segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

Rafale: um caça 100% francês?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Rafale 03

vinheta-exclusivoVirou lugar-comum dizer que somente a Dassault (e suas consorciadas Snecma e Thales) pode transferir 100% da tecnologia do Rafale porque o conglomerado de empresas francesas produz tudo o que o caça necessita. Verdade? Não é bem assim.

Sabe-se que o Rafale emprega o chip PowerPC da IBM. (Aliás, todos os três caças do Short list empregam o chip da empresa norte-americana) O próprio conglomerado “Rafale Internacional” esforça-se para produzir um equivalente local do chip, pois este é um componente sensível que pode ser barrado para determinados clientes. Mas além do chip norte-americano existem outros componentes “estrangeiros” no Rafale que são menos conhecidos.

Segundo o site da empresa LMB, subsidiária francesa do grupo norte-americano Honeywell (a mesma que fornece diversos equipamentos para os jatos da Embraer) o Rafale também é equipado com ventoinhas (“fans”) de aplicação aeroespacial produzidas pelo grupo.

lmb-rafale

Além disso, a própria Honeywell é responsável por uma série de outros sistemas do caça francês. Abaixo uma lista de fornecedores não-franceses que contribuem para o programa Rafale (fonte: World Military & Civil Aircraft Briefing, September 2009).

Rafale-outros sistemas

Além da norte-americana Honeywell também contribuem com outros sistemas empresas estrangeiras como  a britânica Matin-Baker e a Liebherr.

Por último, é preciso dizer que praticamente todos os aviões do Ocidente que possuem um pouco de tecnologia mais sofisticada a bordo carregam algum tipo de componente produzido nos EUA. Não há como escapar disso.

- Advertisement -

214 Comments

Subscribe
Notify of
guest
214 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
emerson

Gostaria de perguntar, e daí? Diversas vezes já coloquei comentários sobre o erro que é comparar as aeronaves ponto-a-ponto, como no supertrunfo, ou nos detalhes desse ou daquele componente. A discussão deveria se dar no papel que cada uma das aeronaves viria cumprir na FAB e nas consequencias que cada escolha trará para a FAB. Por causa disso, já fui chamado de rafaleta ou de troll partidário. Coisas bem estranhas para quem acompanha meus comentários. Claro que já li diversas vezes defesas apaixonadas do Rafale considerando a idéia da tecnologia 100% francesa, assim como já li sobre as vantagens da… Read more »

Vitor

Otimo texto.
Otra prova das mentiras contadas apenas para favorecer o Rafale. Que venha qualquer caça, mas que venha logo! Eita decisão devagar.
Depois desse FX, o Brasil deveria cair de cabeça nos UAV e tecnologia stealth para as 3 forças (Sim, terra, mar e ar).

Neto_Sorocaba

Pois e, meus amigos! A Francesa Dassault mente!! Eles dizem que sao 100% independentes em seu Rafale, mas nao sao nao!
Por que o Brasil comprar o Rafale, se e muito caro, manutencao e operacao muito cara?
E muito mais negocio para o Brasil comprar o Gripen, mais barato, dentro das possibilidades do nosso orcamento militar, que e extremamente baixo, sendo o Gripen bastante moderno!!
O Brasil sofreu muito com os Mirage III ! Chega de Franca!! Ja compramos 5 Submarinos, e mais de 50 Helicopteros !!

Leandro

Fecha com o SH F-18 então…

Max

Ar condicionado, ventoinhas, chips da IBM… Nada disso é estratégico ou sujeito a embargo. Qualquer visitante de um pais do “eixo do mal” pode comprar um notebook no free shop com chips avançados para adapta-los a suas “malignas intenções”. Quero ver alguma empresa Americana ou européia embargar uma venda do Rafale baseado nos direitos autorais do projeto de uma ventoinha!! O assento ejetor também não é um produto que significaria grande perigo se caísse em “mãos erradas”. Vide o Irã que vem trabalhando para reformar seus seus velhos F-14 cheio de tecnologia Americana( inclusive ventoinhas, chips e assentos ejetores). E… Read more »

Novesfora

Senhor Emerson, porque a FAB precisa de um novo caça para 2013?
Vamos entrar em guerra com algum vizinho? Vamos enfrentar a IV frota americana que virá roubar o pré-sal que o Lula descobriu antes da Petrobrás?
O que o Brasil precisa realmente, e aí estou incluindo a FAB e a Embraer, é ter um caça e aprender a construí-lo. Quer dizer: transferânçia de tecnologia. Tudo o resto é balela.
Ou gente interessada em defender a gorda comi$$ão da venda do caça françês que nenhum outro país do mundo comprou.

grifo

Qualquer visitante de um pais do “eixo do mal” pode comprar um notebook no free shop com chips avançados para adapta-los a suas “malignas intenções”. Caro Max, a coisa não é bem assim, mas vamos admitir que que um país sob embargo pode contrabandear todo tipo de peça, prova disso é que o Irã está operando F-14 há mais de 30 anos. O problema é um país sob embargo já é um pária mesmo e pode fazer isto, mas não o Brasil ou uma empresa internacional como a Embraer. Imagine a Embraer vendendo um caça para a Venezuela sem assento… Read more »

RtadeuR

Os paises como as pessoas precisam uns dos outros, tecnologia é valor agregado , intelectual e que é comerciado por quem chegou à inventá-lo primeiro. Para isso as patentes. Não dá pra fazer do Brasil uma ilha isolada, paises compram de nós minérios, soja, carne , etc, e quem sabe no futuro vão comprar até água dos nossos aquíferos, isso se alguém não inventar e patentear um desalinizador, invenção esta que será, lógico, patenteada. Li em um jornal à um tempo atráz que o Bobs e o Mac Donalds vão à falência sem o fornecimento da carne brasileira em sua… Read more »

danielo

“Abaixo uma lista de fornecedores não-franceses que contribuem para o programa Rafale :” – Aerospatiale/ matra : Francês – Air liquide : Francês – Auxilec : Francês – Bronzavia : Francês – Chelton : US – Crouzet : Francês – ECE (Zodiac) : Francês – Eros (intertechnique) : Francês – Honeywell : US – L’hotelier : Francês -Intertechnique : Francês -Liebherr : Suíça -Martin Baker : SEMMB 50% Francês -Messier bugatti (Safran) : Francês -Michelin : Francês -NEC: Japonês -Olaer industries : Francês -Sagem (Safran) : Francês -Quinson (Segula technologies): Francês -Sarma: Francês -Snecma (Safran): Francês -Sarma : Francês -Team:… Read more »

RobsonMBr

Coitado do Rafale.

Praticamente todos os textos que aparece aqui no blog sobre o caça de uma forma ou de outra são para desqualificá-lo.

Nem sei se vale à pena continuar nesse debate.

É MUITO REPETITIVO.
Já está ficando cansativo
Parece falta de argumento

Daqui à pouco aparece um outro texto do Gripen Ng dizendo que ele é isso ou aquilo e tudo de bom.

Muda o disco.

Antonio M

O tal chip da IBM é importantíssimo sim, além de sua função essencial é como diz a própria reportagem a França tenta mas não consegue algo similiar e devido a escala de produção do mesmo, o preço é bom e será que os franceses conseguiriam escala para oferecer por preço baixo? Isso não é uma crítica ao Rafale, é um elogio pois não adianta querer inventar a roda. Mas que o tal discurso “100% francês” se encerre por aqui. E se com tudo que já foi dito por aqui sobre o NG não for suficiente para esclarecer que a opção… Read more »

drcoakroach

Penso que o texto inicia de forma muito apropriada: “Virou lugar-comum dizer que somente a Dassault (e suas consorciadas Snecma e Thales) pode transferir 100% da tecnologia do Rafale porque o conglomerado de empresas francesas produz tudo o que o caça necessita. Verdade? Não é bem assim.”… Eh esta exatamente a questao: nao existe nada de errado em ter componentes de outros paises, pois o fundamental em termos de ToT eh integracao e manutencao. E isto os 3 concorrentes podem fornecer, alem de capacidade p/ projetar. A questao eh que o Lobim repete de forma incansavel estes ficticios argumentos de… Read more »

