Home Noticiário Internacional Ajuda britânica à Índia poderá sobreviver à decisão do MMRCA?

Ajuda britânica à Índia poderá sobreviver à decisão do MMRCA?

224
9

Depois de notícias de que a Inglaterra iria suspender ajuda financeira à Índia, Departamento de Desenvolvimento Internacional britânico diz que atual programa continuará seu curso

Neste último domingo, 18 de março, uma grande controvérsia foi gerada pelas declarações do Secretário para o Desenvolvimento Internacional da Inglaterra, Andrew Mitchell, ao jornal Sunday Times. Mitchell disse que a Grã-Bretanha estava “andando a última milha” com a Índia, confraternizando-se com os críticos que pedem que o pacote de ajuda seja cortado. Mas depois o Departamento para Desenvolvimento Internacional (DFID – Department for International Development) insistiu que o programa atual vai continuar no seu curso.

A Grã-Bretanha já gastou 1 bilhão de libras (1,6 bilhão de dólares ou 1,2 bilhão de euros) em programas de ajuda na Índia nos últimos cinco anos, e outros 600 milhões estão comprometidos até 2015. O Primeiro Ministro David Cameron tem enfrentado pedidos para que a ajuda seja cortada, em face do crescimento econômico indiano e após o que pareceu ser um desprezo da Índia com acordos de comércio com a Inglaterra.

Ainda sobre o Departamento para Desenvolvimento Internacional, o secretário Mitchel disse ao Sunday Times: “Eu entendo completamente o porquê de pessoas questionarem o programa de ajuda à Índia, e nós mesmos temos nos questionado. Por isso revisamos todos os aspectos do mesmo quando chegamos ao Governo(maio de 2010) e mudamos o mesmo fundamentalmente. O fato é que não estamos à toa… Não estaremos lá para sempre.” Também vêm sendo alvos de cortes as ajudas britânicas à Rússia e à China.

Mas o Departamento rapidamente se mexeu para abafar sugestões de que isso significava que o acordo certamente acabaria em 2015, afirmando que a posição britânica sobre a ajuda à Índia não mudou desde a revisão bilateral de março de 2011. Um porta-voz do Departamento disse à AFP que “a posição do Reino Unido permanece igual – nada mudou. O Governo Indiano fez enormes progressos no combate à pobreza, mas ainda há muitas necessidades na Índia. Não estaremos lá para sempre… mas agora não é o momento para acabar com o programa “.

O Governo Britânico ficou aturdido em fevereiro, quando a Índia anunciou um grande contrato para a compra de caças franceses ao invés da proposta do Eurofighter Typhoon, apoiada pelo Reino Unido, apesar dos intensos esforços do Governo Britânico para incentivar o comércio. O Primeiro Ministro Cameron, que liderou uma grande delegação à Índia logo após assumir em 2010, prometeu pressionar o Governo Indiano a reverter sua decisão.

A Inglaterra enfrenta um novo programa de austeridade orçamentária para combater o déficit britânico, porém os fundos para ajuda internacional aumentaram no governo Cameron. O Governotem planos para consagrar numa lei seu desejo de gastar a meta da ONU de 0,7% do PIB em ajuda ao estrangeiro. Mas uma pequisa divulgada no jornal Sunday Times revelou que 66% dos britânicos acham que o país gastou muito em ajuda internacional, e 69% acham que a Grã-Bretanha deve interromper a ajuda à Índia.

FONTE: AFP, via Yahoo News (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: Eurofighter

9
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
IvanDrCockroachClésio LuizMauricio R.edcreek Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
edcreek
Visitante
Member
edcreek

OLá,

Isso é uma faca de dois gumes, se a Inglaterra “retaliar” poderá ter sua vida por lá dificultada e pode ter perdas num mercado de 1 bilhão de consumidores…

Em contra partida, a economia Indiana vai muito bem obrigado e pode se virar sozinha….

Em meu modo humilde de pensar acho que todo investimento gasto na India terá um retorno muito maior no futuro….

Abraços,

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

É bom não mexer, senão vai feder.
O amanhã ninguém sabe, vai que a tda fleumática GB, passe a necessitar desse troquinho p/ fechar algumas contas???
Então deixa quieto.

Clésio Luiz
Visitante
Active Member
Clésio Luiz

Interessante. Mesmo despejando dinheiro na Índia eles não conseguiram vender o Typhoon.

Isso serve para calar a boca de quem achava que a Dassault tinha ganho a concorrência na base do suborno.

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

Todos estamos aqui p/ aprender, mas arrogancia eh brabo… A ajuda do RU, com aprovacao do Parlamento, serah diretamente aos governos locais e ONGs, identificando os programas de combate a pobreza, justamente p/ evitar a corrupcao do governo federal indiano. Um colega ingles me disse outro dia que agora eles nao tem mais dentista pelo sistema de saude, devem pagar. Eh natural que nao queiram conceder uma gigantesca ajuda a India; o Min. Indiano de Financas disse que nao precisam de “migalhas”… O valor da ajuda seria(eh) proximo ao total executado em saneamento basico no Brasil, pelo GF, em 2010…… Read more »

DrCockroach
Visitante
DrCockroach

pobres = pobrez

edcreek
Visitante
Member
edcreek

OLá,

Clésio Luiz bem lembrado, apesar da “ajuda” de custo, o caça “Ingles” não levou…

Abraços,

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Chamar ajuda financeira oficial de “suborno”, é um pouco de ignorância.
Se bem que a BAe é tão sujinha, qnto pau de galinheiro.
Foi pega na contravenção e teve que dar as devidas explicações.
Qndo aconteceu c/ a Dassault, o esperneio foi geral…

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.
Ivan
Visitante
Member
Ivan

Dr. Barata,

O contribuinte britânico não deve estar satisfeito com a generosidade londrina, mesmo aqueles ‘politicamente corretos’.

Bolso é um orgão muito sensível para qualquer um.

Sds,