O F-39 Gripen foi concebido com a capacidade de se adaptar a cenários diversos. E para isso, o caça dispõe de sistemas táticos que garantem consciência situacional para o piloto e sua operação com segurança em espaços aéreos altamente contestados e hostis.

Conheça os detalhes desses sistemas no 11º episódio da 5ª temporada da “Colaboração Real – O Caça do Brasil”.

Subscribe
Notify of
guest

82 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo

Depois de década para uma tomada de decisão auspiciosa sob a égide da FAB, falar da aquisição de F-16 é amputar o projeto do Gripen, quando o Brasil deveria estar formatando sua parceria com a Saab de olho na próxima geração de caça, qualquer recursos para um caça que desvie da já minguada quantidade adquirida é lesar mais uma vez esse país. A FAB não pode fazer parte dessa pantomima.

Last edited 18 dias atrás by Nilo
Renato

Parceria com a SAAB para uma próxima geração..
Se a geração atual (Gripen) sabe-se lá em qual década vai estar disponível nesse ritmo de entregas, imagine outra geração meu caro..
Isso é discussão para os netos dos nossos netos.

Last edited 18 dias atrás by Renato
Marcelo Andrade

Pesquise por cronograma de entregas antes de escrever , filho!

Renato

Tem várias matérias a respeito aqui mesmo no Aéreo, é só buscar no campo logo acima da página.
Lhe sugiro colocar lado a lado cronograma x entrega, depois volte aqui, compartilhe o resultado..

Leandro Costa

Leu também sobre a possibilidade de aumento da cadência de produção?

Santamariense

Leandro, eu torço muito, muito mesmo, para a FAB ter 70, 90 ou mais Gripen e a capacidade de aumento da cadência de produção, tecnicamente, existe. Mas, e a grana para fazer pedidos e provocar esse aumento da cadência?

Leandro Costa

Cara, eu respeito totalmente a sua opinião. Pior que no momento, eu não vejo uma escolha ou outra como errada, justamente porque nesse país instável em que vivemos, não sabemos nunca como será o dia de amanhã. A minha opinião é de focar nos Gripens todo e qualquer centavinho que a gente consiga ter para gastar com caças, até meio que forçando uma mão política (lembrando que essa ‘mão’ tem não um, mas todos os dedos podres), à investir mais nesse programa. Eu temo que, com a adoção de aeronaves de segunda-mão, seja visto pelos políticos como ‘ah, agora eles… Read more »

Santamariense

É bem isso, Leandro. É uma situação bastante delicada em que qualquer decisão tomada não sabemos no que resultará, pois não temos garantia de orçamento para o que quer que seja.

Renato

Leandro, esse atual governo tem como solução de compromisso deixar a coisa ser vencida pelo tempo e esquecimento.
Se o assunto já está pacificado e não dá voto, esquece.
Então cá entre nós, se você acredita que podemos contar com essa possibilidade, boa sorte.

Leandro Costa

Então o problema é político, e não técnico, Renato.

Quando entra diretamente a política nessa questão fica sempre tudo mais difícil. Eu sinceramente apelo para que alguém apele para os brios do atual mandatário, e tente apelar de forma pública para que o mandatário sinta-se encurralado politicamente o suficiente para liberar uma grana maior para o programa.

Mas como eu disse, com políticos no meio nunca temos como dizer.

Jacinto

O problema é 100% político. A FAB não estaria cogitando um caça usado se houvesse a garantia de receber o já contratado + lotes adicionais. A questão é que há pressão política para reduzir os gastos públicos e lembre-se da história do FX: em seu 1º mandado, o Lula suspendeu o FX 48 horas depois de tomar posse, sob o argumento de que aquele valor seria mais bem gasto combatendo a fome e depois o cancelou de vez para iniciar o que é o FX2. Por isso, existe o risco, não apenas de não vir lotes adicionais, como também o… Read more »

FAS

Interessante que não poucos cogitam a possibilidade do Grippen estar apresentando problemas de desenvolvimento, algo que a FAB e muito menos a Saab admitiria, mas tem vários sinais disso…

Wilson

Poderia mencionar que sinais são esses? Até agora só notei a baixa cadencia de produção e o não anúncio do prometido Supercruiser (que se tivesse acontecido a SAAB certamente estaria anunciando com eloquência).

Renato

Provavelmente sim, em nenhum momento eu disse que era técnico (embora não tenha como ter certeza disso também).

Fernando

Por que nao apelaram e encurralaram o mandatário anterior?

