Tejas

O Light Combat Aircraft (LCA) Tejas, projeto autóctone desenvolvido pela Defence Research and Development Organisation (DRDO) da Índia, fez história quando tocou o solo estrangeiro na base aérea de Sakhir, no Bahrain.

Pela primeira vez o LCA Tejas voou em espaço aéreo estrangeiro para participar do Bahrain International Airshow-2016, que ocorre de 21 a 23 de janeiro de 2016.

Além de Tejas, a DRDO também está apresentando outros sistemas de defesa desenvolvidos na Índia para mostrar o talento do país na área de tecnologias de defesa avançadas com o objetivo de explorar o potencial de exportação de sistemas e equipamentos de defesa.

FONTE: Ministério da Defesa Indiano

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Como vender algo que o próprio país fabricante não opera plenamente ?

hamadjrh
4 anos atrás

Bom eles podem vender curry e carne bovina

João Paullo Sampaio e Conceição
João Paullo Sampaio e Conceição
4 anos atrás

O JF-17 do Paquistão é o F-16 Frankenstein e o Tejas é Gripen C Frankenstein.

João Paullo Sampaio e Conceição
João Paullo Sampaio e Conceição
4 anos atrás

Porém tanto o JF-17 quanto Tejas potencial pra serem explorados

João Paullo Sampaio e Conceição
João Paullo Sampaio e Conceição
4 anos atrás

Tem potencial ***

André Zanatti
4 anos atrás

Tem potencial sim só se for pra algum país Africano né pessoal, quem vai comprar ?

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
4 anos atrás

carlos alberto soares 18 de janeiro de 2016 at 22:47
Como vender algo que o próprio país fabricante não opera plenamente ?
.
.
Isso acontece desde q inventaram a pólvora.
Exemplos modernos ? F-35, Gripen NG, Airbus A400…

fonseca
fonseca
4 anos atrás

poderiam chamar a embraer.
Se não quiserem chamar a boeing, dassault, saab, poderiam chamar a embraer que também não domina para aprenderem juntos.
O que está dando bode?
Nesta foto, o avião está lindo… por baixo…
Um baita avião…

Mauricio R.
4 anos atrás

“…poderiam chamar a embraer que também não domina para aprenderem juntos.”
.
Então ainda bem que não chamaram. Ajudar aos outros, sem olhar a quem existe somente na doutrina católica.

Papan
Papan
4 anos atrás

Argentina agradece por mais uma opção de carne de segunda.

mauriciosilva2014
mauriciosilva2014
4 anos atrás

Olá.
“Tejas é Gripen C Frankenstein.”
Da forma como a foto foi tirada, o Tejas lembra uma mistura entre um Mirage III e um Mirage F1.
SDS.

Arthur Duval
Arthur Duval
4 anos atrás

Me orgulho muito de ser CATÓLICO, não deixe que a mão direita saiba o faz a mão esquerda.

aldqueiroz
aldqueiroz
4 anos atrás

Prezados, Vejo vários posts que criticam ou mesmo ironizam o Tejas. Mas penso que a Índia acerta ao insistir em desenvolver seus próprios meios de defesa; afinal, “Transferência Total de Tecnologia” é história pra boi dormir!, todos sabemos bem (exceto o Lula e cia., claro…), e a Índia faz fronteira com Paquistão e República Popular da China, países com os quais não tem exatamente as “melhores relações”. Então, por mais que o programa do Tejas esteja atrasado, e o potencial de exportação desse avião seja “discutível”, vejo que o esforço de desenvovlimento e produção local do Tejas acabará por trazer… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

E o avião voa… Eu pensava que era um imbróglio. Não sei o que está faltando. Não emprega tecnologia inovadora, que se saiba.
O problema talvez não seja assento ejetavel nem sobrepressurizacao dos tanques.
Voando não transmitem muita segurança. Dão umas balancadas…

Victor Filipe
Victor Filipe
4 anos atrás

Tejas e o Mirage 1 para os mais modestos kkkkkk os indianos estão certos em desenvolver seus próprios meios sim, mas isso não faz a qualidade dele ser menos discutível.

dieter91360
dieter91360
4 anos atrás

É muita ironia mesmo ficar observando como um pais que plenamente domina a tecnologia do teco-teco ( só que com motor da Inglaterra) fica malhando a India por desenvolver o Tejas nacionalmente…

Pangloss
Pangloss
4 anos atrás

Essa expressão “fazer história” tem sido muito vulgarizada.
Se admitirmos que qualquer assunto que venha a ser documentado é parte da história, “fazer história” não significa nada de especialmente grandioso.
Ao contrário, se os critérios para o emprego da expressão forem minimamente exigentes, o fato de um avião desenvolvido e fabricado na India ter voado até o Bahrein para ser exposto não me parece digno desse alvoroço algo ufanista.

Zmun
Zmun
4 anos atrás

Dieter, não somos paraguaios, somos brasileiros.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Alfredo Araujo 19 de janeiro de 2016 at 1:07
“….F-35, Gripen NG, Airbus A400…”
Comparando com LM, SAAB, Airbus …..
Me poupa vai …..

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

http://www.defensenews.com/story/defense/air-space/strike/2015/11/12/india-boost-lca-order-af-questions-its-capabilities/75645752/
Por US$ 35 milhões ?
Tá bom ….
Tem coisa muito melhor nesse preço para baixo.
Esses Hindus.

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Índia… Estranho… corrupção?? Seu programa espacial é barato e exitoso mas seu convencional programa de um caça de 4º geração… Caça leve Tejas, já está com mais de 30 anos de idas e vindas e ainda está em desenvolvimento. Só a parte de projetar no papel o que queriam para ele demorou cerca de 10 longos anos. Já nosso cargueiro multipropósito KC-390, entre proposta, projeto e materialização levou apenas 6 ou 7 anos, e dentro de seu segmento é para concorrer diretamente com uma lenda chamada de C-130 Hércules. Com qual lenda da indústria aeronáutica, na ativa, o Tejas concorre… Read more »

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
4 anos atrás

carlos alberto soares 19 de janeiro de 2016 at 11:02 “Comparando com LM, SAAB, Airbus …..” . Primeiro… onde que comparei ? Só respondi a sua pergunta… Segundo… Eu nunca compararia a tradição e a capacidade produtiva/técnica da LM e Airbus com a da HAL. Mas agora me responde… o que a HAL faz que a LM e a Airbus nunca fizeram (ou fazem) ? Atrasar cronogramas e deixar o orçamento de seus projetos alcançarem a estratosfera ? Realmente o F-35 e o A400M são projetos que cumprem exatamente o combinado… Se vc quer denegrir a iniciativa indiana de construir… Read more »

VANICIO
VANICIO
4 anos atrás

COM O SUPER TUCANO ME SINTO UM INDIO AINDA, PERTO DESTE TAL DE TEJAS,,, UM DESTE AI DEVE DERRUBAR A NOSSA FAB TODA EM 1 HORA.. ALGUEM duvida ???
parabens a india que nao espera ninguem ter boa vontade de ensina los a fazer nada , fazem sosinhos , estao no caminho certo . quanto a nos , ainda trocamos ouro por espellos.

Mauricio R.
4 anos atrás

E isso tudo na Índia, agora imaginem aqui aonde o expertise se resume a jatos regionais, jatos executivos, avião de treinamento e avião agrícola…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

“UM DESTE AI DEVE DERRUBAR A NOSSA FAB TODA EM 1 HORA.. ALGUEM duvida ???”
.
Eu duvido, a não ser que seja num videogame com munição infinita.
.
E, por favor, solicitamos que escreva normalmente, sem esse abuso de maiúsculas.

Rafael
Rafael
4 anos atrás

Carlos Alberto desconsiderando os atrasos do Tejas por erro próprio deles os indiano , os sistemas embarcados ou que serão embarcados é bem moderno, inclusive usará um radar israelense, tem matérias aqui no aéreo falam disso , então eu discordo que o preço esteja salgado , pelos menos se ele ficar mesmo nos 35 milhões

Jose Souza
4 anos atrás

post meio … como, aonde, porque ? … que tecnologias… que avanço… que custo x beneficio… já voa ? aonde ? a quanto tempo ?

