Home Asas Rotativas Blindagem de grafeno no helicóptero de ataque chinês Z-10

Blindagem de grafeno no helicóptero de ataque chinês Z-10

14100
57
Z-10ME
Z-10ME

O helicóptero de ataque chinês Z-10 agora está equipado com uma blindagem extra envolvendo grafeno, um material que é forte e leve, disse um especialista militar chinês no dia 10 de outubro, depois que a emissora estatal chinesa apresentou o helicóptero.

O vídeo divulgado pela Televisão Central da China na semana passada mostrou o Z-10 em um campo de pouso. Módulos adicionais de blindagem podiam ser vistos na lateral do helicóptero perto do cockpit.

Helicópteros chineses, incluindo o Z-10, não têm blindagens extras porque seus motores só poderiam levantar um certo peso, disse Wei Dongxu, analista militar de Pequim, ao Global Times na quarta-feira, observando que a escolha foi feita para que o Z-10 possa transportar uma carga útil suficiente.

A blindagem extra mostrada na transmissão é provavelmente feita de grafeno, que é forte e leve, e resolveria o problema de peso, disse Wei.

Pesquisadores chineses do Instituto de Materiais Aeronáuticos de Pequim desenvolveram materiais de grafeno que podem ser usados ​​para a fabricação de blindagens e coletes à prova de bala, relatou o chinanews.com em 2016.

Ele disse que o grafeno é cerca de 200 vezes mais forte que o aço, pode esticar 20% a mais e pesa apenas 0,77 grama por metro quadrado.

Helicópteros de ataque como o Z-10 geralmente voam baixo para atacar alvos terrestres, tornando-os vulneráveis ​​a fogo antiaéreo, disse Wei.

A blindagem extra pode efetivamente proteger peças-chave do helicóptero, como o cockpit e o tanque de combustível, de serem diretamente atingidas, aumentando assim a chance de sobrevivência da aeronave, disse ele.

Wei disse que espera que a blindagem baseada em grafeno seja produzida em massa e também usada em outras aeronaves, notando sua alta eficiência e baixo custo.

O Z-10ME, uma versão modificada para exportação do Z-10, está pronto para negócios, disseram analistas militares chineses.

O grafeno é formado por uma estrutura hexagonal de átomos de carbono, que visualmente se parece com um favo de mel.
O grafeno é formado por uma estrutura hexagonal de átomos de carbono, que visualmente se parece com um favo de mel.

FONTE: Global Times

Subscribe
Notify of
guest
57 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flanker
Flanker
1 ano atrás

0,77 grama por metro quadrado?? Não seria 0,77 quilograma por metro quadrado? Olha, pesar menos de 1 grama/metro quadrado é quase impossível.

Antônio Carlos Sandoque
Reply to  Flanker
1 ano atrás

É isso mesmo. O Grafeno é 7 vezes menos denso que o ar.

André
Reply to  Antônio Carlos Sandoque
1 ano atrás

Então ele flutua?

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Tbm fiquei com esta dúvida .

luiz carlos bueno
luiz carlos bueno
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Então você não sabe o que é grafeno.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Olha se o grafeno tão falado por certo candidato ,por mim apoiado ,e ainda tem o Niobio. Temos reservas enormes destes minerais poderosos. Comercializando direito da pra extrair royalties de ambos e aplicar em setores importantes como defesa, educação e saúde.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

pois é, e depois ironizam o futuro presidente do Brasil, que vive falando em incentivar nossa indústria local a fabricar insumos de grafeno por essas bandas, taí os chineses investindo nisso provando que ele tá certo okay ? rsrs…

BILL27
BILL27
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

JA tem empresa chinesa explorando grafeno no Brasil .

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  BILL27
1 ano atrás

Não sou expert no assunto, mas pelo que li o grafeno é processado do grafite, que tem reservas relativamente abundantes no mundo. Além do mais, a China é o maior produtor do mundo disparado de grafite (10 vezes mais que a nossa) e possui reservas equivalentes às do Brasil.

Cristiano GR
Cristiano GR
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Então o deles vai acabar bem primeiro. Melhor p nós.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Sim. O deles acada no ano de 2230 e o nosso em 2430.
Até lá, já terão descoberto outro substituto.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Tomcat:
O problema do Grafeno é de como produzi-lo.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Vamos comer nióbio e grafeno no café da manhã…

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Defensor da liberdade
1 ano atrás

Nós não!
Os chineses, certamente!

