Home Aviação de Ataque França pode substituir peças dos EUA em míssil SCALP para o Egito

França pode substituir peças dos EUA em míssil SCALP para o Egito

5098
50
Míssil SCALP
Míssil SCALP

O Egito ainda pode receber mísseis de cruzeiro MBDA SCALP da França, se estiver disposto a aceitar um atraso, enquanto os componentes fabricados nos EUA são substituídos pelos franceses.

Respondendo a perguntas sobre exportações de armas na Assembleia Nacional do país, a ministra francesa da Defesa, Florence Parly, disse que a decisão dos Estados Unidos de usar o acordo ITAR (International Traffic in Arms Regulations) para bloquear a venda do míssil de cruzeiro de ataque terrestre lançado pelo ar para o Egito poderia ser contornado se as peças construídas na França fossem usadas, mas isso levaria tempo.

“Neste caso, não poderemos levantar a oposição dos EUA à venda de mísseis SCALP [para o Egito]. A única coisa que podemos fazer é que a MBDA faça algum investimento em pesquisa e desenvolvimento para poder fabricar componentes similares que não são cobertos pelo ITAR ”, disse Parly durante uma sessão de 4 de julho da assembleia, cuja transcrição foi recentemente publicada. “Podemos fazer isso para o SCALP/Rafale egípcio, já que o novo míssil pode ser construído com um atraso razoável, embora o cliente possa achar esse atraso um pouco longo demais”, acrescentou ela, sem quantificar a duração do atraso.

Como observou Parly em sua resposta, a questão do regulamento ITAR não está apenas afetando a venda do míssil SCALP para o Egito, mas também do Dassault Rafale que o transportará. O Cairo pretende adicionar mais 12 aos 24 aviões que já comprou de Paris, com essas plataformas adicionais sendo equipadas com o míssil SCALP. Segundo relatos, o governo egípcio não vai assinar pela nova aeronave a menos que os mísseis estejam incluídos.

Rafale com mísseis SCALP
Rafale com mísseis SCALP

FONTE: Jane’s

50
Deixe um comentário

avatar
18 Comment threads
32 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
29 Comment authors
Mk48Filipe PrestesSoldatMauricio R.Mateus Lobo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Quem sabe assim o ocidente apreenda a fazer aviões e armamentos livre de embargos, a ATR, Boeing e Airbus perderam bilhões de dólares com o bloqueio ao Irã. Com alguns milhões de dólares poderiam desenvolver e certificar junto a EASA uma versão livre de componentes americanos.

Augusto L
Visitante
Augusto L

É, pra financiar paises que depois irão usa-los contra o ocidente.
O que fará Washington gastar mais dinheiro pra manter a ordem liberal, contendo esses paises, da qual o Ocidente, que voce fala usufrui e não quer ver outra no lugar.

Antonio
Visitante
Antonio

É muito interessante. Os EUA doam (de ‘grátis’) as armas mais modernas para Israel e faz pressão para que os inimigos não tenham armas equivalentes. Ora, bolas! Essa época acabou. Acostume-se com os novos tempos. Dentro em breve, não só Egito, como Síria e principalmente o Irã terão armas em quantidade e qualidade suficientes para enfrentar os EUA. Israel eu nem considero, visto seu minúsculo potencial para qualquer grande enfrentamento.

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Não cansa de passar vergonha em público não?
“Israel eu nem considero, visto seu minúsculo potencial para qualquer grande enfrentamento.”

Esqueceu da guerra dos 6 dias? Vou refrescar sua memória:
Foi o conflito que envolveu Israel e os países árabes – Síria, Egito, Jordânia e Iraque apoiados pelo Kuwait, Arábia Saudita, Argélia e Sudão. E Israel ganhou de todos juntos.

2 minutos de buscas no Google fariam milagres pra vcs trolls

Antonio
Visitante
Antonio

Acorda! Quem vive de passado é museu. O Irã está enfrentando os EUA, ameaçando fechar o Estrito de Ormuz e vc vem me falar de um País minúsculo.
‘Se orienta’.!!!!
Israel é muito pequeno e tem de ficar restrito a isso.

AA+
Visitante
AA+

Eu sempre rio bastante com os comentários do Antonio. Todo comentário dele é feito pura e simplesmente em achismo e torcida, nada técnico, nada dentro da realidade. Ele acha mesmo que Israel, um dos países mais desenvolvidos, se não o mais desenvolvido naquela região e mais bem armado seria destruído assim facilmente, sem mais nem menos só por ser pequeno. Se fosse só querer, Israel nem existiria mais, de tanto discurso vazio dos líderes Islâmicos daquela região que dizem que vão “Aniquilar Israel” “Varrer Israel do mapa”. Sempre quando vejo seus comentários por aqui lembro de um meme da internet… Read more »

Antonio
Visitante
Antonio

AA+. Pois,então, pense na seguinte pergunta: Por que Israel está tão preocupado?