RobsonMBr

drcoakroach disse: 26 de abril de 2010 às 7:54 No Rafale, tanto o conceito, como todo o conjunto é frances, ao contrário do Gripen Ng que mais da metade não está em seu domínio. O chip PowerPC da IBM como as ventoinhas pode sim ser substituída por outro componente similar, mas no desenvolvimento do avião foi usado esse e a princípio os EUA são parceiros. Aposto que ser for necessário estes componentes serão substituídos. Esse não é o caso de uma turbina e outros componentes que demandam tempo e dinheiro para seu desenvolvimento. Veja o caso radar o gripen, que… Read more »

RtadeuR

A turma está ficando cançada. Não façam isso, não entrem no jogo, vencer pelo cansaço, ótima tática.
Tem quem goste de selo, figurinhas, antiguidades, quem está no blog sabe do que gosta e pelo que se interessa. Continuem perseverar, explorem a área econômica, social, industrial etc, tem muito campo e jogo ainda.

grifo

O chip PowerPC da IBM como as ventoinhas pode sim ser substituída por outro componente similar, mas no desenvolvimento do avião foi usado esse e a princípio os EUA são parceiros.

Aposto que ser for necessário estes componentes serão substituídos.

Aposta aceita. Qual é o processador que pode substituir o PowerPC no Rafale?

Antonio M

E não admitem que a França errou no caso Rafale. É de fato um bom avião mas, está gerando um prejuízo enorme. E não adianta ser bom. Lembrem do projeto da Embraer com a FMA, o CBA123, um avião excelente, moderno talvez a ponto de estar um pouco a frente de seu tempo, revolucionário mas, foi por água abaixo pois ninguém se dispunha a pagar tão caro por ele. Lição dada, lição aprendida! E quem disse que o NG é o ultimo avião sueco? há algum tempo já observamos que os projetos são transnacionais e por isso mesmo o Brasil… Read more »

Almeida

Não me canso de repetir:

“Depender de todos para não depender de ninguém.”

A opção francesa pela independência “total e irrestrita” está cobrando seu preço agora. Dependermos deles seria suicídio estratégico financeiro.

Rodrigo

Amigos não são chips normais do PC, são chips homologados para aviação que tem que suportar as variações ambientais extremas do vôo.

Eles utilizam apenas a mesma arquitetura do PowerPC.

Idem para outros componentes.

Se é tão fácil assim para os franceses substituírem os chips que o façam, mas não é tão fácil assim achar similar e quem queira vender para os franceses.

Antonio M

Faltou explicar melhor:

“E não adianta ser bom apenas. Tem de ser bom e acessível.”

Desculpem….

Wolfpack

Bem, a que se presta tal post do Blog? Senão contra companha ao Rafale e a Dassault. Algo que não se vê quando se fala do ______________? No Blog não existe nenhuma nota por exemplo questionando o custo do projeto do Gripen NG nem seus riscos, uma vergonha como diz Boris Casoy… Agora a Honeywell tem planta em Sorocaba e produzir um cooling fan não algo estratégico como o Site sem conhecimento oferece aos seus leitores. O mesmo podemos dizer do completo powertrain do Gripen NG????? A usina inteira é de um tier2 e poderá sofrer um embargo mais severo… Read more »

Paulo

______________________________.

Fui.

NOTA DO EDITOR: POR FAVOR, NÃO VOLTE

RtadeuR

É. O ozires Silva não manja nada.

Antonio M

Acho que começam a faltar argumentos para os rafalistas…..

Só falta o governo se mancar agora ! rsrsrsrsr!!!!

Curvo

Caro Wolfpack, o problema não é desmerecer o caça, fica frio !!! hehehe Mas sim desmascar a propaganda enganosa da TT 100%, aprender a fazer a manutenção das turbinas não é ter o conhecimento para construí-las !!! A questão dos chips, dos assentos, da ventoinha, dos sistemas hidraulicos (TRW – americana, não é mesmo ?), etc… , significa que a tecnologia não é 100% francesa, e que, sim para exportarmos o Rafale para quem quer que o fôsse, teríamos de não somente pedir amém aos franceses, como também pedir aos EUA, e que vantagem maria leva com isso ??? Sê… Read more »

Antonio M

O Rafale não precisa deste blog para ser desqualificado.

