Home Aviação de Caça IAF manifesta preocupações com o Programa do Caça de Quinta Geração (FGFA)

IAF manifesta preocupações com o Programa do Caça de Quinta Geração (FGFA)

10015
80
Concepção do FGFA, baseado no PAK FA/T-50, recentemente designado como Su-57 na Rússia

O governo Narendra Modi agora tem um problema nas mãos. O Programa Indo-Russo de Caça de Quinta Geração (FGFA) foi planejado há uma década e vários bilhões de dólares foram gastos pelos dois países no seu projeto e desenvolvimento.

No que diz respeito à Força Aérea da Índia, o FGFA faz parte do seu futuro. Mas com a IAF passando ao governo suas dúvidas sobre o projeto por escrito, o governo Modi terá um problema nas mãos. Aceitará a opinião da IAF e encerrará o programa em que investiu fortemente por anos? Isso se torna complicado, pois os russos ainda são o aliado militar mais próximo da Índia e a decisão de não avançar pode enfraquecer os laços. Também haverá, com certeza, pressão dos russos. Continuar com o programa também faria a Força Aérea infeliz.

Juntamente com um relatório do Air Marshal S Varthaman (reserva), a Força Aérea enviou uma nota ao Ministério da Defesa. A nota é redigida pelo Chefe Adjunto da Força Aérea (Planos) Air Vice Marshal BV Krishna. Mas enquanto o relatório de Varthaman parece apoiar o projeto, os documentos de Krishna levantam dúvidas. Naturalmente, o governo terá que levar em conta o que a Força Aérea quer e neste ponto, a IAF não parece muito interessada.

Arun Jaitley, o então ministro da Defesa, já assistiu a uma apresentação sobre o assunto. Em uma coletiva de imprensa recente, o Air Chief Marshal BS Dhanoa se recusou a falar sobre o assunto, dizendo que era reservado. Mas vários pontos sobre a insatisfação da Força Aérea com o avião emergiram:

PAK FA Su-57

1. A área de superfície da seção transversal do radar, de acordo com os russos, será menor que 0,5 metro quadrado. A IAF não tem certeza de que será assim. Em qualquer caso, há uma crença de que deve ser de 0,2 metro quadrado, comparável com o F-35, o avião de combate americano. Quanto maior a seção transversal, mais visível o avião é para os radares, tornando mais fácil localizá-lo e acertá-lo com mísseis. Uma seção transversal maior torna-o mais vulnerável.

2. A IAF parece ter dúvidas sobre o desempenho do motor. Um propulsor é mais fácil de se manter se seguir o “conceito modular”. Parece que não há certeza se será assim.

3. Existe também a questão da manutenção. Os aviões russos geralmente são mais baratos, mas eles custam mais quando se trata de manutenção. O FGFA, no entanto, tem sido um avião caro para se desenvolver e ainda está longe de estar pronto. Inicialmente, falou-se que o avião estaria pronto até 2017 e depois, 2019. Isso parece improvável agora.

A nota veio na sequência do relatório de Varthaman, que deu ao caça de quinta geração o sinal verde. A Força Aérea, a DRDO, a ADA e a HAL fizeram parte do estudo.

Agora, fontes de alto nível disseram que uma decisão política deve ser tomada.

A Índia e a Rússia eram aliados estratégicos-militares e este programa era parte do futuro em relação aos dois países. A Rússia forneceu à Índia um submarino com propulsão nuclear, um ponto que seus oficiais costumam lembrar. Mas com a Força Aérea não muito feliz com o FGFA, cabe ao governo decidir se o acordo continua ou não.

A decisão também deve ser tomada no mais alto nível. Há algumas preocupações sobre o que acontecerá se o negócio acabar. Será que os russos jogariam duro no acordo do sistema de defesa aérea S-400? Este sistema é algo que a Índia quer.

