Su-35
Su-35

A Rostec participará da FIDAE 2016 no Chile para promover seus principais produtos: desde armas e rifles Kalashnikov até helicópteros e jatos de última geração

Moscou e São Paulo, 24 de Março de 2016 – A Rostec, corporação estatal da Federação da Rússia que desenvolve, fabrica e exporta produtos industriais de alta tecnologia para o uso civil e militar, promoverá seus principais produtos na FIDAE 2016 (Feira Internacional do Ar e Espaço), um dos maiores eventos de aviação e de defesa do mundo, prevista para ocorrer entre os dias 29 de março e 3 de abril em Santiago (Chile).

Entre as novidades, destaque para: os caças MiG-29M/M2 e Su-30MKI; a aeronave Su-35 com alto nível de manobras; o jato de treinamento e combate Yak-130; o sistema de artilharia antiaérea Pantsir-S1; o sistema de defesa Igla-S; os rifles Kalashnikov; e os helicópteros de transporte e combate das séries Mi e Ka.

MiG-29SMT
MiG-29SMT

A corporação participará da FIDAE com a presença das seguintes holdings: Helicópteros da Russia, Techmash e Kalashnikov, tudo sob a organização da Rosoboronexport, braço da Rostec e única importadora e exportadora de produtos militares da Rússia. No total serão ofertados mais de 350 exemplos modernos de técnica de aviação, sistemas de defesa, armas de destruição e outros tipos de armamentos militares.

“A participação na FIDAE, uma das maiores feiras de defesa da América Latina, permite a Rostec confirmar sua posição de companhia líder na produção e exportação de produtos militares da Rússia. Atualmente a área militar corresponde a 60% de toda a produção da Corporação”, afirma Sergey Chémezov, CEO da Rostec.

“Embora a estratégia de desenvolvimento da Rostec esteja focada em figurar entre as sete maiores corporações industriais do mundo até 2025 – através do desenvolvimento e criação de produtos civis inteligentes -, seguimos com a tarefa do cluster de ‘armamentos’ de manter a competitividade dos produtos, gerar receitas, garantir a realização dos contratos de colaboração técnica-militar e desenvolver projetos de alta tecnologia”, explica o executivo.

Yak-130
Yak-130

“Neste sentido, a Rostec aposta na América Latina como um dos mercados prioritários para exportação de tecnologia russa, oferecendo em geral os sistemas integrados de segurança, além dos produtos de defesa antiaérea e de aviação, fortemente reconhecidos em nível mundial”, conclui.

A carteira de pedidos de exportação da Rosoboronexport já supera atualmente US$ 45 bilhões. A América Latina representa apenas 9% das entregas feitas pela companhia. A expectativa é de que a cifra aumente nos próximos anos graças ao forte interesse dos países da região por produtos nas áreas de aviação e defesa antiaérea.

Durante as negociações com representantes da América Latina, as holdings da Rostec irão oferecer não apenas o fornecimento de produtos militares e de duplo uso, como também o aprimoramento do serviço de pós-venda e o estabelecimento da produção em conjunto com as nações da região. O objetivo principal – e que integra a estratégia da corporação – é ampliar e fortalecer a colaboração com os países latino-americanos no longo prazo.

mil_mi-171a2_at_the_maks-2013_01
Mi-171A2

A holding Helicópteros da Rússia, por sua vez, irá promover, pela primeira vez, o helicóptero multiuso Mi-171A2 e o de resgate Ka-32A11BC. Também está contemplada a apresentação de novos helicópteros ágeis do tipo Ansat para clientes e operadores que participarão da FIDAE.

Em relação as vantagens e qualidade dos produtos, os visitantes – incluindo autoridades de toda a América Latina – poderão obter mais informações durante a apresentação que será feita pela Rosoboronexport na FIDAE, prevista para ocorrer no dia 30 de março.

