quarta-feira, outubro 20, 2021

Gripen para o Brasil

Encontrado canopy de F-5 da FAB próximo de Santa Cruz

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A peça que se desprendeu de uma aeronave modelo F-5EM em junho deste ano foi encontrado nesta sexta-feira (28) em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Já haviam sido feitas buscas com sobrevôo de aviões e helicópteros, mas o canopy, que protege a cabine de pilotagem, não foi encontrado na ocasião. As informações são da Força Aérea Brasileira (FAB).

Na ocasião, o piloto voltou em segurança para a Base Aérea de Santa Cruz mesmo a peça. Segundo a FAB, não houve relato de moradores do bairro sobre a queda. A localização do canopy vai contribuir para a conclusão das investigações, que começaram logo após o acidente.

 

FONTE: G1

NOTA DO EDITOR:as fotos são meramente ilustrativas. A foto superior mostra um canopi com dispositivo HMD e a foto inferior é da reportagem do canopi que se desprendeu em voo logo após o avião decolar da Base Aérea de Canoas (ver último link abaixo) há pouco mais de dois anos. Estariam estes eventos vinculados à idade da aeronave e ao emprego da célula muito além das previsões iniciais do fabricante?

VEJA TAMBÉM:

 

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Baschera

“Estariam estes eventos vinculados à idade da aeronave e ao emprego da célula muito além das previsões iniciais do fabricante?”

Não….. é normal Matusalém perder o “boné”…… dependendo do vento é claro !!

Sds.

LuppusFurius

Com um pouco de cuspe, clipe e elástico fica tudo novinho em folha…
” Guantão” fácil mas 40 anos……..ou mais…..
Já imaginaram que lindo vai ser o aniversário de 100 anos…..
…… dos F-5Z-III..???

glaison

“Estariam estes eventos vinculados à idade da aeronave e ao emprego da célula muito além das previsões iniciais do fabricante?”

Não, segundo um militar da base aérea de Canoas, isso aconteceu por que o piloto teria esquecido de travar.

glaison

kkkk, de vez em quando tem um dando bandinha de jato conversível.

Nick

Se fosse um caso isolado… mas já é o segundo, ou até mais vai saber.

Manter esses caças voando já está se mostrando uma solução….desgastada. 🙁

[]’s

Vader

Nas minhas contas é o terceiro…

Falar o que? Tudo tem um limite.

Marcos

“emprego da célula muito além das previsões iniciais do fabricante”

Quer dizer que o principal vetor aéreo de defesa já ultrapassou os limites estipulados pelo fabricante? É isso?

Marcos

O fechamento e travamento do canopy não é automático?

Fernando "Nunão" De Martini

Marcos, Não confundir limites estipulados com previsões de projeto. São coisas diferentes, por isso a nota do editor fala claramente em “previsões iniciais do fabricante”. Itens que têm limites estipulados são inspecionados e revisados conforme prazos, horas de voo etc. Há manuais técnicos originais que regulam tudo isso, acrescidos da experiência de décadas de emprego da aeronave aqui no Brasil e em outros países. O problema é que podem sempre existir alguns itens para os quais nem previsão de inspeção ou de revisão foi estipulada inicialmente. Isso porque que não se pensou quando do projeto do F-5E, lá pela virada… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Marcos, quanto ao segundo comentário:

Nem só de destravamento / abertura e fechamento/ travamento vive um canopi. Há outros itens, peças e questões envolvidas.

Marcos

Nunão:

Minha segunda pergunta se relaciona com o que o Glaison citou, de que “o piloto teria esquecido de travar” o canopy.

Dai a minha pergunta.

glaison

Só deixando claro que só repassei o que me disseram.

Estive pensando: Os B-52 mais novos possuem 50 anos de uso, com previsão de mais algumas décadas. Então os F-5EM não aguentariam mais um longo tempo?

Ricardo Cascaldi

Glaison,

Primeiro veja a diferença entre um B-52 e um F-5.
Um é uma grande aeronave de ataque estratégico, o outro é um caça que vive fazendo manobra pra cima e pra baixo e deve suportar cargas G mais severas.

Tudo conta, até disparo de mísseis pode gerar fadiga na estrutura do avião com o tempo.

geobosco

Senhores,
lendo o comentário de todos, posso chegar a uma conlusão: os nossos famosos F-5 estão mais próximos do fim da vida útil do que se imagina.Acho que o nosso governo deveria pensar logo também na substituição dos F-5, pois está parecendo quando alguns dos saudosos Mirage III começaram a cair. Hoje foi um canopy, amanhã qual será? O caça inteiro?

Justin Case

Geobosco, boa noite.

Mirage III caindo? Pouquíssimos caíram na última década de seu voo (acho que foi um só). Muitos Mirage III caíram, quando novos por problemas operacionais e deficiente manutenção. Idem para o F-5.
Os nossos aviões de primeira linha(?) não têm problemas graves e sua vida em fadiga é bem controlada. O problema é a obsolescência operacional e a baixa disponibilidade devido à dificuldade de realizar manutenção de alguns componentes/sistemas.
Abraço,

Justin

Últimas Notícias

FAB realiza enlaces de dados entre aeronaves usando o LINK-BR2 pela primeira vez

Os voos foram realizados durante a execução da Operação Íris, como foi denominada a segunda fase de ensaios de...
- Advertisement -
- Advertisement -