Em tempo. Hoje Bibi sugeriu que Israel pode participar de uma coalizão internacional se o Irã bloquear o Estreito.
Fala sério!

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Antônio, se Israel estivesse à beira da aniquilação (o que duvido que algum país árabe conseguiria fazer) os israelenses não se importariam em usar as armas nucleares que “não possuem”, como já demonstraram na guerra do Yion Kipur, para dizimar cidades inteiras dos inimigos. Então não, Israel não é um Estado indefeso.

Bruno Vinícius campestrini.vinicius@gmail.com
Visitante
Bruno Vinícius campestrini.vinicius@gmail.com

Yom Kipur*

Antonio
Visitante
Antonio

Bruno. Eles não seriam tão bobinhos a esse ponto.
Além do mais, ninguém está falando em aniquilação de ninguém. Apenas de uma nova realidade que temos no O.M.
E acho que isso já é bem visível, né?

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Frente a aniquilação total, qualquer pais com armamento nuclear iria usa-lo, eles já não teriam mais nada a perder. Então sim, no pior dos casos Israel pode transformar o oriente médio em um deserto radioativo, mas isso não vai acontecer porque ninguém lá naquelas bandas tem capacidade técnica ou tecnológica para pressionar tanto assim o estado Judeu

Julio Costa
Visitante
Julio Costa

Se o Irã fecha o estreito de Ormuz o mundo inteiro irá para cima deles igual a piranhas indo em busca de carne. Nesse estreito trafega 30% de todo o petróleo consumido pelo mundo, uma queda de oferta nesse nível acarretaria um tombo na economia mundial. Fechar esse estreito não interessa a ninguém, absolutamente ninguém. Nem a China ou Rússia iriam ajudar o Irã, pelo contrário, seria mais provável que esses países o atacassem.

André
Visitante
André

Nem a URSS foi capaz disso, quanto mais o Irã. Será que ele acredita mesmo no que escreve?

Jacinto Fernander
Visitante
Jacinto Fernander

Quem chora se fecharem o Estreito de Ormuz é a China. Hoje, o maior importador de petróleo do Golfo Pérsico é a China.

Matheus
Visitante
Matheus

Rapaziada, não dêem corda pro Antônio Xings. Ele vive numa realidade paralela. É um troll dos blogs de defesa na internet.

Antonio
Visitante
Antonio

E eu que sou troll. O sujeito afirma que a URSS não foi capaz de destruir Israel. Será por quê? Medo da reação das Forças Armadas Israelenses? Ou será medo de algum míssil balístico israelense cair em Moscou? Quem sabe, um bloqueio naval da possante força de submarinos deles? Fala sério. Pessoal tem de ter noção da realidade. Israel tem 8 mi de habitantes (6 mi de judeus) e é do tamanho de Sergipe.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Já teve um pais menor que o Sergipe que dominou o mundo por seculos, e outro pouco maior que dominou grande parte do pacifico. nem sempre Roma abrangeu a africa, oriente médio e Europa. eles começaram como uma simples cidade e seguiram derrotando impérios maiores que eles até chegar ao seu ápice, tamanho não é documento, muito menos quantidade. achei que tinha aprendido isso.

Bosco
Visitante
Bosco

Antônio,
Cê num tá delirando não?? Indica pra gente uma fonte onde Israel se diz disponível a ajudar caso o Irã feche o Estreito de Hormuz!!!

Antonio
Visitante
Antonio

Não existe civilização que sobreviva brigando constantemente com seus vizinhos. Achei que tinha aprendido isso. E nem estou levando em conta a brutal desproporção relativa do Império Romano e mesmo do Japonês mais moderno com o que seria Israel hoje. Sem comparações.

AVISO DOS EDITORES: ESSA DISCUSSÃO SAIU TOTALMENTE DO TÓPICO, QUE NÃO TEM NADA A VER COM ISRAEL, IMPÉRIO ROMANO E AS BRIGAS IDEOLÓGICAS QUE VÁRIOS COMENTARISTAS INSISTEM EM FOMENTAR.

PRÓXIMOS COMENTÁRIOS FORA DO TÓPICO SERÃO APAGADOS.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

AVISO 2: POR REITERADAMENTE DESRESPEITAR AS REGRAS DO BLOG, MESMO APÓS DIVERSOS AVISOS, O COMENTARISTA ANTONIO FOI SUSPENSO.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

“É, pra financiar paises que depois irão usa-los contra o ocidente.”???
.
Não Augusto, é para vender seus produtos e ganhar clientes, atividade fim de um fabricante.

