Embraer A-29N Super Tucano

Em audiência parlamentar, o Ministro da Defesa de Portugal, Nuno Melo, afirmou no dia 25/6 que a compra do A-29N Super Tucano será legalmente aprovada muito em breve

Melo disse que, caso este investimento avance, “já há intenções de compra de países OTAN e não OTAN”, salientando que a aeronave tem características ideais para atuar em África onde Portugal tem várias missões.

A Embraer anunciou durante a LAAD Defence & Security 2023, o lançamento da aeronave A-29N Super Tucano, avião de ataque leve, reconhecimento armado e treinamento avançado, na configuração da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com foco inicial no atendimento às necessidades de nações da Europa.

A nova versão A-29N incluirá equipamentos e funcionalidades para atender aos requisitos operacionais da OTAN, tais como um novo datalink, single-pilot operation, entre outras modificações.

Tais funcionalidades aumentarão ainda mais as possibilidades de emprego da aeronave, permitindo por exemplo sua utilização em missões de treinamento JTAC, do inglês Joint Terminal Attack Controller. Os dispositivos de treinamento serão igualmente atualizados para os padrões mundiais mais exigentes, incluindo realidade virtual, aumentada e mista.

Subscribe
Notify of
guest

79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
hitoera

Parabéns à Embraer e a FAP por mais esse negócio. Seguem as vendas!

Ozires

Calma que ainda não fechou.

Rodrigo

Deixa vender primeiro…

Roberto

So não entendo porque esse avião é tão caro .

Camargoer.

Os aviônicos, sensores e sistemas são sempre caros…

a estrutura da célula também é cara porque ela é feita de peças usinadas. Isso também encarece bastante os custos de fabricação

Abner

Camargoer, você acha que serão quantas unidades que Portugal vai adquirir ?

E será que, veremos alguma integração de arma que não usamos ainda ?

Last edited 15 dias atrás by Abner
Camargoer.

Acho que em torno de duas dúzias.

Carlos

Para ser só avião de treino é um valente desperdício de dinheiro já que o PC-21 custa metade do preço do A-29, já como apoio aéreo em África, para os portugueses também é um desperdício , já que a experiência deles na guerra contra insurgência diz que o helicóptero é bem mais valioso https://www.youtube.com/watch?v=7ld1ntHfnZs&t=40s&ab_channel=For%C3%A7aA%C3%A9reaPortuguesa porque além de proteção aérea, de apoio logístico, de transporte também faz evacuação médica tal como se pode ver neste vídeo quase no fim https://www.youtube.com/watch?v=An29lWTUkns&t=255s&ab_channel=Associa%C3%A7%C3%A3odeComandos

Camargoer.

A FAB tem dois treinadores… O Universal T25 e o Tucano T27.

O A29 é um avião de combate que também é usado para conversão dos pilotos Novus para aviões de alto desempenho.

Ele faz o papel que em outros lugares é feito por jatos leves.

Concordo que seria um desperdício usar o A29 para fazer o que o T27 faz, assim como seria um desperdício usar o TA50 ou o M346 para fazer o que o A29 faz

Carlos

Apenas falei sobre treinadores porque em muitas justificações se fala no A-29 como treinador e como aeronave de ataque ao solo e que seria muito bom para missões em África e apenas contradisse estas afirmações. Para que saibas porque ouvi num dos vídeos que mencionei, Portugal operou 140 Alouette III, para não falar do número do SA 330 Puma e que não sei o número, apenas que também era usado pelos militares portugueses, e a razão prende-se ao fato do helicóptero poder dar proteção aérea, que o digam os guerrilheiros a explicar o que era o lobo mau e o… Read more »

Henrique A

Um não nega o outro. Portugal utilizou tanto o Alouette quanto os T-6 armados na guerra de Ultramar.

O heli tem as vantagens listadas por ti mas ainda assim não tem a velocidade, o alcance e o payload de um A-29, pois qual heli pode carregar duas bombas de 500 libras mais duas metralhadoras .50 e drop tanks?

Carlos

Meu caro, na guerra do Ultramar destacaram-se três armas, a HK G-3 (espingarda metralhadora), o Chaimite e o Alouette III, como tal o T6 e as bombas de 500 lbs tinham uma eficácia muito diminuta na guerra contra insurgência. Questiono se nunca ouviste falar no helicanhão, conhecido por lobo mau ou por tubarão e que geralmente liderava uma esquadra de Alouettes III que largava um pelotão de militares numa aérea. Para tua informação em 1964 usou-se o F86 Sabre na Guiné Bissau, mas os EUA proibiram Portugal de usar equipamento por eles fornecidos na guerra do Ultramar e jatos apenas… Read more »

Last edited 14 dias atrás by Carlos
Sensato

Vão precisar interceptar o C390 para que? Tem medo dos pilotos tentarem fugir?