FONTE: idrw.org

80
Deixe um comentário

avatar
80 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
40 Comment authors
Rodrigo Martins FerreiraRodrigo Martins FerreiraJoséRicardo Da SilvaRobson Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Emmanuel
Visitante
Emmanuel

Indianos entrando na maior barca furada de todos os tempos.

carcara_br
Visitante
carcara_br

O projeto do T-50 (Su-57) está bem atrasado mesmo, com o J-20 já voando na china e a oferta do J-31 países como o Paquistão podem sonhar com seu stealth, a pressão deve ser enorme.
O f-35 seria uma possibilidade para os indianos?
Agora não resta dúvida que os russos utilizam outro parâmetro para definir o RCS, ou se trata do valor médio, ou estão pegando o valor por outras frequências…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Caso seja verídica a presente matéria não apenas os indianos como também os russos estão com um ENORME PROBLEMA nas mãos, que pode ser a INCAPACIDADE da indústria aeronáutica russa em projetar e construir uma aeronave furtiva. Muito se fala que o Su-57/FGFA teria capacidade únicas tais como o alardeado radar AESA na banda X instalado no bordo de ataque das asas e também o famigerado TVC a combinar desempenho em todos os eixos com discrição na assinatura IR. Entretanto, estamos vendo o cronograma do aparelho atrasar, atrasar, atrasar…..e nada dos exemplares operacionais serem entregues à VKS e à BVS.… Read more »

Emmanuel
Visitante
Emmanuel

Não sei Carcara.
Apenas vejo que a cada dia que passa o Su-57 “sobe mais” no telhado.
Mesmo o F-35 com todos os seus problemas vai dando seus passos na questão de compra pelos parceiros e solução dos seus problemas.
Esses caças chineses começaram a ser projetados depois do projeto russo e já estão aí dando o que falar.
Logo estarão voando nas forças aéreas no lugar desse Sukhoi.
É a Rússia sendo Rússia.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Se esse biposto indiano sair será o primeiro caça furtivo com dois assentos. Segundo os americanos isso vai contra o princípio da furtividade.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Guilherme Poggio 18 de outubro de 2017 at 16:12

Está complicado não apenas para esse FGFA mas também para o próprio Su-57 ver a luz do dia Poggio! Basta ver que 8 anos depois do primeiro vôo tudo o que temos é menos de 12 protótipos voando sem radar e motores definitivos sem falar nas imensas dúvidas que pairam não apenas sobre as alardeadas tecnologias como o radar na banda X como também sobre o próprio RCS da aeronave.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

HMS TIRELESS
.
De certa forma isso não me surpreende. Um projeto caro, com propostas de tecnologias de ponta e parceiros sem muito dinheiro como o Tio Sam. Os russos/soviéticos sempre colocaram em operação aeronaves ainda incompletas e foram adaptando/desenvolvendo ao longo do tempo. Mas neste caso ainda não tempos um único esquadrão.

Renan
Visitante
Renan

No meu ver, fora o desgaste politoco e econômico, os Russos usam seus parceiros para testar tecnologia, assim o custo do seu desenvolvimento tecnológico reduz.
Quero dizer pega a India e seu dinheiro gasta em testes e os resultados influenciam em seus próprios projetos.
A os Indianos ficam com oque?
Cara de bobo…
Abraços.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

POGGIO

É bem por aí mesmo! O projeto sempre foi bem pretensioso, especialmente para as possibilidade russas, visto que desejava combinar capacidades encontradas no F-22 e no F-35. E para piorar ainda havia a possibilidade de uma versão naval a equipar novos super-portaviões russos.

Léo Neves
Visitante
Léo Neves

O Su-57 já voa com radares definitivos , só falta o motor , que segundo alguns vai voar no Su-57 ate final do ano.

