quinta-feira, outubro 21, 2021

Gripen para o Brasil

Mais informações sobre a doação de helicópteros para a Bolívia

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O ministro da Defesa, Celso Amorim, entrega na tarde desta quinta-feira (3) ao presidente da Bolívia, Evo Morales, dois helicópteros usados da Força Aérea Brasileira, fabricados há mais de 30 anos, e que serão empregados pelo país vizinho na erradicação de cocaína na região de Chapare.

O evento ocorre na base aérea de Santa Cruz de La Sierra, onde Amorim e Evo também irão conversar sobre a ajuda brasileira em treinamento de militares e manutenção de blindados usados pelo país vizinho, segundo informações da embaixada brasileira em La Paz.

O Brasil doará quatro helicópteros H-1H Iroquois. Os outros dois serão entregues em novembro para o combate ao narcotráfico. As aeronaves, com números de série 13843, 3205, 13024 e 13500, foram doadas pela Lei nº 12.679, sancionada pela presidente Dilma Rousseff em 25 de junho. Fabricadas há mais de 30 anos, não são mais condizentes com os usos da FAB, conforme a embaixada.

A Aeronáutica e o Ministério da Defesa não informaram quantas horas de voo as aeronaves doadas têm. Conforme o Livro Branco, a FAB conta com 24 H-1H em sua frota, usados para transporte da tropa e buscas e que, após décadas de emprego, “se encontram em fase de desativação devido à obsolescência”. O Brasil deve deixar de operar H-1H em 2017.

Acidentes e revitalização

Os helicópteros também já se envolveram em acidentes com mortes. Em 2008, um H-1H da Aeronáutica caiu no Ceará, deixando três mortos. Em 2010, outro teve perda total ao cair no Mato Grosso do Sul, deixando cinco feridos leves.

Antes de serem doadas, porém, os H-1H ficaram por um ano no hangar da Aeronáutica no Rio de Janeiro, em processo de revitalização dos sistemas hidráulicos, elétrico e de combustível para que pudessem ser entregues com totais condições de uso, informou o Ministério da Defesa.

A Bolívia possui 8 helicópteros, todos H-1H. Entre os objetivos da doação, segundo argumentos apresentados pelo Ministério da Defesa ao Congresso, estão “estreitar os laços de amizade e permitir a participação mais efetiva do Brasil em questões internacionais por meio de colaboração com as Forças Armadas co-irmãs”.

Para o Brasil, diz a Defesa na proposta, “em razão da existência no mercado de outras aeronaves mais modernas e de menor custo operacional”, os H-1H “possuem valor residual que não compensa ao Brasil, economicamente, a sua alienação, por se tratar de equipamento fabricado há várias décadas”.

Manutenção de blindados e cooperação aérea

No encontro com Amorim, nesta tarde, Evo pretende pedir apoio do Brasil para a manutenção de carros de combate usados na Bolívia que são de fabricação brasileira, como o Urutu, e também o treinamento de pilotos. Os dois países conversam ainda sobre o uso de aviões não-tripulados (vants) da Polícia Federal e da FAB na faixa fronteira, pois os bolivianos têm interesse na troca de informações, informou a embaixada em La Paz.

O governo boliviano também tem interesse na ajuda no controle do tráfego aéreo. A ideia é que haja um sistema integrado na faixa de fronteira, para que a FAB saiba de aviões suspeitos que possam estar conduzindo drogas antes que haja a entrada no território nacional. Segundo a embaixada, a Bolívia não possui sistemas de radares.

FONTE: Fatimanews

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Augusto

O texto diz “entrega na tarde desta quinta-feira (3) ao presidente da Bolívia”, mas hoje (quinta-feira) é dia 4. Pelo que soube, a entrega ocorreu ontem (dia 3). O Brasil pode e deve mesmo doar os helicópteros, a questão é saber sob que condições isso foi feito. Quando cheguei na parte do texto que diz que “Antes de serem doadas, porém, os H-1H ficaram por um ano no hangar da Aeronáutica no Rio de Janeiro, em processo de revitalização dos sistemas hidráulicos, elétrico e de combustível para que pudessem ser entregues com totais condições de uso”, fiquei curioso. Será que… Read more »

Lyw

Augusto disse:
4 de outubro de 2012 às 22:20

… Será que ao menos a conta da revitalização ficou com a Bolívia ou a petralhada deu um passo além e fez o povo brasileiro pagar a conta?