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

caça para pobres, pelo menos serve para desenvolver tecnologia e manter cerebros na índia, quem quer ser grande persegue esse objetivo

Arthur Duval
Arthur Duval
4 anos atrás

O esforço autóctone´é sempre louvável, e sim faz a diferença. Quanto as maiúsculas Fernando Nunão é só pra aumentar o volume.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

Não é necessário “aumentar o volume”, os editores do blog preferem que os debates ocorram num “volume” civilizado e tom cordial.

carvalho2008
4 anos atrás

Que eu saiba, o Tejas por definição de conceito, nasceu não como um projeto comercial para vendas internas e externas. Nasceu para ser um caça com 100% de tecnologia nacional ou seja, antes de ser comercial, ele é na verdade um projeto desenvolvedor de tecnologia. é diferente do KC-390 por exemplo, que suas premissas iniciais previam as parcerias de co produção internacional, utilizando-se apenas as melhores tecnologias já maturadas de cada um. O Tejas foi um passo maior que a perna que previa de radar, avionicos, FBW, cod fontes, motor, tudo nacional e obviamente desta forma, dezenas de projetos mestres… Read more »

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Se o Tejas chegar a ter 30% de tecnologia embarcada indiana já está de bom tamanho.
Queriam um motor autóctone para ele, então tá, é fácil fabricar motores de caças supersônicos… E alguém acreditou nesta fanfarronada de marinheiro de primeira viagem, quem sabe o povão indiano né?!!
Eita projeto arrastado mesmo sendo quase todo com peças do exterior.

E, ainda… até a pouco tempo queriam fabricar Rafales.

Mas a coisa não acabou – existe o tal T-50 de 5º geração indiano – até quando vai durar a paciência russa?

joseano
4 anos atrás

parece uma cópia do mirage 2000 só que 30 anos depois, ainda assim é louvável porque tem a preocupação de ser um desenvolvedor de tecnologia aeronáutica para a India, isso chama-se independência parabéns aos amigos indianos apesar de achar que é um projeto que se alongou por demais no tempo. Porém antes tarde do que mais tarde.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Vamos lá, o que gosto nele:
1) É um Delta;
2) Motor confiável, 0800 24 hs – 7 dias por semana – em Inglês fluente (rs),
3) Estado de arte e armamentos embarcados Israeli, aliás os Hindus começaram mesmo a “andar” nesse Tejas quando Israel “entrou na parada”.
4) Eu compraria ?
R. Somente se vier com uma carta de recomendação da http://www.iaf.org.il/2381-en/IAF.aspx
com ressalva, o quê compro por US$ 35 milhões ? (Se é que o preço é esse mesmo !).

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

“Mauricio R. 19 de janeiro de 2016 at 13:26
E isso tudo na Índia, agora imaginem aqui aonde o expertise se resume a jatos regionais, jatos executivos, avião de treinamento e avião agrícola…”

/////////////////////////////////////////////

Verdade …….. e fazendo somente isso consegue ser a terceira Companhia na Produção de Aviões do mundo. (rs).
Sem a linha Militar que as duas primeiras tem: Boeing e Airbus.
Uma Empresa que nasceu num módico galpão no final da 2ª metade na década de 60.
https://www.youtube.com/watch?v=ACVr4sOJwSM

Zerique
4 anos atrás

Alguém pode me informar quais os jatos de combate que a índia possui em sua frota??

Mauricio R.
4 anos atrás

CAS,
.
Responda francamente: Com esse expertise de jatos regionais, jatos executivos, avião de treinamento e avião agrícola, vc consideraria a Embraer capaz de ao menos replicar o conceito do Textron Airland Scorpion, aqui no Brasil???

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

1º tem que ser exequível, portanto o tempo da concepção é um fator importante,
2º Grana, disponibilidade mesmo e
3º Para atender a premissa tempo,
um consórcio de uma empresa na aviação militar é bem vindo.
O tempo e a grana são os que definem cravado na sua pergunta:

“……..replicar o conceito…………”

//////////////////////////////////

“…..Embraer capaz de ao menos replicar o conceito do Textron Airland Scorpion, aqui no Brasil???”

carvalho2008
4 anos atrás

Não tenho dúvidas que a Embraer conseguiria junto a um plano da FAB, de iniciar a operação de um caça nacional de conceito similar ao Scorpion em 10 anos. Do inicio da concepção a entrada operacional. O Scorpion não tem segredos, tecnologias inclusive comerciais de vários fornecedores e maturadas. A questão é mercado e fluxo consistente de investimento. Eu inclusive já achava a bom tempo que existe espaço para um bom LIFT, porem com design realmente inovador e avançado, pois todos que estão ai replicam conservadorismo ainda da 3a. geração, quer seja T-50, M-346, etc…mas agora a expectativa está com… Read more »

strana
strana
4 anos atrás

Parabéns, Índia !! Estranho como alguns podem criticar um caça como esse. O Tejas possui moderno design, avançada aviônica, materiais compósitos, armamento de primeira linha… . Sua limitação é o alcance curto e baixo poder ofensivo, mas essas tarefas cabem a outros aviões ( Sukhoi -30 MkI , Mirage 2000, Jaguar, MiG 29 e quem sabe, no futuro, ao Rafale). Os próprios pilotos indianos afirmam que ele é,como caça, claramente superior ao Mirage 2000 e que não perde para as vesões atualizadas do MiG29 . Certamente é equivalente ao Gripen atual e, com as alterações previstas, ( AESA, por exemplo)… Read more »

