Home Noticiário Internacional Futuro do AASM, arma de destaque do Rafale, pode estar em outro...

Futuro do AASM, arma de destaque do Rafale, pode estar em outro caça

321
36

Rafale e Mirage - foto Armee de lair

Sem novos pedidos franceses e com exportações do Rafale demorando a se concretizar, arma de destaque do caça francês poderá ter produção finalizada em 2016. Solução seria integrar o AASM ao Mirage 2000, caça que é operado fora da França e poderia gerar encomendas externas do armamento

Neste ano, pode ser decidido o futuro do AASM, arma guiada ar-solo modular, ou míssil guiado, que equipa o caça Rafale. Trata-se de uma joia tecnológica, bastante cara (mais de 170.000 euros cada), mas que se provou especialmente no conflito da Líbia. Porém, desde então os cortes do programa militar francês de 2014-2019 não geraram novas encomendas, havendo risco da França perder o conhecimento tecnológico na área.

Inicialmente, a Força Aérea Francesa planejou adquirir 4.200 exemplares do armamento, o que foi reduzido para 1.748 devido a questões orçamentárias. No atual ritmo de produção de 18 AASM por mês e levando em conta a quantidade já produzida, o último exemplar deverá deixar a fábrica  Sagem de Montluçon, em Auvergne, em maio de 2016. Isso traria impactos para 100 empregos locais e um pouco mais na região de Paris.

Rafale em teste com seis AASM dois Meteor quatro Mica e três tanques de 2000l - foto Dassault

Com as atuais perspectivas de exportação do Rafale (ao qual a arma está integrada) à Índia e Qatar não parecem favorecer grandes volumes de AASM para clientes externos, a solução poderia ser a abertura de outras oportunidades para o míssil. Em outras palavras, integrá-lo a outras aeronaves.

Para isso, há um programa de integração ao F-16 da Lockheed Martin, com planos para testes em algumas semanas. Porém, o projeto vem sendo conduzido de forma discreta e lenta. 

A solução mais natural seria integrar a arma ao Mirage 2000, já que testes foram conduzidos com sucesso há cinco anos. Dada a quantidade de Mirage 2000 ainda em serviço no mundo, seria uma oportunidade interessante para exportação do AASM. Pelo menos um país já demonstrou interesse, o Peru.

Rafale - campanha de tiro em Cazaux com AASM - foto Força Aérea Francesa

Mas a pergunta é: quem vai pagar a integração? Dependendo das adaptações necessárias, a conta pode ser de algumas dezenas de milhares a duas centenas de milhões de euros. No caso dos Mirage F1 do Marrocos, prevaleceu a versão “leve”. A conta será paga pela Safran, pelo cliente ou pelo Estado? Provavelmente, uma mistura dos três.

Porém, ainda é preciso saber como vai se comportar a esse respeito a Dassault, fabricante do Rafale. A Dassault já mostrou objeções a integrar uma arma sofisticada como o AASM a um competidor do Rafale em exportações, no caso, o F-16. Será que ela pensaria da mesma forma quanto ao Mirage 2000?

Uma decisão precisa ser tomada neste ano para que o AASM tenha uma perspectiva industrial que vá além do Rafale. Se for encontrada uma solução, que se espera para o médio prazo, a Safran passará o papel de principal contratante à MBDA, na qual deverão se concentrar todos os programas de mísseis na França.

FONTE: Les Echos (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em francês)

FOTOS: Força Aérea Francesa e Dassault

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Almeida
Almeida
6 anos atrás

Uma ótima arma, não fosse novamente a soberba da Dassault. Achar que o Mirage 2000-5 mataria as vendas de Rafale foi um erro grosseiro de estratégia comercial, uma vez que o mesmo custa bem menos para adquirir e manter que seu predecessor, pertence à outra categoria e poderia estar vendendo bem até hoje. Já as vendas do Rafale, bem, essas não saem mesmo. Deveriam ter mantido as duas linhas, pelo menos venderiam algo. Agora, com mais essa palhaçada de não integrar a AASM em outras plataformas, mesmos as suas antgas, pelo mesmo motivo de não atrapalhar as vendas do caríssimo… Read more »

Almeida
Almeida
6 anos atrás

ERRATA: onde lê-se “predecessor” leia-se “sucessor”.

Vader
6 anos atrás

Ahahaha, não basta o Rafale ser um fracasso comercial retumbante: ele ainda leva a igual fracasso todas as empresas que desenvolveram armas pra ele!

É IMPRESSIONANTE como esse caça é zicado. Tudo isso fruto da SOBERBA da Dassault, como bem lembrou o Almeida.

E pensar que tinha “otoridade” que defendia essa zica pra FAB…

Vader
6 anos atrás

Se a Dassault quisesse realmente salvar sua pele, reabriria a linha do Mirage-2000, com uma versão moderna do monomotor, que venderia que nem água.

Mas ela é soberba, e vai se enterrar até o pescoço, junto com sua jaca.

Jean-Marc Jardino
Jean-Marc Jardino
6 anos atrás

Caro Vader, ja reparei que para vc o Rafale é uma joça, ok, cada um pensa da forma que acha, mas tenho certeza que vc nunca passou ou mesmo viu de perto esse caça, alias qualquer outro caça, esta acostumado ver em revistas e reportagens. Esse caça, sim é muito caro, nao ha duvidas qto a isso, as armas que integram o pacote sao caras tambem, hj em dia os paises querem avioes baratos, que nem do papel sairam ainda. Pois bem, para vc saber, a Dassault ,sim esta desenvolvendo um caça de 6 geraçao, leve, mais barato, que devera… Read more »

Grievous
Grievous
6 anos atrás

Jean-Marc, concordo que o Vader exagera um pouco na acidez, mas não dá pra dizer que ele está errado. A Dassault realmente fez uma escolha errada ao fechar a linha do Mirage 2000 e priorizar o Rafale. Foi uma aposta de risco, que deu errado. Isso é fato. Poderiam estar vendendo Mirage 2000 até hoje, mas estão perdendo vendas para F-16, Gripen e outros caças menos caros que o Rafale. O Rafale é bom? Claro que é. Mas sua relação custo X benefício não é. Isso é algo muito dito por aqui. Quanto à crítica aos franceses, procure em postagens… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
6 anos atrás

Que dureza!!!
E sem direito a Dreher.
A Safran que reduza o prejuízo e trate de passar a “jaquinha” o mais rápido possível p/ a MBDA.
E esta que se vire c/ os palpites infelizes e incompetentes da Dassault.

Jean-Marc Jardino
Jean-Marc Jardino
6 anos atrás

Airbus ja é ligada a Dassault a anos, para quem nao sabe. A Dassault nao sera engolida pela Airbus, pq na Airbus existe capital ingles e alemao, e sendo a Dassault uma empresa do setor militar frances, o governo frances dono de açoes nas duas cias nao deixa isso acontecer. prevalecendo a voz dele, como socio majoritário do grupo Airbus, e ao mesmo tempo protegendo a industria militar francesa.

Jean-Marc Jardino
Jean-Marc Jardino
6 anos atrás

Problema dos brasileiros, é que a dor de cotovelo por nao terem uma industria belica avançada, conhecida mundialmente, ou seja, o Brasil nao tem nem competência para fabricar e desenvolver um caça, um submarino, um satélite militar, armas de precisão, nem um fuzil sabe fazer sozinho, teve que empregar um fuzil belga para depois elaborar o dele, claro copiando. A França um pais do tamanho de MG, fabrica navios de guerra, submarinos nucleares, caças, helicópteros, carros de combate, tanques, armas leves e pesadas, misseis nucleares, foguetes espaciais, motores de foguetes, avioes, reatores nucleares, e por ai a fora. Desculpem, somos… Read more »

Max
Max
6 anos atrás

O problema do Rafale então são as criticas dos brasileiros incompetentes .

A arrogância e o desprezo que você demonstra desde o seu primeiro comentário não vai ajudá-lo a defender seus pontos de vista.

Baschera
Baschera
6 anos atrás

Tenho que concordar com o colega francês…… e dar a mão a palmatória. Somos pequenos neste setor…. e somos incompetentes.

Mas nossa incompetência não veem do povo brasileiro e sim da miopia e da incompetência dos políticos, uma classe a parte da nossa sociedade.

Quanto ao resto, meu amigo, se fosse atributo sine qua non para comentar defesa estar sentado em cima de uma base militar ou ser funcionário de uma empresa de defesa…. locais como o Poder Aéreo nem existiriam e não teriam mais de 1 milhão de page views por mês….

Sds.

Vader
6 anos atrás

Jean-Marc Jardino 28 de abril de 2014 at 9:49 # Caro João Marcos, nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Não, o Rafale não é uma joça, mas também não é nenhuma bala de prata. E é incontestavelmente um retumbante fracasso comercial. Em suma, é um bom caça para a França, e só pra ela. Sim, eu não sou nenhum piloto e o mais perto que cheguei do cockpit de um caça foi num simulador. Mas já vi bem de pertinho os F-5EM, os Mirage-2000 e os AMX da FAB, bem como tive o prazer de ver ao vivo… Read more »

phacsantos
phacsantos
6 anos atrás

Fulano…que tal achar um site francês pra ir despejar sua propaganda?

Ahhh…vocês precisam de compradores…..

Então trate de respeitar o Brasil e seu povo….nossos problemas são NOSSOS problemas!

Nunca se esqueça que tudo que sua França é hoje é devido à exploração de colônias, depois ao plano Marshall e muita divida sendo postergada.
Mas, mais cedo ou mais tarde o caldo entorna (não deve saber o significado disso)..

_____________

COMENTÁRIO EDITADO

Eder Albino
Eder Albino
6 anos atrás

Jean-Marc Jardino
28 de abril de 2014 at 12:18 #

“Desculpem, somos melhores que brasileiros.”

Boa tarde, só me explica o que o seu ultimo comentário acrescentou sobre o debate?
Agora o tema é sobre QUEM é melhor ao invés de QUAL é o melhor. É isso mesmo?

Vader
6 anos atrás

Aliás, se a Sagem for esperta oferece o AASM para integração ao SAAB Gripen.

Sim, porque um bom míssil merece um bom caça. Moderno, eficaz, funcional e, acima de tudo, sucesso de vendas.

Sds.

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

O fato do Brasil não ter uma indústria bélica avançada, como a francesa, está na minha “pequena” lista de preocupações (com mais de 185 páginas), em penúltimo lugar. Em último, devo confessar, está a Seleção Brasileira de Futebol ser campeã da Copa de 2014.
E Jean, ninguém foi num site francês falar mal do Rafale, da indústria francesa, do povo francês ou da França.
Isso sim, seria indelicado.

phacsantos
phacsantos
6 anos atrás

Mesmo porque, na França, eles não tem um site tão bom….

Yluss
Yluss
6 anos atrás

Raramente comento, deixo essas ocasiões para notícias especiais e tal, mas um francês querendo cantar de galo e ainda por cima tendo perdido a linha de raciocínio e levado para o lado pessoal me fez rir muito. João Marco Jardino, Volta pra trilogia francesa que exista por aí e faz o favor de não dar essa cara aqui. Quer comentar aqui, faça-o como aficionado pela aviação militar e não como pessoa ofendida pelo lado pessoal por ser daqui ou dali. Lamentável, só dá razão aos que chamam os franceses de arrogantes, o que estando na França algumas vezes, pude tecer… Read more »

Flávio Vilaça
Flávio Vilaça
6 anos atrás

Engraçado como é uma parte do povo francês. Se acham superiores aos demais por fazerem algo e os outros não. Mas vejamos… Pegaram porrada na Alemanha, e não fossem os americanos hoje falariam alemão. Pegaram porrada dos Russos na época do abestado do cavalo(napoleão). Não fabricam nada sozinhos, TUDO tem componente made USA. Se vangloriam de fazer tanto equipamento militar mas não conseguiram subjugar a Líbia. Ou os equipamentos não são tão bons assim ou falta um pouco de culhão aos “machos” franceses. Fabricam um caça que NINGUÉM COMPRA e continuam tendo a ilusão que fabricam o melhor caça do… Read more »

Max
Max
6 anos atrás

Flavio, de cabeça eu lembro de algumas importantes invenções Francesas, mas as melhores na minha opinião foram a guilhotina e o bikini 🙂

Max
Max
6 anos atrás

Para quem quiser ver, uma lista das 300 maiores invenções da humanidade…

http://www.edinformatics.com/inventions_inventors/

Iväny Junior
6 anos atrás

Oi Jean-Marc, estava vendo as informações e tudo mais que você vinha trazendo, mas, você não foi lá muito inteligente quando disse que os franceses são melhores que os brasileiros. Voce poderia ter falado que possuem uma cultura melhor, melhor IDH, melhores universidades… Mas esta declaração, a conotação ficou meio Jean-Marie Le Pen. Essa cultura aí, que você falou, de aviação, não fosse charles de gaulle (com sua megalomania) conseguir uma “zona de influencia” na Alemanha dividida, e coincidir de fábricas da Messerschmitt e Focke-Wulf, a dassault não existiria, nem qualquer empresa de aviação na frança. Não fosse Karl Marx,… Read more »

Flávio Vilaça
Flávio Vilaça
6 anos atrás

Caro Max

Verdade colega. verdade. Eu fui injusto. Não lembrava mesmo que o bikini tinha sido inventado por lá.

