rafale beauty

A França e o Qatar concluíram finalmente o negócio para o fornecimento de 24 caças Dassault Rafale no dia de abertura da Doha International Maritime Defence Exhibition and Conference.

A venda dos caças, que inclui mísseis MBDA, treinamento de 36 pilotos e cerca de 100 mecânicos, teve o valor divulgado anteriormente como sendo de € 6,3 bilhões (US$ 6,9 bilhões); no entanto, foi anunciado nesta terça-feira que o negócio é de € 6,7 bilhões (US$ 7,5 bilhões).

O acordo foi feito para o mesmo número de jatos comprados pelo Egito em 2014, mas o negócio do Qatar tem o preço mais elevado devido ao fornecimento de mísseis de cruzeiro de longo alcance, bem como mísseis ar-ar BVR Meteor.

PanoplieRAFALE_DASSAULT_A4-2

O armamento incluído na venda é o seguinte:

  • 60 Exocet
  • 140 SCALP
  • 300 AASM
  • 150 Mica IR
  • 150 Mica EM
  • 160 Meteor

136 COMMENTS

  1. Teve financiamento de bancos japoneses e tudo. Me expliquem uma coisa: como terminaram agora se o down payment foi feito em dezembro do ano passado??? Não teria sido apenas um “ajuste” no contrato???
    Off-Topic
    Alguém sabe me dizer se o Egito realmente teria encomendado 50 Mig-35??? Li isso (rapidamente) de duas fontes essa semana, mas não sabia disso…

  2. Isso sim é compra de respeito, e não apenas pelo caça, mas pelo armamento listado, muito bom!
    Podemos dizer então que são duas vendas certas já? Sem contar com a novela indiana correto?
    Em alguns anos, poderemos verificar com mais detalhes o real valor de operação destes aparelhos franceses, que diga-se de passagem são belos, mas aparentemente muito confiáveis e caros….

  3. O governo indiano disse que irá questionar essa venda.
    Foi rápida demais.
    O Qatar pode estar sendo prejudicado com essa compra repentina sem off-set sem construção local sem transferência de tecnologia e muito caro.
    Pode levar o caso para a ONU ou para a OMC.
    Esse compra pode prejudicar os interesses da Índia ja que perde poder de barganha…

  4. Agora a Dassault esta colhendo os frutos de anos de conversa, esta venda do Rafale representa uma série de coisas a principal delas foi a de superar os EUA que se negaram a fornecer um vetor mais potente. Na região que é mais conturbada do que tudo a presença destas aeronaves coloca o Qatar em um novo patamar e fazendo dupla com os Mirage já dá uma força de respeito.

    O que mais chamou a atenção foi o pacote de armamentos inclusos com uma bela quantidade de misseis SCALP, e também os misseis ar-ar BVR de dois modelos distintos, devemos lembrar que todos os armamentos do Miragem servem perfeitamente no Rafale então a integração é simples e dinâmica uma vantagem e tanto.

  5. É caro! Mas e muito aviao, muito bonito, muito caça, muito tudo…. calma gente o bichim e bom mesmo mas nao é pra nos. Pelo menos no jogo whawx so jogo com ele…. kkkkkk

  6. Se fôssemos nós fazendo a compra, a FAB viria com a retrógrada e altamente questionável alegação de “informação classificada” para não permitir a divulgação de armamentos em números e tipos.

    Mudando de pau para cavaco: essa compra dá mostras da bagunça que a Índia fez no MMRCA e continua fazendo na negociação – já nada a ver com o MMRCA – dos Rafales.

  7. Ao custo de US$ 300 milhões a unidade, ficou caro. É avião para quem tem muito dinheiro ou um patrocinador afluente.
    O noticia fala de armamento e treinamento, mas será que inclui um pacote de manutenção?

  8. Oh Augusto, queremos saber quantos mísseis BVR a Venezuela tem, e não sabemos. Que coisa mais retrógrada eles esconderem essa informação sensível, né? Faça-me o favor, amigo. Informações sobre armamento SEMPRE serão sigilosas, a não ser que saia no Diário Oficial, como saiu a compra dos Harpoon. E nesse caso específico, acho que a FAB comeu mosca.
    Então vamos entrar em combate e todo mundo vai saber quanto tempo vai durar nosso estoque? Você fumou um estragado.

  9. Boa Sorte Qatar!

    Quando a venda é de prateleira é tudo mais simples e rápido. E o comprador ainda ganha um maravilhoso Brinde Surpresa…
    Um chipador…
    Chip desativador: Zumbi eletrônico dormente (Acordam à noite? Nada disso, só em caso de guerra para sacanear).

    Pacote manutenção Dassault = ralo dourado para seus US$$$ ou €€€€.

    Mas como Qatar é um punhado de gente num pequeno pedaço de terra boiando sobre petróleo e gás (terceira maior reserva do mundo), para eles dindim e Dassault (assalto) não é problema.

  10. Se comprasse um monte de mísseis e com frequência, não era problema divulgar..

    Problema é quando compra meia-dúzia a cada 10 anos.

  11. Ronaldo Nery,

    É sério que a Venezuela não divulga? A Coréia do Norte e o Irã também não. Só essas democracias atrasadas, tipo Estados Unidos, Suécia e Alemanha cometem uma imprudência dessas de ficar divulgando.

    Sejamos diretos e francos: a FAB não divulga porque os números são vergonhosamente modestos. E quanto a ser crime, é por que antes a informação fora classificada como sigilosa. Não fosse assim (e não deveria ser, salvo raras exceções), não haveria tipicidade no código militar.

    Ah, e caso dos Harpoons foi só mais uma coincidência do tipo “comeu mosca”? Quantas reiteradas coincidências, hein!

  12. Harpoon nem precisa ver o DOE. Era só ver a notificação do FMS.
    No mais, os países vendedores e os que possuem serviços secretos decentes descobrem facilmente as quantidades . No fundo só o grande público não sabe.

  13. Me mostra onde estão as informações de TODO o armamento da USAF, tipo e quantidade nos paióis. E no caso dos Harpoon, com certeza alguém tomou uma carcada na DIRMAB, pela publicação ostensiva. Qual foi a outra coincidência? As informações sobre armamento SEMPRE serão classificadas. E, aliás, na minha época era grau de sigilo SECRETO.
    Esse teu raciocínio é bem de civil, mesmo. Todo mundo é bonzinho, e tudo tem que ser divulgado. Moro na Suíça, e tudo é transparente. Menos as contas secretas nos bancos.

  14. Rafael, e o grande publico não tem q saber esse tipo de informação. Nesse caso, esse papo de contribuinte não serve. Nem com a Lei de Acesso a Informação.

  15. Duvido que a OTAN não saiba exatamente quantos mísseis o Brasil tem. O contribuinte paga a conta e tem o direito de saber, sim. Os militares precisam de algumas aulinhas de democracia. E outra, se a FAB precisa ler jornal pra saber quantos mísseis a Venezuela tem, então ela realmente está comendo mosca.

  16. Bem vamos aos fatos não sei porque dessa obsessão de saber a quantidade exata quantos mísseis a FAB compra ou não , e ainda dizer que é uma atitude ridícula de não informar , conforme o caro Rinaldo Nery informou em vários posts e uma informação sigilosa , que esta mais do que certo não divulgar para que dar informações estratégicas para inimigo .Realmente o Rafale é um lindo caça eficiente também , mas não é para nosso bolso ,abraços !!!!!

  17. Qualquer governante, administrador, até nós mesmos temos informações sigilosas. Que para o nosso bem é melhor que fiquem assim.
    Democracia não é sinônimo de irresponsabilidade e inconsequências em nome de uma liberdade sem parâmetros.

    E serviços de informação (secretos) é para isso mesmo, descobrir o que não é informado. Mas daí a terem sempre exito (vamos escancarar tudo então) a coisa não é bem assim não.

    A maionese tá escorrendo de certos comentários.

  18. Um colega ai citou que pela conta de padaria cada caça sairia por 300 milhoes de verdinhas… em reais daria algo em torno de 1,1 a 1,2 bilhes de reais…. vixe kkkkkkkkkk….. já imaginou explicar isso para o contribuinte….

