sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

Um passo maior do que as pernas?

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

vinheta-opiniao-aereoOs últimos caças comprados pela FAB foram 11 jatos F-5E/F usados da Jordânia (foto), adquiridos pela bagatela de US$ 21 milhões. Os aviões vieram para aumentar o número de biplaces para treinamento e não se sabe ainda se todos eles serão modernizados no padrão F-5M.

Além dos F-5, a FAB tem 12 Mirage 2000C, que também foram comprados de segunda-mão da França. Esses aviões tem pouco tempo de vida útil pela frente e foram comprados para tapar o buraco deixado pela desativação dos Mirage IIIEBR.

A frota de caças da FAB está envelhecida e os F-5, mesmo com aviônica de quarta geração, não vão durar para sempre.

Está nas mãos do Governo agora a decisão pelo novo caça que deverá substituir os Mirage 2000C, os F-5M e mais tarde os AMX. O ideal seria uma aeronave que pudesse ser comprada em maior número possível, e que pudesse voar ao menos o mínimo de horas anuais necessárias para manter a proficiência dos pilotos. Mas, de preferência, deveria voar mais do que as insuficientes horas que se voa atualmente na FAB, visando torná-la uma Força mais competitiva nos cenários atuais e futuros.

Nunca houve combustível sobrando na FAB, a não ser para os jatos usados para o transporte de autoridades – essa é uma realidade que também precisa mudar.

Agora que uma maior parcela da sociedade está ciente do Programa F-X2, por bem ou por mal, é preciso que o Governo avalie muito bem que escolha fará, para que não dê um passo maior do que as pernas. Todos os 3 aviões finalistas cumprem a missão requerida pela FAB, mas um deles é muito mais caro, tanto para comprar quanto para voar. Será um salto orçamentário gigantesco para a Força, que sobrevive com caças de segunda-mão e que, ainda por cima, há anos voam menos do que o necessário.

Se o Governo comprar a aeronave que se encaixa na Aliança Estratégica, o que muito provavelmente ocorrerá, que se dê as garantias de que o avião poderá ser comprado nas quantidades adequadas e que possa ser voado minimamente. Ou melhor, maximizadamente.

Os governos passam, “alianças estratégicas” terminam, mas a FAB continuará e é ela quem vai operar o caça selecionado pelos próximos 30 anos.

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

136 Comments

Subscribe
Notify of
guest
136 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Por esta razão as Alianças Estratégicas deveriam ser mais discutidas, não só nos fóruns do Poder Naval, mas por toda a Sociedade.
Além do mais, qualquer Aliança Estratégica deve ser apresentada e aprovada pelo Congresso Nacional (legislativo), pois sendo assunto de Estado não deve ficar apenas no ambito de Governo (executivo).
A Aliança Estratégica com a França, que inclusive sou francamente favorável, corre o risco de tornar-se uma aliança de Governo, quando tem tudo para ser de Estado.

Abç,
Ivan.

Augusto

Para aqueles que adoram o grifo e seu plano é só dar uma olhada no post sobre o AMX. Ótimo para Embraer ruim para a FAB! Defesa primeiro minha gente brasileira!

Taz Miranda

Pensando desta forma, economicamente falando só poderia ser o Gripen. Tecnicamente falando gosto do SH, devido suas muitas funções (naval, guerra eletronica no caso do EA18-G e até mesmo como “little-tanker”).
Mas talvez não seria hora já começar a pensar no que virá depois? Pois independente do resultado final, a FAB não utilizará nenhum dos “FX” em sua plena capacidade.

sr.ricardo

“opinao” Pró- Gripen NG ?
Mudando de assunto, se eu puser um “NG” depois do Rafale ou do Super Hornet ele vira um “programa novo”. Porque o Gripen NG na verdade terá pouquíssimas mudanças estruturais em relação a versão atual

Wilson Giordani de Souza

Queria sugerir ao pessoal do blog uma série especial tratando da situação atual das forças armadas. Já li muita coisa aqui no blog: excesso de pensões, excesso de contingente, excesso de oficiais, etc.

Acho que seria um bom tema para uma análise mais aprofundada.

Só uma sugestão.

E se já saiu alguma matéria assim, por favor me avisem. 🙂

[]s

Chacal2011

Na minha opinião o rafale é o melhor caça dos 3,mas aliança estratégica….. parece mais algema estratégica…e a compra dos rafales é como jogar as chaves fora!