Felipe
Visitante
Felipe

”’A área de superfície da seção transversal do radar, de acordo com os russos, será menor que 0,5 metro quadrado. A IAF não tem certeza de que será assim. Em qualquer caso, há uma crença de que deve ser de 0,2 metro quadrado, comparável com o F-35, ”
Não entendi,vai ser menor que o valor dos Russos de 0,5 e mesmo assim eles reclama. ??

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Felipe 18 de outubro de 2017 at 16:35

A questão é se vai cumprir o prometido. Ser menor que 0,5 metro quadrado pode ser 0,499 metro quadrado, o que é desvantajoso se comparado aos 0,2 metro quadrado do F-35

João Borges Queiroz Júnior
Visitante
João Borges Queiroz Júnior

HMS TIRELESS, o SU-57 é uma caça bem maior que o F-35. Creio que nem os russos teriam a pretensão de tornar o RCS de sua aeronave equiparável ao do F-35, seria um desafio tecnológico imenso.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

João Borges Queiroz Júnior 18 de outubro de 2017 at 16:51

O RCS do F-22 é consideravelmente menor que o do F-35, apesar de ser 3 metros mais longo.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Léo Neves 18 de outubro de 2017 at 16:35

Apesar de todo aquele ufanismo da Sputnik o motor definitivo apenas estará pronto para uso em 2025:

“The new engine is expected to make its first flight installed onboard the PAK-FA in the fourth quarter of 2017 and should be ready for use in 2025.”

http://nationalinterest.org/blog/the-buzz/why-russias-new-su-57-stealth-fighter-might-be-giant-waste-21736

João Borges Queiroz Júnior
Visitante
João Borges Queiroz Júnior

HMS TIRELESS Performance e preço sempre estiveram em lados opostos da balança, e o F-22 é um caso extremo onde buscou-se perfornance/tecnologia até as últimas consequências. E o resultado é nós já sabemos…
Se nem os americanos conseguiram produzir muitos F-22, quanto mais a Rússia conseguiria produzir um caça de preço equivalente?
Fazer com que o Su-57 tenha um RCS equivalente ao do F-35, tendo um airframe muito maior, e custando o mesmo, é um desafio tecnológico considerável.

Johan
Visitante
Johan

Nada muito de se espantar. Quanto ao J-31, embora informaram que entrou em operação, não há nada que possa garantir que esteja full (vide o caso do J-10 que mesmo depois de entrar em “operação” continuou tendo relatos de problemas no desenvolvimento). Se o F 35 enfrenta problemas com bilhões e bilhões injetados no projeto, imagina em um país com orçamento muito mais limitado que o Norte americano.

Walfrido Strobel
Visitante

Cada país tem sua forma de iniciar as operações:
China com poucos aviões J-20 ja declarou que iniciou a operação de um Esquadrão, sabe lá como.
Russia tem vários protótipos do Su-57 atualizando muito devagar.
EUA depois de quase 200 aviões F-35 produzidos não sabe se vai atualizar os primeiros com limitações de software ao padrão atual.
Cada país com suas características.

WFonseca
Visitante
WFonseca

Leo Neves – 16:35 “O SU-57 já voa com radares definitivos, só falta o motor…” – só? “Russia plans to get new engines in the Su-57 by the end of 2017 for testing, but it likely won’t be ready for use by 2025”. O projeto JSF tem sido abusivamente caro e desafiador, mesmo com ajuda de espionagem, não creio que similares Russos e Chineses possam entregar resultados parecidos sem passar por etapas igualmente complexas. Também acho que Rússia e China deveriam cancelar SU-57 e J-20 pois na opinião de muitos aqui o conceito Stealth está superado desde o famigerado abate… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

WFonseca 18 de outubro de 2017 at 17:44

Assim você mata a turminha que lê Sputnik e Southfront do coração..rs!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Walfrido Strobel 18 de outubro de 2017 at 17:40

Na boa mas me parece que está muito óbvio que o Su-57/FGFA está enfrentando sérios problemas de desenvolvimento. Ocorre que como a Sputnik e a Southfront não divulgam isso, aos contrário dos EUA que dão transparência quase irrestrita ao desenvolvimento do F-35, neguinho acha que o programa vai às mil maravilha e ainda acha que pode cobrar dos israelenses que divulguem foto do F-35 que foi atingido por um pássaro.