  19. Quanto ao sigilo, não sou do ramo.
    Sem dúvida, faz sentido haver sigilo, especialmente quando se tem pouco…
    Mas, por exemplo, quanto aos harpoons, pelo menos o vendedor saberia. E seus aliados…
    Claro que muitos outros não saberiam.
    Não sei até que ponto o sigilo faz sentido, especialmente quando alguns dos detalhes da compra são amplamente discutidos na imprensa.
    Muitas dessas compras são uma novela e muitas das informações são discutidas na imprensa.
    Outro ponto é quando onde e como serão usadas.
    Do que adianta ter 100 mísseis se estão todos estocados?
    Não servirão no caso de um ataque repentino…

  20. Em termos de inteligência, quem tem que saber dos nros de munição e quantas naves estão disponíveis na ordem de batalha do dia sabe. Fora as reais capacidades dos vetores da FAB.

    Quem não sabe é o público que paga a conta. Até o quanto vale a pena divulgar estas informações varia de país para país e do quanto de respeito as FFAA e o Governo em geral tem com o público do seu país.

    Eu sou atirador e o respeito que o EB tem por nós é algo próximo do zero e olhe que não nos fazem favor algum. Pagamos muitas taxas desnecessárias e sustentamos um sistema que em nada nos facilita a vida e pelos nros de violência no país nem a justificativa de manter a segurança pública é sólida.

    Não acredito que a FAB e a MB sejam muito mais amigáveis em termos de respeito por quem paga a conta. Os sempre noticiados editais para compra de material para coquetéis mostra o mundo a parte em que boa parte dos militares vive.

    Certamente não sabemos os nros de munição e quantas naves a USAF, por exemplo, tem disponíveis em um dia e a sua real capacidade de alerta, mas sabemos que a maior parte dos países do dito primeiro mundo leva a sério a defesa do seu espaço aéreo e pelo nro de operações reais as que se envolvem não aponta uma baixa quantidade de vetores e munições disponíveis.

  21. Zmun 30 de março de 2016 at 23:59
    “se a FAB precisa ler jornal pra saber quantos mísseis a Venezuela tem, então ela realmente está comendo mosca.”
    Comentário fantástico rapaz, concordo com você!
    A população leiga, assiste os desfiles de sete de setembro e acha que somos a maior potencia militar do universo, isso é um dos motivos que levam a desaprovação de grandes compras para nossas forças.
    Se ao invés disso, fosse mostrado por exemplo que:
    Temos quarenta caças de quarenta anos de idade média, ao ponto que os EUA tem 1500 nos hangares…. (sem falar o resto);
    Que nossa ” arma aitaérea ” tem um alcance de 4.000 metros de altitude e que outros países podem derrubar “qualquer coisa”, inclusive satélites…
    Que nossa Marinha não passa de uma pequena guarda costeira, no que diz respeito aos equipamentos, (nem vou citar outras Marinhas)…
    Se tudo isso fosse realmente mostrado ao publico geral que paga as contas, talvez, eles seriam a favor de gastos maiores com nossas forças…
    Compra secreta de equipamentos e munições, para nós que importamos praticamente tudo, não tem sentido algum, pois como já disseram, que tem interesse (outras forças e nações), ficam sabendo antes dos equipamentos chegaram por aqui…

  22. Se for levar em consideração do episódio do famoso telefonema da chefe de estado e, o apresso demonstrado pela segurança de informação, não duvido nada que essas comprar super secretas sejam negociadas usando contas de e-mail do yahoo no MD.

  23. Olha só. Tem comentaristas inteligentes que perceberam a necessidade do sigilo. Que entendem que o que está nos paióis da BACO não tem que ser publicados no Zero Hora.
    E parem com esse papo de “respeito ao contribuinte”, “democracia”. Não confundam as coisas. Parece papo de universitários . Informação sigilosa de assuntos referente à Defesa Nacional não será divulgada, e pronto. Dados técnicos operacionais de equipamentos vocês acham no Wikipédia, que aqui alguns adoram consultar.
    Quanto aos mísseis venezuelanos, vou assinar o jornal de Caracas, já que o amigo disse que está publicado lá. Como chama mesmo o jornal?

  24. Quanto querem apostar que todos os Rafales chegarão a seus respectivos compradores muito antes do primeiro Gripen chegar ao Brasil???

  25. “dieter91360” é possível mesmo afinal o Rafale existe e o GripenNG não….. Mais ainda acho que a FAB fez escolha certa entre GripenNG e Rafale, (meu favorito era o F/A18 SH) pois o Rafale, é claro, sabemos que é um “baita” avião, mais e o custo de opera-lo? na atual FAB inviável…. e o que ia ter de “pichuleco” nesse possível negócio com o Franceses ia nos custar uma fábula…. e pior sem estes armamentos que o Qatar ta comprado (de muito respeito) A essa altura a Lava jato já tinha chegado nesse negócio, então seria de fato uma operação “LAVA JATO DE COMBATE”

  26. Rinaldo,
    Em 2009, o Chile foi autorizado a comprar até 100 AIM-120. Já tinha comprado antes, se pesquisar, a gente acha quanto o FMS informou ao Congresso.
    http://www.aereo.jor.br/2009/11/13/chile-podera-comprar-100-aim-120c-7/
    .
    Israel não sabe quantos Derbys e Phitons compramos? Não deve ter informado aos seus alados?
    É esse meu ponto principal. Os “inimigos” mais poderosos sabem o tipo e a quantidade. E os não alinhados com fornecedores, no mínimo, tem uma boa estimativa do que temos.
    A FAB não informa nem quais misseis “comprou” para o Gripen. O MPF soltou a informação sem cerimônia.
    .
    E se a quantidade comprada for grande, serve de dissuasão para quem não sabe, não?
    Ainda, tenho lá minhas dúvidas se faz muita diferença para uma potência que cogite nos atacar se temos 10, 50, 100 ou 200 Derbys ou A-Darters. Sabendo que só temos os F-5 e A-1, e em quantidades relativamente pequenas (sem contar as limitações do A-1), um país pode quantificar nosso poder mesmo sem esses “detalhes”,
    Por fim, talvez se a FAB fosse mais transparente, mais contribuintes a apoiariam, concordando que é necessário que invista mais em novas capacidades em vez de acharem que está tudo bem (as pessoas que não entendem do tema, costumam achar que somos uma potência militar).

  27. O jornal se chama ” Inteligência News”. Quem decide o que é sigiloso ou não é o congresso, não os militares. Já que o senhor não entendeu eu volto a afirmar: O sigilo imposto sobre compras se refere ao contribuinte brasileiro, não ao fornecedor, muito menos aos seus aliados.

  28. Apesar das bravatas do Lula e do Serra quanto a não gastar dinheiro com as FAs, em geral, a população não seria contra o Brasil ter um poder razoável. Uma das poucas coisas boas que a esquerda fez foi botar medo na população de que os EUA vão roubar a Amazônia.
    Como já disseram aí em cima, o problema é que o povo acha que somos uma potência e por isso o gasto seria supérfluo. Eu já ouvi várias vezes de leigos que ficaram impressionados vendo o NAe SP quando pousam no Santos Dumont. Aí eu falo que aquilo lá só boia há anos e eles ficam incrédulos: “Como assim? Por que a Marinha não conserta?”.
    Veja que ao contrário do que muitas pessoas do meio achavam, a compra do Gripen praticamente não recebeu críticas da imprensa ou do povo.
    Enfim, algum grau de sigilo é até razoável: não precisa falar em qual paiol/base estão, por exemplo. Mas o segredo da FAB de não falar nem quais mísseis vai comprar é um absurdo.

  29. Meus Deus…. Rafael, qual é a sua idade? Você quer morar em Cuba? Você apoia a Dilma?
    Roberto, vamos publicar no Globo o envelope cinético do A-Darter.

  30. Rinaldo,
    Eu tenho 33 anos. Não quero morar em Cuba, muito menos quero que o Brasil vire uma. Não votei na Dilma, fiz campanha contra e sou a favor do Impeachment.
    Roberto,
    Era o João Goulart e deveria assumir o Ranieri Mazzilli em seu lugar. Os militares poderiam agir para empossá-lo, caso fosse necessário. Jamais tomar o seu lugar, muito menos ficar por mais de 20 anos.
    Qual havia mais democracia durante o governo Jango (apesar dele flertar com o autoritarismo) do que com os militares, que efetivamente implantaram um regime autoritário. Ou não? Houve democracia de 64 a 85?

  31. Problema não é a existência de sigilo, mas sim a quantidade de armas que possuímos. O número é notoriamente pequeno se levarmos em consideração a porcentagem do PIB investido em devesa e a quantia desse dinheiro que é drenada apenas por salários e pensões. Duas mudanças são necessárias: a primeira é elevar os investimentos em defesa à média mundial e a segunda é parar de contar gastos com pessoal como investimento.

  32. Rafael, menos mal. Como você bem sabe, a intervenção impediu que o nosso País se tornasse uma Cuba, ou a “União Soviética do Brasil”. Nasci em outubro de 64, e gracas a Deus e aos militares, não nasci num país comunista.
    Já tá mais que provado que é um regime falido. Inventaram outros nomes, socialismo, bolivarianismo, mas é tudo a mesma m… Vide o que estamos vivendo agora. Como você, também estou torcendo pelo impeachment.

  33. Será que se passar um pente fino nesses contratos sigilosos não acha algumas “coisinhas”? Os pais das recebedoras de pensão se colocariam à prova? Aproveitem enquanto puderem, senhores. A vez dos contratos militares vai chegar. O ex-ministro do STF Barbosa já disse que não faz sentido a existência de tribunais militares em tempos de paz. O número de pessoas que concorda com isso é cada vez maior. Vem aí uma nova geração que não será tão complacente com a corrupção. Pesquisem qual a média de idade do MP que investiga na Lavajato.

  34. Rinaldo, tenho lá minhas dúvidas se a intervenção militar era necessária. Necessário era o combate aos comunistas, mas acho que seria impossível fazer isso com um presidente civil que usasse as forças armadas para o combate. Tem um monte de país que não abandonou a democracia e não virou comunista por causa disso.
    .
    Apesar do contexto ser diferente, acredito que a presidente irá cair sem necessidade de ruptura institucional. Cai assume o Temer. Se ele cair, entra quem for o presidente da Câmara no momento. Sem grandes traumas.
    .
    A verdade é que os militares de 64, desde o Tenentismo queriam ter um protagonismo político, viram uma brecha em 64 para assumir o poder e não perderam a chance. Tanto que demoraram 20 anos para largarem o osso.
    ,
    Concordo que qualquer regime socialista ou assemelhado é uma droga que não vai funcionar e só deixará um rastro de miséria por onde passar.
    .
    Aliás, acho que o governo militar, do ponto de vista econômico, foi bem de esquerda pro meu gosto. Muito intervencionista, criando estatais, interferindo pesadamente no mercado (inclusive ao arrepio da lei) e criando a cultura do Estado como o protagonista do desenvolvimento.
    .
    Por fim, apesar de tomar o poder, deixou a esquerda conquistar a educação do país, criando condições para que ela voltasse a ser protagonista política rapidamente.

  35. Excelente vídeo, Roberto. Em 64 vivíamos o auge da guerra fria, comunismo contra capitalismo. Foi nesse cenário que ocorreu a intervenção militar.
    Mas, hoje acho que um pouco de “cassetete” nos “mortadelas” não seria ruim…. kkkkkkk

  36. É como eu já disse, é preciso divulgar a realidade de nossas forças, pois a população (a massa) acha que somos “uma potencia militar”, e por isso, é sempre difícil comprar novos equipamentos.
    Se a mídia mostrasse que os caças que defendem o Brasil tem mais de quarenta anos, e que voam sem armamentos, a impressão seria outra, podendo favorecer a aprovação de gastos maiores em defesa.
    E essa história de usar misseis somente nas horas criticas é para força aérea falida, e é isso que somos!
    Sexta ou sétima economia do planeta e mantém “meia dúzia de F-5” de “prontidão” (armados apenas com canhão)!!! Fala sério….

  37. Zmun, a lei vale para todos. Se roubou vai pra cadeia. Passei 30 anos na FAB e não roubei um lápis. Durmo bem a noite. Assim como milhares de militares. A esmagadora maioria. Não é a toa que as FFAA são a instituição de maior credibilidade no Pais, e há muitos anos! A última cidadela da Nação: quando nada mais funcionar chamem os militares.

  38. Bom voltando a questão do sigilo contar algo que me aconteceu quando era militar ainda , servi no EB por 6 anos , na arma de infantaria no Pelopes , fiz parte das primeiras Minustah , antes de ir para lá recebemos treinamento e participamos de missões reais para um melhor adestramento da tropa ,fizemos algumas incursões e morros do Rio de Janeiro , agora veja como a questão do sigilo é importante , logo nas primeiras incursões do Haiti nosso papel era mais polícia mesmo desarmar as milícias ,trocamos tiros com as milícias do Haiti uma vezes , então num belo dia nosso pelotão foi para uma missão com apenas um carregador o normal era levar 4 , pois tinha chegado um contingente novo , e sabe se lá porque a munição não chegou junto com eles , então tivemos que “dividir” a munição nesse dia um carregador para cada soldado com apenas 10 munições o normal no FAL e 20 , ai eu pergunto para vocês acham que EB deveria divulgar essa informação para contribuinte ? deixando de lado a segurança da tropa ?”Soldado Brasileiro vai na patrulha do Haiti com um carregador com 10 munições” . Novamente concordando com Sr.Rinaldo Nery que já foi militar como eu e sabe como a coisa funciona .Abraços !!!!

  39. Eder, o Alerta é armado com Python 5. A população esclarecida sabe das deficiências. O problema é um GF incompetente que não provê recursos pra Defesa. Isso é postado aqui todo santo dia.

  40. Rinaldo Nery 31 de março de 2016 at 11:36
    Nery, quando eu falo em informar a massa, falo da mídia convencional, falo das pessoas que ainda precisam ver o jornal na TV para saber a previsão do tempo (acho isso o fundo do poço). Quem lê e posta neste espaço sabe da situação das forças, pois é do meio ou um aficionado pelo setor militar.
    A população nunca vai aprovar um aumento de gastos com defesa em um país que sofre das mazelas que todos aqui sabemos, pois entre ter um médico a mais no pronto socorro ou um fuzil novo para a tropa, vão preferir ser consultado com o clinico geral. É triste, mais a defesa infelizmente é só mais um setor que esta sucateado em nosso país “potência”.

  41. A lei (ainda) não é pra todos. Caso fosse, não teríamos aberrações como forro privilegiado, prerrogativas de cargos, prisões e tribunais especiais. Certamente o povo apoia os militares, se este apoio é fruto de merecimento ou de falta de conhecimento popular e pura fé, é outra história.

  42. Roberto, de fato, não temos como debater essa temática, dado que somos nem antagônicos.
    .
    Alexandre,
    Uma coisa é divulgar a informação com a patrulha acontecendo. Outra é divulgar no momento adequado inclusive para punir os responsáveis.
    Ainda bem que nada aconteceu aos militares.
    Porém, alguém foi julgado por tamanha irresponsabilidade?.

    Ederjorner, perfeito.

    .

  43. É senhores, quem sabe com as possíveis mudanças que estão por vir, podemos ter novidades boas, é até decepcionante ficar na expectativa, mas quem sabe um dia a corrupção diminua bastante, e as verbas cheguem onde realmente precisa. Quem sabe neste dia, com o PIB expressivo que temos, uma compra de $$ 20 ou $$100 bilhões nem fosse tão comentada, pois isso perto do nosso PIB não seria nada se todos os setores de serviços públicos fossem geridos com competência.

  44. Caro Rinaldo Nery
    _________________

    Para mim funciona assim:
    _________________

    Tenho armas em casa (3), meus vizinhos não sabem quantas eu tenho, nem calibres, nem se atiro bem ou mal,
    mas sabem que eu tenho arma. O Bairro e os “malacos” sabem que eu tenho. Os “malacos” sabem que eu atiro,
    já coloquei vagabundos para correr umas três vezes.
    Reitero, ninguém sabe a(s) quantidade(s), calibres, meu Adestramento com elas etc ….
    _________________

    Imaginem em defesa territorial/nação.

    _________________

    Tenham dó vai, mostrar aos prováveis inimigos a real capacidade ? Perguntem aos chineses tá e depois aos russos.

  45. E por aqui na República dos “sabem tudo”, alguns ainda chamam esse ótimo vetor de Jaca.

    Por aqui se anda de Chevette 82 e conseguem falar mal de um Citroen DS5 . Vai entender né esse povo…..

  46. Zmun, você acabou de me mostrar, e aos comentaristas, que há um vies ideológico no seu raciocínio: o anti militarismo. Argumentar com você é o mesmo que argumentar com o Maurício R. sobre a EMBRAER. Mas ele é folclórico. Gosto dele.
    Dessa forma, só posso te dizer como se fala em combate aéreo: “combate encerrado”. Ou na língua inglesa: “knock it off”.
    Parabéns ao 31 de Março!

  47. Ocidental, Jaca era como os pilotos do 1° GDA carinhosamente chamavam o Mirage III, devido à sua quase inexistente razão de planeio. Caia como uma jaca cai da árvore. Não confunda.

  48. Ocidental Sincero 31 de março de 2016 at 12:40
    Creio que o termo tenha “se criado” devido a demora na venda para outro país, e ao sempre alegado fato do valor de compra e operação.
    Agora ninguém que entenda o mínimo de aeronaves pode dizer que o Rafale é ruim, inclusive já foi elogiado por vários pilotos experientes que tiveram a oportunidade de assumir seus controles. O grande fato sempre foi o $$ custo Dassault, custo esse inclusive levado de maneira oficial as autoridades francesas, mais recentemente nas ações sobre a Síria.
    Ai o tema é: Se para a França custa isso, quem dirá para os outros operadores… Mas quanto a sua real qualidade como aeronave de combate, basta analisar o Dassault MIII ou M2000 e tirar as conclusões.

  49. Rinaldo, não sei o que o senhor entendo por anti militarismo, mas ser contra os pixulecos em contratos militares e pedir por mais transparência não pode ser confundido com ser contra os militares. E outra, de vitimistas já bastam os vermelhuchos.

  50. Estou aqui tentando entender porque alguém imagina que a imensa maioria da população brasileira (Não apenas o homem médio, mas a imensa maioria da população) gostaria de saber quantos mísseis, bombas etc.. Têm nossas FFAA.
    Não vale responder com algo tipo: Em uma democracia o contribuinte tem o direito de saber para onde vão seus impostos e blá,blá,blá…
    .
    Se esse mesmo contribuinte fosse tão questionador e politizado assim, poderia começar questionando quantas estradas federais foram asfaltadas nos últimos 5 anos.. Quantos hospitais, universidades, museus etc, foram construídos neste mesmo período.. Mas a gente sabe que as coisas não são bem assim não é?
    Ele não se preocupa em saber sequer o que o filho come na merenda da escola pública…
    .
    Esse tipo de divulgação agradaria simplesmente meia dúzia de entusiasta como nós, e ponto. Qual beneficio traria ao país? seja sincero..
    .
    Determinadas informações são, e devem sim, ser SIGILOSAS.
    Você já ouviu falar de um tal Edward Snowden? Um sujeito que divulgou informações secretas dos EUA?
    Depois disto, ouvi dizer que ele não é mais muito querido por lá.
    E olha que justamente na maior democracia do planeta…

  51. Complementando. Se os pais das moças pensionistas são infalíveis e imaculados, então deveriam ser tirados da caserna e encaminhados diretamente para os jardins Elísios, porque mesmo este solo é indigno receber o toque dos seus pés quando caminham.

  52. O mais importante é o inimigo saber que você briga bem. Até sem arma nenhuma.
    Isso impõe um grande receio no oponente.
    E se juntar um grupo de bons de briga com algumas facas, e armas de fogo. É melhor deixar quieto.
    Tropa brasileira raçuda continuem assim mesmo: Boquinha de Sirí.


    Ia ter festa para os animais na mata… O sapo então escancarou bem a bocona e falou “OBA!!” Logo alguém disse “Mas quem tiver boca grande (fofoqueiro) não vai poder entrar!” O sapo então só com o cantinho da boca exclamou “Coitado do cumpadi Jacaré!”

  53. Bruno W, , não é uma questão se ele gostaria ou não. É poder saber ou não. A maioria das pessoas não quer saber quanto o Brasil emprestou para Cuba, quanto a Odebrecht superfaturou nas obras, quanto se gasta com saúde e educação, qual o rombo no INSS e etc. Mas eu quero. Todo fim de mês vem uma mordida do Leão no meu holerite, fora ICMS, IPTU, IPVA, ISS e eu quero poder saber para onde vai parte disso.
    .
    Se o parâmetro for a maioria talvez tudo possa ser secreto e o cidadão que se contente com o que recebe e não reclame de nada. As FAs estão mal-armadas? Não é problema seu, os miltares que entendem do assunto. O Poder Judiciário é lento? Não é o problema seu, os juízes que entendem do assunto. A saúde pública é vergonhosa? Não é problema seu, você não é médico. Etc. Etc. Etc.
    .
    A verdade é que boa parte da população não preza por democracia e transparência, tampouco que compreender como as coisas funcionam. Eles esperam aparecer um salvador da Pátria que faça tudo por ele e ponto final.

    Algumas coisas devem ser sigilosas, mas não tudo. Se dependesse da FAB talvez nem soubéssemos que o A-1 não tem radar. E a desculpa é que seria pela nossa segurança.

  54. Pensões, sempre a história da pensões.
    Antes de mais nada, sou civil.

    Até hoje a questão das pensões militares às filhas não é entendida…
    Para começar essa tal profissão (militares) talvez seja a pior da humanidade, pois oficialmente prepara matadores, destroçadores, de homens.
    E, em caso de guerra, suas mulheres, esposas e filhas, precisam sobreviver mesmo coma falta permanente de seus homens, mortos de formas horríveis defendendo a nação. E, mais ainda, se possível, elas, bem de saúde, precisam gerar novos homens para reporem os milhares perdidos.
    Por isso, as pensões… Servem de reconhecimento pela vida dada em defesa da nação. Mas também como promotora de saúde para que as famílias dos militares mortos continuem gerando filhos para o país, e não acabem eliminadas num efeito dominó junto com o combatente em falta.
    Outra coisa, as pensões dos militares não se originam em seus próprios soldos descontados!?.

    E, mais uma vez, nossa crise econômica nacional (permanente, desde que sou vivo), não têm nada a ver com as FFAA, mesmo que haja margem para maior eficiência nelas. A nossa politicagem rasteira de políticos profissionais (Parem de reeleger.) que visam apenas suas vidas, e não a da nação, é que nos têm mantido no buraco.

  55. Zmun ( 31 de março de 2016 at 12:16 ),
    .
    Sigilo é regra básica para a eventual condução de qualquer campanha militar. Há de se lembrar que a própria população local pode ser fonte de informação a um potencial adversário.
    .
    Pegando uma carona no que disse o Carlos Alberto Soares…
    .
    Funciona mais ou menos assim:
    .
    Todo mundo sabe o que o sujeito tem a arma, mas não sabe exatamente como ele a usa ( todo mundo sabe que ele pôs a turma pra correr, mas não sabe do que o sujeito realmente é capaz ), não sabe quanta munição ele tem ( e consequentemente quanto tempo pode combater ) e qual o potencial real do arsenal que ele dipõe ( não sabe se tem bala perfurante, se só tem munição convencional, etc. )… Isso, em ultima instância, representa um efeito dissuasório… Quanto a quem é defendido, é interessante que saiba exatamente o que o potencial agressor saiba; ou seja, só o ‘basicão’ que disse aí em cima… Em suma, quanto menos todo mundo souber, melhor… Esse seria o raciocínio…
    .
    No mais, tá certo que qualquer fornecedor pode dedurar quantas armas ele vendeu, mas mesmo ele não tem como saber exatamente o que o operador faz com a arma, e tão e somente pode estimar o que este pode fazer com ela… E mesmo diante da possibilidade dele entregar informação, isso não significa que se deve espalhar aos quatro ventos o que se tem, publicando a valer. Até porque, é raro algo realmente vir a público. E nunca há efetivamente como saber se outros sabem… Então, pelo sim ou pelo não, melhor ficar na moita e não deixar a informação escorrer pelo seu lado…
    .
    O risco de um vazamento de informações é sempre maior em se tratando de um fornecedor externo, que estará invariavelmente ligado com outros governos. E justamente por isso um país com alguma responsabilidade se esforça tanto para manter a produção local de certos itens, tais como munições…
    .
    Enfim, emendando um assunto no outro, o cenário ideal é ter uma empresa local fabricando a munição, posto ser teoricamente mais fácil controlar a informação.

  56. Publicidade é princípio da adminstração pública, mas defesa nacional é justamente uma de suas exceções. Sou totalmente a favor que dados sobre coquetéis, colégio militares e gastos administrativos sejam públicos, mas não sobre endereço de militares, familiares e, especialmente, armamento. Para isso tem auditoria, TCU e cia.
    Razoabilidade também é um princípio.

  57. Tanto que obviamente sou a favor de estruturas de controle externo (não militares) ao qual as Forças Armadas tenham de se reportar.

  58. Acho normal que se tenha descrição ao se falar das munições da força devido a conjuntura do cenário regional. EUA e alguns outros seletos países podem até ter uma noção do estado dos paióis da FAB, MB ou EB, que seja… Mas uma Venezuela ou Bolívia por exemplo, muito provável que não façam ideia ( a não ser que tenham informantes na alta cúpula do governo) da situação dos estoques. Acho que é desta foram que a coisa deve ser encarada, além de que… EUA, Israel, Inglaterra e outros, sempre foram nossos fornecedores e parceiros no tocante a equipamentos e defesa em geral.

  59. Rafael,

    Tentar responder, distorcendo os fatos só prejudica a troca de idéias amigo..
    A discussão é sobre o sigilo ou não sigilo de informações sensíveis a segurança nacional, assuntos militares.
    .
    Partindo dessa concepção de “cidadão pagador de impostos” legalmente, somos donos de qualquer avião FAB por exemplo, e isso é correto.
    Mas experimente invadir uma base aérea e dizer que quer ir passear na praia de avião no final de semana, não vai colar, assim como não vai colar essa insistência em saber certos assuntos.
    .
    Se as FFAA estão mal armadas, sim isto é problema de todos, embora o fato, não nos dê o direito de saber determinados dados.
    A informação sobre o radar do AMX alterou algum quadro? Não.
    Sobre o exemplo do judiciário citado por você, veja que também, existe informações sigilosas, de “SEGREDO de justiça” para o bom andamento da coisa!
    Continuando nos seus exemplos, sobre saúde pública não há nenhum segredo.. O caos é escancarado, mas não confunda assuntos sociais com assuntos militares de SEGURANÇA NACIONAL. Repito.. Não distorça os fatos.
    .
    Enfim, você tem sim o direito como todo “bom cidadão pagador de impostos….” Em saber para aonde vai seus impostos, até o limite da legalidade!
    E isto não fere absolutamente em nada os princípios da administração pública.
    Hoje inclusive existem “portais da transparência” na internet, pesquise.
    Se essas fontes são confiáveis ou não, é uma outra discussão.
    Abs.

  60. Fala serio, a foi uma maravilha 1964 depende para quem, virasse uma Cuba kkkk aham sim sim fica no pijama ai Cel que ta de bom tamanho

  61. Farroupilha, pelo seu argumento, as pensões somente seriam devidas em caso de morte do militar em guerra, não? Coisa que há tempos não causa a morte de um militar brasileiro.
    .
    E as filhas de militares só poderiam parir novos militares, para justificar a pensão recebida, não? Se parissem mulheres ou os filhos decidissem seguir outra carreira, perderiam a pensão?
    .
    No papel, o desconto de 1,5% criado pelo FHC custearia a pensão das filhas solteiras (antes nem isso tinha – tava no bolo da pensão militar que vai para esposa e filhos menores). Qualquer pessoa que saiba as 4 operações básicas da matemática consegue comprovar facilmente que esse desconto é insuficiente.
    .
    Eu sempre evito essa discussão, mas achei tão “interessante” a justificativa apresentada que resolvi dar um pitaco.

  62. Particularmente penso que não se trata de dar uma “satisfação ao contribuinte” especificamente. Poderia até ser esse o caso, mas isso é uma questão que foge do tema principal: ao divulgar informações qualitativas e quantitativas de equipamentos à disposição, as Forças Armadas abrem-se para a crítica da imprensa e de cidadãos interessados, como nós. Não ficaria legal que a imprensa soubesse o estado de penúria e escassez de armamentos, que é a realidade no nosso país.

  63. Bruno W,
    Não foi minha intenção distorcer fatos.
    Foi fazer paralelos, a meu ver, válidos. Você acha que são situações incomparáveis e eu respeito sua opinião.
    Conheço os sites de transparência, inclusive meu salário sai em um deles. E eu acho correto isso.
    Até pouco tempo, o Judiciário era uma caixa preta. Não se sabia nem quantos processos tramitavam numa Vara. A coisa começou a melhorar um pouco com o CNJ.
    Também até pouco tempo atrás, o Poder Judiciário criava inúmeros benefícios para seus marajás e ninguém ficava sabendo. Hoje, pelo menos já foi reduzido um pouco a farra com dinheiro público, em que pese ainda existir auxílio-moradia e outros benefícios bizarros em alguns estados.
    .
    Não gosto da ideia de ter FAs como caixas pretas, que fazem o que bem entendem com o dinheiro do seu orçamento. Exemplos são vários de mau-uso. Infelizmente, isso ainda tem pouco relevância para a maioria da população e para a opinião pública, mas espero que ela cada vez mais se informe e cobre por aquilo que custeia. Pelo valor gasto anualmente com as 3 FAs eu acho que elas são pouco armadas.
    Claro que minha opinião pode estar equivocada. Talvez ela tenha 200 Harpoons e 1000 AIM-120 escondidos, junto com 108 F-15 e tenha escondido tão bem que ninguém saiba. Vai saber.
    .
    Sobre a falta de radar, serviu para a FAB cair um pouco no conceito de entusiastas da aviação que raciocinam um pouco. Gasta dinheiro com tanta coisa inútil, mas não põe um radar no seu segundo vetor mais importante.
    A lei pode considerar qualquer coisa sigilosa (como os contratos com Cuba). E segurança nacional pode ser invocada para qualquer coisa. A Dilma mesmo andou dizendo que a divulgação de sua conversa feriu a segurança nacional. Para mim, não feriu nada. Mas, em outros tempos, o Moro já poderia ter sido afastado de suas funções, para não dizer coisa pior. Enfim, a lei em si não é medida moral e pode ser modificada pelo legislador. fora a parte que deixa margens interpretativas a quem a executa.
    .
    Ser dono é uma coisa. Poder usar, é outra. Eu não quero pilotar um caça (nem meu carro eu dirijo direito rsrs). Mas eu quero saber se ele está em ordem, voando, bem armado, pois, em caso de necessidade, ele será necessário para me defender.
    Esse mínimo de informação é necessário.
    .
    No mais, você põe sua mão no fogo que o Tio Sam não sabe exatamente o poderio militar brasileiro? Se um outro país sabe,porque o povo não pode saber?
    Por fim, os EUA divulgam um zilhão de dados sobre a USAF. Não divulga tudo, mas divulga muito mais que a FAB.

  64. Vamos voltar ao tópico, por favor. Política lá no ForTe.
    .
    Nonato.
    Eu acho que a Índia não tem o que reclamar, parece uma virgem indecisa, cheia de dúvidas e jogo duro. O Qatar chegou, comprou, pagou. Precisa de um caça pra ontem por causa do Irã, e o Rafale é o que tem. Pra ontem é mais caro ? Sempre, mas pro Qatar isto não é problema.
    .
    E lembrando que o Qatar tem relações comerciais com Israel… Seu Iacov venderr brrinquedos barratinho prra Qatarr…:))

  65. Caro Rafael, se vc não entendeu a questão:
    Profissão diferenciada feita para… Guerra – algo latente sem dia e hora para acontecer.
    Não posso fazer nada.
    Quanto ao que os novos filhos das pensionistas possam vir a ser em suas vidas, nem cartomantes poderiam afirmar, muito menos analistas do governo.

    Recursos para pagamentos das Pensões e operações elementares da matemática, mostram que o dinheiro saem de seu bolso. Ótimo, nos mostre então, prove, com todos os centavos, sua fração de salário para tal finalidade junto aos militares.
    De minha parte, estou até hoje esperando algum detrator das pensões militares, provar que tal custo Federal é fraudulento.

    E não querendo desvirtuar o foco das pensões… Mas, garçom do Congresso, que não irá para trincheira com restos podres de companheiros para defender minha vida e meu conforto fora do TO, ganham quanto?
    Abraço!

  66. É bem fora do tópico, mas sobre as famigeradas pensões, sou categórico:
    SOU CONTRA, pois um militar é tão importante como qualquer outro profissional do país. De que adianta eu ficar dizendo que sou contra um político se aposentar com dois mandatos, contra as aposentadorias vitalícias, haja vista, que todos os outros profissionais terão que trabalhar por 35 anos para entrar no processo de aposentadoria e ainda sofrer com o “pedagio” no processo, onde paga-se sobre dez salários e recebe-se a metade. Não posso concordar com isso, uma viúva de militar deve ter os mesmos direitos de todas as outras viúvas do pais, onde o falecido era contribuinte do sistema previdenciário e nada a mais. Essa história de filhas, POR FAVOR, chega né, já deu!
    E as histórias das “filhas” que não se casam no “papel” para continuar recebendo a grana, (lamentável) mas qualquer um pode constatar que muitas vivem uma vida com conjugue e filhos….
    Sei que tem militares da ativa e da reserva neste espaço, mas esta é a opinião de um brasileiro pagador de impostos, e que simplesmente deseja uma sociedade justa.
    Para aqueles que tem a consciência limpa e o “chapéu não serviu”, fiquem tranquilos.

    Sds.

  67. Farroupilha,
    .
    Ir para guerra qualquer um de nós pode ir, em caso de necessidade. Não precisa ser militar de carreira.
    .
    Sobre os que os filhos das filhas solteiras serão, obviamente eu sei disso. Só achei engraçado presumir que eles também serão militares. Mulher quando fica tem que trabalhar ou arrumar uma pessoa que a sustente e não depender do Estado (dos contribuintes).
    ..
    1,5% do Soldo = 0,015 S
    13 meses por ano (12 meses, mais décimo terceiro)
    30 anos de contribuição
    0,015S x 13 x 30 = 5,85 Soldos
    Ou seja, a contribuição de 30 anos não daria para pagar 6 meses de pensão.
    .
    Quando a gente paga um imposto, ele vai para o Tesouro sem dizer a quem pertence então não tem como eu dizer para onde ele foi. Os gastos com defesa são de cerca de 1,5% do PIB. Adotando isso como parâmetro, 1,5% do meu salário vai para as Forças Armadas. Como eu sou de classe média e recolho IR na fonte (perto de 20% do total de alíquota efetiva) suspeito que minha contribuição salarial fica acima da média da população, mas vou deixar em 1,5% só para não ter discussão.
    Se você quiser pagar esse valor para mim, eu te passo meus dados bancários e nunca mais falo um A sobre o gasto militar brasileiro. Se quiser devolver tudo que eu pago de impostos, não falo mais um A sobre os gastos feito pelos governos.
    .
    Garçom do Congresso que é servidor pode ganhar até R$ 15.000,00. Uma vergonha descarada e uma falta de respeito com o contribuinte. O serviço público é inchado e, em muitos casos, paga muito mais do que deveria.

    .

  68. Esse assunto de pensão é cansativo. Milico não tem FGTS (faz muita diferença na hora de adquirir imóvel), não pode ter um segundo emprego (só magistério), muda de localidade constantemente, a esposa não pára em nenhum emprego por conta das transferências, não tem hora extra nem adicional noturno, e por aí vai. Em função dessas características, cabe ao Estado prover essa diferença no momento da aposentadoria. A carreira militar está aberta pra quem quiser, mas daí o jovem quer fazer medicina. Escolha dele. Depois de 35 anos vem reclamar que sua aposentadoria não é integral. Mas, se foi um bom médico, especializado em reprodução humana, ou cirurgia plástico, encheu a burra de dinheiro. Enquanto o milico ganha menos que garçom do Congresso, menos que Delegado da PF, menos que promotor, juiz, auditor da Receita Federal, procurador, Coronel de qualquer PM do Brasil.

  69. Roberto, que fique bem claro que o GTE é odiado dentro da FAB, principalmente pela ala operacional. Falta macho pra dar um basta nesse câncer.

  70. Caro Roberto Santana,
    A crítica pela mídia especializada é só um começo. Para ter algum sucesso, tem que sair nos jornais e revistas e, principalmente, sair no Jornal Nacional, uma cobrança incisiva, apontando que outros países mais ricos não possuem tantas aeronaves para a função.
    Infelizmente, brasileiro costuma achar que “autoridade” tem que ter privilégios, como usar jatinho para se locomover até mesmo para sua residência. Eu sou contra até o pagamento de passagens aéreas para esse deslocamento. Eles ganham bem, que paguem.
    Ainda é incipiente um movimento nesse sentido, mas acho que no futuro isso possa melhorar e o desperdício de dinheiro seja menor.
    .
    Rinaldo, você prestou o concurso errado (se é que teve concurso para contratá-los). Esse pessoal é tudo antigo, sendo promovidos em 2001. Hoje, os novos devem ser terceirizados.

  71. O Rafale é salgado, tem lá seus poréns, mas quando se para pra analisar uma imagem como o da matéria, percebe-se que é uma baita de uma aeronave e um substituto a altura do legado dos Mirage…

  72. “Alexandre Samir Maziz 31 de março de 2016 at 11:33”
    É isso ai, escreveu na lateral do 113 ?
    Alexandre tamo junto.
    _____________________

    “Rinaldo Nery 31 de março de 2016 at 17:52
    Garçom do Congresso ganha igual 3 estrelas. Poxa, devia ter feito curso de taifeiro e concurso pro Senado….”
    _____________________

    Esse assunto de pensão já deu no çaco.
    Quem coloca farda já está no risco de tomar tiro.
    Meu sobrinho 3º Sgt Inf PQD saiu do EB por vários motivos, um deles foi esse.
    Terminou a Facu no RJ tendo que esconder identidade etc ….
    Tem que ter pensão sim etc etc etc
    Só quem esteve na caserna sabe onde o martelo bate.

  73. Rafael
    Benjamim Franklin declarou que duas coisas são inevitáveis na vida, a morte e os impostos. Relaxa.
    E só pra ficar com raivinha, minha aposentadoria será integral também :))
    Policiais, mais que militares, colocam o seu na reta.
    Abs.
    .

  74. Cara, tem mais armamento que avião nesse preço. Já viram que foi só coisa cara que foi junto com a aeronave? Daí vem nego dividir o montante pelo número de Rafales para especular o preço da aeronave edizer que é caro (mas esquece de contar meia dúzia de SCALP, uma dúzia de AASM e mais uns Exocet, por areonave, o que não é pouco).
    E, apesar de caro, o Rafale vale o preço, tanto que o Qatar comprou.

  75. _RJ_
    Dizem que cada disparo “Fox3” de MICA custa US$ 2.000.000,oo ! Mas o Qatar pode pagar, é o que importa.
    E as vendas pros Emirados não morreram, podem até avançar depois dessa.

  76. Prezado Rinaldo Nery sei que a informação é sigilosa mas por favor sossegue minha inquietação :
    Será que a essa altura dos acontecimentos já podemos contar com o i-derby e o sistema datalink
    entreo o e99 e o f 5? se a resposta for sim fico mais tranquilo pois estaríamos pau a pau contra
    qualquer um , inclusive contra su 30 ou 35s (pequena desvantagem contra esse ultimo) etc…. (caso não seja possível responder não responda ok).
    Sou apenas um patriota querendo defender meu pais .

  77. Senhores entendam de uma vez por todas: quando o assunto é DEFESA NACIONAL, existem exceções à Lei de Acesso à Informação. Se um jornal venezuelano cometeu uma barrigada ao divulgar um dado sigiloso, ou ainda um jornal colombiano/chileno, isso aí é problema deles. O fato é que algumas informações são realmente sigilosas. Alguém aí pode até saber quantos jatos a USAF tem, quantos NAe’s e submarinos a USNAVY possui, mas… e quantos ICBM os EUA têm em estoque? Alguém sabe? CLARO QUE NÃO!!! Ás vezes surgem algumas informações dadas como verídicas, mas na verdade são apenas “estimativas de especialistas” ou ainda informações “divulgadas pelo setor de comunicação social da corporação”, o que sempre é informação parcialmente verídica. Se a França dirá a seus aliados quantos/quais armamentos foram vendidos e quem foram os clientes, isso não importa. O que importa é que um país sério fará de tudo para proteger certos tipos de informação.

    Se a Argentina quiser comprar mais unidades do Exocet, eles sabem que em caso de necessidade a MBDA passará todas as informações sobre o estoque argentino aos britânicos… mas por causa disso eles vão entregar o ouro? Essa desculpa de dizer que “as grandes nações já sabem de tudo” não cola!! A Rússia (ou China, Inglaterra….) pode até saber sobre meus equipamentos mais sofisticados…. mas meus vizinhos sabem? O Peru sabe? A Argentina sabe? E o Equador? A resposta é: NÃO!!

  78. Delfim, a minha também será, se nada mudar.
    Não tenho nada contra aposentadoria. Meu problema é com pensão, principalmente as das filhas solteiras.
    E só pra registrar, acho que policiais e militares, em regra, ganham pouco.
    E que militares deveriam ter alguns direitos a mais, assim como empregados e servidores civis diveriam ter alguns a menos.

  79. Dureza é o discurso que não compramos este aí porque é caro…Ou pior! Que o Gripen foi escolhido por ser melhor ou pelo custo-benefício e blá blá blá. A Lava Jato está aí mostrando que dinheiro existe, pena que mal empregado/ fiscalizado.

  80. Só para constar, sou autônomo e não preciso puxar a brasa para meu assado. Eu mesmo cuido da minha previdência.
    De minha parte, se os militares brasileiros garantirem a plena soberania do Brasil, com respeito e até temor de nossos possíveis inimigos (que não são sul-americanos ou africanos), para mim então são merecedores de muitas coisas, tendo em vista a missão que aceitaram*.

    Quanto a FAB e seu GTE, outro assunto recorrente, é óbvio que deve ser simplesmente extinto.
    Essa história de político viajando toda semana, em avião da FAB, não condiz com a atual tecnologia virtual de conferências que cada vez está mais avançada. É desperdício mesmo.

    * Quanto à mulheres que agregam pensão deixada de pais militares falecidos com outros ganhos, tipo empresárias, médicas, atrizes etc (e as tais solteiras, só no papel, para não perderem o beneficio), sim, neste caso existe abuso de privilégio.
    Aqui surge uma curiosidade… As atuais Militares Femininas (que antes não existiam) deixam pensão para suas filhas, maridos?

  81. eu fui um dos primeiros a comentar essa notícia, inclusive coloquei que em reais cada caça, junto com treinamento, armamento, etc sairia por cerca de 1,1 a 1.2 bilhoes de reais…. é um valor obscenamente alto, assustador até… comentei que assustaria os contribuintes até em tom de brincadeira… mas tenho a opinião que dados relativos a aquisições, modelos, quantidades, tipos de armamentos devem ser mantidos em sigilo por motivos estratégicos… inclusive poderiamos alardear termos algo que não possuimos com o intuito de confundir o inimigo… informação e contra informação… Acho que cada um aqui possui uma profissão sendo especialista no que faz… O Coronel Rinaldo Nery é um especialista, um caçador, logo sua opinião é técnica… não é um achismo… Pontos de vista que aliás muito engrandecem esse espaço de discussão….

  82. Robson , desculpe mas a questão do sigilo nas informações sobre armamento tirou meu foco da matéria. Vendas militares não possuem preço de tabela. Varia de país pra país, e também de acordo com o pacote. O Rafale já é uma aeronave muito cara, e muito capaz também, todos sabemos. Esse pacote de armamento não é pequeno, e mísseis não são baratos. O Bosco é o especialista, e ele, certamente, sabe os valores de cada um. Certamente os franceses aproveitaram que o Qatar tem bala na agulha, e meteram a faca. Mas, para outro cliente, pacote semelhante, não ficaria mais muito mais barato.
    Caco, não sei em que pé está a operacionalização do Link BR2, que vai deixar as FFAA brasileiras numa situação de vantagem na América Latina.

  83. Delfim Sobreira 31 de março de 2016 at 18:43
    ___________________

    Para Charlie e Mike também, defendo:
    Tem que ter pensão sim etc etc etc

  84. Francês – e aí? vocês vão querer o avion o non?
    indiano – noiz querer a avion. mas só pagar 9 bilhon. e querer garantia de governo francesa.
    Francês – entonse von se katar

  85. Pequeno pitaco meu sobre sigilo nas compras de nossas FAs, atentar-se ao contido no art.24 (em especial o §4º):

    “Lei 12.527/11 (Lei de Acesso à Informação)

    Da Classificação da Informação quanto ao Grau e Prazos de Sigilo

    Art. 23. São consideradas imprescindíveis à segurança da sociedade ou do Estado e, portanto, passíveis de classificação as informações cuja divulgação ou acesso irrestrito possam:

    I – pôr em risco a defesa e a soberania nacionais ou a integridade do território nacional;

    V – prejudicar ou causar risco a planos ou operações estratégicos das Forças Armadas;

    Art. 24. A informação em poder dos órgãos e entidades públicas, observado o seu teor e em razão de sua imprescindibilidade à segurança da sociedade ou do Estado, poderá ser classificada como ultrassecreta, secreta ou reservada.

    § 1o Os prazos máximos de restrição de acesso à informação, conforme a classificação prevista no caput, vigoram a partir da data de sua produção e são os seguintes:

    I – ultrassecreta: 25 (vinte e cinco) anos;

    II – secreta: 15 (quinze) anos; e

    III – reservada: 5 (cinco) anos.

    § 4o Transcorrido o prazo de classificação ou consumado o evento que defina o seu termo final, a informação tornar-se-á, automaticamente, de acesso público. ”

    As FAs estão apenas cumprindo com a lei, nada mais.

    Ao contrário de certas figuras públicas e algumas “egrégias” cortes que conhecemos.

    Sds.

  86. Pois é , o Rafale vendeu por lá, bom avião, arrumaram o din din para comprar, ok, agora é que coruja pia, vamos ver se eles vão ter condições financeiras e principalmente técnicas de manter e operar. Eu estou muito curioso para ver como vão se sair Egito e agora o Catar com uns cinco anos de operações destas aeronaves.
    Os mais observadores já deve ter notado que logo após as operações de combate com estas aeronaves , suas forças aérea respectivas quase decretam default financeiro e voltam a carregar piano com M 2000, F 16, F 18 e etc…
    O tempo nos mostrará a realidade, em breve.

    G abraço

  87. Obrigado, Marcelo. Matou a cobra e mostrou o pau. Devia ter pesquisado também e postado o teor da legislação. Foi preguiça mesmo.

  88. Kkkkk. MAria, você também caiu nessa? O Gripen já está com as cores da Fumaça, e vai puxar uma faixa, escrito “Fora Dilma! Impeachment já!”
    1° de Abril! !

  89. Rinaldo Nery 1 de abril de 2016 at 19:24

    Pensei que os militares fossem mais sérios, mas estão mais avacalhados do que eu pensava. Quem manda se curvar tanto, não é? aliás, pelos padrão visto como “amostragem” por aqui, é fácil notar o quanto despencaram.

  90. Maria, não fique brava. É só uma montagem. Mas ficou bonito, sim. Cuidado com a TPM!
    Como sou cavalheiro vou desconsiderar os insultos.

  91. Nossa, Maria.
    Uma brincadeira dessa não faz mal a ninguém, ainda mais vindo do EDA, cuja missão é interagir com o público.
    Caiu na brincadeira, ria de si mesma e não desconte nos outros.
    No mais, realmente tem muita coisa rolando.
    KC-390 irá dar as caras na feira inglesa que eu prefiro não escrever o nome errado.
    Att.

  92. Farnborough. Kkkkkk
    Falando nisso, fiquei devendo uma resposta pra essa dama, sobre a homologação do KC-390 para a participação nessas feiras. Vou procurar a resposta com um companheiro de turma, ex Diretor do IFI.

  93. Pronto, dúvida sanada via celular. O KC-390, como eu havia explicado em outra matéria, está sendo homologado pelo IFI, em se tratando de uma aeronave militar, atendendo às normas MIL. Porém, a ANAC também participa dessa homologação, via Divisão de Homologação Civil, o que se chama de homologação green. É uma homologação mais enxuta, para vôos na CAG (Circulação Aérea Geral), dentro do Brasil.
    Como a certificação não está concluída, e a aeronave está com matrícula civil, será expedida uma Autorização Especial de Vôo, pela ANAC, com prazo de validade, rota a ser voada, e, obviamente, destino final. No caso de Farnborough, há que se cumprir os requisitos ETOPS (aeronaves bimotor) para a travessia do Atlântico. Espero ter contribuído.

  94. Rinaldo Nery

    Apenas um detalhe sobre a manutenção de sigilo sobre armamentos. Sabemos que a principal função das FFAA é fornecerem o poder de dissuasão e não surpresa. Assim sendo, a publicação do seu poder bélico, e até a exageração deste, fazem parte da defesa. Entendo que a dissuasão é algo assim como uma mensagem clara que diga que os benefícios de uma empreitada bélica contra “nós” são inferiores aos prejuízos que esta vai acarretar. De este ponto de vista, a publicação dos poderes e dos arsenais é parte real e efetiva da defesa de um país e na função das FFAA. Além do mais. Países que não são grandes produtores de armamento estão, lamentavelmente, nas mãos dos seus fornecedores. Israel sabe quantos Derby vendeu ao Brasil, ao Chile, assim como EEUU sabe quantos AIM 120 vendeu ao Chile, ao Brasil e até a Alemanha sabe (até certo ponto) em qual situação se encontram os Leo 1 A5 do Brasil, os Leo 2 A4 do Chile, etc. Não existe segredo militar em nações que não produzem seus meios militares. Apenas sistemas de ordem tecnológica poderiam, em teses, ser escondidos mas até pra isso existem mecanismos criados pra combater estes avanços.

    Considerando estas variáveis, A publicação de seu estoque de armamentos é, em tempos de paz, mais benéfica do que o segredo dos mesmos, pra manter essa paz. ” Eu tenho um pau com um prego na ponta, vai encarar?” Assim vemos que os segredos sobre armamentos só são válidos apenas pra armamentos de ponta e em desenvolvimento. Em tudo caso, hoje, um potencial inimigo considerando o nosso TO, só não teria acesso às informações sobre armamentos e fornecimento dos mesmos quando estes não provenham de fornecedores sócios da ONU, o resto, é só pedir informação que até o SIPRI e o Global Fire Power sabem o que cada país da América Latina tem.

  95. Marcelo Pamplona, ninguém está questionando a importância de se deixar sob sigilo certas coisas. Nós não estamos falando aqui de um programa inteiramente brasileiro, onde a única informação disponível seria à partir de fontes brasileiras. Estamos falando da compra de mísseis de prateleira, dos quais o Pentágono e seus aliados saberiam as quantidades adqueridas apenas com um telefonema. Nem tudo precisa ser exposto, nem tudo faz sentido esconder. A atividade na serra do Cachimbo e um míssil ar-ar comprado de prateleira não podem ser cozinhados no mesmo fogo.

    É preciso saber separar as coisas. Talvez a incapacidade de saber separar as coisas faça parte da nossa cultura. É sempre assim, se é contra a corrupção no meio militar, então é contra os militares, se não concorda com o governo, então é coxinha, e assim vai.

  96. falando em GTE
    .
    Em recente viagem a bordo do avião presidencial, um Airbus A319, tripulantes e passageiros ficaram estupefatos com outro surto de Dilma. Depois de uma forte turbulência, a presidente invadiu a cabine do piloto aos berros: “Você está maluco? Vai se f…! É a presidente que está aqui. O que está acontecendo?”, vociferou.
    Não seria a primeira vez que Dilma perdia o equilíbrio durante um vôo oficial. No final de janeiro, o avião da presidente despencou 100 metros, enquanto passava pela região entre a floresta Amazônica e o Acre. O piloto preparava-se para pousar em Quito, no Equador. Devido ao tranco mais brusco, Marco Aurélio Garcia, assessor especial, acabou banhado de vinho e uma ajudante de ordens bateu levemente com a cabeça no teto da aeronave. Copos e pratos foram ao chão, mas ninguém se machucou. A presidente saiu de si. Na sequência do incidente, tratou de cobrar satisfações do piloto. Aos gritos. “Não te falei para não pegar esse trajeto? Quer que eu morra de susto, cace…?”. Os desvarios de Dilma durante os vôos já lhe renderam uma reclamação formal. Em carta, a Aeronáutica pediu para que a presidente não formulasse tantas perguntas sobre trajetos e condições climáticas nem adentrasse repentinamente às cabines para não tirar a concentração dos pilotos. A presidente não demonstra paciência nem mesmo para esperar o avião presidencial seguir o procedimento usual de taxiamento.
    Um de seus assessores lembra que, certa feita, Dilma chegou a determinar à Aeronáutica que reservasse uma pista exclusiva para a decolagem de sua aeronave. Com isso, outros aviões na dianteira tiveram de esperar na fila por horas. fonte: istoe

  97. Lembrando que a FAB quando comprou 16 caças Mirage IIIE nos anos 70 comprou também 16 mísseis Matra R530, um para cada avião e nunca disparou um míssil em treinamento.

    Os mísseis dos F-5E eram por muito tempo do modelo AIM-9B, o mais antigo. A coisa só melhorou depois que foram adquiridos os Python III e depois os Python IV, mas a quantidade é simbólica, como sempre.

  98. O EB deixou de lançar foguetes em Formosa (Astros) porque a desequilibrada não quer desvio nas rotas. A área de Formosa estava ativada por NOTAM.
    Pena do Brig Bianchi, que trabalha diretamente com essa desvairada. Os pilotos do GTE, se não querem ser insultados peçam transferência. Mas as diárias em dólares são excelentes.

  99. Alexandre, é verdade. Creio, salvo melhor juízo, que resolveram lançar um MATRA, depois que venceu a validade de todos, lá em Natal. Ao ser lançado, o míssil explodiu quase na cara do piloto. Daí cancelaram todos os lançamentos.
    Depois desse aprendizado, a FAB realiza campanhas periódicas de lançamento antes do vencimento do míssil.

  100. Lembrando também que o lançamento real, além de dar aos pilotos a sensação real de um tiro, demonstrar ao pessoal de inteligência que os parâmetros ofertados pelo fabricante são realmente válidos, também proporciona aprimoramento da doutrina do pessoal de apoio de terra para armar manusear, transportar e armar as aeronaves. Na última campanha de tiro realizada na BACO as aeronaves foram armadas dentro dos procedimentos de segurança padrão OTAN.

    G abraço

  101. Com os Matra, eu desconheço. Talvez o Juarez, ou o Justin, possam ter mais informações. Quando na ativa nunca ouvi falar.

  102. Bardini, nos AIM 9 B nada se fez, ouvi dizer que certa feita pensaram em utilizar os Matra como mísseis anti navio
    A mudança de paradigmas nos paióis de mísseis da FAB só ocorreu após um “Jaco” que veio verificar a estrutura para receber o P III e se referiu ao paiol da BASC dizendo: ” Em lugares como este em Israel nós criamos vacas”.

    G abraço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here