domingo, junho 20, 2021

Gripen para o Brasil

Voa primeiro AC-130J ‘Ghostrider’

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

voa primeiro AC-130J 2 - foto USAF

No último dia 31 de janeiro o primeiro AC-130J da USAF voou pela primeira vez. O voo foi realizado a partir da Base Aérea de Eglin, na Flórida.

A aeronave foi modificada pela própria USAF a partir de um modelo MC-130J Commando II. O avião foi recebido em janeiro do ano passado pela equipe do programa e passou os últimos doze meses sendo convertido.

Como resultado, uma aeronave que originalmente era utilitária, passou a ser uma aeronave de ataque. O pacote de missão inclui dois sensores infravermelhos eletro-ópticos, um canhão de 30mm, mísseis AGM-176A Griffin, radar de abertura sintética e capacidade para lançamento de bombas de pequeno diâmetro GBU-39 (observar os cabides externos sob as asas na foto acima).

Originalmente falou-se na adoção de um canhão de 105mm (como os atuais AC-130 possuem), mas este artefato não foi mencionado no mais recente texto da USAF sobre o avião (curiosamente também não foram disponibilizadas fotos em detalhe que mostram a lateral esquerda da aeronave).

Espera-se que um total de 32 MC-130J sejam convertidos em AC-130J por um custo avaliado em US$ 2,4 bilhões.

voa primeiro AC-130J 1 - foto USAF

voa primeiro AC-130J - foto USAF

FOTOS: USAF

- Advertisement -

11 Comments

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Franco Ferreira

Se funcionar, acabam-se as forças singulares.

Guizmo

Decepticon killer

Edgar

Se o KC-390 atingir ao menos uma parcela da flexibilidade fornecida pelos C-130 ao longo desses anos, já estaremos muito bem.

Uma coisa certamente ele nunca irá conseguir: pousar em porta-aviões:

https://www.youtube.com/watch?v=ar-poc38C84

Marcos

Edgar

O C-130 demonstrou ter capacidade de pouso em PA. Mas dai para frente a coisa ficou nisso. Porque não deram continuidade, não se sabe. A aeronave estava totalmente abastecida durante o pouso? Não sei. Estava totalmente carregada? Não sei.

Rinaldo Nery

Eu entendi no final do filme que iniciaram com 21.000 lb e chegaram até 32.000 lb. Parece que não estava carregada.

Antonio M

Ciente de guardar as devidas proporções no emprego, TO etc, em artigo anterior eu especulava se o Bandeirulha P95M poderia ser equipado com Spike NLOS …..

Não é nada contra o P95M, muito pelo contrário, mas é de ser contra nossas aeronaves “desdentadas” ,,,,,,

ivanildotavares

Prezado Roberto F Santana,

Lembro de ter visto um Hercules – C130 na sua descrição muitas vezes em Recife. Eu morava num bairro chamado Jardim São Paulo e a minha casa ficava bem embaixo da rota que levava os aviões à pista do Aeroporto dos Guararapes/Base Aérea de Recife. Acho que este C130 ficava baseado lá, tal a frequência com que eu o via. Isso no final dos anos 60 a meados dos anos 70.

Abraços

Carlos Alberto Soares

Estimado Rinaldo Nery, a palavra é sua sobre os comentários acima.

Sobre C 130 ?

Eu adoro esse menino de 50 anos sempre jovem.

“Que cumplas muchos años más”.

Fernando "Nunão" De Martini

Roberto e Ivanildo, Os três SC-130E recebidos no final dos anos 60 no 1º/6º da Base Aérea do Recife diferiam de outros C-130 da FAB apenas por ter, na parte dianteira da fuselagem, amplas janelas de observação e aberturas, para missão SAR e para instalação de câmeras (porque substituíram também os B-17 na aerofotogrametria). E, é claro, diferiam pela pintura vistosa que era padrão em aeronaves SAR. No final dos anos 80, os três simplesmente deram lugar a outras aeronaves no 1º/6º GAV (R-35A e R-95, para aerofotogrametria / reconhecimento foto e para SAR) e, até onde sei, foram redistribuídos… Read more »

ivanildotavares

Prezados Roberto F Santana e Nunão,

Agradeço os esclarecimentos e os links com os C130 nas cores SAR. Voltei ao passado com as fotos.

Na entrada da Base Aérea do Recife tem um dos B-17 citados pelo Nunão espetado, muito bem conservado, justamente com uma pintura padrão para aeronaves SAR.

Abraços aos dois.

GUPPY

Rinaldo Nery

Nunão já esclareceu tudo sobre os C-130 SAR. Ainda hoje cumprem essa missão a partir do Galeão, fazendo parte do SISSAR, juntamente com outras aeronaves, como os P-3AM, P-95, SC-105, e helicópteros. Apesar do R-99 não fazer parte, oficialmente, do SISSAR, quando nada funciona acionam o Guardião. Assim foi com o H-1H de Belém desaparecido, em 2003, com o GOL 1907 e com o AF 447. Aliás, no caso do Air France, foi o R-99 que encontrou as manchas de óleo e partes da aeronave no mar (a deriva), empregando o seu Radar de Abertura Sintética no modo WAS (Wide… Read more »

Reportagens especiais

Visita ao National Naval Aviation Museum – parte 4

Os aviões fotografados nesta parte do National Naval Aviation Museum representam uma época muito criativa da aviação naval da...
- Advertisement -
- Advertisement -