segunda-feira, março 8, 2021

Gripen para o Brasil

Investigação: F-22 deslizou de barriga na pista porque piloto decolou com dados incorretos

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Uma investigação da Força Aérea dos EUA (USAF) revelou que o piloto de um caça F-22 decolou com dados incorretos e recolheu prematuramente o trem de pouso da aeronave durante um voo de treinamento em abril na NAS Fallon, Nevada, fazendo com que o F-22 deslizasse de barriga na pista até parar.

Em 13 de abril, um piloto do F-22 do 90º Esquadrão de Caça na Base Conjunta de Elmendorf-Richardson, no Alasca, decolou de Fallon para um exercício de graduação da TOPGUN. O piloto fez corrida de decolagem da aeronave – levantando o nariz – a 120 nós e, quando a aeronave indicou que as rodas estavam saindo do chão, o piloto retraiu o trem de pouso. Imediatamente após o trem de pouso se retrair, a aeronave “pousou” na pista com as portas totalmente fechadas.

O F-22 deslizou cerca de 1.987 metros até parar, com seu gancho se soltando no chão. Uma vez que o F-22 parou, o piloto saiu do cockpit e não houve danos a outras propriedades. A Força Aérea não divulgou uma estimativa de custo para os danos.

O Conselho de Investigação de Acidentes descobriu que o piloto tinha dados incorretos de decolagem e aterrissagem para as condições em Fallon – a carta de linha do piloto indicava 136 nós para rotação e 163 para decolagem completa, enquanto as condições do dia exigiam 143 nós para rotação e 164 nós para a decolagem.

A investigação também descobriu que o piloto recolheu prematuramente o trem de pouso e que o briefing do voo daquele dia era inadequado.

Além disso, a comunidade F-22 tem “excesso de confiança organizacional” no equipamento, o treinamento formal não é adequado e há uma aceitação organizacional de uma técnica incorreta de decolagem do F-22, descobriu o conselho.

O incidente foi um dos dois envolvendo Raptors de Elmendorf em cerca de uma semana. Em 6 de abril, um F-22 sofreu uma falha de motor e foi forçado a pousar em Tyndall AFB, Flórida.

FONTE: Air Force Magazine

- Advertisement -

26 Comments

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lewandowski

Essa mania dos pilotos d e F-22 de recolher o trem de pouso no milissegundo que sai da pista. Deve ser uma recomendação da USAF, pois é mto corriqueiro , senao padrão, essa manobra.
.
Sds

Rodrigo M

Também já percebi isso.
Como já comentado, não sei se é um procedimento padrão adotado pela USAF ou é feito de forma automática pelo avião, desde que programado para tal..
De toda forma a velocidade com que é recolhido o trem de pouso em todas as decolagens chama a atenção.

SPQR

Deixou na pista um rastro de dólares queimados.

Willber Rodrigues

Eu não me espantaria se o preço do concerto fosse o valor de um F35…

Rinaldo Nery

Do conserto pode ser. Do concerto se for a da banda da NAS Fallon.

Paulo Silva

O problema é quanto custará este erro de calculo!Eles querem automatizar tudo!No meu entender, o recolhimento não deve ser automático!O piloto tem que ter mais autonomia sobre a aerenave!
Abs

Felipe Bronstrup

Acredito que essa automatização foi criada para cortar gastos, qualquer aerodinâmica aqui e ali pode econonir muito dinheiro, como em um carro automático, todos gostamos do prazer de trocar de marcha, porém o automático trás mais econômia e durabilidade.
É um projeto de bilhões, acredito que com milhares de pessoas envolvidas, essa tenha sido a melhor decisão, más acredito também q deveria ter uma opção de abrir e fechar o trem de pouso manualmente.

Diego

” todos gostamos do prazer de trocar de marcha, porém o automático trás mais econômia e durabilidade.” A única certeza que eu tenho neste comentário e que o cara não tem carro automático e provavelmente é um motorista com pouca experiência pra dizer que todos gostam de trocar marcha e é por isto que o manual e melhor.

Roberto S

Xesusssss. tudo errado. todos testamos carro manual, mas ele é mais econômico com certeza. Quem dirige em cidade grande sabe a dor de cabeça e aporrinhação que é trocar marcha e pisar na embreagem full time. Quanto ao avião faltou discernimento ao piloto. O bicho nem saiu do chão e já recolheu o trem de pouso? é muito videogame e pouca prática. vá treinar direito seu burro!!!

Delfim

Não entendo. O F-22 saiu do chão, tem superfície alar e empuxo mais que suficientes. O recolhimento do trem de pouso deveria facilitar e não causar problemas. Pela lógica não deveria acontecer.
Com a palavra quem sabe.

Hugo

Sim, mas no momento do recolhimento ele não estava em velocidade suficiente ainda, o trem estava sustentando o avião, se ele já estivesse no ar era outra história

Adriano RA

Pelo que entendi, o avião levantou o nariz, mas ainda não tinha velocidade e, consequentemente, sustentação suficiente para a decolagem. Ao recolher o trem de pouso, o avião simplesmente sentou a parte traseira inferior sobre a pista, o atrito fez o resto….
Já vi gente pousar sem baixar o trem (apesar dos avisos sonoros), mas nunca algo assim…. é quase infantil.

MARCOV

O trem de pouso do F-22 é escamoteável e quando as portas do trem de pouso principal se movem para o seu recolhimento há um aumento do arrasto e uma consequente queda de sustentação. A velocidade deve estar mais alta para uma decolagem mais radical. Vejam em 0:09 no vídeo abaixo o movimento dos estabilizadores horizontais móveis após a configuração trem de pouso recolhido.

https://www.youtube.com/watch?v=FuD8KXPD3HI

Kks

Da onde tiraram que o recolhimento do trem de pouso foi automático? Kkkkk

Rinaldo Nery

Também queria saber… Cada bobagem que se lê. NENHUM avião no mundo recolhe trem sozinho.

Gustavo Adolfo Franco Ferreira

Há quem chame isto de “Monumento à Besteira!”

XFF

Eles sempre vão culpar os pilotos e não vão aceitam que o F-22 tem problemas. Se não, bilhões de dólares estaria em risco.

Antunes 1980

Se fosse na Rússia já teriam descido o porrete.
Li em alguns artigos que cada vez mais os Estados Unidos tem dificuldade em capacitar novos pilotos.
O déficit é grande em relação ao número de vetores disponíveis.
Vale ressaltar que a linha do F-22 foi fechada para sempre.

Maurício.

Todo mundo sabe que piloto geralmente tem o ego inflado, um piloto de caça então nem se fala, imagina um piloto de caça americano (que já tem o ego inflado de nascença) pilotando o caça mais capaz do mundo, a elite da elite americana, o ego inflado faz o piloto ter uma confiança extrema em suas habilidades e em seu avião, aí acontece essas barbeiragens da matéria.

Michel Lineker

Caças de 5a com pilotos de2a…

Nilton L Junior

Acho ele estava com Airac desatualizado ou instalaram o baidu

Mattos

Alguma problema sério de qualidade está acontecendo nas FFAA americanas. tem que parar tudo e refletir sobre o que está ocorrendo e procurar corrigir os erros. Cabeças vão ter que rolar.

Daniel

Brincadeiras a parte, seria o medo dos EUA entrar em guerra com a CN?

Ivanmc

Soltou pecinha.

Nilton L Junior

Seu maldoso

Bispo

…os russos devem ter aspirado a pista….para saber a composição da tinta..material compósito, etc …rs

Combates Aéreos

Dogfight: F-16 Block 52 turco e Mirage 2000-5 grego

 O vídeo acima mostra parte de um 'dogfight' entre um caça F-16 Block 52 turco e um Mirage 2000-5...
- Advertisement -
- Advertisement -