quarta-feira, abril 14, 2021

Gripen para o Brasil

Concluído protótipo de turbina nacional

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O Brasil já está migrando para o rol de países que desenvolvem e certificam turbinas Aeronáuticas. O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em conjunto com a empresa Polaris Tecnologia, finalizou o desenvolvimento do primeiro protótipo de um turboreator de 350 quilos de empuxo, equivalente a uma potência de 1300 HP. Agora os pesquisadores trabalham no desenvolvimento de um motor turboélice de 1000 HP para equipar veículos aéreos não tripulados.

Um dos méritos desse projeto, segundo o diretor de Empreendimentos do Comando-geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA), brigadeiro Venâncio Alvarenga Gomes, foi descobrir as competências que o Brasil possui para fabricar partes e componentes da turbina no próprio país. “Atividades como a usinagem do compressor, ignitor a plasma, a fusão do disco da turbina em liga especial e o balanceamento exigido pelas normas internacionais, são alguns dos exemplos dessa competência adquirida pelas indústrias brasileiras”, explicou.

Trata-se de um projeto estratégico, na medida em que existem hoje apenas cinco países no mundo com o domínio da tecnologia de desenvolvimento e certificação de motores aeronáuticos. “Numa segunda etapa, a turbina, batizada de TR3500, poderá equipar futuros projetos de aeronaves civis”, disse Alberto Carlos Pereira Filho, diretor da empresa Polaris.

As turbinas que equipam as aeronaves da Embraer são fornecidas por empresas estrangeiras, caso da canadense Pratt & Whitney (linha de jatos executivos e Supertucano), a americana GE (jatos 170 e 190) e a inglesa Rolls Royce (ERJ 145, Legacy 600). Os motores representam em torno de 20% a 30% do valor de uma aeronave.

A TR3500 demonstra que podemos progredir rápido. Diferentemente do que ocorreu com relação ao desenvolvimento de turbinas em outros países, não precisaremos de décadas para atingir um produto autóctone e competitivo”, comenta Homero Santiago Maciel, coordenador geral do projeto no ITA.

O projeto do motor aeronáutico brasileiro teve início em 2003 com o desenvolvimento de uma turbina a gás para a Petrobras. “O objetivo desse projeto era dominar o processo de fabricação da câmara de combustão, a vibração do motor e o desenvolvimento do sistema de controle da turbina”, explica. A Petrobras apoiou a ideia e investiu R$ 850 mil na sua execução.

Na fase de preparação do protótipo da turbina Aeronáutica, foram investidos R$ 3 milhões, dos quais R$ 1,7 milhão através da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep); R$ 750 mil do ITA e R$ 550 mil da Polaris. “A próxima etapa do projeto, avaliada em R$ 116 milhões, prevê a construção de 11 laboratórios avançados na área de testes para turbinas, infraestrutura necessária para garantir o processo de homologação dos motores”. Segundo o diretor da Polaris, esse tipo de laboratório ainda não existe no Brasil. Os recursos estão sendo negociados com a Finep.

A tecnologia envolvida no projeto das turbinas do ITA também gerou frutos para a Vale Soluções em Energia (VSE). A empresa patrocinou o desenvolvimento do protótipo de uma turbina a gás estacionária, na faixa de potência de 1 MW, para geração de energia elétrica. Batizada de TVRD 1000, a turbina a gás da VSE foi testada em maio de 2007. O sucesso da operação motivou a empresa a apostar na construção de uma base fabril no Parque Tecnológico de São José dos Campos.

Segundo o coordenador do programa de interface entre as empresas e o CTA, Homero Santiago Maciel, o objetivo da VSE é o desenvolvimento de uma família de turbinas para minitérmicas, com potencial para competir no mercado de energia.

A Petrobras, de acordo com Pereira Filho, também é parceira da Polaris no desenvolvimento de uma turbina a gás acima de 3 MW, um projeto orçado em R$ 80 milhões. “Hoje, a Petrobras possui cerca de 180 turbinas importadas e gasta aproximadamente US$ 300 milhões na manutenção desses equipamentos”.

As turbinas brasileiras, segundo Pereira Filho, seriam usadas pela Petrobras na geração de energia elétrica para suas plataformas e para manter a pressão na linha de bombeamento de petróleo. “A empresa usa compressores gigantescos que são acionados por turbinas a gás”.

Criada por engenheiros do ITA, a Polaris é uma empresa de alta tecnologia que funciona como incubada da Petrobras, nas instalações da Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos. Além da turbina a gás, a Polaris desenvolve para a estatal de petróleo um queimador que gera fonte térmica de calor para que a empresa possa utilizar óleo pesado sem poluir o meio-ambiente.

FONTE: Valor Online

- Advertisement -

54 Comments

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jacubão

É isso aí galera, agora é só continuar os desenvolvimentos para chegar as turbinas com PC dos (quem sabe…) futuros caças brasileiros.
Vixi… acho que sonhei um pouco.

GHz

Uma das melhores notícias dos últimos 20 anos na área tecnológica-industrial.
Se a tecnologia nuclear é restrita a poucos países, a de turbinas é ainda mais.

Rodrigo Marques

Bela noticia!! É o que eu estou cansado de escrever aqui: O pessoal tem uma preocupação exacerbada com o repasse tecnológico da aviônica supersônica ( os famosos códigos-fonte dos softwares dos aviônicos, para integrá-los às armas que desenvolvemos aqui). Tudo bem, é uma preocupação válida, mas tão válida ou mais é o conhecimento do segredo das ligas metálicas que compõem as turbinas supersônicas. O desenho interno delas ( tanto o modelo russo quanto o americano) é conhecido por qualquer bom engenheiro mecânico ou aeronáutico e se fuçarmos o Google veremos esses desenhos… O questionamento então é este: Com apenas US$… Read more »

Tadeu

‘POLARIS’ É?

putz! me deu uma vontade de tomar uma ‘Polar’ bem geladinha… para brindar ao sucesso deste projeto !

gil

Após a montagem e o início de funcionamento destes laboratórios que não temos ainda(que podem levar mais uns dois anos para ficarem prontos), estimo que em mais cinco anos, com nossa própria tecnologia estaremos podendo certificar turbinas aeronáuticas para qualquer uso médio dentro da aviação. Se houvesse marketing estratégico da inteligência de defesa (MD) com afluxo de recursos a empresas como a POLARIS, poderíamos incorporar alguma empresa pequena (Williams nos USA,por exemplo, já que perdemos a oportunidade da WALTER da república Tcheca que produz as ótimas turbinas do LET-400)…. a GE comprou barato)e aí o processo estaria completo nos lançando… Read more »

Almeida

Parabéns a todos os envolvidos e ao blog por trazer tão boa notícia para nós! ISSO é que é investimento!

E quero ver algum dos colegas entreguistas vir falar agora que não temos capacidade técnica para projetos de alta tecnologia. Se você não estudou amigo, não quer dizer que outros não o tenham feito!

COMANDANTE MELK

Senhores, sem duvida uma ótima noticia, alentadora para mim que já estava perdendo as esperanças, de ver o Brasil, participando tambem do seleto grupo de países fabricantes de motores aeronáuticos. Parabéns ao ITA, CTA, POLARIS e demais instituições, por acreditar na capacidade de nossos tecnicos em desenvolver tal tecnologia.

Democracia

Almeida,

Você tem meu apoio, excelente comentário !!!!!!!!!!!

Viva a República!!!

Tadeu

Dos textos destacados abaixo, se nota a importância da participação e apoio em projetos estrategicos como este, de uma empresa como a Petrobrás, que sendo estatal, segue a orientação estrategica do governo, que no caso da Petrobrás, prioriza desenvolvimento de tecnologias próprias e a construção de plataformas , navios e equipamentos aqui mesmo no Brasil. Esta diretriz da Petrobrás vai gerando conhecimentos e tecnologias que beneficiam setores de outras áreas de avanço tecnológico. Que tragédia teria sido se FHC tivesse conseguido privatizar a Petrobrás… “Criada por engenheiros do ITA, a Polaris é uma empresa de alta tecnologia que funciona como… Read more »

Jacubão

Só falta agora liberar o dim dim da MB.

welington

Antes tarde dom que nunca…
Este projeto deveria ter se iniciado há uns 20 anos, não falta visão estratégica falta somente vontade política de melhorar o nosso país.
Um abraço a todos.

Mauricio R.

Calma povo, até chegar em algo semelhante á F-404 ou EJ-2000, tem muita pesquisa e desenvolvímento a ser feito e facilmente isto pode redundar em uma “Kaverí” tupiniquim.

Marcos

Caro Tadeu:

Quando li a notícia pensei em escrever algo no mesmo sentido que escrevestes – naturalmente sem a mesma elegância e precisão.
Destaco, ainda, o apoio de entidades estatais de financiamento e, principalmente, para o fato de que, como quase tudo nesta área, devemos à existência do ITA/CTA, uma obra grandiosa do Brigadeiro Montenegro, cuja biografia escrita por Fernando Morais, recomendo a todos.
Parabéns a todos os envolvidos no projeto, naqueles que acreditam, apesar de tudo, que este país realmente tem um futuro não “tão sombrio”.
SDS

Marcelo Bahia

Marcos e Tadeu, Estou com vocês! Mais 4 anos de PSDB no poder teria levado o país à uma situação de completa privatização de empresas estratégicas e fundamentais para a soberania nacional. Uma coisa é privatizar aeroportos (sou a favor), não vejo problema, outro é vender as nossas riquezas energéticas a preço de banana, como ocorreu. Elas são patrimônios da União e pontas-de-lança para projetos de interesse nacional. Não deixemos que ocorra no Brasil um processo de “argentinização” da economia. Vivo em Buenos Aires, e posso dizer que aqui a privatização internacional de setores estratégicos foi devastadora. Dou um exemplo:… Read more »

Jaique Sparro

jÁ ESTA MAIS DO QUE NA HORA DE TERMOS INDEPENDÊNCIA DE FORNECEDORES ESTRANGEIROS DE TURBINAS E SÓ ESTÁ FALTANDO COMEÇARMOS A FABRICA HELICÓPTEROS,MADE IN BRAAAAAZZIIIIIILLL.

João Curitiba

Tendo os recursos, nós podemos tudo. Grande notícia. Hoje vou dormir mais satisfeito.

Hornet

Almeida e João-Curitiba, é isso aí. Estou com vcs. Mas nem sempre o problema é só de falta de recursos. Deem dois bilhões de dólares para o Togo e veja se sai alguma coisa, se sai algum protótipo de turbina… Nós estamos criando, e já faz um certo tempo, massa crítica. Isso é que importa. Precisamos continuar neste caminho. E só pra não deixar passar em branco aqui no blog: hoje um brasileiro, Miguel Nicolelis, foi capa da mais importate revista científica do mundo, a Sciense. Ele coordenou um grupo de pesquisa na Universidade de Duke e na Universidade de… Read more »

Patriota

Adorei a noticia ja estou imaginando uma linha de jatos da EMBRAER
com turbinas 100% nacionais so falta os franceses ganharem o FX2 dai poderemos comemorar mais ainda.

os argentinos morrerão de inveja!

saudações a todos

abc

Na verdade essas turbinas da polaris sao no inicio, para geracao de energia, por isso o envolvimento da Vale e Petrobras. Sim, a Vale, empresa PRIVATIZADA. Nada impede de no futuro de a pólaris fazer turbinas aeronauticas ou componentes para as mesmas (o qu eh mais provavel, por esse negocio eh ainda mais concentrado e intensivo de capital do que a fabricacao de avioes) O projeto de turbina no CTA comecou na decada de 80, mas foi parado nos anos collor por falta de $$$. Eu estudei lah no inicio dos anos 2000 e ainda havia professores (pricipalmente no depto… Read more »

Leonardo

Maravilha essa notícia Embora pareça pouco como um colega deu entender, afirmando que para chegar a uma EJ 2000, F404 ou um Trent falta muita coisa, é claro, pois estamos apenas começando, mas já é uma grande coisa, pois como foi dito apenas 5 países no mundo desenvolvem turbina a gás, logo passaremos a fazer parte deste seleto grupo…. quanto complexo tupiniquim de inferioridade…. pelo amor de Deus!!!! Pessoal só de ter iniciado já é uma grande coisa, volto a falar, ficar exigindo códigos de fonte no programa FX não basta, tem é que meter a “mão na massa”, que… Read more »

Rodrigo Marques

A Petrobras, orgulho nacional, já deveria ter sido privatizada há tempos!!! Imaginem esse gigante livre de gerenciamento político-partidário, com autonomia pra investir onde bem entender, sem inchaço de apadrinhados políticos, vigiada e regulada, é claro a ANP existe para isso, de repente ela não teria esse astronômico lucro de R$33 bilhões, porque teria por exemplo de nos fornecer uma gasolina mais pura e barata. E nada disso nos impediria de clamar: O petróleo é nosso, venham explorá-lo investindo no Brasil, competindo em preço e qualidade dos produtos. As teles foram todas privatizadas e vimos um boom no sistema, assim como… Read more »

Iuri Korolev

Poggio

Esta noticia é simplesmente sensacional !!

Antonio

Parabens, eu trabalhei 10 anos com turbinas e agora estou emocionado que Brasil tenha sua propia turbina. Vamos a facer um Brasil meior, muito meior.

Elias

Até que enfim, estamos caminhando para a autonomia no campo aeronáutico com a turbina polaris, que nos dará agora subsidios para pesquisa de outros motores aeronáuticos e mesmo de propulsores de foguetes lançadores de satélites movidos por combustivel líquido.
Temos mercado para tais motores, só precisamos agora, de vontade politica para atingirmos esse objetivo.
Obs: Há um garoto que estuda no Senai no interior de São Paulo, que esta desenvolvendo um prototípo de turbina “flex”, isso poria o Brasil na vanguarda dos turboreatores, com modelos mais ecológicamente corretos.
Agora posso dizer ” …Este é umn país que vai prá frente…”

Idemilson Júnior

Pessoal,

Espero que esse projeto evolua, apesar dos politicos com P de Sujeira que temos, para equipar nossos jatos !

Abraços,

Frederico C Morais

Estou extasiado com esta notícia. Pensei que talvez este motor turboélice de 1000hp possa remotorizar os Bandeirantes e/ou Tucanos da FAB. Seria a estreia comercial no ramo aeronáutico da nova empresa, afinal é necessário além da competência técnica também a comercial e entrar para esse ramo que basicamente é dominado no cenário mundial por três empresas (GE, P&W e RR) será muito difícil e seria imperativo que a FAB desse o seu aval comprando-as e a remotorização pode ser um bom começo. A Embraer demorou muitos anos para atingir a penetração comercial que tem hoje apesar da competência técnica demonstrada… Read more »

Jacubão

É isso aí galera, agora é só continuar os desenvolvimentos para chegar as turbinas com PC dos (quem sabe…) futuros caças brasileiros.
Vixi… acho que sonhei um pouco.

GHz

Uma das melhores notícias dos últimos 20 anos na área tecnológica-industrial.
Se a tecnologia nuclear é restrita a poucos países, a de turbinas é ainda mais.

Rodrigo Marques

Bela noticia!! É o que eu estou cansado de escrever aqui: O pessoal tem uma preocupação exacerbada com o repasse tecnológico da aviônica supersônica ( os famosos códigos-fonte dos softwares dos aviônicos, para integrá-los às armas que desenvolvemos aqui). Tudo bem, é uma preocupação válida, mas tão válida ou mais é o conhecimento do segredo das ligas metálicas que compõem as turbinas supersônicas. O desenho interno delas ( tanto o modelo russo quanto o americano) é conhecido por qualquer bom engenheiro mecânico ou aeronáutico e se fuçarmos o Google veremos esses desenhos… O questionamento então é este: Com apenas US$… Read more »

Tadeu

‘POLARIS’ É?

putz! me deu uma vontade de tomar uma ‘Polar’ bem geladinha… para brindar ao sucesso deste projeto !

gil

Após a montagem e o início de funcionamento destes laboratórios que não temos ainda(que podem levar mais uns dois anos para ficarem prontos), estimo que em mais cinco anos, com nossa própria tecnologia estaremos podendo certificar turbinas aeronáuticas para qualquer uso médio dentro da aviação. Se houvesse marketing estratégico da inteligência de defesa (MD) com afluxo de recursos a empresas como a POLARIS, poderíamos incorporar alguma empresa pequena (Williams nos USA,por exemplo, já que perdemos a oportunidade da WALTER da república Tcheca que produz as ótimas turbinas do LET-400)…. a GE comprou barato)e aí o processo estaria completo nos lançando… Read more »

Almeida

Parabéns a todos os envolvidos e ao blog por trazer tão boa notícia para nós! ISSO é que é investimento!

E quero ver algum dos colegas entreguistas vir falar agora que não temos capacidade técnica para projetos de alta tecnologia. Se você não estudou amigo, não quer dizer que outros não o tenham feito!

COMANDANTE MELK

Senhores, sem duvida uma ótima noticia, alentadora para mim que já estava perdendo as esperanças, de ver o Brasil, participando tambem do seleto grupo de países fabricantes de motores aeronáuticos. Parabéns ao ITA, CTA, POLARIS e demais instituições, por acreditar na capacidade de nossos tecnicos em desenvolver tal tecnologia.

Democracia

Almeida,

Você tem meu apoio, excelente comentário !!!!!!!!!!!

Viva a República!!!

Tadeu

Dos textos destacados abaixo, se nota a importância da participação e apoio em projetos estrategicos como este, de uma empresa como a Petrobrás, que sendo estatal, segue a orientação estrategica do governo, que no caso da Petrobrás, prioriza desenvolvimento de tecnologias próprias e a construção de plataformas , navios e equipamentos aqui mesmo no Brasil. Esta diretriz da Petrobrás vai gerando conhecimentos e tecnologias que beneficiam setores de outras áreas de avanço tecnológico. Que tragédia teria sido se FHC tivesse conseguido privatizar a Petrobrás… “Criada por engenheiros do ITA, a Polaris é uma empresa de alta tecnologia que funciona como… Read more »

Jacubão

Só falta agora liberar o dim dim da MB.

welington

Antes tarde dom que nunca…
Este projeto deveria ter se iniciado há uns 20 anos, não falta visão estratégica falta somente vontade política de melhorar o nosso país.
Um abraço a todos.

Mauricio R.

Calma povo, até chegar em algo semelhante á F-404 ou EJ-2000, tem muita pesquisa e desenvolvímento a ser feito e facilmente isto pode redundar em uma “Kaverí” tupiniquim.

Marcos

Caro Tadeu:

Quando li a notícia pensei em escrever algo no mesmo sentido que escrevestes – naturalmente sem a mesma elegância e precisão.
Destaco, ainda, o apoio de entidades estatais de financiamento e, principalmente, para o fato de que, como quase tudo nesta área, devemos à existência do ITA/CTA, uma obra grandiosa do Brigadeiro Montenegro, cuja biografia escrita por Fernando Morais, recomendo a todos.
Parabéns a todos os envolvidos no projeto, naqueles que acreditam, apesar de tudo, que este país realmente tem um futuro não “tão sombrio”.
SDS

Marcelo Bahia

Marcos e Tadeu, Estou com vocês! Mais 4 anos de PSDB no poder teria levado o país à uma situação de completa privatização de empresas estratégicas e fundamentais para a soberania nacional. Uma coisa é privatizar aeroportos (sou a favor), não vejo problema, outro é vender as nossas riquezas energéticas a preço de banana, como ocorreu. Elas são patrimônios da União e pontas-de-lança para projetos de interesse nacional. Não deixemos que ocorra no Brasil um processo de “argentinização” da economia. Vivo em Buenos Aires, e posso dizer que aqui a privatização internacional de setores estratégicos foi devastadora. Dou um exemplo:… Read more »

Jaique Sparro

jÁ ESTA MAIS DO QUE NA HORA DE TERMOS INDEPENDÊNCIA DE FORNECEDORES ESTRANGEIROS DE TURBINAS E SÓ ESTÁ FALTANDO COMEÇARMOS A FABRICA HELICÓPTEROS,MADE IN BRAAAAAZZIIIIIILLL.