Sobre a Rostec

A Corporação Rostec foi fundada em 2007 para apoiar a pesquisa, o desenvolvimento, a fabricação e a exportação de produtos industriais de alta tecnologia para o uso civil e militar. É um conglomerado estatal da Federação da Rússia que detém aproximadamente 700 empresas, incluindo nove holdings que formam o complexo militar-industrial e cinco grupos empresariais que atuam na indústria civil. Conta ainda com o controle direto de 22 companhias e marcas de renome mundial em seu portfólio, como a AVTOVAZ, KAMAZ, Helicópteros da Rússia e VSMPO-AVISMA, entre outras. A companhia está presente em 60 entidades constituintes da Rússia e exporta sua produção para mais de 70 nações. A receita da Rostec em 2014 foi superior a 964,5 bilhões de rublos.

DIVULGAÇÃO: Cunha Vaz Brasil

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claudio Montreal
4 anos atrás

MIG 29 ( MIG 35 ), como caça de interceptação, 30 caças ( 2 X 12 + 6 para rodízio operacinal ), complementados pelos Gripen ( 80 caças Totais ).
Ficaria uma aéria de respeito.
Os 24 MIG´s em Anápolis.
É minha opinião.
Um dia, quando eu for grande…………
Ramiro Lopes Andrade

Dranuits
4 anos atrás

Prefiro 30 F15 a aviões russos

TJ Lopes
4 anos atrás

O único produto que TALVEZ poderia ser interessante para o Brasil, por precisarmos de um LIFT e pelo preço mais acessível em comparação as soluções ocidentais (pelo menos é o que se espera), seria o Yak-130, se possível, com aviônica israelense.

R_silvestro
R_silvestro
4 anos atrás

Essa ROSTEC é uma chapeação e pintura?

Jorge Ferreira
Jorge Ferreira
4 anos atrás

Prefiro qualquer coisa a 30 F-5…

Carlito
Carlito
4 anos atrás

Muito se discute sobre as vantagens e (principalmente) desvantagens de equipar nossas forças armadas com equipamentos russos, mas confesso que me sou apreciador do S-34, e não me importaria de ver alguns voando por aqui.

_RJ_
4 anos atrás

TJ Lopes, se for para economizar, pega logo um chinês (L-15 ou K-8). Ou continua pulando de Super Tucano e simulador para o caça de ponta.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Rostec ? Nome apropriado ! (rs)

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

“Jorge Ferreira 24 de março de 2016 at 16:45
Prefiro qualquer coisa a 30 F-5…”
_______________________
Eu também.
24 Kfir Block 60, armado até os dentes com “brinquedos” Israeli.

Lucas Lima
4 anos atrás

Que venha para o Brasil…. mais uma industria com materiais de primeira qualidade

Trollbuster
Trollbuster
4 anos atrás

Vão morrer de fome.

Leandro Costa
Leandro Costa
4 anos atrás

A logística operacional, as modificações estruturais em bases aéreas, consumo de combustível, etc etc etc., tornaria tudo um pesadelo econômico e logístico. Mas sonhar não custa nada e cada um pode ter o seu.

Fred
Fred
4 anos atrás

Eu acho que o Carlos Alberto ganha comissão pra vender Kfir… ahhahahahaha

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
4 anos atrás

Tranqueira russa não…

Ricardo
Ricardo
4 anos atrás

Estamos nadando em dinheiro, temos só equipamentos de primeira qualidade, podemos desprezar estes equipamentos russos, chineses, paquistaneses e outros países q não sejam anglo americanos ou europeus. Realmente um lixo qualquer equipamento q não seja melhor q o q fazemos aki, já q os nossos são os melhores do mercado e quem compra sempre tem a sorte de fazer o melhor negócio do mundo. Imagina se todos os chefes de Estados, negociadores e comerciantes pensassem assim. Até acho q neste site tem pessoas honradas, patriotas e querem o melhor para o país. Sejamos repostas, não é bem assim q o… Read more »

Ricardo
Ricardo
4 anos atrás

Queria escrever sejamos realistas, não é………
Erro do corretor do telefone.

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
4 anos atrás

Tenho que admitir, a força aérea Russa com seus Sukhoi’s são simplesmente impressionantes! Deveríamos desde o começo somente adquirir os vetores russos. Com certeza estaríamos em um nível muito superior a todos os nossos vizinhos.

Gustavo Borges
4 anos atrás

Os venezuelanos já terminaram de pagar os Su-30 ou eles conseguiram esses aviões graças a uma ajudinha financeira russa?

Carlos Valerio
4 anos atrás

China, Índia, Paquistão, Venezuela, Argélia, Emirados árabes e até a Arábia Saudita( sempre friend do tio Sam) , namorando equipamentos russos, e só no Brasil -supra sumo da inteligência militar- que se despreza equipamentos russos. É nós estamos certos os outros sempre errados.

Augusto
Augusto
4 anos atrás

Cláudio montreal só nos seus sonhos o mig-35 é melhor que o gripen ng até o radar do mesmo é maior que o do mig, a não ser se vocês esteja se referindo ao gripen c/d

Augusto
Augusto
4 anos atrás

Caças para América latina acho que os Russos podem esquecer, só se o embargo de cuba cair, segmento que eles podem conseguir um pedaço aqui na AL é o de contra-insurgencia

Victor Moraes
Victor Moraes
4 anos atrás

Poderosas armas. E eu não me atrevo a chamar de tranqueira. Mas que são uns desenhos dos anos 50 são… Analisando apenas a estética. As coisas russas parecem não ter um contorno que não permita suas naves parecerem não polidas, ou velhas, ainda que sejam novas. Isto, as coisas novas russas já parecem velhas… Sei lá… Talvez seja o estilo espartano, conveniente. Analise superficial… viajando… Mas que de qualquer forma é bonito, é! E perigoso, sem dúvidas. Bem melhor do que os nossos…

Ah, e como disse alguém acima, vão passar fome…

Caco
Caco
4 anos atrás

Ocidental sincero não te entendo outro dia vc disse que todos os caças russos eram lixo e historicamente só levavam couro dos f ‘s americanos (eu te contestei) hoje vc mudou totalmente de opinião? kkkkkkkk. Gustavo borges : após o acidente (abate não confirmado ) do su 30 o maduro viajou para a Russia , fez um escarcel mas comprar oficialmente não comprou nada , mas tenho medo do que ele possa ter comprado por debaixo do pano ( modernização do su30, su35s etc..) se bem que uma compra desse porte logo apareceria .Em época de empiachment isso me preocupa… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

“Fred 24 de março de 2016 at 18:36
Eu acho que o Carlos Alberto ganha comissão pra vender Kfir… ahhahahahaha”
________________
Jamais, nunca ganho de quem venda, mas de quem compra ! Kkkk…..
Vou comer bife de chorizo por mil anos.
________________
“Trollbuster 24 de março de 2016 at 17:55
Vão morrer de fome.”
________________
Ou comer Ceviche e atum por mil anos. Kkkk ….

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Off, nem tanto, eis como se organizam(parte) assuntos de Defesa em Israel, para leitores que apreciam organização, P & D etc etc etc
________________________________
http://www.sibat.mod.gov.il/defense/#p=1

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
4 anos atrás

Caco, é que tenho lido muito ultimamente esse site russo e me empolguei. kkkkkkk. Mas que pra nossa realidade sul-americana , eles impõe muito respeito. http://br.sputniknews.com/defesa/

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Lembrando, ISRAEL está na FIDAE 2016.
__________________________
Caro Bosco,
Drones Kamikazes !

Bardini
4 anos atrás

Pra realidade Sul-Americana, o Gripen impõe muito respeito.