Augusto

Concordo com o Ivan, se a França nos ofereceu uma aliança e os outros não, azar deles! Temos que tirar vantagem para nos armar e ter uma defesa contra qualquer pais da América do sul, um pais como nosso ainda voar com f-5 é uma vergonha, por mais que faça reforma nele. Um assunto que ninguém comenta é qual o armamento que a FAB esta comprando para estes caças se alguém me dizer que será apenas Piranha sem dente e bomba estupida (nem burra é mais), ai pode ser f~-22, f-35 que a gente apanha de todo mundo. Tem que… Read more »

Paulo Renato

O grande foco na verdade e que muitos não entendem é que o Rafale e um vetor de custos elevados, com ele não vamos atingir a meta de 120 caças, mas não se questiona sua capacidade(apesar de até dizerem que já abateu o F22).
Manutenção cara, horas de voo cara, preço alto demais em relação aos conconrrentes.

Essa decisão pode ser e será uma estaguiinada na FAB, vamos parar no tempo e os vetores ficaram parados no Hangar.

Infelizmente !!!!

Rogerfer

Nos últimos anos reclamamos muito do sucateamento das forças armadas. Cada Governo que assumiu, fez vista grossa e deixou de tratar a questão com a devida importância. O sucateamento foi aumento a cada ano. Agora, depois de muitos anos perdidos, alguma coisa está sendo feita para melhorar a qualidade e aumentar o poder de dissuasão do país. Não espero que tudo seja resolvido de uma hora para outra, muito menos que um ou outro vetor, no caso dos caças, mude a realidade da Força Aérea Brasileira em um curto prazo. O meu maior medo, como cidadão, é que os próximos… Read more »

Wolfpack

Um dia a FAB terá que mudar a situação atual de marasmo e engressar em um outro nível de Força Aérea que esperamos, para isso terá que fazer a lição de casa. Sem birras ou rebelião que somente irá prejudicá-la. Concordo com o Blog, mas qualquer escolha que se faça no FX2, mesmo o mais barato Gripen NG irá cobrar da FAB uma reestruturação, e sabemos que militar não gosta de mudanças. É muito mais fácil manter o padrão, a doutrina e a hierarquia. Um pouco sobre o fracasso do FX2. Algo que não consigo compreender. No começo do processo,… Read more »

Augusto

eu questiono que não tenhamos capacidade ter manter uma frota de 120 aviões novos, ora, se é para pensar assim é melhor não comprar nada ou vcs acham que a india que tem um PIB um pouco maior que o nosso e uma população 6 vezes maior que a nossa não tem problemas? Lá não existe pobreza, tudo mundo é feliz etc… claro que não! eles tem um projeto, que agora nós temos e cada governo que assume vai comprando e aumentando a verba da defesa aérea. O brasil não é o mesmo pais de 4 anos atras e não… Read more »

Wolfpack

Eu acredito sempre na máxima de uma Força Aérea como a IDF Israel.
Escolha o melhor, o mais capaz, a melhor tecnologia e depois discutimos preço.

Wolfpack supports FX3

Paulo Renato

Caro Wolfpack,
Concordo contigo, essa escolha para os finalistas foi meio conturbada.
Rafale tem altos custos, senão me engano maior do que os outros, não poderia estar na conclusão final.

Mas em relação ao fazamento de informações acredito que isso foi proposital em relação aos últimos acontecidos.

A FAB vai se afundar com os Rafales, na minha opinião.

Abs.

Wolfpack

ingressar e não engressar…

sr.ricardo

Meu sonho de consumo era que o brasil comprasse os direitos globais do Fulcrum no final do século passado e desenvolvesse hoje uma versão combinada do MiG-29K e do MiG-35 (MiG-29OVT). Não teria pra ninguém nem para o Su-35, nem para o F-22 e talvez só com o PAK-Fa.
Perdemos a oportunidade a MiG continua ruim das pernas a Suchoy exerce uma lobby inimaginável na Russia e o Putin jamais iria permitir essa venda, já na época do pudim de vodka (Ieltsin) até dava.

Nick

Alguem ae tem onde baixar esse RFI da Força Aérea?? e o RFP??

[]’s

Fuzila

Repito o que escrevi em outro tópico:

Defendo que o Brasil escolha o melhor. Até porque precisamos refletir e planejar a longo prazo…

Mesmo pensando que a logística e o apoio de outros elementos em um possível conflito façam diferença, os caças sempre serão as peças principais … Se é para criar e seguir uma doutrina, que escolha o melhor vetor ao nosso alcance agora, para não se arrepender futuramente …

O Gripen certamente em 5 ou 10 anos não irá projetar poder satisfatório na América do Sul …

Minha opinião …

Um abraço.

Ivan

Amigos, É importante discutir Alianças Estratégicas. Por que só com a França? Por que não com a Itália? ou a Alemanha? ou a Suécia? Quem negocia? Quem aprova? É política de Governo ou de Estado? Vai dar Rafale, como venho dizendo desde 07 de setembro passado, mas a vida continua e precisamos discutir assuntos áridos mais importantes. Aqui no Blog e na sociedade como um todo (que inclui militares) as Alianças Estratégicas (com França e quem quer que seja) devem ser pauta de debates prioritárias. A decisão será do Presidente, eleito para governar; A aprovação deveria ser do Congresso Nacional,… Read more »

Wolfpack

Augusto, na minha modesta opinião o que a FAB deseja é manter somente sua função constitucional e doutrina mínima. Esta é a leitura do FX2. Não aceita desafios , ou pensa em reestrturação. O estado atual da Força é o que dá pra fazer, pensam. Isso é muito fácil de se falar e manter. Agora quando a Marinha se coloca o desafio de projetar e montar quatro submarinos convencionais e um nuclear. O desafio está posto, a Marinha têm seu Norte, assim como o Exército a todo custo e barreiras está levando seus projetos. Penso que a FAB deveria se… Read more »

Wolfpack

Ivan , o processo como disse logo acima, está mais que comprometido. POde até dar o Rafale e mesmo o Gripen, mas o estrago já foi feito.
Abs

Wolfpack

reprise do entre-aspas no Globo News neste momento.

URUTAU

Bom dia senhores Um recadinho e ALERTA para os amigos defensores avidos e ferrenhos do RAFALE voces proprios reconhecem como não poderia deixar de ser pois é algo obvio e ululante o altissimo preço de aquisição e de manutenção do RAFALE pois assim mesmo vou fazer-lhes uma surpresinha mas por gentileza leiam meu comentario até o final antes de ficarem eufóricamente entusiasmados O vetor RAFALE é baratissimo para aquisição assim como é tambem baratissimo de manutenção Calma molecada não apedrejem e nem excomunguem este velho URUTAU pelo menos não ainda rsrsrsrsrsrs Pois bem senhores admiradores do RAFALE que alias volto… Read more »

Eduardo

A FAB sempre foi a desgraça das FFAA. Só porque tiveram sorte na Itália acham que são diferentes…
Bravos mesmo foram os soldados da FEB… os marinheiros da marinha… que lutavam contra toda a sorte…
A FAB teve sorte e o EUA por trás…

El  Carajlo

Ta ai os Rafales de 2020, parados, esperando pare serem atualizados, nunca, enquanto os franceses ia ar o Rafale F5 e etc, nós estaríamos perdidos no tempo, como todos nós sabemos.

malditos revanchistas.

MOKITI

Plano de Equipamento e Articulação da Marinha do Brasil (Peamb): -Seis submarinos de propulsão nuclear e 15 de propulsão convencional; -Dois navios-aeródromos (NAe) capazes de operar com aeronaves de asa fixa; -4 navios-aeródromos de helicópteros de assalto (NAeHA) -30 navios de escolta (fragatas e corvetas); -57 navios-patrulha (oceânicos, costeiros e fluviais). -Unidades de apoio para guerra de minas, reabastecimento no mar, transporte de tropas ou material e serviços de hidrografia, navegação e segurança do tráfego aquaviário. O principal: As aeronaves a ser adquiridas incluiriam 48 caças de defesa e superioridade aérea, além de aeronaves de apoio e diversos tipos de… Read more »

Carlos

Pra quem não se altera, quando entra em contato, com idéias que não reflitam comportamento de manada. Tenho aqui um ótimo link:

Jato francês não toma banho

http://www.viomundo.com.br/opiniao/jato-frances-nao-toma-banho/

Bruno Rocha

Wolfpack em 08 jan, 2010 às 11:52

Sim, a FAB quer manter a sua funcionalidade, mas ja pensou que a FAB sebe que a proposta do mais caro, sem garantia de continuidade pode atrapalhar a FAB? hora, a Força Aérea não tem que ter aviões voando?
Então! TAlvez eles saibam que se der rafale, não terão como dar continuidade a sua tarefa, voar e proteger. Não não tiverem garantias de que vão continuar em funcionamento, não tem como aceitar uma coisa dessas. Seria um erro lógico.

Bruno Rocha

Wolfpack em 08 jan, 2010 às 11:52

Veja bem, o AMX foi um erro tremendo, se tivéssemos comprado outro jato, ja teríamos uma força aérea melhor. Mas eu sei que isso ajudou a Embraer, mas a FAB não foi bem assim.

Eduardo

Galera!

Para que jatos de combate! ja temos o A-29, F-5M M-2000… tá ótimo!
Se der qualquer guerrinha nós chamamos os gringos! eles fixam umas basisinhas aqui lá… e tá tudo resolvido!

Que mané caça o que!

“Brasil, um país de todos”

sr.ricardo

Não tinhamos, não temos e não teremos dinheiro para colocar os aviões voando ou atualizado. . . . comentários desanimadores hein ?!

Daqui a pouco vão sugerir o plebicito pela “necessidade ou não da existência de forças armadas” !

Acho que o quê vier, vai dar uma melhorada. Vocês conhecem a história dos Mirage 2000 abatidos em treinamento pelos Mirage III ?

Bruno Rocha

Voce sabem que o que mais impõem respeito a uma não é a sua Força Aérea não sabem?

URUTAU

Caros senhores

Caros amigos outro simples mas objetivo lembrete
ALIANÇA ESTRATÉGICA NÂO SE FAZ COM PAISES SEJAM ELES QUAIS FOREM
MAS SIM ALIANÇA ESTRATÉGICA SE FAZ COM NOSSAS UNIVERSIDADES NOSSAS EMPRESAS NOSSAS INDUSTRIAS ESSA É A VERDADEIRA ALIANÇA ESTRATÉGICA NÃO DE LONGO PRAZO MAS DE ETERNO PRAZO

Saudações e Forte Abraço Senhores

Senta a Púa!

Concordo com o primeiro comentário do Wolfpack.
É no mínimo uma contradição.
Há no mercado muitos caças que atenderiam os requesitos da FAB, mas foi escolhido:

Um caça que tem o maior custo de aquisição/manutenção.
Um caça com o maior risco de (novos) embargos e ToT duvidoso.
Um caça mono-reator de uma classe distinta, ainda em projeto.

Creio que a FAB foi com muita sede ao pote.

URUTAU

Carissimo senhor MOKITTI

Carissimo amigo somente esqueceram de lhe avisar ser este PEAMB ou melhor este plano da Marinha para o ano FISCAL de 2738 DC

rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Um Forte Abraço

Senta a Púa!

– Escolhido para o short-list.

grifo

“Plano de Equipamento e Articulação da Marinha do Brasil (Peamb):”

MOKITI, eu também tenho o meu Plano de Equipamento e Articulação do Grifo (PEAG), que inclui:

– Uma ilhas em Angra dos Reis com quatro helicópteros
– Dois apartamentos de cobertura na Vieira Souto
– Dois jatinhos Legacy
– Quatro Ferraris na garagem

Infelizmente ele é tão realista quanto o PEAMB da Marinha.

Rodrigo

A short-list veio via Casa Civil e a sua iminência parda, daqui a pouco aparece esta verdade também.

Eduardo

Grifo você é agente da Saab? ou dos ingleses que vem no gripen uma forma de derrubar seus arquirivais franceses?
O catiça…

Carlos

Copiei de outro blog: Mas o cara se identifica. Ten. Costa Gomes (08/01/2010 – 10:21) Caro Senhor Azenha, Permita-me opinar sobre o post em questão. Já comentei sobre o mesmo assunto no blog do Eduardo Guimarães. Recuso-me a acreditar que a Força tenha finalizado o relatório e decidido pelo Gripen. Pelos motivos abaixo: 1) Pra começar, o Gripen nem é um caça, é apenas um protótipo; 2) O Gripen é monorreator, enquanto os caças top de linha, como o Sukhoi Su-35/37 e o Hornet, são birreatores. Pra quem está no ar, pilotando, isso faz uma grande diferença; 3) O Gripen… Read more »