Edmilson Sanches
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Apesar do Brasil ter as maiores reservas de nióbio do planeta,mesmo que tivéssemos a produção suspensa,os outros produtores dariam conta de manter a demanda por séculos.Não da,como afirma certo candidato,para aumentar a produção e ganhar mais royalties ,pois isso inundaria o mercado e derrubaria os preços.O mercado pensa pensa melhor que os políticos.

João V. de Souza
João V. de Souza
Reply to  Edmilson Sanches
1 ano atrás

Quanta bobagem. Se o Brasil tem as maiores reservas, obviamente figuraria como um dos principais competidores. A comparação, Brasil ter maiores reservas e parar é tão sem sentido e nexo q não dá nem para entender o q se quer dizer.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Eu acredito não deveríamos nos focar em exportar nossas reservas apenas, mas aplicar em nossa industria de transformação, agregando tecnologia e valor, isto depende de muito investimento publico (principalmente militar) e privado em pesquisa.
O Brasil só vai virar um país um dia e deixar de ser o fazendão do mundo quando der este salto de pensamento.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Capa Preta
1 ano atrás

Nós temos minério de ferro de altíssima qualidade. Apesar disso importamos aço de baixa qualidade da China. O brasileiro não tem renda para bancar produtos de qualidade.

Cristiano GR
Cristiano GR
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

O brasileiro tem de acreditar mais no brasileiro.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Capa Preta
1 ano atrás

A Austrália também é fazendão, e não tem tantos pobres por metro quadrado lá como há aqui. A culpa do país não é ser exportador de bens primários, é a quantidade de recursos que é desviada para manter um estado mastodôntico que concentra boa parte da riqueza nas mãos de políticos, funcionários públicos, e empresários que vivem das beneses estatais, fora o protecionismo que nos deixa à mercê de empresas ineficientes. Baixa concorrência não estimula a inovação.

João V. de Souza
João V. de Souza
Reply to  Defensor da liberdade
1 ano atrás

A Austrália não é só “fazendão”. É um país altamente industrializado. Não existe “fazendão” de primeiro mundo.

Marcos10
Marcos10
Reply to  João V. de Souza
1 ano atrás

Austrália não é altamente industrializada coisa nenhuma. Tem é um setor de serviços forte.

Edison Durval
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Não existe grafeno em forma livre, ele é fabricado, a notícia me surpreende pela possibilidade da China já dominar a industrialização do material.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Alguém saberia me dizer quais mercados a China conseguiu vender seus equipamentos de alta tecnologia? Vejo muita propaganda nas mídias, mas nenhum operador realmente relevante. Arrisco mais, por que Brasil não aposta nesta nova indústria de tecnologia chinesa? Seria um sacrilégio tão grande comprarmos alguns vetores como este para teste ou mesmo implementação no controle das nossas fronteiras? Será que o tio sam permitiria tão grande crime contra a Boeing ou Bell Helicópteros?

Terminator
Terminator
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

JF-17 por parte do Paquiestão

nonato
nonato
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Exatamente. Era o que estava pensando. O Brasil comprar uns 6 helicópteros desses e ficar testando. Se não dessem problema, comprava mais seis. Dou o maior valor a helicópteros de ataque. São ágeis, velozes, bem armados, tem muitos sensores… Se xxx for eleito presidente, acho que ele poderia comprar psra ser usado na segurança pública, especialmente no caso de assaltos a bancos em cidades do interior do nordeste. Ao primeiro aviso de explosões de agências bancárias levantariam vôo em velocidade máxima. Uns 300 km/h. E perseguiram os bandidos usando radares e sensores infravermelhos. Mesmo que não atirassem, poderiam manter os… Read more »

willhorv
willhorv
1 ano atrás

Acredito que seja 0,77 g por metro quadrado em uma espessura bem diminuta…
A adoção de várias camadas poderia compor a blindagem, mas também elevaria o seu peso.
Também vi que é transparente …. Acredito que as canoplas das aeronaves também receberão isto não!?
Outra coisa….como é condutor, logo teremos a estrutura externa das naves recebendo este composto, para além de promover blindagem extra, proporcionar camuflagem ótica de intensidade de luz, promovendo uma certa invisibilidade….já pensaram!?
Que coisa hein!!

Eduardo de Castro
Eduardo de Castro
Reply to  willhorv
1 ano atrás

O que mais me chama a atenção na matéria é que a indústria aeronáutica chinesa passou rapidinho pela fase de “soltar pecinhas”.

Engenharia reversa, espionagem industrial, investimento pesado…Pelo jeito está dando certo para eles: grafeno não é algo que você possa comprar na 25 de março.