Faço minhas as palavras do colega, sou completamente a favor da doação de meios em vias de desativação, mas espero que não tenhamos sido obrigados pelo GOVERNO a utilizar nossos parcos recursos destinados às nossas forças armadas para a revitalização de componentes quaisquer que sejam estes.

LuppusFurius

Quem vcs acham que Pagou a Conta?!?!?!??!!!! Como Sempre?

Vader

UAHAHAHAHAHAHA!!!

Além de doar a gente ainda pagou a revitalização???

Hahahahahahahah…

Só rindo mesmo…

aldoghisolfi

“… fabricados há mais de 30 anos …”.

Há quantos anos os EEUU estão usando ativamente os B-52s?

Giordani

“Augusto disse: 4 de outubro de 2012 às 22:20 … Será que ao menos a conta da revitalização ficou com a Bolívia ou a petralhada deu um passo além e fez o povo brasileiro pagar a conta?” É revoltante! Metade da frota aérea do governo Gaúcho está parada por falta de manutenção! Com a eterna desculpa de que não tem dinheiro! Tinha um Bonanza que só parou de voar por causa da falta crônica de peças! E daí o cara tem que ler isso! Em suma, para os de casa nada, mas para os outros… Na boa, essas células seriam… Read more »

HRotor

Boa parte do suprimento dos H-1H constitui-se de “bogus parts”, desde pas e transmissoes ate componentes do motor. Trata-se de itens recuperados e recondicionados, as vezes de hel acidentados, de controle documental duvidoso e qualidade idem, as vezes oriundos de hel acidentados, comercializados por inumeros fornecedores mundo a fora. Nao e a toa a demora para montar um Agazao, muitas celulas ficam anos sem voar, aguardando prioridade de suprimento. Pouquissimo provavel que nao tenha havido atraso no ressuprimento dos esquadroes da FAB (a brasileira…) para honrar o compromisso assumido na esfera politica. O H-1H, embora velho e “nao-condizente” como disseram,… Read more »

Marcos

Lindio!

Pena que os F-5 jordanianos não vieram revitalizados.
Pena que os Impala não vieram revitalizados.
Pena que os blindados da KMW não vieram revitalizados.
Pena que o NAe SP já não veio revitalizado da França
Pena que os P-3 não vieram revitalizados.
Pena que os C-130 não vieram revitalizados.

Fernando "Nunão" De Martini

Epa,

Até onde sei, os Leopard recebidos recentemente pelo EB vieram revitalizados.

Mas, evidentemente, não foram doação. E nenhum dos exemplos citados foram.

Marcos

De fato, vieram revitalizados, mas nós pagamos pela revitalização.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, foi tudo comprado.

Aliás, não me lembro de qualquer exemplo recente em que tenhamos recebido aeronaves por doação.

Na América do Sul, já passamos há um bom tempo para o papel de doador e vendedor de equipamentos usados e novos. Creio ser essa uma face boa da moeda.

Poderíamos estar recebendo material doado pela Venezuela, por exemplo, como a Bolívia também recebeu (se não me engano).

Giordani

Os Ímpalas vieram até melhor que seus primos de pindorama…tanto, que a metade deles foi posta em uso pela FAB…

Marcos

O cumpanhero Hugo Chávez poderia nos doar a sua frota de Sukhoi.

Marcos

Os Impalas estavam sendo vendidos como “sucatas” lá na África do Sul.
Dai, por aqui, compraram para usar as peças. Até ai, tudo bem.
Mas ai alguém teve a grande ideia de revitalizá-los.
Bom… para provar que a coisa tá ruim nas cabeças das pessoas em todo mundo, por lá resolveram recomprá-los. Não faço ideia no que deu!!!

Requena

Que piada.
Além de DOAR os helis ainda revitalizamos?
Tudo pra ajudar o grande amigo dos petralhas, o cocaleiro Evo?
Esses mensaleiros perderam a noção das coisas.

Últimas Notícias

Assista ao primeiro episódio da websérie Colaboração Real 4

Estreou hoje o primeiro episódio da quarta temporada da websérie Colaboração Real no canal do YouTube da Saab do...
- Advertisement -
- Advertisement -