coisa pra se ver…De concreto mesmo é a tecnologia russa no F-35B, desenvolvida pela Yakovlev pro Yak-141 “Freestyle”, que deu em nada…

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Particularmente não vejo qualquer tecnologia russa no F-35B. O liftfan não existe no Yak-141 e o bocal móvel em 90° é uma iniciativa que remonta os anos 60 nos EUA, inclusive com bancada de testes em solo, chegou a ser cogitado no Convair 200. O que ocorreu foi acesso da LM a alguns dados do Yak-141, algo justificável já que aproximava-se de seu modelo STOVL. Na verdade o F-35B possui um sistema de sustentação vertical muito diferente do Yak-141.

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana

Ricardo, leia o que você escreveu…

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Bom, vou ser mais claro. O conceito de um sistema de sustentação baseado em 2 motores independentes de sustentação atrás do cockpit e um bocal de exaustão móvel vem so Convair 200, que foi oferecido à US Navy. Em seguida os soviéticos lançaram o Yak-141 com conceito praticamente idêntico, mas não chegou a tornar-se operacional. Por fim, a LM desenvolveu seu conceito que era substancialmente diferentes, já que substituiu os 2 motores atrás do cockpit por um Fan conectado ao motor com bocal móvel. O Yak-141 é muito mais próximo do Convair 200 do que o F-35B do Yak-141. Sim,… Read more »

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana

“Sim, a LM pagou para ter acesso aos dados de desempenho do Yak-141, o que serviria para avaliar o desempenho do conceito original.” Palavras suas…
Se o F-35B fosse tão fodão assim teria usado absolutamente nada russo, menos ainda comprado.

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana
Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

Não se trata de ser fodão ou não. O acesso ao Yak-141 permitiu validar o conceito de forma mais rápida e economizar tempo, e tempo é dinheiro. Trata-se de uma evolução cronológica simples, o Convair 200 foi o conceito, o Yak-141 o protótipo e o F-35B o modelo operacional. Uma análise rápida mostra que o Yak-141 foi mais inspirado no Convair 200 do que o F-35B no Yak-141. Os dois primeiros usavam dois motores (quente) independente na parte frontal, enquanto o F-35 usa um fan (frio) ligado ao motor principal. Além disso, o design do 3BSN do bocal de exaustão… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Segue o jogo, me surpreenderá o dia em que ler uma matéria provando que o Ocidente desenvolveu algum avião baseado em projetos revolucionários Chineses ou Russos.

Joao
Visitante
Joao

Bora comprar um sofá massageador, pq esse dia vai demorar hein kkk acho engraçado o povo que apoia a china, que se contenta com as meia verdades que eles contam. Impressionante como os programas deles nao apresentam problemas! Ou apresentam e eles nao abrem o jogo? Como pode alguém admirar uma cultura dessas 🤦‍♂️

Alessandro
Visitante
Alessandro

Mas é exatamente por causa desse tipo de matéria que eu acredito que os países ocidentais, em especial os EUA são a força motora do mundo, em se tratando de pesquisas científicas e tecnológicas, a Rússia e China se não tivessem espionado e roubado informações dos países ocidentais, hoje provavelmente não estariam no nível que estão, principalmente a China! Não to desmerecendo o avanço da China, pois eles investiram muito em educação e em engenharia, mas sem não fosse a tecnologia ocidental completar o conhecimento deles, tenho certeza que eles estariam muito atrás dessa corrida tecnológica, aliás na minha opinião… Read more »

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana

Alessandro, concordo com muito do que você disse. Mas é bom lembrarmos que a China está fazendo hoje algo parecido com o que os EUA e demais aliados (incluindo a então URSS) fizeram com o legado científico da Alemanha pós-II Guerra. Raptaram cientistas e confiscaram muito material de pesquisa por meio da Operação Clipe de Papel. Muito do avanço tecnológico que vemos hoje começou lá…

Alessandro
Visitante
Alessandro

muito bem lembrado Sérgio Santana, estou de acordo, por isso que não estou desprezando o avanço dos chineses, eles tem grande mérito, pois até pra roubar tecnologia de um país como os EUA não é para qualquer um, e sobre a Alemanha, é mais um país OCIDENTAL rsrs..

Chen
Visitante
Chen

Os EUA são a força motora do mundo isso ninguém dúvida . Mas achar que os EUA desenvolveram toda a tecnologia fodastica deles é ser ingênuo demais. O programa espacial americano só decolou depois de espionar e roubar dos russos. Os EUA é o mais que mais espiona no mundo. Não ache que é só pra comparar e ver se os inimigos estão avançando. É pra pegar e roubar informações mesmo e ver se aproveita algo. A China faz o certo . Não considera os EUA como amigo e espiona . Tá cheio de espiões americanos na China. Hj os… Read more »

Edson Wilson Brossi da Cunha
Visitante
Edson Wilson Brossi da Cunha

Concordo. …

Augusto L
Visitante
Augusto L

Isso não prova nada, não se sabe a extensão dos documentos.
E se fosse igual os aspectos stealth do J-20 seriam mais refinados iguais aos dos americanos, o que não é o caso.

