Home Aviação de Ataque F-16 dos Thunderbirds da USAF passa pelo SLEP

F-16 dos Thunderbirds da USAF passa pelo SLEP

3651
7
Um jato F-16 Thunderbird da USAF é rebocado para a linha de voo em 26 de abril de 2018, na Hill Air Force Base, Utah. A aeronave foi a primeira a receber modificações estruturais do Programa de Extensão de Vida Útil do F-16, que manterá o jato voando por décadas. (Foto da Força Aérea dos EUA por R. Nial Bradshaw)

Nova vida para os F-16s é um ‘grande negócio’ para o Departamento de Defesa e contribuintes

HILL AFB, Utah – O Complexo de Logística Aérea de Ogden alcançou um marco importante na extensão da vida de uma das frotas de caças multifuncionais mais testadas e voadas da Força Aérea do EUA (USAF).

Um jato Thunderbird da USAF é o primeiro dos cerca de 300 jatos F-16 C e D recondicionados que sairão do chão de fábrica do 573º Esquadrão de Manutenção de Aeronaves, depois de receber várias modificações de fortalecimento da estrutura.

“Como ex-oficial de manutenção dos Thunderbirds, posso compreender totalmente o significado dessa conquista pelo 573º AMXS”, disse Brig. Gen. Stacey Hawkins, comandante do complexo Ogden Air Logistics. “Não apenas a equipe aumentou a disponibilidade de aeronaves para o esquadrão de caças mais visível da Força Aérea, mas também abriu o caminho para aumentar a letalidade de combate para nossos combatentes em todo o mundo”.

O Programa de Extensão da Vida Útil (Service-Life Extension Programme) do F-16 manterá os jatos voando até quase 2050, graças a uma parceria entre o Complexo de Logística Aérea de Ogden e o F-16 Systems Program Office (SPO) do Centro de Gerenciamento de Ciclo de Vida da USAF.

O programa combina uma dúzia de modificações estruturais em um pacote repetível – de anteparos a asas e canopy. Os jatos, que entraram em operação em 1979 e foram inicialmente considerados com capacidade para até 8.000 horas de voo, terão sua vida estendida por até 12.000 horas de voo – possivelmente mais, disse o capitão Randy Nemerson, gerente de aquisição do F-16 SLEP.

Todas as modificações do SLEP nos Estados Unidos serão completadas em Hill. Anos de planejamento e testes entraram no programa aqui. Os engenheiros de parque e contrato da AFLCMC trabalharam juntos para lançar as bases, disse Nemerson.

O jato Thunderbird foi o primeiro de quatro F-16 que serão usados ​​como aeronaves de “validação e verificação”. Os mantenedores usam os desafios e as lições aprendidas nessas primeiras aeronaves para melhor estabelecer o custo, o fluxo de trabalho e o cronograma das modificações.

“O jato Thunderbird apresentou alguns desafios. Este é o maior upgrade estrutural que já fizemos ”, disse Joe Gardenhour, líder civil no 573º AMXS. “Mas estamos animados. Este programa vai além das modificações usuais em um pacote padrão de reparos, e vai trazer uma carga de trabalho estável para o parque nos próximos anos. ”

Como em quase todos os principais programas de manutenção, o SLEP é um esforço de grupo no complexo. O grupo de suporte de manutenção está procurando espaço para aumentar a carga de trabalho. Toda a equipe está trabalhando na contratação, treinamento e certificação de uma nova safra de mecânicos e técnicos para assumir o SLEP.

No grupo de manutenção de commodities, onde as asas dos F-16 serão reformadas, máquinas avançadas e automatizadas precisam ser adquiridas e instaladas junto com máquinas e gabinetes antigos e recondicionados.

Reparar as asas internamente é uma grande tarefa, dobrando a carga de trabalho atual do esquadrão, mas os engenheiros dizem que economizará milhões de dólares. Cronogramas entre as oficinas de retaguarda e a manutenção de aeronaves também precisam ser coordenados de forma que as peças e as ferramentas estejam prontas nos momentos apropriados para a desmontagem e remontagem.

“Esta é realmente uma grande iniciativa em todo o complexo, mas em commodities nós apoiamos todos – F-35, F-22, C-130, A-10s, então há sempre algo novo e estamos bastante acostumados a assumir desafios”, disse Shane Olsen, líder do 533º Esquadrão Commodities Maintenance Squadron.

Uma vez que os processos finais e a força de trabalho estão prontos, o objetivo é completar cada SLEP em 9 meses a um custo de US$ 2,4 milhões, uma pequena fração do custo de comprar uma nova aeronave. O F-16 SPO também está trabalhando em um software separado e atualização de tecnologia para o F-16.

FONTE: Air Combat Command da USAF

SAIBA MAIS:

7
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
LucianoTallguieseFernandesNilo Antonio Rodartesmichtt Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Várias aeronaves do inventário das FAAs precisam urgentemente de um programa desses. Nesse começo de ano eles perderam mais de 10 aeronaves em acidentes fora de zonas de guerra. Acho que mês passado foram 3 aeronaves num período de 24 horas.

smichtt
Visitante
smichtt

Alguém, por favor, poderia dizer o que o termo “commoditie” quer dizer no contexto?
Obrigado de antemão.

Fernandes
Visitante
Fernandes

Entendo que “commodities” deve ser entendido como partes de uso comum na aeronaves, tais como carenagens, fuselagens e trens de pouso, por exemplo.

smichtt
Visitante
smichtt

Obrigado!

Nilo Antonio Rodarte
Visitante
Nilo Antonio Rodarte

Vão voar até 2050? Vejam só. Então não é nada de mais nossos F-5 voando desde a década de 70! É claro que os EUA não têm só os F-5, mas também pra eles é outro contexto. O fato é que dinheiro não é infinito, nem pra eles, e com os preços que equipamentos militares custam hoje, é mesmo natural usar até o osso e depois um pouco além disso. Parece ser uma opção inteligente em usar um avião que deve cumprir a maioria das missões que eles precisam por uma fração do custo e sobrar mais dinheiro para manter… Read more »

Tallguiese
Visitante
Tallguiese

Não fazem mais aviões como antigamente! F-5, F-15, F-16, B-52, KC-135. Feitos para durar!

Luciano
Visitante
Luciano

A obsolescência programada também atinge o setor de defesa, mais especificamente o de aeronaves?