Carlos

A tua capacidade de interpretar o que está escrito é _____
______

COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O RESPEITO. DEBATA OS ARGUMENTOS SEM ATACAR AS PESSOAS.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Carlos

Quando alguém escreve o que o sujeito escreveu ou nada sabe sobre a matéria ou tem um deficit cognitivo na interpretação e nada é feito nesses comentários

Sensato

Qual helicóptero é capaz de lançar SDBs, bombas guiadas, mísseis IR, tem 2 .50 e voa a 520km/h. Não há como negar a utilidade de helicópteros nesse cenário mas do A29 também não e cada vetor faz funções diferentes

Helcaraxas

É verdade que os allouette foram fulcrais nessa altura. Contudo o tipo de conflito é totalmente diferente. O contexto de batalha português passou a ser integrado num contexto NATO (não é que não pertencêssemos à NATO anteriormente mas durante o conflito estivemos sozinhos). Agora a nossa área de responsabilidade principal é o Atlântico, seguindo-se o báltico e a Roménia. Grande parte da europa de leste é uma região de planícies que graças aos MANPADS se tornou num terreno mortífero para helicópteros. Desta forma a estratégia e mentalidade bélica é completamente diferente desses tempos, assim como o próprio emprego dos meios… Read more »

carvalho2008

exceto o radar, a sua epoca, o cockpit do A-29 era quase tão moderno quanto um F-16…..o airframe do avião é barato, mas a eletronica embarcada é de um LIFT moderno…

Sensato

Qual é barato?

Fernando Vieira

Os A29 brasileiros já não são single pilot?

E a linha de produção da Embraer ganha pedidos. Isso é ótimo.

Marcelo

Pelo que estão comentando a Embraer ja tem 12 super-tucanos fabricados prontos zero kilometros a espera de um comprador e que tudo indica será Portugal !!!

Santamariense

Fernando, das 99 aeronaves que a FAB recebeu, 33 foram da versão A, monoposto, e 66 da versão B, biposto.

Tochiro

EDITADO:
COMENTARISTA BLOQUEADO.

Last edited 17 dias atrás by Tochiro
Rinaldo Nery

O biposto também é single pilot.

Santamariense

Ah, entendi…pensei que ele se referia ao número de assentos. O A-29B pode ser pilotado por apenas um tripulante, claro. Li uma coisa e entendi outra.

Bueno

Que a FAB faça a compra de um Lote de 12 A29N para assegurar a operacionalidade da saída do AMX A-1, como bem explanado e sugerido pelo editorial de  Fernando “Nunão” De Martini

https://www.aereo.jor.br/2024/06/20/um-pais-com-linhas-de-producao-de-gripen-e-super-tucano-nao-deveria-recorrer-a-cacas-usados/

MMerlin

Se for seguir essa linha, da qual eu concordo, é preciso agilizar o processo.
Não dá para deixar chegar no limite de uso das aeronaves envelhecidas e pedir prioridade e urgência nas disponibilidades do A-29 para entrega expressa.
Que a FAB lembra como funciona tanto o Executivo quanto o Congresso. Lá, tudo não é lento, é homeopático.

Bueno

Sim, é também manda um recado para o mercado , o Caça da FAB é o Gripen,
Pelo amor dos meus netinhos , soltar uma nota daquela

Atirador

Ué mas não tem vários estocados ?

DanielJr

Com lançador de foguetes guiados ou com Small Diamater Bomb ou similares (para dar uma certa quantidade de disparos) pode ser uma excelente alternativa para ataques terrestres em apoio às tropas portuguesas na África.

Ele ainda poderá realizar missões de inteligência, entre outras. Vai ser um sucesso.

Bueno

A29 e KC390 são a comprovação da competência da FAB e EMBRAER, quando tem investimento Governamental e persistência o retorno é enorme para o estado Brasileiro.

BraZil

Bom dia. Rapaz, ver o Super Tucano operando na Ucrânia, em ambiente de guerra de cachorro grande, seria interessante…e um marco para nossa Indústria de Defesa. Quem sabe…

Groosp

Os ucranianos estão usando um Yak-52 para abater drones. O cara do banco de trás opera uma metralhadora disparando lateralmente. Estranho mas parece que funciona.

BraZil

Pois é. Seria bacana ver nossas armas, projetadas e fabricadas aqui, operarem em alto nível. Hoje, não há teste maior para um armamento que o teatro Ucraniano. Quem sabe…

Roberto

Fernando Nunão Parabéns pela participação de ontem no canal Base Militar .