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana

Augusto, muito pelo contrário…Prova que copiaram com base na melhor tecnologia do tipo. E sobre o J-20 não ser refinado como o F-22, lembre que o F-117 era bem mais tosco…E com relação aos documentos vazados observe a pena que ele pegou…Não repassou pouca coisa de valor pequeno…Acredito que o futuro bombardeiro será ainda mais sofisticado…

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

O J-20 possui entrada de ar tipo DSI, o F-22 não. O J-20 possui derivas móveis 60% menores que as do F-22.

O bocal dos motores é a área onde o F-22 leva vantagem.

Refinado o J-20 é, com vantagens e desvantagens sobre o F-22.

Augusto L
Visitante
Augusto L

O J-20 não apresenta alinhamento entre as asas e as caudas, inclusive não se tem fotos disponíveis, que permitam a comparação, pq os chineses querem esconder. A solução de se usar canards tira a furtividade, principalmente em manobras. O grau de precisão da construção, não se tem, o Su-50, por exemplo, já se sabe que é inferior a de um projeto stealth. E o F-22 tem, sim medidas para reduzir a assinatura da entrada de ar, tanto que o duto de entrada de ar não é uma linha reta, não se tem nenhuma ideia se o J-20 tem isso, só… Read more »

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Fizemos qualquer negócio.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Que a china nao presta e nao tem capacidade pra nada e vive de espionar, copiar os EUA, a Russia e qualquer outro Pais que tenha algum produto bom, não e novidade nenhuma e mesmo assim so faz porcarias baratas sem qualidade.

O Brasil que se cuide porque na próxima copa teremos copia chinesa do Neymar kkk

Chen
Visitante
Chen

Não fale besteira. Os EUA são o país que mais espiona no mundo. Eles espionam tecnologias de aliados e adversários. Roubaram tecnologia alemã na 2 guerra. Venderam o apoio aos aliados na 2 guerra por tecnologias inglesas. Tecnologias que os americanos sequer possuíam. Muita tecnologia que se diz americano foi fruto de espionagem. Tem gente aqui que endeusa o F-35 ou os EUA mas eles não desenvolveram muitas destas tecnologias sozinhos. Espionagem é coisa comum pra esses países . A Rússia e China tem centenas de espiões americanos em seu território igual tem de espiões estrangeiros nos EUA .

Joli le Chat
Visitante
Joli le Chat

Nessa onda de discussões sobre o J-20, acho que faltou colocar este artigo: https://www.businessinsider.com/china-j-20-stealth-fighters-will-lose-to-f-15-f-22-typhoon-2019-1

Sérgio Santana
Visitante
Sérgio Santana

Joli, não coloquei esse artigo por duas razões: meu texto não era sobre as capacidades do J-20 e quem escreveu não conclui nada, fica na base da hipótese, usando “likely” e “unlikely”…

Munhoz
Visitante
Munhoz

Uma sugestão seria analisar para onde foi os destroços do F 117 abatido .

J-20
Visitante
J-20

Business insider tem a mesma credibilidade que o Sputnik

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Já é sabido que eles roubaram dados dos EUA sobre o F35 não sabia que tiveram acesso aos dados do B2

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Não tem nada que os eua já não tenha sido espionado e roubado, sempre foram incompetentes nesse aspecto. Deram bomba atomica pra todo mundo.É claro que continuariam sendo burros como sempre.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

E a tecnologia roubada pelos EUA e França da Alemanha na IIGuerra a título de indenização de guerra, não tem santo nesta parada.
O que seria do programa espacial americano e russo no início sem a tecnologia e pessoal alemão.

Edson Wilson Brossi da Cunha
Visitante
Edson Wilson Brossi da Cunha

Operação Clip de papel. …Os mais destacados engenheiros nazista fitam pra EUA União Soviética França e Inglaterra. ..A Alemanha se tivesse mais tempo. ..o rumo …o desfecho d guerra seria outro. ..

Denis
Visitante
Denis

Espero que esta matéria acabe com aquelas discussões tolas sobre tecnologia nativa. Esta é uma coisa que não existe, absolutamente. Toda a Tecnologia humana é copiada, o tempo todo, por todos os países, em todo o mundo. A pólvora que alavancou o poderio militar Ocidental, na Idade Média, é chinesa; já os foguetes norte-americanos, são alemães, na sua gênese. Bah, isso não é critério para se desacreditar a capacidade tecnológica de ninguém. Alguém copiou? E daí? Tem gente que não consegue sequer copiar. Americanos, russos e chineses são todos copistas. E nós, brasileiros?