As concorrências de que participou e que nunca ganhou já fazem isso….

Curvo

E a falta de “novas” boas notícias dele (RAFALE) não é culpa do Blog, mas da própria Assault, digo Dassault !!! Gerem boas “novas” notícias e tenho certeza de que os editores do Blog irão noticiá-las rapidinho !!!

Edcreek

Olá, Os Chips modificados da IBM estão disponiveis em outros produtos, como o Nintendo Wii por exemplo. Ele não é identico ao usado em aeronaves, porém a semelhança é grande. Seria possivel adptar-lo? provavelmente, mas a França tem carta branca com EUA então não o fazem porque não precisam. Estão desenvolvendo um proprio. Outra coisa é que um chip de computador é muito mais duravel do que componentes de um turbina que tem vida util relativamente curta. Um chip bem cuidado dura até voçê ficar irritado com a velocidade e troca-lo por outro mais novo com velocidade de processamento maior.… Read more »

grifo

Os Chips modificados da IBM estão disponiveis em outros produtos, como o Nintendo Wii por exemplo. Ele não é identico ao usado em aeronaves, porém a semelhança é grande. Caro Edcreek, o processador do Wii é americano. Não existe processador não-americano que possa substituir o PowerPC no Rafale. E no dia em que a França conseguir desenvolver um processador RISC (também conhecido como “dia de são nunca”), o software do Rafale teria que ser todo reescrito, porque foi feito para rodar em PowerPC. É mais fácil mudar o motor do Gripen NG do que retirar o PowerPC do Rafale. É… Read more »

Fabio Mayer

Não me admira em nada.

Fora dos EUA, apenas a Rússia é capaz de construir um caça inteiramente nacional e, mesmo assim, isso tem se tornado cada vez mais dificil nos últimos tempos,basta ver que só agora, muito tempo depois do F-22 e já em curso o F-35, a Rússia mostrou ao mundo o protótipo do T-50.

Antonio M

“….Seria possivel adptar-lo? provavelmente, mas a França tem carta branca com EUA então não o fazem porque não precisam. Estão desenvolvendo um proprio. …”

E quanto vai custar ?

Curvo

Olá Edcreek como vai ?
Você leu todo o texto do Post ?
A TRW é francesa? E a NEC é Francesa ?
A IBM repassou à França a tecnologia do PowerPC ?:
Desculpe se entendi errado mas foi o que entendi !
Se os franceses tivessem esta capacidade eles já teriam empregado, tenha certeza !!!

Curvo

Edcreek, a França vai nos passar 100% da tecnologia da turbina do Rafale, ou só a sua manutenção ???
Acho que vai ser “apenas” a manutenção !!! hehehehehe

Heyarth

Fica claro que o ________ gosto muito desse Blog, principalmente de matérias com conteúdo tecnico que geram discussões bastantes proveitosas… agora essa materia foi forçar a barra de mais, rsrs

NOTA DO MODERADOR: COMENTÁRIO EDITADO

Curvo

E Edcreek ,apenas a manutenção nunca será 100% da tecnologia empregada no Rafale, concorda ?
E se o chip é americano então tem de se pedir a benção a eles também, não concorda ?

GSV

Bom dia a todos!!! Pelo apurado até Hoje no Blog os três finalistas defenderiam bem nosso espaço aéreo. O grande entrave é a TT, até agora nenhum dos finalistas mostrou de forma transparente esse repasse. Será que o motivo desse certo “desleixo” seria que o proprio FX-2 não obriga ao vencedor a qual percentual de TT o Brasil exige? Ou seria uma falta de vontade por parte dos Governos envolvidos. Será que qualquer um desses projetos a custo de 10Bi não poderiam ser tocados aqui mesmo e a FAB poderia buscar alternativa como no caso dos F-5 jordanianos (sem envolvimento… Read more »

Curvo

Ou seja, a tgecnologia empregada no Rafale ainda não é 100% francesa, me corrija se estiver errado (tem a TRW,IBM,NEC,………)

Curvo

favor substituirem tgecnologia -> tecnologia !!!

