FT-200FH FT Sistemasjpg

SANTIAGO, Chile (30 de março de 2016) – A FT Sistemas selecionou a Rockwell Collins para fornecer seu Microssensor de Navegação Inercial (Inertial Navigation Sensor, INS) para o novo helicóptero não tripulado de categoria 2 FT-200FH. O acordo entre as empresas foi anunciado na feira de negócios FIDAE 2016 do setor aéreo, pavilhão Brasil, coordenado pela ABIMDE em parceria com a Apex-Brasil.

“A Rockwell Collins tem sido uma valiosa parceira ao longo dos últimos 10 anos, e estamos orgulhosos de ter a empresa trabalhando conosco em um novo projeto. É ótimo poder contar com uma parceira que oferece excelentes tecnologias e suporte local para melhor atender às nossas necessidades”, afirma Nei Brasil, CEO da FT Sistemas.
“Esse contrato é outra importante etapa de nosso longo e permanente relacionamento com a FT Sistemas, por meio do qual fornecemos uma tecnologia avançada para esse novo veículo aéreo não tripulado”, disse Marcelo Vaz, diretor executivo da Rockwell Collins do Brasil.

O Micro INS é um INS/GPS avançado com um sistema integrado de dados por via aérea e magnetômetro que oferece dados completos e precisos sobre o estado da plataforma. Pesando cerca de 100 gramas, o Micro INS incorpora um disco em chip interno para o registro estendido de dados e atende aos exigentes requisitos ambientais relacionados a choques, vibrações, temperatura e umidade.

O Micro INS utiliza sensores de sistemas microeletromecânicos altamente confiáveis que incluem acelerômetros, giroscópios de taxa, magnetômetro e sensores de pressão de dados aéreos, juntamente com um receptor GPS com correção diferencial habilitado para o sistema Wide Area Augmentation System (WAAS).

Sobre a FT Sistemas
FT Sistemas é uma empresa brasileira de veículos aéreos não tripulados, pioneira no desenvolvimento e implantação de sistemas de alto desempenho remotamente pilotados voltados para os mercados militares, governamentais e civis. É reconhecida oficialmente pelo governo brasileiro como uma empresa de defesa estratégica. Os recursos de sensoriamento, inteligência de decisão, comando e controle, design, produção e implantação apoiam as operações de clientes no Brasil e no exterior. Para obter mais informações, visite www.ftsistemas.com.br.

Sobre a Rockwell Collins
A Rockwell Collins é pioneira no desenvolvimento e na implantação de soluções eletrônicas inovadoras de aviação e comunicação para aplicações governamentais e comerciais. Nosso conhecimento especializado em aviônica de cabine, eletrônica de cabine, comunicações de missão, simulação e treinamento e em gestão da informação é oferecido por uma força de trabalho global e uma rede de assistência e atendimento que abrange mais de 150 países. Para consultar mais informações, acesse www.rockwellcollins.com.

DIVULGAÇÃO: Edelman Significa

Previous articleSuíços decidem que programas de novos caças e de defesa antiaérea deverão se complementar
Next articleQatar e França concluem o negócio de compra de 24 caças Dassault Rafale
Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nonato

Esse drone é bem diferente.
O fato de ser “helicóptero” é útil pois não precisa de pista decolagem. Para uso marítimo deve ser ótimo.
E esse chip só tem 100 gramas e faz tudo isso? Até acelerômetro?
Se é empresa nacional é uma boa notícia.
Impeachment andando.
Amanhã protesto comunista.
Os cidadãos de bem precisam estar mobilizados para protestar.
Esses grupos são bem organizados. Levam pessoas de diversas formas. Inclusive soltando panfletos dizendo que se houver impeachment quem entrar vai acabar com as férias e o 13o.

Marcelo Pamplona
Mauricio R.

Será que rivaliza c/ o S-100 Camcopter, testado pela MB????

Roberto Bozzo

Mauricio R. seria interessante um comparativo entre eles mesmo…

Bosco

Sistema de rotor duplo interengrenado.

Wellington Góes

Pois então, Bosco, igual ao sistemas de rotores empregados pela Kasan. Detalhe, helicópteros equipados com estes tipos de rotores, têm se mostrado muito robustos e com uma grande capacidade de carga. Os helicópteros Kasan são pequenos, mas podem içar cargas grandes e pesadas, talvez este seja o caminho para dar a este VANT da FT um diferencial no mercado deste tipo de aparelho.

Bosco

Wellington,
Você quis dizer Kaman, né?

Wellington Góes

Sim, realmente é a Kaman. Grato pela correção. 😉

Wellington Góes

Kazan são helicópteros russos. Kaman são helicópteros estadunidenses. Eu havia invertido as empresas.
https://en.m.wikipedia.org/wiki/Kaman_Aircraft

glaxs7

Off Topic

Da Fumaça Rumbo a FIDAE 2016

http://noticiasffaachile.blogspot.com.br/

Achei da hora!

ederjoner

Boa noticia da Fumaça… Muito show…

Marcos

Esse tipo de rotor já era usado na segunda guerra:

https://www.youtube.com/watch?v=MGfpa6Y8pPA

Clésio Luiz

OFF-Topic:

Perseguição policial nos EUA termina com invasão de base naval e colisão com um F-18:
http://www.navytimes.com/story/military/2016/03/31/freeway-car-chase-ends-crash-into-jet-naval-air-station-lemoore/82470494/

Carlos Alberto Soares

Marcelo Pamplona 30 de março de 2016 at 18:19
______________

Já postei isso no PA há uma semana.

Arthur Duval

Só lamento a perda de dois pilotos da Esquadrilha num passado recente, tiro o meu chapéu pra esses caras eles dão sangue mesmo, são de tirar o folego,nunca me esquecerei quando ainda na minha adolescência, tive a oportunidade de ver uma apresentação unica aqui em Ouro Preto.

Fencer

Boa noite!

Na verdade acredito que este tipo de rotor seja chamado de coaxial, utilizado no helicoptero kaman H43 Huskie.

sds

carlosegoes

OFF-TOPIC:

Gostei muito da novidade. Pelo mesno este projeto esta seguindo em frente e quam sabe, logo tenhamos esquadrões com esses equipamentos. Bem que poderiam fazer uma reportagem super completa sobre esse projeto aqui no site.

http://www.defesanet.com.br/vant/noticia/21992/VANT-CACADOR—Realiza-o-primeiro-voo-no-espaco-aereo-brasileiro-/

Bosco

Fencer, Coaxial é quando tem dois rotores girando cada um pra um lado “num mesmo eixo”, como no caso dos Kamov Ka-50. Na verdade, claro, há dois eixos, um dentro do outro. Esse aí do post, assim como o Kaman que você citou, adota dois rotores independentes, cada um em seu próprio eixo, que por estarem inclinados um em relação ao outro não se obstruem. Em inglês o conceito é denominado “intermeshing rotors” que pode ser traduzido como “rotores entrelaçados ou rotores interengrenados”. Helicópteros com dois rotores podem tê-los em tandem (um atrás do outro), como no Chinook; lado a… Read more »

Bosco

Eu prefiro o termo “interengrenados” para o sistema em questão que o termo “entrelaçados”. Reservo o termo “entrelaçados” para o caso das pás dos rotores ocuparem o mesmo plano de rotação, como ocorre no caso do Mil Mi-12.
Como não há na literatura técnica ao meu alcance nada que defina esses conceitos de forma impositiva, fica por conta de cada um, sendo perfeitamente aceitável chamar o sistema de “rotores entrelaçados”.