Mauricio R.
4 anos atrás

Como assim 10 anos da concepção a entrada em operação, se o conceito do Scorpion não tem segredos????
Note tb que a aeronave não participa do T-X da USAF, apesar de haver sido oferecida aos militares para uso em certas aplicações específicas.

carvalho2008
4 anos atrás

Strana, Superior ao M2000 de fabrica ou um atualizado? Superior ao NG? Não creio mesmo… É o que falei, o aiframe dele é pequeno e precisaria ser redimensionado tal como os exemplos que dei e o proprio NG… o combustivel interno de um é de 2400 kg e o NG será de 3.400 kg….e ao menos seu prototipo garantiu o supercruise…os Tejas que estão saindo são os Mark I com elta 2032 e somente os novos Mark II é que sairão com o elta 2052 e as F414…não acho que encosta não….o aiframe dele tinha até problemas com as metas… Read more »

VANICIO
VANICIO
4 anos atrás

poxa nunao , foi mal , so vi que escrevi com letras maiusculas depois que mandei entrar,,, ai era tarde ,, mil perdoes . quanto a derrubar nossa fab em 1 hora REALMENTE NAO DARIA , POIS TERIA QUE VOAR DE RE PRA IR NA MESMA VELOCIDADE DOS S.T E F 5. KKK

VANICIO
VANICIO
4 anos atrás

fico pensando ,, a embraeer fez o s.tucano apartir da aula que os italianos nos deram no projeto amx,,, sera que com a aula dos suecos no projeto gripen a embraeer agora vai fazer pelo menos um amx

VANICIO
VANICIO
4 anos atrás

perdao a todos ,, de novo meu comenterio entrou com letras maiusculas ai em cima ,,, nao sei porq,,, deve ser defeito do meu computador que alias e vello demais,,, prometo que isso nao vai mais acontecer. !!!!

VANICIO
VANICIO
4 anos atrás

gostei do qie disse o carvallo,, disse tudo .. mas eu acho que nao era so um projeto para aprender a contruir o caça e depois engaveta lo,, eles ate deviam acreditar que no fim de tudo daria para uzalo na sua força aerea , pois com tecnologia propria e quem sabe algumas vendas externas o prototipo passaria a ser produzido em escala industrial e teria seu preço final reduzido. sonhar com certeza fez parte do projeto tbem . mas como eu disse , eles ganharam muito com este projeto e deram um salto de no minimo 100 anos a… Read more »

Iväny Junior
4 anos atrás

Eu sinceramente não entendo como alguém pode querer comprar um tejas. Nada contra especificamente no projeto, mas as quebras de prazos, metas e resultados são dignos de um folhetim mexicano. A meu ver, os vetores orientais e vizinhos (FC-1 e Tejas) já nascem inferiores a seus vetores base (Mig-21 e Mirage 3), afora de preços absolutamente altos. Com 35 milhões da pra comprar Gripen C, F-16C recauchutado e FA-50 e no caso dos dois últimos, ainda sobra uns milhões pra manutenção e armamento. No espectro oriental dá pra comprar F-7/J-7 e se brincar o estoque de Mig-29 da Bulgária todo.… Read more »

carvalho2008
4 anos atrás

Com umas 5 pratas a mais, você leva o mig29smt 0km….

carvalho2008
4 anos atrás

Para mim, tejas,jf17 e Fa50 estão genericamente na mesma categoria, podendo se sobrepor mais ou menos dependendo do Block de cada um.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Iväny Junior 21 de janeiro de 2016 at 12:50
A cada 4 desses você compra 7 Kfir Block 60 completão com Derby, Phyton 4 e 5 e por ai vai ….. Turbina revisadona,
Treinamento e habilitação é free.
Garantia Israeli e 0800 24 Hs 7 dias por semana.
(RsrsKkkk).
Abraços.