A-29 Super Tucano da Mauritânia

O site Defensenews informa que a Força Aérea de Gana vai se expandir em 2016 com a aquisição de mais quatro turboélices de ataque leve Super Tucano A-29 da Embraer.

Dirigindo-se a convidados na celebração do 50º aniversário do esquadrão número 4, que é a vanguarda do comando do ar, na principal base da Força Aérea em Accra, na semana passada, o comandante da Força Aérea Vice Marshal Michael Samson-Oje disse que eles estão concluindo as negociações de pré-entrega com a empresa aeroespacial brasileira Embraer.

Se confirmado, o novo acordo vai aumentar as aquisições de Super Tucano de Gana para nove unidades, complementando um contrato pré-existente para o fornecimento de cinco A-29, que foi confirmado por ambas as partes durante o Paris Air Show em junho deste ano. O contrato também abrangeu o fornecimento de apoio logístico e treinamento para pilotos e mecânicos de A-29.

Subscribe
Notify of
guest
25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Uma palavra: Excelente !

Washington Menezes
Washington Menezes
4 anos atrás

Parabéns a Embraer.

jose davi
4 anos atrás

Alguém ( editores e foristas ) poderiam me dizer se a EMBRAER planeja um substituto ao Super Tucano?

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
4 anos atrás

Super Duper Tucano

Antunes
Antunes
4 anos atrás

Na lógica da pergunta do José Davi… mas antes uma pergunta antes da pergunta:

o Super-Tucano substituirá o Tucano também no treinamento avançado em Pirassununga? Mesmo que em um futuro distante?

… se não, e acredito que não:

Há planos da Embraer de um versão nova da familia Tucano para treinamento, com algum aspecto mínimo de ataque, como é o Tucano original?

Acredito que há mercado para Tucano, até para o público civil.

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
4 anos atrás

jose davi, a EMBRAER não planejava nem a substituição do Tucano, o desenvolvimento do Super T foi financiado pela FAB (nosso lindo dinheirinho), assim como o KC-390, FAB que é a dona do projeto. Mas claro que como uma empresa privada, no futuro poderá a vir desenvolver o subistituto do Super T ela mesma.
Mas não acredito que ela tenha coragem de gastar o próprio din din para entrar no mercado de defesa altamente concorrido, já que ela já detém solidamente uma parte importante da aviação comercial.

GuiAmaral
GuiAmaral
4 anos atrás

Até Gana, que deve ter um ínfimo orçamento de defesa, opera com o FLIR nos Super Tucano. Pq a FAB não moderniza nossos A-29, com a instalação destes aparelhos e a incorporação de armas guiadas?

Alguém sabe se existe este projeto? Acho que pelo menos alguns aviões para compor algumas Esquadrilhas operacionais “COIN” a FAB deveria ter.

jose davi
4 anos atrás

Obrigado a todos que investiram seu precioso tempo em me conceder uma resposta . Valeu mesmo!!!!
__________________________________________________

Roberto F Santana 14 de dezembro de 2015 at 20:03

Essa concorrência ai não tá mole não , em?!!!

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

A Embraer prepara um
Super Hiper – Power – Fantástico – Fodástico – Mega – ST = Modo Lord

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

E o ST naval ? Ele cabe no A 12 com Heliporto ? E os F 22 virão mesmo !
Vou pesquisar para poupar os amigos ! Depois coloco aqui !
Ah tive uma ideia, clicar naquela lupinha lá em cima no canto direito, colocar uma palavra chave, acho que vai vim um monte de coisa boa.
Jesus !

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

“Acredito que há mercado para Tucano, até para o público civil.”
????

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Melky Cavalcante 14 de dezembro de 2015 at 19:33
Em outras paragens quem “banca” o desenvolvimento e implantação de vetores militares ?

Nonato
Nonato
4 anos atrás

De grão em grão o tucano enche o papo. A Embraer é assim. Não é líder de quase nada. Mas come pelas beiradas. No caso do supertucano parece que não há muito mercado. A não ser que alguma grande força aérea decidisse se entupir deles. O mais normal é vender pequenos lotes para forças aéreas pequenas ou médias. O que está bom demais. Quanto a novos aviões ou versões acredito que a princípio não ha necessidade. Melhorias sempre são possíveis. Acredito que se aumentar o tamanho ou as capacidades vai invadir o espaço dos treinadores e ataque leves a jato.… Read more »

Antunes
Antunes
4 anos atrás

carlos alberto soares 14 de dezembro de 2015 at 22:44

treinamento acrobático com alguma versão “pelada” do tucano. De verdade nem sei se há esse mercado, desculpe essa viagem. =]

att.

Carlos
Carlos
4 anos atrás

Uma curiosidade. É comum aviões de caça levarem tanques ejetáveis, correto?
Então, são descartáveis?
Não há risco de caírem na cabeça de alguém? Lixo espacial desintegra-se em entrar na atmosfera (nem sempre…), mas tanque liberado a baixa altitude, não, correto?

jose davi
4 anos atrás

Carlos 15 de dezembro de 2015 at 1:55

A alguns anos li uma matéria retratando um evento em que dois Tigers da FAB acabaram ejetando seus tanques ( ou eram bombas de treinamento sem carga ?) e acertaram em uma praça.

Procurei o link e achei apenas este :http://www.aereo.jor.br/2010/04/18/o-dia-em-que-a-fab-bombardeou-formiga/

Eram bombas inertes , pode ser comparavel a um tanque alijável .

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

“….. A Embraer é assim. Não é líder de quase nada. Mas come pelas beiradas.”
Não é lider em quase nada ?
Pesquise colega, essa afirmação não se confirmará tenhs certeza !

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

“………… Com características bastante avançadas e compatíveis com os jatos de quarta geração (aviônica digital, HUD, telas multifunção, HOTAS, provisão para emprego de FLIR, NVG, armas guiadas e mísseis ar-ar, podendo emular o uso de radar através de data link, entre outras vantagens), além de contar com armamento interno de duas metralhadoras .50 nas asas, hoje o Super Tucano é não só o treinador avançado / operacional da FAB, utilizado na formação de pilotos de caça no 2º/5º GAV em Natal, mas também o responsável pela instrução de liderança de caça e por missões de interceptação de aeronaves ilícitas, ataque… Read more »

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Muito interessante o ST ARMADO, o episódio da Colômbia na fronteira com o Equador é uma clara demostração da eficiência desse vetor. Apto a treinamento avançado, COIN e como 2ª linha de defesa aérea de muitas nações.
http://www.aereo.jor.br/2013/04/05/configuracoes-armadas-do-super-tucano/

Lyw
Lyw
4 anos atrás

ff topic pertinente:

http://www.defensenews.com/story/defense/air-space/support/2015/12/13/embraers-kc-390-join-canadas-search-and-rescue-bid/77031896/

Embraer na concorrência para fornecimento de aviões de busca e salvamento ao Canadá.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Lyw 15 de dezembro de 2015 at 18:10
Noticia chapa branca.
O KC 390 nem homologado está.
Vai concorrer com C 295 e C 27J, quiça com C 130J
Lá como cá, os militares fazem relatórios de centenas de páginas, portanto …..
Produtos consolidados, um destes é que vai levar e ponto.

Carlos
Carlos
4 anos atrás

Valeria a pena a Embraer concluir o desenvolvimento do KC 390 com seus próprios recursos. Há um enorme mercado esperando.
Se deixar o tempo passar, pode perder oportunidades importantes.
Novos concorrentes chegando. Quem ganhar a concorrência no Canadá, terá visibilidade. Assim como a Embraer na concorrência com o Tucano para o Afeganistão.
Começam comprando 20. De repente, resolvem comprar mais 20… Depois 50…

Jr
Jr
4 anos atrás

O problema Carlos é que a Embraer já gastou demais por conta própria no KC-390, tanto é assim que o governo esta devendo uma fortuna para ela, essa quantidade que ela estava gastando do próprio bolso, sem o reembolso do governo já estava afetando os balanços trimestrais dela. Cabe ressaltar que ela agora precisa de dinheiro para por em operação a sua nova família de aeronaves regionais, ou seja, o cobertor ficaria curto demais, ou ela investe do próprio bolso no KC-390 ou na nova família de RJ(s)

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

GuiAmaral, os A-29B (biplace) da FAB utilizam o FLIR. Quanto às “esquadrilhas COIN”, você já ouviu falar, ou conhece, os Esquadrões do Terceiro Grupo? Fundei um deles.