João Curitiba

Tendo os recursos, nós podemos tudo. Grande notícia. Hoje vou dormir mais satisfeito.

Hornet

Almeida e João-Curitiba, é isso aí. Estou com vcs. Mas nem sempre o problema é só de falta de recursos. Deem dois bilhões de dólares para o Togo e veja se sai alguma coisa, se sai algum protótipo de turbina… Nós estamos criando, e já faz um certo tempo, massa crítica. Isso é que importa. Precisamos continuar neste caminho. E só pra não deixar passar em branco aqui no blog: hoje um brasileiro, Miguel Nicolelis, foi capa da mais importate revista científica do mundo, a Sciense. Ele coordenou um grupo de pesquisa na Universidade de Duke e na Universidade de… Read more »

Patriota

Adorei a noticia ja estou imaginando uma linha de jatos da EMBRAER
com turbinas 100% nacionais so falta os franceses ganharem o FX2 dai poderemos comemorar mais ainda.

os argentinos morrerão de inveja!

saudações a todos

abc

Na verdade essas turbinas da polaris sao no inicio, para geracao de energia, por isso o envolvimento da Vale e Petrobras. Sim, a Vale, empresa PRIVATIZADA. Nada impede de no futuro de a pólaris fazer turbinas aeronauticas ou componentes para as mesmas (o qu eh mais provavel, por esse negocio eh ainda mais concentrado e intensivo de capital do que a fabricacao de avioes) O projeto de turbina no CTA comecou na decada de 80, mas foi parado nos anos collor por falta de $$$. Eu estudei lah no inicio dos anos 2000 e ainda havia professores (pricipalmente no depto… Read more »

Leonardo

Maravilha essa notícia Embora pareça pouco como um colega deu entender, afirmando que para chegar a uma EJ 2000, F404 ou um Trent falta muita coisa, é claro, pois estamos apenas começando, mas já é uma grande coisa, pois como foi dito apenas 5 países no mundo desenvolvem turbina a gás, logo passaremos a fazer parte deste seleto grupo…. quanto complexo tupiniquim de inferioridade…. pelo amor de Deus!!!! Pessoal só de ter iniciado já é uma grande coisa, volto a falar, ficar exigindo códigos de fonte no programa FX não basta, tem é que meter a “mão na massa”, que… Read more »

Rodrigo Marques

A Petrobras, orgulho nacional, já deveria ter sido privatizada há tempos!!! Imaginem esse gigante livre de gerenciamento político-partidário, com autonomia pra investir onde bem entender, sem inchaço de apadrinhados políticos, vigiada e regulada, é claro a ANP existe para isso, de repente ela não teria esse astronômico lucro de R$33 bilhões, porque teria por exemplo de nos fornecer uma gasolina mais pura e barata. E nada disso nos impediria de clamar: O petróleo é nosso, venham explorá-lo investindo no Brasil, competindo em preço e qualidade dos produtos. As teles foram todas privatizadas e vimos um boom no sistema, assim como… Read more »

Iuri Korolev

Poggio

Esta noticia é simplesmente sensacional !!

Antonio

Parabens, eu trabalhei 10 anos com turbinas e agora estou emocionado que Brasil tenha sua propia turbina. Vamos a facer um Brasil meior, muito meior.

Elias

Até que enfim, estamos caminhando para a autonomia no campo aeronáutico com a turbina polaris, que nos dará agora subsidios para pesquisa de outros motores aeronáuticos e mesmo de propulsores de foguetes lançadores de satélites movidos por combustivel líquido.
Temos mercado para tais motores, só precisamos agora, de vontade politica para atingirmos esse objetivo.
Obs: Há um garoto que estuda no Senai no interior de São Paulo, que esta desenvolvendo um prototípo de turbina “flex”, isso poria o Brasil na vanguarda dos turboreatores, com modelos mais ecológicamente corretos.
Agora posso dizer ” …Este é umn país que vai prá frente…”

Combates Aéreos

VÍDEO: Simulador Command Modern Operations

O Command: Modern Air Naval Operations (CMANO), conhecido como simplesmente Command, é um simulador de guerra aeronaval desenvolvido pelo...
- Advertisement -
- Advertisement -