Fernando "Nunão" De Martini

Obrigado, Roberto.

santiago

posso estar falando besteira, mas com a noticia dos velhos YAK 52 para caçar drones, será que poderia ser uma função/propaganda para o nosso turbo hélice? Uma nova doutrina de “dogfight” contra drones seria interessante para manter segurança de espaço aéreo em áreas contestadas e com baixo custo. O tucano já é pensado para apoio aproximado, voar em baixa altitude e com boa blindagem.

Bardini

O Super Tucano é projetado e é empregado por décadas na interceptação de aeronaves de baixo desempenho. Seria então, plenamente capaz de operar desta forma, contra UAS de baixo desempenho, pois isto se encaixa dentro dos aspectos de uma de suas funções primárias…

Last edited 17 dias atrás by Bardini
Hcosta

as aeronaves não explodem como os drones…
O ideal talvez seja ser armado com foguetes 70mm guiados por laser.

Bardini

“as aeronaves não explodem como os drones…” . Creio que existe um grande porém aí, que seria a velocidade relativa entre os dois meios envolvidos. Interceptar drones carregados de explossivos, com o canhão de um caça de alto desempenho é algo temerário, já que o caça se aproximaria muito rápido do alvo inteceptado, dado o fato de que o alvo estaria voado a baixa velocidade. Inclussive, existe relato de um MiG-29 perdido desta forma na Ucrânia. . Talvez o Super Tucano, que pode voar em um perfil de baixa velocidade, possa empregar suas metralhadoras de forma muito mais segura do… Read more »

carvalho2008

sobre as demais aeronaves turbo helice o A-29 tem de fato sempre a vantagem de ja ter dois canhões organicos…mas o melhor seria mesmo o uso do APKWS 70 mm pois alem do uso do canhão ter o perigo de destroços, é de um tipo de engajamento mais demorado….o que pode complicar na missão pois imagino que muitos drones ou ate talves enxames deles tenham de ser confrontados de uma vez…e um APKWs permitiria numa unica configuração levar entre 14 a 32 foguetes…. É ao que ja me referiri em outras postagens, onde acho que o A-29 poderia atuar como… Read more »

Bardini

O Super Tucano é uma aeronave que só pode operar em ambiente permissivo. Isso serve para CAS, COIN, JTAC, interceptação de vetores de baixo desempenho e por aí vai… Definitivamente não é uma aeronave de primeira linha e todo mundo sabe bem disso. . Para operar com APKWS contra alvos aéreos, mesmo que de baixa performance, o Super Tucano teria que voar a grande altitude, para extrair um melhor perfil de vôo/alcance dessa arma, já que a aeronave tem baixa velocidade. Isto reforça a necessidade de voar em ambiente permissivo. . Um foguete guiado, como o APKWS, só é possível… Read more »

carvalho2008

Mestre Bardini, 70% do que o amigo escreveu se perde sobre o erro de premissa, onde se por obvio no tema em questão contra drones, ele não estaria na linha de frente, estaria interno na defesa de locais estratégicos onde os drones pretendem chegar….nas infra estruturas….então, lá atras recuado…quer seja na Ucrania, quer seja como foi o ataque de drones e misseis contra Israel….confere? acha que somente F-35 e F-18 poderiam ter feito aquela missão? Segundo erro, é que este tipo de missão não é em altura….ou sequer media altitude….poeria ate ser em altitude pois seria na area de defesa…mas… Read more »

Last edited 16 dias atrás by carvalho2008
Helio Eduardo

Seja como for Mestre, drone como arma vai exigir muita imaginação e, acho eu, um movimento de simplificação tecnológica.

Eu não ficaria surpreso se as armas de cano voltarem ao protagonismo. Enxames de drones vão exigir enxames de munições contra, e eu não consigo imaginar 100 SM-6 contra 100 drones, a conta não fecha, e não fechará mesmo se forem 100 APKWS….

Imagino, então, e em linha com suas ponderações, que as .50 do A-29 são um ativo de grade valor nesse novo cenário, onde quantidade a baixo custo vai fazer uma baita diferença.

carvalho2008

Com certeza, e isto é um dos motivos da qual encontra-se eco de apoio aquela proposta do Nunão do A29N ou NG segurar as pontas da aposentadoria do A-1, pois o A-29 tem ainda um grande escopo de crescimento e não se perderia nada do que venha a ser investido nele….tem muita capacidade ainda a ser usada….inclusive esta em pauta….

Helio Eduardo

Salve Mestre!

Permita-me complementar com minhas impressões: claro que, no mundo ideal, o A-29 não seria considerado como substituto do A-1, são aeronaves diferentes construídas para finalidades diferentes.

Mas, dada a realidade da FAB, a proposta do Nunão faz todo sentido quando fala em manter a linha de montagem nacional funcionando e manter capacidades mínimas dos esquadrões.

Assim a proposta não é a ideal, mas é quase o óbvio quando se pensa em longo prazo, ainda mais quando a opção é a compra de aviões com 30 anos de idade.

carvalho2008

Com certeza Mestre santiago!!

Na atualidade, o A-29 poderia ser enquadrado como o melhor avião do mundo para esta funções em face de seu balanceamento de preço, custo operacional, tecnologia embarcada e perfil de voo.

Este tipo de missão requer tempo de voo de longa duração.

O emprego do foguetes guiados a laser tipo APKWS e um pod com FLIR permitira realizar todas as interceptações e engajamentos a baixo custo e em volumes de saturação de area.

Carlos

Será assim tão boa esta notícia, que deixou a galera contente? Os A-29 N vão ser construídos em Portugal https://www.youtube.com/watch?v=LzvikJJnRvo&ab_channel=CaiafaMaster

Camargoer.

Olá Carlos. Acho que vai ser um esquema parecido ao dos A29 nos EUA. A parte estrutural é feita no Brasil e a instalação dos sistemas, do cabeamento e da hidráulica será feita em Portugual

Carlos

Apenas falo do que sei, vi ou ouvi e por vezes engano-me, como tal podes ter toda a razão, mas disso nada sei.

Camargoer.

Em “Grande Sertão Veredas”, logo no começo,o personagem menciona que “acho que quase não sei nada mas duvido de muita coisa”

Last edited 16 dias atrás by Camargoer.
Carlos

“acho que quase não sei nada mas duvido de muita coisa” é uma verdade e já Sócrates, na Grécia antiga dizia: “Quanto mais sei, mais sei que nada sei”

José de Souza

E qual o problema? Continua sendo tão Brasileiro (EMBRAER) quanto o Grippen Sueco (SAAB), ou mesmo o Tucano feito nos EEUU. Para isso existe propriedade intelectual, royalties, etc.
Um produto desenvolvido no Brasil, sob uma empresa Brasileira (ainda que SA internacional), fabricado em outro país, assim como os carros da NISSAN e demais montadoras, no mundo todo.

Bastos

Neste momento Portugal tem cerca de 500 mil imigrantes brasileiros, pelo que de certeza absoluta muitos deles irão trabalhar indiretamente para a Embraer.

Carlos

Nada disse que contrariasse o que afirmas

F-39 Gripen

“Construido em Portugal” = montado na Embraer Portugal.

Carlos

Desculpa-me mas a Embraer é detentora de dois terços do capital e isso não lhe dá o direito de mudar o nome, nem de mudar de lugar como tal continua a chamar-se Oficinas Gerais de Material Aeronáutico OGMA e é uma empresa centenária criada em 1918.

Somewhere In

Num programa de televisão português ( SIC Noticias) , que dá pelo nome “Leste- Oeste”, este tema foi falado. O que se deu a entender foi que todo o interior do avião, será da responsabilidade de 4 empresas portuguesas e da Thales (através dos seu escritório português). Da Embraer será apenas a “carcaça”.

Last edited 14 dias atrás by Somewhere In
Carlos

A todos que se manifestaram apenas quero dizer duas coisas. 1 – Vi muita gente a festejar como se fosse o Brasil o único a ganhar, mas sem saber tudo o que está envolvido. 2 – Já se fala à anos sobre a compra do A-29 por Portugal e nunca se materializou até agora, de vez em quando fala-se na compra. Também já ouvi um almirante português a falar na construção de 17 novos navios, mas que saiba até agora só foram contratualizados 7. Sempre que sai uma lei de programação militar, vem mencionado a aquisição de aviões a hélice,… Read more »

Pedro I

Olá Carlos
E qual é o problema?
Existe uma diferença entre “produzir” e”montar”, o Brasil, a FAB, e a Embraer continuam ganhando, sem falar no marketing associado…

Henrique A

Seja lá onde seja fabricado os dólares ou euros vão acabar vindo pra cá de qualquer maneira.

Rogério Loureiro Dhierio

Quantas unidades para Portugal???

Kornet

Portugal é o maior garoto propaganda da Embraer na OTAN.
Que mais países europeus sigam o exemplo.