Curvo

Os únicos 100 % transparentes até agora foram SAAB e Boeing, foram claríssimos, agora a Dassault …. (claro na minha opinião)

Rodrigo

Não Ed não é fácil… É tão semelhante que um aguenta alterações de temperaturas de +30 a -60Cº em menos de 5min, a suas devidas alterações de pressão e o outro não. Se forem querer utilizarem um chip comum no Rafale, vão precisar manter as devidas condições de temperatura e pressão nas baias eletrônicas. Se o Rafale, não segura mais um led sequer na sua ridícula arquitetura elétrica, não vão ser mais watts e watts de utilização, para manter os circuitos de videogame que vocês querem. Fora o peso que vai aumentar e o espaço necessário, que o Rafale no… Read more »

Gerson Victorio

Dejavu…again…and again…and again…..

Excel

Pergunta de leigo: essa tal de “ventoinha” não é aquela que vai dentro da turbina e tem de aguentar temperaturas extremas senão derrete? Se for essa mesma não se trata de uma “ventoinha” qualquer, mas a parte mais importante da turbina. Será que estou enganado?

Flavio

Grifo, não querendo discordar de tudo que o amigo fala, mas trocar o chip realmente não é tão fácil, mas é mt mais fácil que trocar o motor no NG. Chips do mundo inteiro – americanos, russos, franceses, alemãs, brasileiros(sim, nós temos chips, apesar de não ser divulgado, estamos no começo do desenvolvimento) são baseados em arquiteturas. Isso significa que dentro de uma arquitetura sua funcionalidade é previsível. Claro que desenvolver um chip não é simples, mas vendo o que franceses, alemãs, ingleses, japoneses, russos, brasileiros e outros tantos ja desenvolveram em questão de tecnologia, acredito fielmente que podem desenvolver… Read more »

Curvo

Caro emerson disse:
26 de abril de 2010 às 1:30

Bom dia, como vai ?
Acho que já respondi às suas perguntas nos posts acima e anteriormente, não concorda ???

Antonio M

Caro Excel,

Suponho que como são descritas “fans” teriam o mesmo uso que nos computadores por exemplo. Para refrigerar componentes diversos como circuitos, outros processadores, talvez tubulações de óleo etc.

ZE

Não podemos esquecer que o aludido caça não tem ESCALA, fazendo com que os já historicamente caros componentes franceses fiquem ainda mais proibitivos. Não só a compra, mas a manutenção desses vetores será proibitiva para a FAB. Como sabemos, o Tribunal de Contas e o Senado Franceses preveem que a manutenção do Rafale, de 34000 Euros por hora de voo, caia para 16000 Euros hora/voo. Com o subsídio do Governo Francês, o custo da hora de voo PODERÁ (E NÃO DEVERÁ) cair para 9800 Euros ( e não dólares) em 2012. Através de subsídios cruzados, ainda assim o vetor francês… Read more »

Curvo

Caro ZE, nada a acrescentar, onde asino embaixo ???

Flavio

Rodrigo, Sim rodrigo, facil não é, até porque precisariam dominar a tecnologia do chip para fazer adaptações, e isso é impossível pois chips são proprietários. Agora, com relação a chips de video-game, podem sim, e inclusive já estão sendo usados em aplicações militares, inclusive em caças. O chip é do PS3. Tem algumas matérias na internet sobre isso, não sei se aqui no blog tem. Claro que não estou dizendo que é só pegar um chip de um PS3 e jogar em um F22 que vai funcionar, tbm não é assim. Até porque, um avião militar deve usar diferentes tipos… Read more »

Curvo

asino -> assino

Braziliano

Quando será que eu vou ver uma matéria sobre os anos perdidos. Explico. Os anos de 1990 a 2008 onde, aparentemente, foi “esquecido” pelos políticos da “nova república”, os investimentos para a pesquisa e formação de técnicos na área militar. Estamos “penando” por isso o que reflete nessa obsessão infantil pela tal ToT do Rafale. Não temos como aproveita-la. E cabeças deveriam “rolar” por isso Voltando ao tópico, vou insistir na minha tese (como leigo é a única que me ocorre). Associar-se à Suécia para lançar a versão E/C do Gripen. E produzi-la sob licença aqui no Brasil. Vai ser… Read more »

ZE

Curvo disse:

Obrigado, amigo

[ ]s

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -