domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

PAC-3 pronto na Alemanha

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Alemanha completou os testes com seu sistema de defesa aérea Patriot PAC-3, que agora está completamente operacional.
O PAC-3 é considerado um dos mais avançados sistemas de defesa antiaérea do mundo, com capacidade para abater mísseis balísticos táticos, mísseis de cruzeiro e aeronaves.
O sistema PAC-3 foi selecionado para ser o interceptador primário do sistema multinacional de defesa aérea estendida da OTAN (MEADS).
Durante a Operação Iraqi Freedom em 2003, os Patriot PAC-3 e PAC-2 destruíram vários mísseis balísticos lançados pelo Iraque, mas falharam na interceptação de mísseis lançados por baterias costeiras iraquianas.
Em 2006 o governo da Alemanha requisitou inicialmente 72 mísseis PAC-3, mais 12 Missile Round Trainers e apoio logístico. A Alemanha já tinha 32 sistemas Patriot em 4 alas de defesa aérea. O custo estimado dos novos mísseis é de US$ 298 milhões.

NOTA DO BLOG: Esperamos que o Plano Estratégico de Defesa que está prestes a ser apresentado possa contemplar a aquisição de algum sistema antiaéreo de longo alcance para o Brasil, pois nossa defesa ainda é garantida por mísseis antiaéreos lançados de ombro.

Previous articleDois rivais
Next articleMi-35
- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Billy

Contrariando acusações de que as FFAA Brasileiras são ANTI-RUSSIA, a artilharia AA seria uma área em que os ruskies poderiam ajudar bastante ao Brasil com excelentes sistemas e comprovadamente de sucesso em combate.

Jonas Rafael

O Brasil deveria ter mesmo pelo menos 2 baterias de longo alcance (Patriot ou S-300), uma guardando a central do Cindacta e uma protegendo a base naval no Rio de Janeiro. Isso no mínimo dos mínimos.

LeoPaiva

O Brasil poderia aproveitar a visita da delegação Russa para analizarem juntos o fornecimento do ótimo Novator BUK M1/M1-2 para defesa aérea de médio alcançe, ou viajando um pouco mais, uns S-300.

Esse sistema alemão é o sonho de consumo de quem gosta de dormir tranquilo.

Seria interessante uma comparação de capacidades e custos entre o Patriot e o S-300(400)

Sonhar não custa nada.

König

S-400 cada bateria custara cerca de 350 a 500 milhões de dolares por Bateria pra nos parece impossivel sonhar com isso.
Saudações

LeoPaiva

Sendo assim melhor parar de sonhar.

De qualquer forma o BUK M1-2 me parece uma ótima opção, acredito não haver concorrente para ele, e inclusive existe uma versão naval já utilizada por muitos países.
SDS

Baschera

Pelo que eu sei, estes Patriot alemães foram é modernizados.

“The German Air Force has completed trials of its modernized Patriot air-defense system, comprising PAC-3 missiles and other upgrades, and it is now operational.”

Sds.

König

O Pantsyr-S1 96K6 tambem seria bom é uma versão 8X8 do Tanguska que tambem nos cairia bem com um misto de canhões e misseis.
Saudações

FALCON

A nota do blog fala tudo, chega dói só de pensar q as nossas defesas anti-aéreas estão um caco,agora q seria bom algum tipo de sistema russo,isso sim seria bom,afinal os “camaradas” são ecspert nasse assunto.Abraços a todos.

LeoPaiva

Também são bons Konig, misturam mísseis e armas de cano, embora tenham alcance inferior ao BUk.Considero-os de curto alcance enquanto o BUk é de médio alcance.

Tunguska:
http://militaryzone.home.sapo.pt/tunguska-file.htm

Pantsyr-S1 96K6:
http://www.areamilitar.net/DIRECTORIO/TER.aspx?nn=102

BUK M1-2:
http://campobatalha.blogspot.com/2006/03/terrestre-novator-buk-m1-m1-2-o-guarda.html

Meirelles

O Brasil prescisa de um sistema antiaéreo tanto ou mais do que precisa de caças do FX-2,pois de que adianta ter um caça moderno se em suas bases estarão completamente desprotegidos e vulneráveis a qualquer ataque aéreo seja ele de surpresa ou não.Os Igla de origem russa e em uso pelo EB tem um alcançe muito limitado por ser portátil e usando uma tecnologia um pouco antiga a probabilidade de acerto deste missil é cerca de 30 por cento em situação de uso de contra-medidas eletrônicas(flares) e para compensar isso deveria ser distribuídos aos milhares às infantarias pra dar uma… Read more »

pablo

li num outro forum que o Brasil estaria interessado em adquirir o S400 Triumph…
o Brasil poderia aproveitar essa aproximacao com a Russia para obter auxilio/conhecimento para que a Avibras possa fabricar o Astros 3 numa versao anti-aerea… poderia ate ter ua joint entre Avibras e Mectron para o desenvolvimento de uma defesa aerea qualificada e capacitada.

RL

Bom gente. Tradição em armamento anti-aéreo russo ja temos, pois os Igla são o nosso maior e único armamento para esta questão. Estou com todos e defendo o interesse pelos sistemas SS300/S400. Pablo, gostei da idéia de colocar a Avibras na brincadeira. A Mectron tb poderia participar para desenvolver junto com a Orbisat um sistema anti-aéreo de baixa altura porem de longo alcance. A Mectron entraria com o missel Darter, e a Orbisat com seu radar de baixa altura SABER-M200. Os veículos lançadores e logisticos, seriam fornecidos pela Avibrás. Resumindo, sistemas anti-aéreos de longo alcance, seriam os Russos e os… Read more »

pablo

Espero que o governo lembre da Avibras nesse pacotao belico…
alguem sabe o que deu a venda dos Astros II para a Malasia ??? se eh que aconteceu… o pior e que ja esta tudo fabricado, parado no patio…

Baschera

Os S-300 e S-400 são sistemas de mísseis de defesa anti-aérea de longo alcance. O sistema Almaz S-400 é constituido por um veículo radar, um veículo de comando e três veículos lançadores. O sistema de Almaz S-400 Triumf (SA-20 NATO)é a versão mais sofisticada do que a S-300. Utiliza os mísseis 96M6E e 96M6E2 (de longo alcance) que são considerados equivalentes aos mísseis norte-americanos utilizados no sistema Patriot. Os mísseis têm dimensões muito menores e têm o seu próprio radar e uma ogiva de carga oca, sendo transportados quatro mísseis em cada tubo de lançamento. No entanto, o sistema S-400… Read more »

Meirelles

Seria brilhante se o Brasil pudesse produzir em parceria com a Russia um sistema de antiaéreo,qualquer que seja,com participação da Avibrás,Mectron e Orbisat.Como o Pablo disse, seria bem interessante sistemas de S-300\400 nacional baseado na plataforma do Astros II SS-80(teria que ser vertical).
Os Russos são pioneiros em defesa aérea,já disse isso antes,mas temos que admitir,basta ver os estragos que fizeram em aviões da força aérea dos EUA\Israel e seus aliados(nada contra eles) em algumas guerras do passado.

Obs.Sei não mas,acho que esse novo sistema(S-400 Triumf) de tão espetacular é capaz de abater até aviões stealths,tipo F-22\F-35, talvez?

Sds.

Baschera

Meirelles, O S-400 (SA-21A) é considerado um dos sistemas de defesa aérea mais sofisticados do mundo, mas o seu enorme alcance de 400km só se aplica a aeronaves que estejam no ar a grande altitude como as aeronaves de vigilância e de comando e controlo. Aeronaves de ataque como aviões F-35 ou F-22, voando a baixa altitude não podem ser detectados pelos radares do sistena, antes de atingirem um ponto de onde podem disparar as suas armas. Este problema, é alias resultado da curvatura do planeta e das irregularidades do terreno, pois embora os mísseis e os sistemas de radar… Read more »

Luis Augusto

e olhe que não falamos das nossas divisões blindadas do exercito, que não tem nenhum sistema anti-aéreo que os acompanhem em combate,é difícil de engolir, tanto descaso com as forças armadas!