Carlos Augusto

Augusto em 08 jan, 2010 às 11:19 “Para aqueles que adoram o grifo e seu plano é só dar uma olhada no post sobre o AMX. Ótimo para Embraer ruim para a FAB! Defesa primeiro minha gente brasileira!” Você falou da maneira que eu penso, durante anos eu esperei para ver voar este caça, que no fim não tinha nada de bom, até o canhão vulcan e radares foram negados para se colocar neste jatinho de turismo, e agora vem a Embraer querendo novamente ser sócia, mas eu creio do dinheiro que o governo tem para pagar dividendos aos aplicadores… Read more »

Wolfpack

Pessoal, minha maior decepção é com o FX2, uma vez que devido os critérios estabelecidos na primeira fase, tanto Dassault Rafale quanto F18E/F Super Hornet não deveriam estar no Short List. Também não vi motivos para tantso adiamentos, a FAB deve saber melhor que eu que não se reduz custos de uma aeronave de um dia para o outro, nem se modifica a política americana para venda de equipamento militar sensível. Logo, para que continuar no FX2 segunda fase? Como a FAB nos enganou desta forma? A quem se prestou todo este tmepo, senão ao próprio comprometimento do processo… Abs… Read more »

Eduardo

“3) O Gripen não tem a autonomia de vôo necessária ao território brasileiro. Como é que você vai decolar de Anápolis e executar uma missão em São Gabriel da Cachoeira com um monomotor pé-duro desses?”

putz… bem isso mesmo… mas … pior cego é aquele que naum quer ver…

JC

“Se o Governo comprar a aeronave que se encaixa na Aliança Estratégica, o que muito provavelmente ocorrerá, que se dê as garantias de que o avião poderá ser comprado nas quantidades adequadas e que possa ser voado minimamente. Ou melhor, maximizadamente.”

Perfeito. Vale essa regra ateh para uma frota de F22, que seria o ideal que viesse. Mas eu APOSTO com vcs, venha Rafale, venha Gripen ou venha tupi…todas as forcas continuarao nessa miseria, independente do futuro governo ser extrema esquerda petista ou centro esquerda psdbista.

Wolfpack

E se fosse para dar segunda chances, por que não as deram ao F16 e SU35BM? O processo todo parece ter uma tendência estabelecida desde seu começo.

Wolfpack supports FX3.

URUTAU

Caros senhores

Ja devidamente checado para efeito de confirmação não existe
na Base de Anapolis nenhum oficial de nome Costa Gomes portanto
me perdoem mas a informação é improcedente

Saudações Senhores

LBacelar

“MOKITI, eu também tenho o meu Plano de Equipamento e Articulação do Grifo (PEAG), que inclui: – Uma ilhas em Angra dos Reis com quatro helicópteros – Dois apartamentos de cobertura na Vieira Souto – Dois jatinhos Legacy – Quatro Ferraris na garagem Infelizmente ele é tão realista quanto o PEAMB da Marinha.” Vc ta zoando Brother, mas tem muito brigadeiro que bate o pé quando ve os custos de operar um avião de caça de verdade, mas que tem patrimonio muito parecido com essa lista aí, inclusive com muito S2 que nunca aparece dentro de quartel fazendo a guarda… Read more »

Eduardo

URUTAU: O SNI ainda existe? hehehehe

Wilson Giordani de Souza

Carlos em 08 jan, 2010 às 12:21

Fake. Duvido que um oficial da FAB – ou de qualquer das forças – comentasse esse assunto dessa forma, identificando-se.

[]s

Wilson Giordani de Souza

URUTAU em 08 jan, 2010 às 12:32

Putz. Foste mais rápido.

[]s

JC

“Eduardo em 08 jan, 2010 às 11:58”

Pra quem coleciona perolas, essa eh das maiores. Alem de extremamente sem respeito para os que por lah perderam as vidas.

Reportagens especiais

Poder Aéreo nos Estados Unidos: CAF AIRSHO – parte 2

Como dissemos na primeira parte desta reportagem, no nosso primeiro show aéreo nos EUA não pegamos um tempo muito...
- Advertisement -
- Advertisement -