Home Indústria Aeroespacial FLIR nos AMX da FAB

FLIR nos AMX da FAB

605
24

amx-flare

A empresa americana FLIR Systems Inc. fechou um contrato de US$ 7 milhões com a Embraer para o desenvolvimento e entrega de múltiplas unidades do sistema de imagens termais NavFLIR. Os sistemas serão instalados nos jatos de ataque AMX (A-1) da Força Aérea Brasileira.
O NavFLIR é um sistema fixo de infravermelho, de visada para a frente, instalado no nariz da aeronave. Ele proverá aos pilotos a capacidade para visualizar o terreno e outras aeronaves a longa distância, mesmo na escuridão total, com neblina, poeira ou fumaça.

FOTO: FAB / COLABOROU: Alexandre Marlon

24 COMMENTS

  1. Finalmente colocarão os acessórios necessários que o AMX precisava.Vamos dar um crédito a FAB, afinal se está se gastando muitos dolares, é que a FAB acredita neste caça!

    Abraços

    Paulo

  2. Finalmente colocarão os acessórios necessários que o AMX precisava.Vamos dar um crédito a FAB, afinal se está se gastando muitos dolares, é que a FAB acredita neste caça!

    Abraços

    Paulo

  3. para as nossas necessidades e dentro do nosso cenário o AMX ainda é de grande valia. Ele faz a diferença aqui na América do Sul.

    E quanto mais bem equipado estiver, melhor. É só uma pena que ele já não tenha tido todos esses equipamentos, básicos para um caça-bombardeiro, desde a década passada. Mas antes tarde do que nunca!

    abraços a todos

  4. para as nossas necessidades e dentro do nosso cenário o AMX ainda é de grande valia. Ele faz a diferença aqui na América do Sul.

    E quanto mais bem equipado estiver, melhor. É só uma pena que ele já não tenha tido todos esses equipamentos, básicos para um caça-bombardeiro, desde a década passada. Mas antes tarde do que nunca!

    abraços a todos

  5. Eu também sou um dos que acredita nesse pequeno notável!O amx é um caça bombardeiro subsônico muito eficiente como ja provado varias vezez, inclusive na guerra da Ilguslávia.O amx necesita realmente de um míssil tipo o exocet.Acho que a Fab ja deveria pensar juntamente com a Embraer num futoro substituto.Agora que mísseis equiparam os amx??O piranha B, o a-darter; o derby???

  6. Eu também sou um dos que acredita nesse pequeno notável!O amx é um caça bombardeiro subsônico muito eficiente como ja provado varias vezez, inclusive na guerra da Ilguslávia.O amx necesita realmente de um míssil tipo o exocet.Acho que a Fab ja deveria pensar juntamente com a Embraer num futoro substituto.Agora que mísseis equiparam os amx??O piranha B, o a-darter; o derby???

  7. “Ele proverá aos pilotos a capacidade para visualizar o terreno e outras aeronaves a longa distância, mesmo na escuridão total, com neblina, poeira ou fumaça.”

    Tem certeza que um FLIR pode ver através de poeira ou fumaça? Não seriam os radares que podem fazer isso?

  8. “Ele proverá aos pilotos a capacidade para visualizar o terreno e outras aeronaves a longa distância, mesmo na escuridão total, com neblina, poeira ou fumaça.”

    Tem certeza que um FLIR pode ver através de poeira ou fumaça? Não seriam os radares que podem fazer isso?

  9. Será que a FAB vai comprar chevetes para substituir os carros de transporte vip, e colocar DH, Air-bag, ABS, Banco em couro, Motor V6, sistema de segurança, blindagem…, 🙂 deu, podem atirar pedras agora rsrsrs

  10. Será que a FAB vai comprar chevetes para substituir os carros de transporte vip, e colocar DH, Air-bag, ABS, Banco em couro, Motor V6, sistema de segurança, blindagem…, 🙂 deu, podem atirar pedras agora rsrsrs

  11. Como ataque ao solo ainda é a mais efetiva plataforma da américa do Sul.
    Dentro do nosso cenário atual, ainda que antigo, os US$ 7 milhões são um bom preço para atualizar os nossos 30-40 vetores desse tipo.
    Agora desenvolvê-los para portar o exocet não sei se compensa.
    Em vez disso não seria melhor partir para um projeto mais novo? Quem sabe alguns Tornados da Arabia Saudita como compras de ocasião(agora substituidos pelos EF2000) ou até alguns SU 34 novos(só pra iniciar uma parceria Fa-Russia)?

  12. Como ataque ao solo ainda é a mais efetiva plataforma da américa do Sul.
    Dentro do nosso cenário atual, ainda que antigo, os US$ 7 milhões são um bom preço para atualizar os nossos 30-40 vetores desse tipo.
    Agora desenvolvê-los para portar o exocet não sei se compensa.
    Em vez disso não seria melhor partir para um projeto mais novo? Quem sabe alguns Tornados da Arabia Saudita como compras de ocasião(agora substituidos pelos EF2000) ou até alguns SU 34 novos(só pra iniciar uma parceria Fa-Russia)?

  13. É meus caros na minha ignorância substituir esses vetores vai ser difícil, pq. pra tirar os AMX do jogo tem que tirar o SãoPaulo tb ou colocar outro pra aguentar os Rafales ou SH. !!

    Sds.

  14. É meus caros na minha ignorância substituir esses vetores vai ser difícil, pq. pra tirar os AMX do jogo tem que tirar o SãoPaulo tb ou colocar outro pra aguentar os Rafales ou SH. !!

    Sds.

  15. Caro amigo Hornet,
    belíssimo comentário. Em termos de América do Sul, ainda são muito efetivos. Somente a Venezuela tem essa capacidade estratégica. Caso contrário, a FAB não iria tentar modernizá-los. Vejam o caso dos Mirage 2000. A FAB não tem a intenção de modernizá-los.

    Cleuber,
    Quanto ao uso de Misseis anti-navio, existe, sim, a previsão de usá-los nos A-1 (Exocet). Atualmente usam os mísseis Piranha (1ª versão).

    Clésio Luiz,

    o FLIR, até onde sei, pode sim fazer esse serviço, isto é, consegue ver através da poeira e da fumaça. Quem não poder fazer isso é o raio laser. Na guerra do Kosovo, os bombardeios mais efetivos foram dos AMX italianos, pois o pessoal de lá fez o favor de tocar fogo em um monte de coisas, e a fumaça atrapalhou o uso do laser.

    Um abraço a todos.

  16. Caro amigo Hornet,
    belíssimo comentário. Em termos de América do Sul, ainda são muito efetivos. Somente a Venezuela tem essa capacidade estratégica. Caso contrário, a FAB não iria tentar modernizá-los. Vejam o caso dos Mirage 2000. A FAB não tem a intenção de modernizá-los.

    Cleuber,
    Quanto ao uso de Misseis anti-navio, existe, sim, a previsão de usá-los nos A-1 (Exocet). Atualmente usam os mísseis Piranha (1ª versão).

    Clésio Luiz,

    o FLIR, até onde sei, pode sim fazer esse serviço, isto é, consegue ver através da poeira e da fumaça. Quem não poder fazer isso é o raio laser. Na guerra do Kosovo, os bombardeios mais efetivos foram dos AMX italianos, pois o pessoal de lá fez o favor de tocar fogo em um monte de coisas, e a fumaça atrapalhou o uso do laser.

    Um abraço a todos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here