ODST
Visitante
ODST

Augusto L

Ninguém mais cai nessa de ser arriscado vender armamentos para um determinado paíse que pode usa-las contra nós depois. O próprio EUA jogou essa conversa na lata do lixo depois dos eventos de Irã-Contras.

Entenda de uma vez por todas que tudo é interesse, tudo são negócios, tudo é dinheiro, e nada mais.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Walfrido e ODST, não e não, venda não esta separada da política, e todos sabem que o OM se rege por meio de percepção de poder.
A França só vende essas armas pq na percepção dela Washington garante o equilíbrio favorável ao ocidente lá, mas quando não é o caso, os franceses embargam sim, vide os Mistral para Russia e outras parceirias de transferência de tecnologia foram embargadas.

ECosta
Visitante
ECosta

Isso deve facilitar o Brasil comprar quem sabe o Scalp Naval para submarinos.

Antonio
Visitante
Antonio

Prevejo chiliques de Israel.

Humberto
Visitante
Humberto

Querendo ou não, Israel e Egito estão em paz, não são ótimos vizinhos, eles se toleram, não é como Israel com a Turquia (de uns 10 anos atras), mas ambos tem um adversário em comum, que é o Irã.
Egito já tem problemas demais para cutucar Israel.

Antonio
Visitante
Antonio

Só discordo dessa ‘inimizade’ com o Irã. O Egito não se incomoda muito e a Turquia tem tido muito boas relações com ele. Inclusive, a Rússia convidou os dois para as próximas conversas sobre o futuro da Síria e a politica no Oriente Médio. Não aposte nessa inimizade.

Humberto
Visitante
Humberto

Desculpa Antonio, ficou esquisito mesmo. Tentar separar. Turquia já foi um pais amigo de Israel, coisa rara na região para Israel, nos últimos anos a coisa meio que desandou, mas muito longe de inimigos, inclusive fizeram muitos exercícios militares. Não sei como estão hoje. Arabia Saudita, o tom belicista entre ambos já baixou muito, inclusive o Príncipe Herdeiro publicamente já é simpático a existência de Israel. Devem (na minha opinião, ESTÃO) estar trocando figurinha por debaixo dos panos. Quanto ao Egito, ele está recebendo ajuda da Arabia Saudita para se reequipar, boa parte dos egípcios são Sunitas e existe um… Read more »

Eduardo Lima
Visitante
Eduardo Lima

É isso que dá em não investir em tecnologia própria. Já foi o tempo que a Europa era indenpente dos EUA. Faziam de tudo, agora pagam um preço caro.

Benjamim Mendes Junior Benjamim
Visitante
Benjamim Mendes Junior Benjamim

O que eu posso dizer… Parece que os Estados Unidos entendeu que o correto é: o inimigo do meu inimigo só é meu amigo quando lhe convêm.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Esse comentário sobre Israel minúsculo só pode ser piada para agitar as discussões kkkkkkkkkk.

Antonio
Visitante
Antonio

Não. Piada é Israel achar que pode interferir no Estreito de Ormuz. Vc tem superpotências envolvidas na situação. Rússia, EUA, China, Inglaterra, França, Alemanha e aí vem ……. Israel para ‘ajudar’. Isso é que é piada.

Ricardo
Visitante
Ricardo

Acorda gente, para com essa conversa besta de ideologia, isso é comércio, daqui a pouco a LM vende alguns Vipers para o Egito com tudo o que tem direito.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Vipers até vende já alguns JSOWs ou JASSM …..
Duvido que Washington libere.

Humberto
Visitante
Humberto

Complementando o Augusto,
O Egito é um dos maiores operadores de F-16, depois daquele rebu da Irmandade Muçulmana no Egito, os gringos colocaram a barba no molho. Israel tem pressionado intensamente para evitar que o Egito tenha equipamentos de ponta, pois se hoje estão em paz, caso um movimento parecido como a Irmandade tome o poder, a vida de Israel ficará bem mais difícil.
Para quem não sabe, o Egito é o maior operador externo do Abrams americano.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Agora pra um pais que tem um vizinho com S-300 e SU-30, como o Brasil, um lotezinho desses misseis de cruzeiro seria ideal.

ECosta
Visitante
ECosta

Mais legal ainda seria o Brasil com uma versão aérea e submarina do AVMT-300.

kornet
Visitante
kornet

Usar arma nuclear e mudar o mundo,pois quem não tem vai querer ter a qualquer custo e que se dane quem quer ser o dono do mundo.
E os árabes só provam que não têm amor próprio, gastam bilhões em armas dos EUA, deveriam mudar de fornecedor.
Parece aquela eu apanho,mais eu gostio.

