terça-feira, agosto 3, 2021

Gripen para o Brasil

SAAF vai voar, em exercício na Suécia, seus últimos Gripens encomendados

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A rádio e TV sul-africana SABC noticiou na sexta-feira, 16 de março, que a Força Aérea Sul-Africana (SAAF) vai participar pela primeira vez de um exercício multinacional com seus caças Gripen. Trata-se do exercício  “Lion Effort 2012”, que vai acontecer na Suécia entre 27 de março e 5 de abril. O Esquadrão 2 da SAAF vai voar 4 caças Gripens C que, segundo a reportagem da SABC, são os últimos quatro da encomenda sul-africana de 17 modelos monopostos. Essas 4 aeronaves foram mantidas na Suécia especialmente para permitir que os sul-africanos participassem do exercício.

Todas as cinco nações que hoje operam o Gripen vão participar, quatro das quais voarão suas próprias aeronaves – isso porque a Tailância, embora já declarado o caça como operacional em sua Força Aérea, participará como observadora. Somando todos os militares envolvidos e os caças dos quatro países que voarão seus Gripens no Lion Effort (África do Sul, Hungria, República Tcheca e Suécia), serão aproximadamente 300 pessoas e 27 caças.

Pela Suécia, serão 15 Gripens. As Forças Aéreas da África do Sul, Hungria e República Tcheca participarão com 4 caças Gripen cada, todos voando a partir da base de Ronneby, que abriga a Ala F 17 da Força Aérea Sueca. A República Tcheca também vai participar com quatro treinadores a jato L-159. O exercício vai contar também com o apoio de um Saab 340 Erieye AEW, para alerta aéreo, e  com um C-130 para reabastecimento em voo, ambos da Suécia.

A fase inicial do Lion Efforte será de voos de familizarização, seguida da principal fase de vários modos de voos de combate aéreo, entre os dias 1 e 4 de abril, envolvendo tanto formações de aeronaves de uma única nação quanto formações mistas, para diferentes esquadrões praticarem a cooperação.

Sobre as entregas à África do Sul, a SABC informou que quatro caças Gripen C (monopostos) foram entregues à SAAF no ano passado. A encomenda inicial, feita em 1999, incluía 9 modelos bipostos Gripen D e 19 Gripen C, a um custo de R19.908 bilhões  (aproximadamente 2,6 bilhões de dólares em valores de hoje ou 3,3 bilhões no final de 1999, porém não está claro na matéria se o valor em rand, moeda da África do Sul, está corrigido ou não). Mas em 2005 a encomenda de monopostos foi reduzida para 17 aeronaves. Todos os modelos bipostos já foram entregues, e nove monopostos já estão em serviço na SAAF. Os últimos quatro monopostos serão mandados à África do Sul de navio, após o exercício (nota do editor: pelos números mostrados na notícia, restam oito monopostos para entrega, não ficando claro como os quatro que serão voados pela SAAF no exercício serão mandados à África do Sul, ou se há algum erro no texto e essas quatro aeronaves seguiriam de navio – ainda assim, faltariam quatro).

A reportagem da SABC também destacou que durante a Copa do Mundo de 2010 (realizada na África do Sul), embora o Gripen ainda não fosse um sistema operacional, a frota crescente do modelo realizou aproximadamente 51 interceptações durante o evento. A SAAF empregou 11 dos 15 caças Gripen que dispunha na época, assim como 12 de 24 treinadores avançados a jato (Lift – lead-in fighter trainers) Hawk, da BAE Systems . Ainda segundo a matéria da SABC, os custos de apoio e manutenção do Gripen, entre junho de 2007 e outubro de 2011, foram de R153 947 95.12 (aproximadamente 19,6 milhões de dólares no valor do final de outubro de 2011).

FONTE: SABC news (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

FOTOS: SAAB

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -