quarta-feira, outubro 20, 2021

Gripen para o Brasil

EUA suspendem entregas de caças F-16 ao Egito por tempo indeterminado

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

F-16 egípcio em treinamento de REVO nos EUA - foto USAF

vinheta-clipping-aereoO presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decidiu interromper a entrega de aviões de combate F-16 ao Egito por tempo indeterminado devido à “situação atual” no país africano, disse o Pentágono nesta quarta-feira.

“Dada a situação atual no Egito, nós não acreditamos ser apropriado ir em frente, neste momento, com a entrega dos F-16s”, disse o porta-voz do Pentágono, George Little, a repórteres, acrescentando que a decisão de Obama foi tomada com a concordância unânime de toda sua equipe de segurança nacional.

Houve uma escalada da violência no Egito desde que os militares destituíram o primeiro presidente democraticamente eleito do país, Mohamed Mursi.

F-16 egípcio nos EUA - foto USAF

FONTE: Reuters, via portal Terra

FOTOS: USAF (caças F-16 da Força Aérea Egípcia participando de treinamentos nos EUA)

COLABOROU:T F Baptista

NOTA DO EDITOR: segundo reportagem original da Reuters em inglês (clique aqui para acessar), o lote em questão é composto por quatro aeronaves . Outras oito estariam previstas para entrega em dezembro. Duas semanas antes, a Reuters havia noticiado que os EUA entregariam as aeronaves, mas fontes no governo sugerem que a suspensão é uma forma de pressionar autoridades militares egípcias na direção de uma transição democrática no país.

A entrega de caças F-16 ao Egito tem sido alvo de polêmicas dentro dos EUA e também é um assunto delicado no Oriente Médio, pois envolve o relacionamento do país com outros países árabes e com Israel. Para entender melhor as questões colocadas na balança, clique nos links para matérias anteriores, na lista abaixo.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

26 Comments

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

O governo americano é proibido por lei de vender ou entregar armamento a qualquer governo que tenha chegado ao poder através de um golpe de Estado. Enquanto não se decide se o que ocorreu no Egito foi golpe ou não, a administração Obama simplesmente não pode repassar as armas sob pena de responsabilização. E isso nos EUA significa, inclusive, impeachment. Não significa que os caças não serão entregues ao Egito. Mas até que se tenha uma definição o melhor é esperar mesmo. Como a oportunidade faz o ladrão, se o FX2 não se concluir (o que não creio) pode estar… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Vader, Segundo reportagem original da Reuters em inglês, há quatro F-16 com entrega suspensa mas há também outros oito que seriam entregues, conforme o planejamento, em dezembro. Não está claro se estes oito também foram suspensos, mas parece óbvio que, enquanto não for resolvida a situação lá no Egito, nenhum dos doze serão entregues. Coloquei agora uma nota do editor com essas informações. Então sua ideia de desviar essa encomenda pra cá nem carece da engenharia de pedir uns à Lockheed Martin e outros tantos dos estoques de usados de Israel. Bastaria pegar esse lote de doze novos e pronto!… Read more »

ci_pin_ha
Vader

Nunão, mas porque diabos o KC-390 não poderia ter o sistema de boom? Oras, o avião ainda tá praticamente na prancheta! A FAB manda a Embraer refazer o sistema e boa! Eles ganham pra isso, oras! No mais, sempre achei essa história de se evitar comprar caças pensando no reabastecedor uma besteira, com todo o respeito. Primeiro se compra o caça, depois se pensa no REVO, quero dizer: é o REVO que tem que se adaptar ao caça, não o contrário. Enfim, solução pra esse problema existe aos montes. Mas se a LM tem mesmo 12 F-16 C/D egípcios parados,… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Nunão, mas porque diabos o KC-390 não poderia ter o sistema de boom?” Vader, não estou afirmando com certeza se pode ou não, isso é uma questão técnica que ultrapassa e muito meu conhecimento. Mas eu acho que deve ser complicado adaptar uma lança de reabastecimento na parte traseira da fuselagem de um avião de transporte dotado de rampa de carga. Também acho que primeiro deve ser decidido um caça, e depois um reabastecedor, mas a existência do KC-390 é algo que não pode ser ignorado. Trata-se hoje do principal programa em curso da Força Aérea, enquanto que o F-16… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“ci_pin_ha disse: 25 de julho de 2013 às 11:20” ci_pin_ha, estou ciente disso e até gosto da ideia. Mas não se pode esquecer que não é algo já existente, em produção, que já tenha um monte de força aérea comprando e aprovando etc. Era uma solução específica para o programa MMRCA indiano, e compatível apenas com aeronaves novas ou com seminovas capazes de receber tanques conformais (a imensa maioria dos F-16 não saiu de fábrica com as modificações necessárias no seu sistema de combustível – como diz a matéria que vc linkou, o “CARTS pode ser instalado em qualquer F-16… Read more »

Vader

Nunão e amigos, a pergunta que não quer calar é:

Será que esses 12 C/D´s não acabarão indo pra Colômbia?

Afinal, a LM não dá ponto sem nó…

Joner

A matéria do link abaixo diz que ” O CARTS pode ser instalado em qualquer F-16 Advanced Block 50/52.”
Isso faria os F-16 egípcios serem compativeis com revoo na FAB.

http://www.aereo.jor.br/2010/07/30/f-16-ganha-sonda-de-reabastecimento-para-o-mrca/

Fernando "Nunão" De Martini

Joner, como escrevi acima, a informação não muda o fundo da questão. Essa solução já está em produção e operação? Quantos países já compraram? A FAB padronizaria sua frota de caças no futuro com F-16 Block 50/52 após uma hipotética compra de oportunidade de 12? Ou ficaria só nesses 12 e compraria o resto em usados, incompatíveis com o sistema? As fotos do tanque conformal com sonda de reabastecimento são legais, mas a realidade e a viabilidade é um pouco mais complicada quando se pondera diversas outras questões. E olha que eu sempre gostei do F-16 e não ficaria necessariamente… Read more »

Joner

Gosto muito do F-16, mas seu sitema de revoo me revolta!!!!!!!! 🙁

Oganza

Ok, o F-16 realmente é um problema para o REVO, mas lá um dia quem sabe, em uma galáxia muito, muito distante, se viermos a ter F-35, não vejo problema no sistema de REVO não: Se o “A” é por sonda e os “B” e “C” são por probe & drogue, não deve ter complicador nenhum em ter um “A” com probe & drogue.

Vader

Se não me engano o F-35 A vai ser comercializado com os dois sistemas.

Fernando "Nunão" De Martini

Oganza e Vader, De fato, como o F-35C (sem falar no B, mas este tem muitas outras diferenças) foi desenvolvido com sonda retrátil para o sistema Probe & Drogue (cesta), não vejo nenhum sério impedimento técnico para se adaptar a fuselagem dianteira do C (cabine + nariz) no restante de uma célula de A, assim como as mudanças pertinentes no sistema de combustível, no tanque da fuselagem etc. Creio que, simplesmente, seria uma questão de gastar dinheiro para as modificações necessárias, mudanças e adaptações na linha de montagem etc. Evidentemente, como qualquer mudança de um novo parafuso para esses caças… Read more »

Vader

Nunão, não tenho certeza, lembro vagamente de ter lido isso em algum lugar, mas como não sou daqueles que fazem anotações no caderninho… 🙂

Gilberto Rezende

Caro Vader o KC-390 dificilmente poderia ter Boom porque ele é primariamente um transportador aéreo com uma rampa de ré e um compartimento de carga justamente onde teria-se que se colocar o sistema de Boom. Forçando a barra na engenharia aeronáutica teríamos que projetar uma escotilha redonda na rampa e uma unidade para ser colocada na área de carga com conexões ao sistema de combustível. Só que, além do CUSTO, a aeronave com esta configuração ficaria limitada a só ao REVO e possivelmente um “acessório” Boom nesta configuração certamente seria bem demorado para instalar/retirar da aeronave. É muito trabalho e… Read more »

Gilberto Rezende

Quanto a suspensão da entrega das aeronaves egípcias o argumento do Vader é no mínimo HIPÓCRITA, uma vez que o golpe no Egito foi efetuado com apoio explícito americano apavorado com o princípio de islamização do deposto presidente eleito da irmandade muçulmana.

Suspender a entrega agora é uma ótima maneira de irritar os militares egípcios e um BOM lembrete ao governo brasileiro de quão vãs e frágeis são as promessas e juras de amor yankees…

HMS TIRELESS

Ainda bem que você disse a princípio meu caro Gilberto pois a depender da evolução do programa KC-X, nadamais natural que os futuros 767-300ER sejam dotados de Fly Boom. E caso a frota fosse expandida para um quantitativo de 4-8 exemplares, o que seria o ideal, nada mais obstaria a adoção de caças dotados de Fly Boom como o F-35A, o que daria à FAB capacidade ímpar na AL.

HMS TIRELESS

Como de costume você faz uma análise equivocada dos fatos Gilberto. Tudo isso por culpa da sua ideologia. Os EUA suspenderam a entrega dos caças, uma medida preliminar, pelo fato de que a legislação local impede a venda de armas a países que sofreram golpe de Estado. Por outro lado, as tensões no Egito ainda estão muito elevadas e o risco de guerra civil é premente. Nada pior para os EUA que aconteça o que aconteceu no Irã. E já que você falou no Brasil, qual o receio? De a petralhada, assustada com os protestos de rua e queda livre… Read more »

Vader

Gilberto Rezende disse: 26 de julho de 2013 às 12:13 Meu caro, não ponha palavras na minha boca, eu apóio mesmo é o fim do FX2 com a aquisição da aeronave que a FAB escolheu, o Boeing F/A-18E-F Super Hornet. O F-16 seria só caso o seu governo idolatrado não tiver o culhão de terminar de vez com essa novela e adquirir o caça americano escolhido pela Força Aérea Brasileira. No mais, ao contrário de você, acredito que a Embraer é grandinha o suficiente para achar uma solução viável técnica e financeiramente para se meter uma sonda no KC-390, se… Read more »

Oganza

Gilberto Rezende disse:
26 de julho de 2013 às 12:13

Afff… chega né… se os francezódes não conseguiram fazer um sistema retrátil “confiável” como o mundo inteiro conseguiu, isso é um problema deles e da jaca deles. Eu ainda não vi uma matéria onde “Caça F-qaualquercoisa, cai por defeito em sua sonda telescópica durante reabastecimento aéreo”. Pelo amor de Deus, o engraçado é que o Jaguar (Franco/Britânico) era retrátil e até os Super Etendard eram retráteis, pra mim foi gambiarra mesmo ou pura frescura de designer: “Ninguém toquê ni me sondê, fica mais bonitê”.

Gilberto Rezende

Incansável a sua afirmação de: “… pois a depender da evolução do programa KC-X, nadamais natural que os futuros 767-300ER sejam dotados de Fly Boom.” É mais uma das suas costumeiras afirmações fan boy desvinculadas de qualquer fator de realidade da FAB. A única utilidade que um Boom teria na FAB é abastecer os F-16 chilenos nas Cruzex. Mesmo com a vitória do Super Hornet no FX-2 não há nenhuma aeronave no inventário da FAB que adote o sistema, PORTANTO, tua afirmativa só pode soar como um birutice… Quanto aos argumentos sobre a suspensão conversa para boi dormir, os EUA… Read more »

Gilberto Rezende

Quanto a Embraer, se vingar a parceria com a Boeing e esta conseguir vender o KC-390 para a USAF certamente uma escotilha redonda na rampa e uma unidade acessória para dotá-la de um Flying Boom poderão ser desenvolvidas se este cliente solicitar…

Teria muita utilidade para ele…

Justin Case

Amigos, Ainda sobre o posicionamento e tipos de sonda de reabastecimento, podemos considerar que: 1. O sistema Flying Boom só permite que apenas uma aeronave seja abastecida de cada vez, ao contrário das cestas. 2. A posição frontal da sonda facilita o acoplamento nas cestas. Isto se reflete no índice de sucesso nas tentativas e no tempo médio necessário para o acoplamento. 3. O tempo necessário para abastecer uma esquadrilha é muito importante, pois os aviões têm uma missão a cumprir, além de ficar pendurados em um reabastecedor. Isto também determina o número de reabastecedores necessários para cada grupo de… Read more »

Vader

Gilberto Rezende disse: 27 de julho de 2013 às 18:02 Caro Giltiger, você continua nessa lenga-tchonga esquerdóide de dizer que o caça da FAB servirá à Marinha, só porque a funesta, irrealista e inaplicável END prevê uma padronização de meios entre as Forças, padronização esta que, no que concerne aos caças, é praticamente impossível, a começar pelo fato de que a Marinha do Brasil não tem um porta-aviões compatível com nenhum dos caças do FX2: o caça americano Super Hornet não opera no A-12 e o Dassault Rafale oferecido no programa DA FAB é o modelo F3, QUE NÃO OPERA… Read more »

juarezmartinez

Mestre Vader! Não adianta falar o óbvio para esta turma é algo do outro mundo, prevalece a diretriz do “cumpanheiro” Rui Falcão de negação do fato, desqualificação do debatedor e repetição infinita do mantra. O dito cujo comprou esta “milonga” de o FX 2 ser um”pograma de guvernu” de um certo cidadão que labuta em outros fóruns e se julga o dono da Marinha, mesmo tendo ganhado um boné recentemente por meter-se aonde não foi chamado e ainda por cima de ajudar a criar um relatório falso sobre a capacidade do Rafale OPERAR no SP….. Me permita uma sugestão: Não… Read more »

Vader

juarezmartinez disse:
28 de julho de 2013 às 20:14

Como é que é Juarez, tem gente fazendo relatório falso para apoiar a jaca no Opalão?

Conta melhor essa história aí pra gente, hehehehe…

Últimas Notícias

FAB realiza enlaces de dados entre aeronaves usando o LINK-BR2 pela primeira vez

Os voos foram realizados durante a execução da Operação Íris, como foi denominada a segunda fase de ensaios de...
- Advertisement -
- Advertisement -