Heyarth
Heyarth
Reply to  Eduardo de Castro
1 ano atrás

Claro que dá certo, deu certo pro Japão quando copiavam os carros ocidentais. Hoje ninguém discorda que os carros japones estão entre os melhores e mais avançados do mundo.

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

As películas de grafeno possuem pouquíssimas camadas de átomos. Daí a sua massa extremamente baixa quando referida à área. Por outro lado, devido à sua maleabilidade, requer que seja vinculada de alguma forma tal que, além de impedir a perfuração da película, o projétil não continue sua trajetória, “arrastando” a barreira de grafeno. Assim fabricar painéis balísticos realmente eficientes não é tarefa fácil não. Há formas de grafeno dispostos em tubos, cuja composição em vários elementos podem resultar em estruturas de base que formem a desejada blindagem. Mas acredito que na aplicação citada neste post, os chineses tenham conseguido desenvolver… Read more »

Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

O uso do Grafeno no helicóptero, por agora, tem mais efeito midiático que outra coisa.
Quanto ao Nióbio… bom… esses tem seus substitutos no mercado.
Em relação ao Grafeno, a União Europeia tem um programa de investimento de E$1 bilhão para pesquisas.
Enquanto isso, no Brasil, a Seita dos Adoradores do Nióbio Sagrado, acha que a intervenção do Governo seria uma solução. Investimento em pesquisa e desenvolvimento, nada.

João V. de Souza
João V. de Souza
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Comentário sem nexo, sem sentido e atrapalhado. A tal intervenção do governo a q vc sevrefere, nada mais seria do q o apoio no desenvolvimento dessa tecnologia, ainda incipiente mas de potencial aparentemente sem precedentes.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
Reply to  João V. de Souza
1 ano atrás

O problema é que o Estado brasileiro só apóia até que tenha algum problema orçamentário, desses que aparecem todos os anos em fevereiro, e forçam contingenciar o orçamento que, por sua vez, é sempre fictício. E se existe algum viés militar então, é o primeiro da fila a perder verba.

Esses projetos tem que ser mistos entre Estado e iniciativa privada. Enquanto o bem natural é de interesse estratégico, o Estado deve, sim, controlar, mas quando ele não tem dinheiro (nem competência) para desenvolver, deve chamar a iniciativa privada.

AntonioCV
AntonioCV
1 ano atrás

É impressionante como a China consegue ser pragmática em termos de pesquisa científica.Se não me falha a memória, alguns anos atrás investiram mais de 100 milhões de reais num centro de pesquisa de grafeno na Universidade Mackenzie em São Paulo. Na época eu achei essa cifra exorbitante comparada com o que se investe em outros laboratórios no Brasil. Trouxeram até um ganhador do Nobel pra dar umas palestras por lá … Até onde eu sei, todo aquele dinheiro não resultou em nada de útil até hoje.

Marcos10
Marcos10
Reply to  AntonioCV
1 ano atrás

Não adianta só fazer P&D, é necessário tornar um produto comercialmente viável.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
Reply to  AntonioCV
1 ano atrás

É bem provável que esse investimento tenha gerado informação importante para eles: por exemplo, o mapa destas reservas minerais brasileiras, a qualidade do produto daqui, as aplicações que os brasileiros vislumbraram, as abordagens cientificas que os brasileiros fizeram sobre o assunto.

Junte-se todos estes fatores à pesquisa própria, há informação suficiente para dar destinação econômica (e militar).

Penso que os chineses investiram isso tudo porque não queriam uma abordagem única sobre o assunto, queriam aproveitar a variação da pesquisa científica.

BMIKE
BMIKE
1 ano atrás

ÓTIMO! Brasil “entrega quase de graça” um produto que só ele possui em quantidade, no mundo, para a China desenvolver um material que o grama vale mais que o Ouro? Kkkk

Marcos10
Marcos10
Reply to  BMIKE
1 ano atrás

BMIKE
O Grafeno é feito a base de carbono, material disponível em abundância no Mundo.

BMIKE
BMIKE
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Estude um pouco.

Marcos10
Marcos10
Reply to  BMIKE
1 ano atrás

Então explique para nós!

Armando
Armando
Reply to  BMIKE
1 ano atrás

“Em março de 2012, um grupo de pesquisadores das universidades do Cairo e da Califórnia descobriu um método de produção de grafeno, extremamente eficiente e barato. Aplicando a radiação laser de um gravador de DVD LightScribe sob um filme de óxido de grafite produziu uma camada finíssima de grafeno, de alta qualidade e muito resistente, excelente para funcionar como capacitor ou semicondutor.[16]”
Não prestou nem para fazer o que recomenda???

