Home Armée de l´air EC 3/30 Lorraine: o Rafale com um pé nos Emirados

EC 3/30 Lorraine: o Rafale com um pé nos Emirados

261
3

Criado originariamente em 1941 como uma unidade de bombardeiros, passando depois à aviação de caça e em anos mais recentes de reconhecimento com o Mirage F1, que adornava a sua “bolacha”, o EC (Escadron de chasse – esquadrão de caça) 3/30 “Lorraine” foi reativado em novembro do ano passado, tornando-se uma das duas unidades diferenciadas de aviões de combate Armée de l’air.

Como o EC 3/11 “Corse”, de Dijibouti, ele opera em uma base fora da França e com aeronaves de mais de um tipo. Mas enquanto o “Corse” opera duas versões do Mirage 2000, o “Lorraine” diferencia-se ainda mais, por ser dotado de caças Mirage 2000-5 e Rafale, com três aeronaves de cada versão.

E o detalhe mais importante: opera na nova Base Aérea 104 de “Al Dhafra”, nos Emirados Árabes Unidos, significando um “pé” do Rafale no país que já há bastante tempo vem sendo cortejado para se tornar um cliente internacional do mais moderno caça francês.

Segundo os pilotos do esquadrão, a grande vantagem da Base de Al Dhafra é a proximidade da zona de treinamento, o que significa que, poucos minutos após a decolagem, pode-se iniciar o adestramento, o que otimiza o tempo de voo.

FONTE / FOTO: Armée de l´air (Força Aéra Francesa) – Air Actualités 637

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Tem tiro que vai sair pela culatra ahahah

Quanto mais conhecerem o avião mais modificações irão exigir.

O NG que seria uma boa para eles. Eles patrocinam o projeto e racham os lucros com a SAAB.

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Acredito que 80 F-16 E/F Desert Falcon, sendo 55 monopostos e 25 bipostos, somados a cerca de 60 Mirage 2000-9, representam um efetivo poder de dissuasão para a força aérea dos Emirados Árabes Unidos. Penso que poderiam esperar um pouco, partindo para compra de uma aeronave stealth, ou talvez alguns Silent Eagle, com motores semelhantes aos seus Desert Falcon, para facilitar a logística. Porém, sua necessidade mais premente é por novos treinadores, pois o maior problema que sofrem é a falta de pilotos. Quanto a possibilidade de venda do Rafale para os Emirados, tenho uma opnião controversa. Acredito que esta… Read more »