domingo, maio 9, 2021

Gripen para o Brasil

França confirma encomenda de oito aviões-tanque Airbus A330 MRTT

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Airbus Defence and Space recebeu uma encomenda firme da Direction générale de l’armement (DGA) para mais oito aviões A330 MRTT Multi-Role Tanker Transport.

Os aviões constituem o segundo tranche do contrato multianual para 12 MRTTs A330 assinados pelo Ministério da Defesa francês, em Novembro de 2014 e eleva o pedido firme total a nove. Os três restantes estão programados para serem confirmados em 2018, permitindo a entrega de 12 aeronaves antes de 2025.

O primeiro A330 MRTT será entregue à França em 2018, seguindo-se a segunda em 2019, e os remanescentes a uma taxa de um ou dois por ano.

O A330 MRTT francês será propulsado por motores Rolls-Royce Trent 700 e equipados com uma combinação do sistema de abastecimento com “boom” e pods de reabastecimento “hose-and-drogue” sob as asas. Também será possível configurá-los em uma variedade de layouts que transportam até 271 passageiros, bem como arranjos medevac, incluindo o módulo de terapia intensiva MORPHEE francês, que pode transportar até dez pacientes, bem como 88 passageiros.

FONTE: Airbus Defence and Space

- Advertisement -

25 Comments

Subscribe
Notify of
guest
25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Danilo José

Os aviões tanque do Brasil nada, nem KC-390 muito menos KC-767, é F%#$%#$ !

Francis Schonarth

Ta ai um equipamento francês que deveríamos comprar, mas quando é algo que presta ninguém por aqui se interessa.

Carlos Alberto Soares

Francis Schonarth 16 de dezembro de 2015 at 21:43
Contratamos (3) 767ER MRTT IAI, mas o MinDef e o GF hibernaram o assunto.
Corremos o risco de ter o inicio da chegada dos G NG sem esses KC’s.

Carlos Alberto Soares

Esse ganhou na USAF mas não levou !
Interessante.

Mauricio R.

Não levou pois a Boeing conseguiu provar em seu protesto ao GAO, que o seu avião estava sendo avaliado de maneira diversa, daquela da aeronave oferecida pela Northrop/Airbus.
O avião estaria sendo avaliado não pela capacidade de transportar e transferir combustível, mas pela capacidade de transportar carga.

Iväny Junior

Sobre o tópico, esse é um dos melhores tanqueiros do mundo. Pro brasil, o KC-767 é suficiente (e qualquer coisa acima é insanidade).

Oganza

OFF TOPIC
Lockheed/KAI apresentam o seu prototipo para a concorrência T-X da USAF.
https://www.flightglobal.com/news/articles/pictures-kai-lockheed-rollout-t-x-prototype-420149/
Grande Abraço.

Oganza

hahahaha vi agora que o Iväny já tinha postado…
Ps.: não gostei, ficou feinho esse T-X dos caras… 🙁
Grande Abraço.

Mauricio R.

Bem esquisito, parece um F-16D, c/ a “napa” do SH.

Oganza

Maurício, na boa, acho que vou acender umas velas (não que eu acredite) aki para que a Boeing/SAAB levem essa… esse T-X pode vir a ser a “salvação” da FAB depois de 2025… – Quem irá substituir os A-1? Esse é o nosso próximo gap. – E pelo visto, Boeing/SAAB são os “únicos” que aparentemente vão propor um projeto realmente novo e que pode vir a se tornar o caça leve realmente affordable das próximas 2 décadas. – SE e com muuuita sorte nós talvez e apenas talvez, possamos ser agraciados com mais um lote de 18 Gripens e olhe… Read more »

Carlos Alberto Soares

Caro Oganza 17 de dezembro de 2015 at 14:41
M 346 armado está fora desse cenário ?

Carlos Alberto Soares

Mauricio R. 17 de dezembro de 2015 at 11:52
Obrigado.

Oganza

Carlos Alberto Soares,

já abriram um post para o T-50 da KAI… te respondo lá… ok? 🙂

Grande Abraço.

Mauricio R.

Carlos Alberto Soares,

De nada e as ordens!!!

Mauricio R.

Oganza,

A Northrop abandonou a ideia de uma proposta baseada no BAe Hawk, e tb deverá apresentar um design “clean sheet” assim como a Boeing/Saab.
E quem sabe um desses 2 poderá ser a “salvação da lavoura” da FAB, pois não vejo um outro lote de Gripens no horizonte.
Assim a aeronave resultante desse TX, poderá ser não somente o substituto do A-1/AMX, como tb o complemento aos Gripens recém adquiridos.

Clésio Luiz

A Boeing conseguiu o cancelamento do KC-X numa manobra política. Depois de muiiiiiito choro, fizeram um novo programa, mas mudaram as regras para claramente beneficiar a Boeing. A Northrop viu que não tinha como ganhar e caiu fora. A Airbus para não desagradar um potencial cliente (em outros programas) ficou mesmo sabendo que iria perder. No fim, a Boeing pagou o blefe dos franceses sobre os custos do A330 e prometeu um valor baixo demais para o seu programa do KC-X. Ganhou o contrato, mas já está atrasando e pagando multas, fora o aumento de custos, que ela sabia de… Read more »

Oganza

Maurício,
verdade, o Clésio me lembrou disso lá no post do T-50.
Grande Abraço.

Wellington Góes

Iväny, por favor, explique melhor tal afirmação “KC-767 é suficiente (e qualquer coisa acima é insanidade)”.

Até mais!!! 😉

Iväny Junior

Wellington Góes

O KC-767 é suficiente e eficaz para REVO em caças supersônicos durante no mínimo 20 anos. Existem aeronaves mais capazes, reabastecedores convertidos de fábrica, porém, são muito mais caros, e, como a ordem é cortar custos, é insanidade investir em um MRTT ou outro tanker de ponta (até porque o KC-390 também pode ser tanker).

Wellington Góes

Mas ai a questão, segundo o teu entendimento (pelo menos foi isto que entendi da tua segunda afirmação) e a não necessidade de um Tanker novo e não necessariamente maior, é isto?! Se sim, então não precisa ser novo, isto porque hoje a própria Airbus já oferece a conversão de A330 usados em MRTT, o que acabar surgindo novas oficinas ofertando a conversão, como já aconteceu com o 707 e hoje com o 767. Não é que eu esteja propondo cancelarmos o contrato com a IAI para obtenção do KC-767, mas tão somente afirmar que uma possível escolha (se isto… Read more »

Iväny Junior

Wellingtion O A330MRTT é um dos melhores tankers do mercado, mas, com certeza sua aquisição e operação são bem maiores que o 767, que já tem todos os custos e acordos definidos, que foi testado em uma força próxima (Colômbia) e tem como base o 767 convencional que apesar de menos produzido que o A330, tem um histórico de manutenção mais em conta. Se o critério aqui no brasil fosse por território, a gente teria que ter o dobro de esquadrões, o quadruplo de caças e o triplo de E-99 por alto. A realidade é de tesourada, tá faltando grana… Read more »

Carlos Alberto Soares

Caro Wellington Góes
Caro Iväny Junior
Uma das questões que a FAB escolheu o 767-300ER IAI foi a questão dos motores, lembram-se ?
A IAI ofereceu a melhor relação custo x benefício, é a versão ER. Houve um GAP para confirmar a 3ª célula pois era uma exigência da FAB a unificação dos motores (modelo/fabricante).
http://www.aereo.jor.br/2014/05/27/brasil-deve-adicionar-em-contrato-terceira-aeronave-767-convertida-em-aviao-tanque/

Carlos Alberto Soares

Todos os link’s abaixo do texto são interessantes:
http://www.aereo.jor.br/2013/04/12/kc-x2-encontrar-767-usados-no-mercado-e-facil/

Wellington Góes

Caro Carlos, é claro que a “melhor relação custo-benefício” se daria em favor da proposta da IAIm afinal é a menos custosa, mas daí a perguntam por que diabos fizeram uma licitação internacional e receberam ao mesmo tempo propostas de aeronaves novas e usadas?! Desculpe, isto pra mim não cheira bem, Mas vá lá, o KC-767 baseado em B767-300ER já será um avanço e tanto, o problema vai ser encontrar mais aeronaves usadas disponíveis em boas condições (isto é, quando a FAB estiver com mais dinheiro disponível), para fazer a conversão e aumentar o seu inventário, pois só três ficarão… Read more »

Reportagens especiais

20 anos da Operação Tigre II em Natal

Em 1995 Natal sediou um exercício aéreo de grande importância para a FAB, mas que ficou marcado por uma...
- Advertisement -
- Advertisement -