Carlos

Em Fevereiro de 2020, o Presidente português fez uma visita de estado à Índia e falando à mídia sobre a visita, falou sobre o interesse da Índia sobre o KC-390, nessa época havia um acordo entre a Embraer e a Boeing para venda do KC-390, não imaginas o que li e ouvi de comentários depreciativos e ofensivos para com o Presidente português, muitos dos comentários foram simplesmente apagados por serem demasiados ofensivos. A partir dessa data e para mim nunca mais haverá uma parceria como o KC-390 e se este negócio for por diante, nas próximas eleições este Ministro da… Read more »

André Macedo

Não que seja um problema enorme, mas pq usar N na variante? Não seria mais tradicional e lógico usar B ou M? N me remete a Naval

Bardini

NATO.

André Macedo

Valeu!

Fernando Vieira

B já tem inclusive. A-29A é a versão de ataque da FAB. A-29B é a versão Biplace. Poderia chamar de C.

Mas a C poderia ser a versão a ser construída a partir da ideia do Nunão da FAB comprar novos como tampão até ter Gripen suficientes para substituir os A1

Fernando "Nunão" De Martini

A-29AM / A-29BM para os modernizados, A-29C / A-29D para novos. Ou faz como a Suécia, que converteu parte de seus F-39 A/B em C/D, além de construir outros novos de fábrica: moderniza uma parte, produz outros novos, e chama tudo de A-29 C/D – menos os que eventualmente não modernize, que continuarão no padrão A/B, como pode ser o caso dos que equipam o EDA (Esquadrilha da Fumaça), que a meu ver não carecem de modernização. A letrinha que virá depois do A-29 é o de menos. Quero mais é que modernizem e fabriquem novos o quanto antes. Sobre… Read more »

Pedro

Acho interessante que as forças armadas de países europeus não estão a ver o alcance desta compra por parte de Portugal. Bom uma das razões públicas mencionadas é apoio aéreo de proximidade e nomeadamente nas operações africanas, mas também pode ter a ver com a aviónica mais simples e menos susceptível de ser atacada por ataques electromagnéticos e assim ter aviões de reserva para serem pilotados manualmente para combate, é sabido que os aviões de 4.ª e 5.ª geração são susceptíveis de ficarem completamente cegos e inoperacionais perante ataques que bloqueiem a aviónica mais complexa. As forças armadas portuguesas marinha,… Read more »

Heinz

Imaginem se em 2017/2019(eu acho) tivessem aprovado a venda dos super tucanos para a Ucrânia. Seria uma bela de uma vitrine pra esse vetor que é muito querido pelos amantes da aviação militar.

curioso

As forças armadas portuguesas mantém ainda hoje algum tipo de operação ou missão em países da África?
Falou-se muito disso aqui, como terreno para o uso de Super Tucanos da nova versão N, mas só de forma genérica.
Onde, concretamente, ocorreriam essas operaçôes, se é que existem ou viriam a existir?
Para este curioso (talvez desinformado), as guerras africanas de Portugal tinham se acabado depois da Revolução dos Cravos, que acabou de fazer meio século em abril.

Artur

Portugal tem militares na RCA, República Centro Africana, que operam sob bandeira da ONU. Além de blindados como Pandur, Humvee, e outros, têm suporte aéreo, normalmente de MI 8, de países terceiros.
O A29 seria certamente um bom upgrade.

curioso

Obrigado, Artur e HCosta

Carlos

Não te vou falar do resto mas falo-te da presença de militares portugueses na Republica Centro Africana (RCA) e elas repartem a sua presença em duas forças militares, a EUTM-RCA e a MINUSCA. A presença portuguesa na RCA integrado na força de MINUSCA (capacetes azuis) foi feita pelas autoridades francesas ao abrigo do artigo 42/7 do Tratado de Lisboa e desde a segunda metade de 2017 que militares portugueses participam na MINUSCA. A UE decidiu participar na formação do novo exercito da RCA e Portugal participou desde o início nesta força que tem como missão formar o novo exército da… Read more »

Bispo de Guerra

Só queria saber , vai adquirir quantos ?

Helcaraxas

Ainda não está formalizado mas acredito que seja por volta de 20-24

Helcaraxas

Existem aqui muito bons pontos, contudo acredito que a análise não deve ser feita com comparação direta entre o A29 e os helis. Esta questão tem de ser pensada com os meios atualmente existentes. Por exemplo, gosto quando fazem referência ao facto dos helis serem mais versáteis (logistica, ataque A/G, medevac…) mas acho que não está a ser integrado os meios existentes. A proposta portuguesa para o A 29 é para ataque a solo, reconhecimento e trainer avançado pelos seus aviónicos. MEDEVAC continuará a ser efetuado pelos EH-101, AW-109 e C-295.Os Helis portugueses não são ”armados”. Os koala podem fazer… Read more »