Tiago Silva
Tiago Silva
4 anos atrás

Bem focada a ideia da Rostec em olhar mais atentamente o mercado da América Latina, se formos pensar bem em breve pequenas licitações vão ser abertas em quase todos os países da região isso falando apenas de aeronaves sem contar outros tipos de equipamentos. Quase todos os países da América Latina estão para realizar um processo de modernização de suas aeronaves e ou substituição o que atrai os olhares de empresas interessadas,temos que levar em conta também que tem muito equipamento russo em operação na região e nada mais natural do que procurar velhos usuários e oferecer novos produtos ou… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

A partir da página 36 está o que defendo para nossos C 130, todos que possam receber o pacote proposto.
Simples:
O C 130 cumprirá missões que o KC 390 não fará.
Tenho mais motivos, mas prefiro aguardar.
_____________
Lembro: Fui Embraer de crachá e adoro a Empresa.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Na página 95 assunto para o PN.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Delfim, página 152, 153 …. escolha ……

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Tirando o caviar?!, as russas?!, a vodka?!, que mais de bom os russos vão apresentar na FIDAE 2016?

Opa!!! Não vai ter caviar.. russas.. vodka.. Ahh! Então não vou no pavilhão deles.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares 24 de março de 2016 at 19:59
__________________
A partir da página 358 o inventário disponível para venda da IAF,
__________________
Tem Kfir, A 4, F 16, Asas Rotativas etc etc etc …..

Luiz Campos
Luiz Campos
4 anos atrás

Como o Brasil, ex Pindorama e atual Pindaíba, carece de recursos, então a escolha de equipamentos merece um bom estudo antes de comprar qualquer joça que voa. Não acredito que aviões russos ou chinas vão resolver nossa gigantesca deficiência, talvez até piore a situação. Como aprendi na trilogia, ter não significa operar.

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
4 anos atrás

Eu aprendi na trilogia, tudo que for russo, francês, coreano ou chinês é uma porcaria. rs.

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

Ocidental Sincero não é q seja uma porcaria, é que nossas FA estão acostumados com armas e equipamentos e doutrina Ocidental, o pós venda russo as vezes falha. A questão das armas francesas é que não presta mesmo huahuahua ou é muito caro e pior que um análogo ocidental.

Mateus
Mateus
4 anos atrás

Eu pessoalmente acho muito interessante esse foco de diversas empresas da área de defesa na América Latina. Fomenta tecnologia militar na região…Acho esses aviões Russos lindos, tem um visual ameaçador. Segundo os especialistas que aqui discutem, e são vários…(sem pejoração, eu sou apenas curioso na área), de forma geral esses aviões 4,5 e 5ª geração (ocidentais e orientais) são de doutrinas diferentes, Enquanto um o foco é capacidade eletrônica,furtividade e desempenho geral, o outro tem foco em carga, velocidade e manobrabilidade, quando analiso por meu olhar leigo, acredito que uma mistura de um Su-35 e Gripem seria uma senhora Força… Read more »

RENATO AUGUSTO SANTANA GARCIA
RENATO AUGUSTO SANTANA GARCIA
4 anos atrás

Os produtos militares tem grande qualidade vale lembrar que o Buran(Onibus Espacial Russo). carregaria o dobro do peso do americano e foi o único a fazer um pouso sem ninguém no comando, com referencia aos aviões e sistemas de defesa são superiores aos americanos que tudo passa pelo aval do congresso que mesmo que não admitam acham o Brasil um pais hostil temos de aproveitar o estreitamento com os BRIC’S para poder modernizar as forças e adquirir a tecnologia. Vale lembrar que em um momento pior da História Mundial através de nossos técnicos conseguimos criar do zero tecnologia de centrifugas,… Read more »

Alexandre Samir Maziz
4 anos atrás

Na verdade vejo com essa investida dos russos no mercado latino americano , não vejo problema nenhum em comprar armamentos russos , são uma superpotência militar também , o que importa e fazer acordos por armamentos de boa qualidade modernos e não comprar “gato por lebre ” . Abraços !!!!