Bosco
Visitante
Bosco

Mas a atual situação do Egito atual não é por conta da Primavera Árabe que se dá por conta do desbugalhador cerebral da CIA?
No atual governo do Egito deve estar um pró ocidental que foi colocado lá pela CIA, então essa informação que os americanos estão negando ceder mísseis ao Egito não procede já que lá houve a atividade do desbugalhador e portanto não há possibilidade de discordância com a política americana que domina tudo.
Isso é fake!

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Aproveito para lembrar, falando em mísseis, que o desenvolvimento do Mansup brasileiro seguiu uma lógica de “ITAR free” em seus componentes. Mais detalhes na matéria abaixo, do final do ano passado:

https://www.naval.com.br/blog/2017/12/12/mansup-no-estande-da-siatt-em-evento-da-mb-de-outubro/

PS – o comentário é para agregar informações à discussão, pro debate não ficar nessa ladainha sobre Israel, que nem é tema da matéria mas impressiona como querem discutir isso ideologicamente em qualquer post.

PS2 – Sei que Scalp e Mansup são mísseis diferentes, de procedências diferentes, para empregos diferentes. O que quis ressaltar é a questão do ITAR mesmo.

Leo Barreiro
Visitante
Leo Barreiro

Nunão e Bosco

Por favor, se hoje “temos” o AV-TM 300, vulgo Matador, ele poderia ser adaptado para essa função SCALP em nossos Gripens?

Outra dúvida, se por ventura fizéssemos a nossa SCALP para os demais países utilizarem a aeronave precisaria ser certificada para o uso? Quem faria isso nós os desenvolvedores da arma ou o desenvolvedor do avião? (nesse último o por conta da venda da arma a algum pais).

Como funciona essa questão de homologação de armas?

O Gripen pode utilizar o SCALP?

Bosco
Visitante
Bosco

Leo, Em tese se uma arma é lançado da superfície ela é apta a ser lançada de avião (o que não é regra em se tratando do contrário, haja vista as bombas). Para o Matador ser lançado de avião de cara ele não precisaria de booster, o que já o deixaria mais leve e compacto. Ao meu ver seria só questão de software e integração à aeronave. Quanto à integração teria que ser um esforço combinado, do fabricante do míssil, do avião e do interessado. A integração passa logicamente entre outras coisas na validação dos sistemas do míssil em suportar… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

Caro Leo nao sou o Nunao ou Bosco, mas entendo alguma coisa disso: 1- Por enquanto nao temos nem a versao solo-solo pronta, mas poderia sim ser adaptado para lancamento aereo, nao vejo problemas nisso, como o Gripen pode levar 4 RBS-15, nao deve ter problemas para carregar pelo menos 2 AVTM 300. 2- Quem faz a integracao do armamento a aeronave eh o fabricante da aeronave ou quem detem o seu projeto, pois eh necessario conhecer as caracteristicas estruturais e aerodinamicas do projeto (aeroelasticidade tambem). Nada impede que se faca “por conta” mas o risco eh grande. 3- O… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

A SAAB foi parceira no Taurus KEPD, só não sei se a própria Suecia adquiriu.

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Olá, Augusto L.

Alinhado a sua observação, e a não ser que seja apenas “demonstração”, vendo o Gripen E com o Taurus KEPD é possível que ele realmente já faça parte do inventário da Flygvapnet (Disponível em: ).

Abç.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

A grande incógnita sobre o matador é seu peso, com algumas fontes falando 1140kg, outras 1400kg, mas até agora nenhuma delas mostrou alguma a base para essas afirmações. Particularmente, devido ao alcance de 300km e dimensões muito próximas de um Exocet, visualmente parece um Exocet um pouco mais encorpado, e a carga bélica de 200kg, eu não acho que ele terá um peso muito maior que o RBS 15 não, devendo ter entre 800kg e 1000kg (puro achismo). Se for isso mesmo, não vejo dificuldade no Gripen levar 4 sob as asas.

Léo Barreiro
Visitante
Léo Barreiro

Pessoal

Agradeço a todos pela aula!

Valeu!

Muito obrigado!

Mauricio R.
Visitante
Soldat
Visitante
Soldat

Ótimo para os Franceses

Estão de parabéns

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

E o Matador? Será que é ITAR free tb?

Mk48
Visitante
Mk48

Ja que a França vai fabricar e substituir os componentes americanos, o Egito deveria pedir uma re-certificação do míssil.