Bispo
Bispo
1 ano atrás

Estou mais para o santo que só acredita vendo…São Tomé.

Até aonde eu sei…os Chineses ainda não conseguiram fabricar um motor de caça que não fosse copia e mal feita… tipo..relativamente fácil, desmontar e replicar peça por peça …porem… a liga metálica das mesmas…ou o software necessário…ai solta peLÇinha.

Felipe cabrera
Felipe cabrera
1 ano atrás

São trilhões de reais para o Brasil, se houver um governo honesto incorruptível que acredita na transformação da nação, e a nação, fazer o seu papel também

Raduga
Raduga
Reply to  Felipe cabrera
1 ano atrás

Um dos comentários mais ingênuos que já vi aqui.

Obs: Não é um ataque pessoal.

Terminator
Terminator
1 ano atrás

A história do grafeno começou com Andre Geim e Konstantin Novoselov, cientistas russos da Universidade de Manchester, no Reino Unido. Em 2004, eles estudavam as camadas de carbono que formam o grafite e descobriram que, usando uma fita adesiva, conseguiriam tirar uma lâmina da espessura de um átomo. Eis o grafeno, o material mais fino do planeta. Seis anos depois, eles ganharam o prêmio Nobel de Física. O grafeno é o melhor condutor de eletricidade já descoberto.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Terminator
1 ano atrás

https://www.youtube.com/watch?v=yXAnvuqeWVc

Como obter uma película de grafeno…é facil…
Como fazer uma placa blindada …..

Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

Modo irônico:
O Grafeno é feito a partir do Nióbio, coisa que só nós temos e que vale mais que Ouro, cujas empresas estrangeiras estão levando de graça. É necessário criar a NióbioBrais e a GrafenoBrais.

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

Mais um video a respeito do grafeno (este é mais técnico…rsrsrsrsr)
https://www.youtube.com/watch?v=s51l6KySFU8

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

Agora é “só” fabricar o helicóptero….

Marcos10
Marcos10
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

O helicóptero já temos, com ToT irrestrita francesa.
Ninguém segura esse país,

Bille
Bille
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Buenas.

Por helicóptero você diz aquele moedor de ferro lá? Que vira pirocoptero com painel legal e luzinhas?

AntonioCV
AntonioCV
1 ano atrás

Produzir grafeno é fácil. Ele esteve na ponta dos nossos dedos por séculos! Nós só não tínhamos nos dado conta da presença dele. Toda vez que alguém escreve com um lápis sobre uma folha de papel está produzindo grafeno.

Este link é de uma palestra que o descobridor do grafeno deu no Mackenzie alguns anos atrás. Ele recebeu o Nobel de Física pela descoberta.

“Caminhada ao acaso até o Grafeno – Sir Andre Geim ”
https://www.youtube.com/watch?v=wo5d_VSogfc

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Grafeno
O grafeno é uma das formas cristalinas do carbono , assim como o diamante, o grafite, os nanotubos de carbono e fulerenos. Esse material, pode ser considerado tão ou mais revolucionário que o plástico e o silício.

http://www.gibusiness.com/detail.asp?id=18

Matheus de Oliveira
Matheus de Oliveira
1 ano atrás

E eu só querendo os processadores de grafeno para rodar meus joguinhos hihihi. Esses ‘chinas”, vou duvidar não, pois até mesmo uma universidade no Brasil já produz grafeno em laboratório, agora imagina uma universidade na China onde por cerca de 30 anos mandaram estudantes fazerem graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado nos EUA, Canadá e Europa, para eles produzirem grafeno em nível industrial é um pulinho!

Jota
Jota
1 ano atrás

Interessante esse uso em blindagem: o grafeno é composto de camadas muito ,muito finas. Certamente devem estar numa estrutura tipo sanduiche , conjugado com outros materiais.
Detalhe: por ser carbono puro , é material combustivel !! Algumas camadas da blindagem entrariam em combustão!!?? Fiquei realmente curioso.

Flight
Flight
1 ano atrás

Como já dizia o Dr Eneas… kkkk

Precisamos investir em tecnologia para aproveitarmos o que temos, mas o básico já está dificil.

Jack
Jack
1 ano atrás

BILL27 12 de outubro de 2018 at 17:25
Já tem empresa chinesa explorando grafeno no Brasil …Grafeno eu não sei, mas o Nióbio SIM, interior de Goiás…