Jmgsboston
Jmgsboston
4 anos atrás

Renato Augusto. O Buran não tinha motores próprios como os equipamentos americanos, lógico, vão poder carregar bem mais peso. Os sistemas de segurança do ônibus americanos são triplicado, afinal havia pessoas vivas la dentro.Se os russos não fizeram o mesmo isso quer dizer mais peso ainda que vai poder ser carregado. Quantas vezes o Buran saiu do chão? Acho que uma vez so, não foi? Quanto a pousar sem pilotos…………, voce acha que os pilotos dos ônibus espacias faziam ago alem de monitor leitores. O pouso era automático, pelo que ja li.

Delfim
Delfim
4 anos atrás

Eu acho os Sukhoi de um desempenho impressionante, adequado à imensidão brasileira, mas tenho minhas dúvidas com relação a coisas como qualidade de manufatura, TBO dos motores, aviônica e armamento.

Se o Brasil conseguisse a licença de fabricação, com a qualidade da Embraer, mais a possibilidade de motores, armamentos e aviônicos ocidentais, seria ótimo.

_RR_
_RR_
4 anos atrás

Renato ( 25 de março de 2016 at 18:37 )… . O Buran, que não era um produto miliar em essência, foi desenvolvido depois do Space Shuttle. Seria lógico, portanto, que incorporaria melhoramentos em relação a este. Os americanos, grosso modo, tinham/tem a mesma tecnologia para leva-lo ao espaço e traze-lo sem interferência humana. . Diferente do busão americano, como lembrado pelo ‘Jmgsboston’, o Buran foi concebido sem motorização equivalente; pensado para ser lançado como “carga” do sistema ‘Energiya’. E termina que isso poderia redundar num sistema espacial muito mais caro. O Space Shuttle dependia em parte dos seus motores,… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Respeitando as diversas opiniões, acho que devemos ter cuidado com as afirmações. ” A FAB precisa de um LIFT”. A FAB quer um LIFT? Não. Ela terá um? Não. Por que? Porque ela entende que o binômio A-29 / jato é satisfatório. O SU-30 da Venezuela (o Paraguai que ganhou na mega sena) está full operacional? Qual é a disponibilidade da frota? Não sabemos. Como a FAB está se saindo com a manutenção e o pós venda do AH-2 Sabre? Está enfrentando dificuldades, pois até hoje os russos não compreenderam a metodologia ocidental de manutenção. A FAB fez algumas exigências… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Fabricar o SU-35 na EMBRAER. O Sukhoi foi cortado na short list do FX-2 porque os russo não tem NENHUM interesse em fabrica-lo aqui, tampouco passar qualquer conhecimento pra EMBRAER. O russo pensa assim: “se você não quer tem quem quer”.

ivammc
ivammc
4 anos atrás

É isso aí, caro Rinaldo Nery, falou tudo.

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás

Sr. Nery
Até onde sei, o desempenho do Sukhoi foi superior. Perdeu pq os oficiais da FAB não gostaram do jogo duro da Sukhoi. Afinal, seus aviões são fabricados sob licença na Índia e China, não justificando a negativa na licença para a Embraer.
Por outro lado, se a licença de fabricação fosse tudo, estaríamos de Mirage 2000-5 desde o FX-1.

Lucas Fernandes
4 anos atrás

Tirando o Flanker, Mig-29 e seus derivados e o KA-52, não vejo beleza no design russo. Como disse alguem acima, você tem um helicóptero novo com cara de velho kk
Enfim, acho que o modernismo não chegou ainda na Rússia, de modo geral.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Não falei de desempenho. Quem esteve na Rússia voando a garça foi um companheiro de turma, piloto de provas. Mas que não autorizaram a fabricação, isso é fato. E bastou pra ser cortado da short list. Mas iria dar problema na primeira revisão de motor. Sobre a licença de fabricação, no FX-2 era tudo. E a COPAC não gostou mesmo.