Guilhotina??? Hum… Coisa de povo superior e civilizado!!!! Mas fazer o que né, cada povo dá a melhor contribuição que pode para humanidade.

Nunão, desculpe por sair do tema. Mas foi difícil não responder ao sujeito em questão.

Iväny Junior
6 anos atrás

Olha só, a tendência da Airbus engolir a dassault não é mais dúvida, mas certeza. O governo, ao reduzir suas encomendas e diminuir as horas de vôo do rafale, simplesmente está matando na base. Menos de 11 aviões por ano, fecha.

E sobre ser uma empresa estratégica, a frança tá perdendo de hoje pra amanha a Alstom. GE e Siemens no páreo. Aposto na alemã. 😉

http://www.portugues.rfi.fr/geral/20140428-decisao-sobre-venda-de-parte-da-alstom-para-ge-ou-siemens-pode-ser-decidida-hoje

Sniper
Sniper
6 anos atrás

Relaxa, galera… De Gaulle so se sentia o FODAO a distancia do olho do furacao… o tempo passou e as coisas alem de nao mudarem, ainda se tornaram mais faceis pra eles com a internet rsrs…

Em relacao ao aspecto salientado pelo Ivany sobre a beleza das ATUAIS mulheres francesas, ate perguntaria ao colega se este que vos escreve estaria redondamente equivocado se afirmasse que tal renovacao fenotipica da populacao nao eh resulltado direto de certa miscigenacao com alemaes decadas atras? essas misturadas, as vezes, dao belos resultados rs

Mayuan
Mayuan
6 anos atrás

Por mim ele pode ir tomar no pescoço e não se fala mais nisso.

Iväny Junior
6 anos atrás

Pois é Sniper

Pela minha experiência, existem mulheres lindas em todas as etnias e formatos. O que me parte o coração é ver esta bela moça sofrendo desacatos. Lanço até uma campanha: Ao invés das armas #ExportemAsMulheresPraCá.

Embora as cantadas não sejam das melhores, acredito que ninguém vai destratar tal beldade.

http://imworld.aufeminin.com/story/20131209/flora-coquerel-defile-en-bikini-140597_w1000.jpg

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
6 anos atrás

Senhores, desconfio que João Marcos Jardineiro não é francês e tampouco trabalha na área. Penso eu que ele o Rafrutinha Positron, um sem-noção que eu e o Vader conhecemos muito bem de outros espaços.

nadimchaachaa
nadimchaachaa
6 anos atrás

Me desculpem, totalmente fora do assunto mas, lendo os comentários acima, se me permitem a sugestão, que tal incluir na parte de baixo de cada comentário polegares para baixo ou para cima, como no facebook? Tem alguns comentários que são muito engraçados ou muito pertinentes e que eu gostaria de dar um apoio, como existem também aqueles que ficam devendo, vamos dizer assim, mas que no final não caberia escrever um outro comentário por causa dessas razões. Só poderia clicar o comentário quem estivesse logado e quando o fizesse apareceria o nome do cidadão. Para não dizer que não fiz… Read more »

Vader
6 anos atrás

Ah bom, se o tal Jean-Marc é nosso amiguinho vermelhuxo de longa data, o multifamoso Rafruta Positrônico, o mais lixoso troll a oeste de Greenwich, tá tudo explicado… 🙂 Achei mesmo muito estranho um “comedor de lesma” vir aqui cantar de galo num português quase passável… 🙂 O Rafale foi um bom negócio para a França, sem dúvida. Girou a sua economia, criou empregos, desenvolveu tecnologia de uso dual, manteve a riqueza francesa em boa parte em mãos francesas, manteve a Dassault no mercado (rsrs), manteve seus acionistas felizes, deu um bom caça pras suas Forças Armadas, etc. Só quem… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
6 anos atrás

Só há lógica de se integrar a AASM no F-16 se fosse por motivo de padronização. Como não há nenhum usuário do Rafale que tenha o F-16, não vejo razão para que isso ocorra, já que o caça americano tem armas semelhantes disponíveis, e com custo “infinitamente” inferior. Mesmo na hipótese acima, seria mais vantajoso integrar as armas do F-16 ao Rafale. Na Wiki há referência da AASM (versão básica) custar 12 x mais que a JDAM (versão básica). Já no caso do Mirage 2000, tem mais lógica já que ele não tem integrada arma equivalente de origem americana, israelense,… Read more »