MadMax
Visitante
MadMax

O nível de complexidade desses novos caças deve ser absurdo, muito tempo e dinheiro pra ficar operacional.

Léo Neves
Visitante
Léo Neves

HMS TIRELESS
WFonseca
Eu não li isso na Sputnik, não estou doido ainda , li isso em outros sites russos , como RT , TVZVezda , fóruns russos de discussão militar etc, o motor só para 2025? Duvido muito , diziam o mesmo do radar … Dos rebites … De tudo, mas também não creio do Su-57 totalmente pronto antes do final de 2021 e da versão indiana ate 2024 ou 2025.

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Deram uma boa aumentada no rcs do F-35.
Se eles não conseguem reduzir o rcs do Pak Fa/FGFA tratam de aumentar o rcs dos rivais…

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

O RCS do F-35 é de 0.00143m² e do F-22 0.00018m², o “stealth” russo está mais próximo do B1B do que do F-35 e F-22 😂

Walfrido Strobel
Visitante

Vejam que até fazer um 4.5 Gen está difícil, esta semana a PT-DI que é sócia da KAI no KF-X disse que os seus desenhos só estarão prontos em 2019, com voo do primeiro protótipo esperado só para depois de 2022.
O planejamento inicial de construirem 250 aviões, 200 KF-X e 50 IF-X(Indonésia) foi reduzido para 200 aviões, 120 KF-X e 80 IF-X.
O número de 80 IF-X parece exagerado, mostra que estariam deixando de ter vários fornecedores para se fixarem no IF-X no futuro depois da aposentadoria dos F-16 e Su-27/30. O Su-35 é para substituir o F-5E/F.

JT8D
Visitante
JT8D

Trata-se de um legítimo caça invisível: não vai ser visto em operação tão cedo

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Reclamam que os russos fizeram 12 protótipos ? Os EUA fizeram 189. Reclamam que a Russia vai usar os parceiros ? Os EUA também. Bem mais parceiros, e Israel de balão de ensaio, ou boi de piranha. Na minha opinião a Índia não perde por esperar. Os EUA e seus parceiros do JSF só devem terminar de receber seus F-35 lá para 2030, para só então outros países poderem comprar, se estiver à venda. O problema é que a IAF não sabe como gasta seu $$$, investiu muito no Tejas, adora um masoquismo logístico (nem é mais pesadelo), mas a… Read more »

donitz123
Visitante

A única coisa que os indianos poderiam contribuir é com dinheiro. De resto só ficam enchendo o saco.
Se não fosse pelo dinheiro que os indianos colocaram no projeto, os russos já os teriam mandado ir catar coquinhos como fizeram no caso do MTA quando “foram convidados” a se retirar do projeto.

Marcelo Bardo
Visitante
Marcelo Bardo

Sabia que essa tranqueira russa iria dar ruim.

donitz123
Visitante

O mais interessante da notícia é que os indianos estão criticando e não tem nenhuma solução para os alegados problemas e sequer faz ideia se os mesmos existem ou não. Tão trolando os russos.
.
” A IAF não tem certeza de que será assim.”
“A IAF parece ter dúvidas sobre o desempenho do motor. ”
“Parece que não há certeza se será assim.”

WILSON JOSÉ S JUNIOR
Visitante
WILSON JOSÉ S JUNIOR

A 5. geracao nao permite mais fazer opalão com computador e super motor…. deu agua….

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Apostaria nos dados otimistas do Su-57 e no cronograma do projeto se os chineses estivessem na parceria no lugar dos indianos, já que haveria evidente cooperação no desenvolvimento e muito dinheiro chinês para subsidiar o projeto. Como a coisa ficou com os indianos, já era esperado a irregularidade no desenvolvimento. Ao que tudo indica, o Su-57 só estará operacional no fim da década de 20. Até lá, deverá ser introduzido a conta gotas e com variantes de performance limitada até atingir, de forma gradativa, plena capacidade. Só os ensaios com os motores já tomam de dois a cinco anos, imagina… Read more »

Johan
Visitante
Johan

Troquei o J-20 pelo J-31, mas qual o é mesmo o motor que equipa o J-20? Quem garante que o caça chinês esteja de fato operacional? É muita inovação na 5G e isso não é para qualquer um.

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Se é pra gastar dinheiro, a Índia deveria fazer uma parceria (de vergonha) e chamar, Israel, Coréia ou Japão para fazerem um futuro caça. O mundo passa por uma crise, e a Rússia, com o orçamento apertado, está praticamente somente mantendo suas capacidades de ataque/defesa.
Israel e Índia, hoje tem interesses comuns. O Modi, foi recebido em Israel, com honras somente feitas ao Presidente dos EUA. Durante o conflito de Kargill, Israel forneceu, inteligência e kits para as bombas Indianas. Isto fortaleceu os lações entre os países.

Daglian
Visitante
Daglian

WFonseca 18 de outubro de 2017 at 17:44

O conceito “stealth” não está superado. Como qualquer tecnologia, ele é mais um fator no campo de batalha. Ninguém sério jamais tratou de aeronaves Stealth como invisíveis ou imbatíveis, e esse conceito continuará presente, só que complementado por outras tecnologias ou utilizado de outras maneiras.

Doug385
Visitante
Doug385

O cara diz que não leu no Sputnik, leu no RT. Aí é pra acabar…

Doug385
Visitante
Doug385

donitz123 18 de outubro de 2017 at 19:55

Se não fosse o dinheiro indiano não teria mais projeto. A “Mãe Rússia” está na mais perfeita m…

Rogerio Rufini
Visitante

UE cadê os especialistas que falaram que o Brasil foi burro de não entrar no programa

costamarques
Visitante
costamarques

Olha não duvido de forma alguma que os vetores “stelfiis” americanos sejam melhores que os Russos, porem não podemos esquecer das forças midiáticas e politicas envolvidas em todos os processos, se os vetores Russos fossem tão fracos assim, o império soviético já estaria assim como o império romano a décadas em livros de historia!
Podem não ser tudo isso que falam que são, mas eu(OPINIÃO PESSOAL) acredito que são maquinas formidáveis.

Bruno V. Campestrini
Visitante
Bruno V. Campestrini

Estou até agora tentando entender de onde que o autor da notícia tirou que o RCS do F-35 é de 0,2 metros quadrados, pois em todos os sites a informação é de que é algo próximo de 0,0015 metros quadrados. Um RCS de 0,2 metros quadrados é quase tão grande quanto o de um Gripen.

Aéreo
Visitante
Aéreo

Esta noticia é a soma de duas forças aéreas “canastronas”. Os russos perderam a chance de fazerem um caça furtivo começando com um demonstrador de tecnologia “clean sheet design” e uns 20 anos depois tendo um caça pronto. Os EUA fizeram isto com o F-22, F-35, os europeus com Rafael, EF-2000. Ao invés disto, os russos perderam tempo com algumas inutilidades como o Su-47 Berkut, Mikoyan 1.44, tirando e colocando canard e TVC em célula de Su-27, sempre se vangloriando das taxas de giro, dos ângulos de ataque e negligenciando furtividade e sistemas eletrônicos. Deviam ter focado em uma célula… Read more »

hammadjr
Visitante
hammadjr

Pois então eu vou na base do acho, os russos tem em tese um sistema de defesa aérea, não tem politica de projeção fora das suas fronteiras pois seus interesses econômicos esta em direção e a Europa como maior fornecedor de gaz, nesse caso o desenvolvimento do Su-57 estaria apenas dependendo do seu motor, e essa balela de rc é conversa para boi dormir, ninguém sabe qual a assinatura do Su-57 do F-35 e J-20, tudo é feito nas estimativas. Agora é claro que faltou combinar com a Índia o atraso.

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Fudeu mano!!!!
E o pior, é ter uma vizinhança como ela tem: Paquistão e China… Sendo que a China está muito avançada militarmente.

Nonato
Visitante
Nonato

Há muito tempo tenho falado. Não importa o quanto a Índia invista. A não ser que consiga dar uma bola dentro como fez, por exemplo, com o Brahma, jamais estará em pé de igualdade com a China especialmente em termos quantitativos. Precisaria superar em qualidade. Mas se até o SU 57 indiano pode ser considerado um mico… Eu nem acho que seja. Um caça semi stealth na faixa de 8 bilhões, mais barato do que os rafales e com alguma transferência de tecnologia não é um mal negócio. Poderia tentar parceria com Japão, Coréia, Israel, Suécia ou Inglaterra. Todos têm… Read more »

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Esquenta não Nonato. A índia que conseguiu, há exatos 70 anos, deixar de ser uma colônia inglesa, irá permitir que outro país que fale inglês instale bases militares em seu território. Não sei se seus avós ainda são vivos, me desculpe se não forem, ou seus pais (como não sei sua idade). Mas pense ai. O tempo de vida deles é o mesmo de independência da Índia. Some a isto o fato de seu território ter sido dividido com Paquistão e bangladesh. Sei não heim, eu, na pele de um indiano, não veria com bons olhos outros indivíduos que falam… Read more »

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Comentar algo sobre a Força Aérea da índia é até complicado. A gente pensa com nossa mentalidade de redução de custos, economia de escala, facilitação da logística. Tem Jaguar, tem Mirage e agora os 36 Rafales. Então seria melhor seguir na linha de algo francês? Tem os migs que serão substituídos e os Su 30 que ainda tem vida à frente. Então o caminho seria seguir com algo russo? Tem o Tejas que nunca saiu de cima do telhado. Eu sinceramente faria uma ruptura. Assumiria, erramos mas precisamos consertar a partir de agora, mesmo com todos os gastos. Cancelava Tejas… Read more »

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

” Ah mas e a relação dos russos?”

Pois bem, se os russos quiserem trocar essa amizade baseada no SU 57 por uma amizade baseada no S400, ok, tudo certo.
Se não quiserem, vai pro abraço com os americanos.

Gilson
Visitante
Gilson

Na minha opinião; vejo uma certa precipitação da Índia, ter mergulhado de cabeça nesse projeto. Talvez a Índia, deveria ter aguardado mais tempo para uma definição concreta do projeto. Vejo que tudo que aparece no mercado militar a Índia, é talvez o único país que logo se apresenta em comprar ou adquirir logo um projeto novo. No caso desse SU-57, batizado agora , países que poderiam ter interesse logo não tiveram tais como: China e Irã, vejo ainda que esses dois países poderão ter interesse nos aviões assim que eles forem aceitos na própria Rússia. Eu me lembro que logo… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Gilson 19 de outubro de 2017 at 8:54 Gilson, a Rússia saiu tal como mascate atrás de Deus e o mundo para ajudar no financiamento do PAK FA agora Su-57. Basta lembrar de quando o ministro da defesa russo esteve no Brasil e desonestamente tentou fraudar o FX-2 oferecendo para a “mulher sapiens” “parceria estratégica” que seria receber o Su-35 agora e entrar no programa PAK FA. Tal evento mereceu inflamada e entusiasmada cobertura de um jornalista decadente convertido em proxeneta do Lulopetismo…… Nesse sentido, e uma vez que precisam enfrentar paquistaneses e chineses, nada mais natural que o governo… Read more »