Julio

Pablo, a ultima noticia que li a respeito da venda do Astros II para a Malásia, o contrato foi assinado há mais de 18 meses e que ainda aguardava a Casa Civil se manifestar. Também li que em mais de uma ocasião representantes da Malásia tentaram audiência no Palácio do Planalto, sem sucesso. Ao tempo que a Avibras anunciou demissão de funcionários e também pedido de recuperação judicial. (defesanet – 14/07). Não precisamos dizer que na pratica, ao contrário do discurso, o Governo deixa de apoiar a industria nacional com inercia.

Raimundo

Acho que seria melhor sonhar menos:
Na conjuntura atual, a Avibrás não tem condições de “encabeçar” nenhum projeto: nem ASTROS, nem ÍDOLOS, nem CELEBRIDADES,…
Como bem lembrou o Sr. Julio, a empresa Avibrás está clamando na justiça pelo processo de Recuperação Judicial! É lamentável testemunhar tal situação, mas é a verdade! Com tanta pressão atual para a construção de um submarino nuclear para a Marinha do Brasil, a Avibrás “parece se antecipar”, mergulhando rumo a um futuro obscuro e incerto!

Julio

Raimundo, concordo com vc…infelizmente onde há muito discurso e ministros de outras pastas dando palpites em matéria de defesa, pode ter certeza que o plano de defesa não saira do papel. Como já me manifestei..todos esses discursos e promessas são apenas para ingles ver e iludir os militares. Lamentável. Sds

joao

Acho que a sugestao dos Novator BUK M1/M1-2 e maravilhosa. Como disse o amigo acima,realmente a unica defesa anti-aerea no Brasil e carregada no ombro. Adoraria ver chegar os russos ao Brasil para fazer negocioos no campo da defesa anti-aerea,no qual sao eles os mais capacitados no mundo. Muitos no Brasil ficam com antigos preconceitos contra qualquer negocio com a Russia,fazendo argumento a favor do Tio Sam. Os Estados Unidos para o Brasil so mandam ferro velho obsoleto a preco alto. E por isso que estamos cheios de F-5,SeaKing,Hueys,e etc. Acho que devemos e fazer parcerias com os paises que… Read more »

Vassily Zaitsev

Quem é mais capaz? Patriot ou S-400?

Nem adianta sonhar. Algumas Baterias de Buk-M1 pode até ser, mas algo mais sofisticado que isso, sabe o que os políticos diriam? Neca, não tem grana.

Uma vez li, não lembro onde, que os nossos Igla, durante disparos de testes feitos pelo EB não acertava nada acima de 400 km/h.
Se usa-se ECM moderada ( isso para padrão brasileiro), o míssil se perdia instântaneamente. Parecia morcego voando de dia: voava pra lá e pra cá e não acertava nada.

Vassily Zaitsev

Falando em sistemas de defesa anti-aérea: o que acham do Skyshield 35mm para substituir nossos Bofors 40mm/L60 desenvolvidos antes da segunda guerra mundial? Pois, vamos combinar, artilharia anti-aérea de tubo guiada apenas pelos olhos do atirador deveria existir apenas em MUSEUS. O Iraque tinha milhares, não abateu quase nada. Pela tv, era visível a sua ineficácia: os iraquianos faziam subir ao céu um verdadeiro colosso do fogo anti-aéreo. Nem sequer sabiam o que os atacava. Mas que, com a imagem de visão noturna da CNN, quem via achava que o Iraque podia se defender. E nós, que não temos sequer… Read more »

Bosco

Senhores, No nosso TO não precisamos de nada parecido com Patriot PAC2 e nem de S-300 e 400. Um Patriot PAC3 vá lá, mas S-300 no Brasil só se for para acerta disco voador. Até em outros locais da Terra (Europa, Ásia e OM) a real necessidade destes mísseis Sup-Ar de longo alcance / alta altitude está sendo colocada em dúvida em favor do binômio caça/AWACS. O US Army planeja substituir todos os seus PAC2 com 100 km (?) de alcance e 1 tonelada pelos PAC3 com 30 km de alcance e 320 kg. A proteção anti-míssil balístico será dada… Read more »

caiser

Planejamento e engenharia reversa.

Com um saldo de reservas de USD 200 BI, o Brasil necessita de um planejamento onde inclua, dentre outras necessidades, a de defesa.
“Se você quer paz, prepare-se para a guerra” (CIVIS PACE PARA BELUM).
A engenharia reversa, estratégia adotada pela China para reproduzir diversos produtos extrangeiros, ganhando mercados com a posterior venda desses produtos, deve fazer parte do planejamento, especificamente do planejamento de uma indústria de defesa, desvendando as tecnologias de ponta atualmente utilizadas.

caiser

SISTEMA GPS Existem atualmente dois sistemas de GPS, o americano e o russo. Ou se incorpora um deles, o quê implica em assumir laços de cooperação e de amizade com um dos países, ou se cria um sistema próprio de GPS; o quê parece improvável e quase impossível. O Brasil, assumindo posições cada vez mais proeminentes na geopolítica do mundo; na ONU, na OMC; na indústria petrolífera; cobranças de postura e atuação também surgirão com mais intensidade. É fundamental ter aliados nesse contexto; ou melhor dizendo…em qualquer contexto. O ideal, nesses casos, seria o Brasil não tomar partido de nenhum… Read more »

Billy

Sistemas GPS não exigiriam toda um “esquadrão” de satélites para operá-lo? Taí outra área em que um acordo com os RUSSOS seria fundamental: VEÍCULOS LANÇADORES DE SATÉLITES.

McNamara

Mas que ameaças? Deus é brasileiro!!! Ademais temos poderosos Bofors 40mm e os Oerlikon 35mm, além dos Mistral e SAM-7, fora os estilingues da gurizada…

Cel. Cesar

Porque pensar que o Brasil precisa de defesa anti-aérea? Nós por acaso somos ameaçados por alguém?

Billy

Contrariando acusações de que as FFAA Brasileiras são ANTI-RUSSIA, a artilharia AA seria uma área em que os ruskies poderiam ajudar bastante ao Brasil com excelentes sistemas e comprovadamente de sucesso em combate.

Jonas Rafael

O Brasil deveria ter mesmo pelo menos 2 baterias de longo alcance (Patriot ou S-300), uma guardando a central do Cindacta e uma protegendo a base naval no Rio de Janeiro. Isso no mínimo dos mínimos.

LeoPaiva

O Brasil poderia aproveitar a visita da delegação Russa para analizarem juntos o fornecimento do ótimo Novator BUK M1/M1-2 para defesa aérea de médio alcançe, ou viajando um pouco mais, uns S-300.

Esse sistema alemão é o sonho de consumo de quem gosta de dormir tranquilo.

Seria interessante uma comparação de capacidades e custos entre o Patriot e o S-300(400)

Sonhar não custa nada.

König

S-400 cada bateria custara cerca de 350 a 500 milhões de dolares por Bateria pra nos parece impossivel sonhar com isso.
Saudações

LeoPaiva

Sendo assim melhor parar de sonhar.

De qualquer forma o BUK M1-2 me parece uma ótima opção, acredito não haver concorrente para ele, e inclusive existe uma versão naval já utilizada por muitos países.
SDS

Baschera

Pelo que eu sei, estes Patriot alemães foram é modernizados.

“The German Air Force has completed trials of its modernized Patriot air-defense system, comprising PAC-3 missiles and other upgrades, and it is now operational.”

Sds.

König

O Pantsyr-S1 96K6 tambem seria bom é uma versão 8X8 do Tanguska que tambem nos cairia bem com um misto de canhões e misseis.
Saudações

FALCON

A nota do blog fala tudo, chega dói só de pensar q as nossas defesas anti-aéreas estão um caco,agora q seria bom algum tipo de sistema russo,isso sim seria bom,afinal os “camaradas” são ecspert nasse assunto.Abraços a todos.

LeoPaiva

Também são bons Konig, misturam mísseis e armas de cano, embora tenham alcance inferior ao BUk.Considero-os de curto alcance enquanto o BUk é de médio alcance.

Tunguska:
http://militaryzone.home.sapo.pt/tunguska-file.htm

Pantsyr-S1 96K6:
http://www.areamilitar.net/DIRECTORIO/TER.aspx?nn=102

BUK M1-2:
http://campobatalha.blogspot.com/2006/03/terrestre-novator-buk-m1-m1-2-o-guarda.html

Meirelles

O Brasil prescisa de um sistema antiaéreo tanto ou mais do que precisa de caças do FX-2,pois de que adianta ter um caça moderno se em suas bases estarão completamente desprotegidos e vulneráveis a qualquer ataque aéreo seja ele de surpresa ou não.Os Igla de origem russa e em uso pelo EB tem um alcançe muito limitado por ser portátil e usando uma tecnologia um pouco antiga a probabilidade de acerto deste missil é cerca de 30 por cento em situação de uso de contra-medidas eletrônicas(flares) e para compensar isso deveria ser distribuídos aos milhares às infantarias pra dar uma… Read more »

pablo

li num outro forum que o Brasil estaria interessado em adquirir o S400 Triumph…
o Brasil poderia aproveitar essa aproximacao com a Russia para obter auxilio/conhecimento para que a Avibras possa fabricar o Astros 3 numa versao anti-aerea… poderia ate ter ua joint entre Avibras e Mectron para o desenvolvimento de uma defesa aerea qualificada e capacitada.

RL

Bom gente. Tradição em armamento anti-aéreo russo ja temos, pois os Igla são o nosso maior e único armamento para esta questão. Estou com todos e defendo o interesse pelos sistemas SS300/S400. Pablo, gostei da idéia de colocar a Avibras na brincadeira. A Mectron tb poderia participar para desenvolver junto com a Orbisat um sistema anti-aéreo de baixa altura porem de longo alcance. A Mectron entraria com o missel Darter, e a Orbisat com seu radar de baixa altura SABER-M200. Os veículos lançadores e logisticos, seriam fornecidos pela Avibrás. Resumindo, sistemas anti-aéreos de longo alcance, seriam os Russos e os… Read more »

pablo

Espero que o governo lembre da Avibras nesse pacotao belico…
alguem sabe o que deu a venda dos Astros II para a Malasia ??? se eh que aconteceu… o pior e que ja esta tudo fabricado, parado no patio…

Baschera

Os S-300 e S-400 são sistemas de mísseis de defesa anti-aérea de longo alcance. O sistema Almaz S-400 é constituido por um veículo radar, um veículo de comando e três veículos lançadores. O sistema de Almaz S-400 Triumf (SA-20 NATO)é a versão mais sofisticada do que a S-300. Utiliza os mísseis 96M6E e 96M6E2 (de longo alcance) que são considerados equivalentes aos mísseis norte-americanos utilizados no sistema Patriot. Os mísseis têm dimensões muito menores e têm o seu próprio radar e uma ogiva de carga oca, sendo transportados quatro mísseis em cada tubo de lançamento. No entanto, o sistema S-400… Read more »

Meirelles

Seria brilhante se o Brasil pudesse produzir em parceria com a Russia um sistema de antiaéreo,qualquer que seja,com participação da Avibrás,Mectron e Orbisat.Como o Pablo disse, seria bem interessante sistemas de S-300\400 nacional baseado na plataforma do Astros II SS-80(teria que ser vertical).
Os Russos são pioneiros em defesa aérea,já disse isso antes,mas temos que admitir,basta ver os estragos que fizeram em aviões da força aérea dos EUA\Israel e seus aliados(nada contra eles) em algumas guerras do passado.

Obs.Sei não mas,acho que esse novo sistema(S-400 Triumf) de tão espetacular é capaz de abater até aviões stealths,tipo F-22\F-35, talvez?

Sds.

Baschera

Meirelles, O S-400 (SA-21A) é considerado um dos sistemas de defesa aérea mais sofisticados do mundo, mas o seu enorme alcance de 400km só se aplica a aeronaves que estejam no ar a grande altitude como as aeronaves de vigilância e de comando e controlo. Aeronaves de ataque como aviões F-35 ou F-22, voando a baixa altitude não podem ser detectados pelos radares do sistena, antes de atingirem um ponto de onde podem disparar as suas armas. Este problema, é alias resultado da curvatura do planeta e das irregularidades do terreno, pois embora os mísseis e os sistemas de radar… Read more »

Luis Augusto

e olhe que não falamos das nossas divisões blindadas do exercito, que não tem nenhum sistema anti-aéreo que os acompanhem em combate,é difícil de engolir, tanto descaso com as forças armadas!

Julio

Pablo, a ultima noticia que li a respeito da venda do Astros II para a Malásia, o contrato foi assinado há mais de 18 meses e que ainda aguardava a Casa Civil se manifestar. Também li que em mais de uma ocasião representantes da Malásia tentaram audiência no Palácio do Planalto, sem sucesso. Ao tempo que a Avibras anunciou demissão de funcionários e também pedido de recuperação judicial. (defesanet – 14/07). Não precisamos dizer que na pratica, ao contrário do discurso, o Governo deixa de apoiar a industria nacional com inercia.

Raimundo

Acho que seria melhor sonhar menos:
Na conjuntura atual, a Avibrás não tem condições de “encabeçar” nenhum projeto: nem ASTROS, nem ÍDOLOS, nem CELEBRIDADES,…
Como bem lembrou o Sr. Julio, a empresa Avibrás está clamando na justiça pelo processo de Recuperação Judicial! É lamentável testemunhar tal situação, mas é a verdade! Com tanta pressão atual para a construção de um submarino nuclear para a Marinha do Brasil, a Avibrás “parece se antecipar”, mergulhando rumo a um futuro obscuro e incerto!

Julio

Raimundo, concordo com vc…infelizmente onde há muito discurso e ministros de outras pastas dando palpites em matéria de defesa, pode ter certeza que o plano de defesa não saira do papel. Como já me manifestei..todos esses discursos e promessas são apenas para ingles ver e iludir os militares. Lamentável. Sds

joao

Acho que a sugestao dos Novator BUK M1/M1-2 e maravilhosa. Como disse o amigo acima,realmente a unica defesa anti-aerea no Brasil e carregada no ombro. Adoraria ver chegar os russos ao Brasil para fazer negocioos no campo da defesa anti-aerea,no qual sao eles os mais capacitados no mundo. Muitos no Brasil ficam com antigos preconceitos contra qualquer negocio com a Russia,fazendo argumento a favor do Tio Sam. Os Estados Unidos para o Brasil so mandam ferro velho obsoleto a preco alto. E por isso que estamos cheios de F-5,SeaKing,Hueys,e etc. Acho que devemos e fazer parcerias com os paises que… Read more »

Reportagens especiais

Avançam os trabalhos nos quatro últimos F-5E ‘ex-Jordânia’ que estão no PAMA-SP

Preparação das últimas células pelo PAMA-SP, que precede o envio para modernização na Embraer, mostrou um avanço significativo nos...
- Advertisement -
- Advertisement -