Home Aviação Comercial Embraer confirma entrega do primeiro E190-E2 em abril de 2018

Embraer confirma entrega do primeiro E190-E2 em abril de 2018

2750
18

Atenas, Grécia, 18 de outubro de 2017 – A Embraer confirmou hoje que a primeira entrega do E190-E2 para Widerøe, cliente-lançador da aeronave, ocorrerá em abril de 2018. O anúncio foi feito em uma coletiva de imprensa em Atenas, Grécia, durante a Assembleia Geral da Associação de Companhias Aéreas Regionais Europeias (ERA, em inglês, www.eraa.org). A Widerøe, maior companhia aérea regional da Escandinávia, iniciará operações regulares com a aeronave pouco tempo após a entrega.

“Desde que o programa foi lançado, o primeiro semestre de 2018 tem sido nossa meta, e agora estamos próximos de cumprir esse compromisso. Isso só foi possível graças à excelência dos processos de engenharia e também à nossa experiência única na certificação de 12 novas aeronaves nos últimos 17 anos”, disse John Slattery, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “Desde o começo, o programa E2 esteve e permanece no prazo, dentro do orçamento e está ainda melhor do que a especificação inicial. Entregaremos ao mercado uma aeronave madura e robusta.”

A Widerøe assinou um contrato com a Embraer para até 15 jatos E2 que consiste em três pedidos firmes para o E190-E2, primeiro integrante da segunda geração da família de E-Jets, além de direitos de compra 12 E2s. O pedido tem um preço de lista potencial de até USD 873 milhões, se todos os direitos de compra forem exercidos. A companhia aérea vai configurar o E190-E2 em um confortável layout de classe-única com 114 assentos.

Stein Nilsen, CEO da Widerøe, afirma que “estamos trabalhando muito próximos às equipes da Embraer com o objetivo de garantir uma entrada de serviço suave. Estamos ansiosos pelos próximos meses, quando será intensificada a familiarização com a aeronave, com imersão de treinamento para as equipes técnicas e de movimentação de solo, operadores em voo e comissários de voo.”

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais com até 150 assentos. A companhia conta com 100 clientes em todo o mundo operando os jatos das famílias ERJ e E-Jets. Apenas para o programa de E-Jets, a Embraer registrou mais de 1.800 pedidos firmes e quase 1.400 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais por meio da operação em uma vasta gama de aplicações de negócios.

Sobre Widerøe

A Widerøe é a maior companhia aérea regional da Escandinávia, com três mil funcionários e um faturamento de NOK 4.4 bilhões de coroas norueguesas (NOK). A companhia transporta cerca de três milhões de passageiros por ano e voa para 46 destinos nacionais e internacionais.

A Widerøe opera mais de 450 voos diários e atende mais que o dobro de aeroportos na Noruega do que qualquer outra companhia aérea. Atualmente, nossa rede consiste em 60% de rotas comerciais e 40% rotas de Obrigações de Serviços Públicos (PSO, em inglês).

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
LucianoSR71
LucianoSR71
3 anos atrás

Sem falso patriotismo, mas creio que a Embraer é a única dos grandes fabricantes aeronáuticos que tem conseguido manter ( algumas vezes até super as metas ) prazos e custos do seus projetos. O KC-390 teve seu cronograma alterado p/ se adequar a redução do fluxo de recursos pelo governo, não foi por sua culpa.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Off topic: Vejam onde este maluco tocou o chão, bem antes da pista de pouso neste museu para fazer o ultimo voo deste C-160.
Tocou antes da estrada que passa cruzando a cabeçeira da pista de pouso, quase quebrou o avião.
. https://m.youtube.com/watch?v=1qO6z6bTa-E

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Aqui mostra por outro ângulo, quase acertou os fotógrafos e curiosos.
. https://m.youtube.com/watch?v=gOagzlvQdDw

Antonio de Sampaio
Antonio de Sampaio
3 anos atrás

Vai ter que partir para a construção de grandes jatos ou corre o risco de fechar.
Para a Airbus, essa compra de parte de Bombardier não faz muito sentido, é um mercado marginal, e até com produtos duplicados, me parece mais um tentativa de anular um concorrente, mas de qualquer maneira, agora os aviões médios da Bombardier tem a costa quente da União Europeia.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
3 anos atrás

Antonio de Sampaio 18 de outubro de 2017 at 14:48

Discordo! Partir para o mercado dos grandes jatos seria o fim da EMBRAER pois terá de competir diretamente com Boeing e Airbus. Embora tenha movimentado o mercado a aquisição de mais da metade do programa C-Series me parece estar mais rodeada de dúvidas do que de certezas pois pode ocorrer aqui o mesmo que se deu com o MD-95/Boeing 717

André Bueno
André Bueno
3 anos atrás

Tudo vai depender das vendas. Se não vender o que pretendem, matam o programa.

Caerthal
Caerthal
3 anos atrás

Antonio de Sampaio, O cenário de hiper competição acentuou os riscos de falência e levou a maiores subsídios governamentais (mais fácil no caso dos países ricos). Em resumo, na última década as margens estiveram muito apertadas. Em algum momento ocorre uma ruptura. A BBD piscou, deu 50% do projeto de 5,4 Bi para a Airbus e ainda cantou vitória! O projeto da Mitsubishi está cercado de atrasos e duvidas quanto ao mercado, a SSJ da Suhhoi não decolou (ainda foi atrapalhado pelo Putin em conflito com o Ocidente), o projeto chines ARJ-21 é tecnicamente muito fraco. A minha aposta é… Read more »

Angelo
3 anos atrás

OFF TOPIC: PT-ZNJ e o C99 decolaram a pouco de gavião peixoto , devem estar testando datalink
, se for é uma ótima notícia.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
3 anos atrás

C-99 não possui data link.

Angelo
3 anos atrás

É pela foto não tem o radar , mas ai já não sei.

Angelo
3 anos atrás

Mas continuam brincando !

Angelo
3 anos atrás

É confundi com o R99.

Antonio de Sampaio
Antonio de Sampaio
3 anos atrás

Angelo 18 de outubro de 2017 at 16:32 Estão voando ainda, mas o C-99 é um avião de transporte, não é o modelo que usa o radar. Este avião talvez tenha passado por uma revisão na Embraer e esteja em voos de testes. _________________________________________________ Caerthal 18 de outubro de 2017 at 16:07 Confesso que não entendi bem sua opinião sobre a Embraer trabalhar auxiliando a Boeing nestes projetos. Eu sempre afirmei aqui que a existência da Bombardier era benéfica para a Embraer, e o contrário também é verdadeiro, isso desencorajava a entrada de outros concorrentes no mercado, por uma questão… Read more »

Angelo
3 anos atrás

O prova 48?

Caerthal
Caerthal
3 anos atrás

Antonio, Ainda que uma associação com a Boeing pareça um movimento defensivo na verdade daria a Embraer chances atualmente fora de alcance. Discordo quando voce fala em sobrevivencia da Embraer. Muitas vezes é melhor ser unha de dragão que cabeça de minhoca (os argentinos discordam).

Space Jockey
Space Jockey
3 anos atrás

O CSeries após a compra de mais de mais da metade pela Airbus vai causar ainda mais desconfiança no mercado, além da que ja tinha. A EMBRAER não precisa da Boeing pra vender jatos regionais.

JT8D
JT8D
3 anos atrás

A Embraer já sinalizou através de declarações de seus executivos que pretende retornar ao mercado de aviões turbo-hélices. É uma área onde ela pode ser muito competitiva e faz muito mais sentido do que cometer o mesmo erro da Bombardier e ser esmagada pelas gigantes. O caso da Bombardier foi emblemático: ela sofreu bullying da Boeing e foi abocanhada pela Airbus

edimur
edimur
3 anos atrás

Na minha opinião o embraer é melhor avião para voar !!!