Leandro Costa

Porque a crise atual (a possibilidade de aeronaves de segunda mão) está ocorrendo no curso do atual mandatário. Não se engane, seja quem for que estiver sentado na cadeira de Presidente, deveria ser pressionado. Não tente me arrastar para essa briguinha inútil de ‘lados’ políticos porque praticamente 100% dos caras que ficam nessa briguinha ridícula não fazem idéia do que estão falando.

O responsável é o Presidente. Seja quem for.

Fernando

Este atual governo? O que exatamente o governo anterior fez melhor que este?

Santamariense

Deixa de papagaiada ideológica. As entregas, no governo anterior, ocorreram de forma mais equilibrada. Mas, isso não quer dizer nada…não tenho político de estimação, portanto, querer passar pano, para quem quer que seja, com a situação atual, é só torcida ideológica.

Last edited 16 dias atrás by Santamariense
Fernando Rodrigues Martins

Então deixa de passar pano pro governo anterior. Ficou 4 anos lá e fez menos que este que não chegou a dois. Quem é que está de papagaiada ideológica?

Santamariense

Acho que tu tens problema de interpretação de texto. Eu me referi única e exclusivamente às entregas de Gripen em um e em outro governo. O resto é de tua cabeça de torcedor.

Fernando Rodrigues Martins

Acho que o problema é seu. As entregas do Gripen no atual governo são maiores que no anterior. Então, acho que o torcedor é você.

Leandro Costa

Mas o que dizia o cronograma de entregas, Fernando? Se o governo anterior quisesse aumentar o número de aeronaves entregues, ele conseguiria?

Santamariense

Cara, foram entregues, no governo anterior, 1 Gripen (4100) em 2020, para testes, e mais 4 operacionais em 2022. Em 2023, já no governo atual, foram entregues 3, dos 4 previstos e, em 2024, até agora, dos 3 previstos não chegou nenhum. Então, não é torcida…são fatos.

Volpi

São 10 anos e não temos nem um esquadrão filho….. Ninguém mais reconhece todo esse suposto potencial do Gripen filho

Marcelo Andrade

voce calculou escolha, assinatura, pandemia, ne?

vendéen

Bonsoir Renato,

A menos que eu esteja enganado, esta possível decisão de obter 24 F-16 C/D bloco 32/32 modificados para bloco 70/72V (o Viper) a fim de substituir o F-5Tiger II é certamente ambígua, mas parece ter sido iniciada pelo mau cumprimento dos compromissos da Saab em relação ao cronograma de entrega do F-39 Gripen (?).
Salvo engano, as projeções indicam que a FAB não conseguirá colocar em operação seus 36 Gripen até o final da década (em 2030 o F-5 Tiger II estará totalmente obsoleto).

Nilo

Em conceituado site especializado, em artigo de 2019, já relatava dificuldades financeiras no cumprimento do planejamento orçamentária, em virtude atrasos no cronograma de entrega dos Gripens, segue…. “Para 2020, assim como no caso do Gripen, o PLOA é extremamente preocupante, pois enquanto a Aeronáutica trabalha com uma previsão orçamentária de R$ 1,06 bilhões a proposta em discussão no Congresso prevê o repasse de apenas R$ 439 milhões, mais uma vez, menos da metade do previsto pela Aeronáutica de acordo com os contratos assinados. 2021 demandaria outros R$ 1.06 bilhões, enquanto 2022 demandaria mais R$ 1.03 bilhões, segundo o planejamento da… Read more »

vendéen

Bonjour Nilo, Desculpe, mas não consigo mais encontrar a fonte, mas de memória a Saab é uma vítima colateral dos problemas enfrentados pelos subcontratados após a crise pandêmica da Covid 19 (os subcontratados geralmente trabalham em fluxo restrito). O tecido industrial aeronáutico sueco depende mais de 80% de PME/PMI que (muitas vezes) têm praticamente apenas a Saab como único cliente. Em suma, em 2024 a Saab ainda poderá ter dificuldades para cumprir seu cronograma de entregas. Ok, se eu entendi você corretamente, o Brasil está, portanto, tendo dificuldade em buscar o mecanismo de financiamento (?) para a aquisição há muito… Read more »

Felipe

40/42 ….

Rodolfo

Nao existe nenhuma informação da USAF que esta queira vender Block 40/42 pro Brasil. A única informação é que a celulas mais novas (as mais antigas devem ser canibalizadas) passarao por um upgrade de 20-25 milhoes de dolares a unidades pra eletronica similar ao
block 70, coisa que a FAB provavelmente nao teria condicoes de fazer (seria o valor de 5 gripens a mais se fossem adquiridos 24 F16).
A USAF esta aposentando Block 30/32 nesse ano nas unidades que estao recebendo o F35. Seria o 30/32 que estaria disponivel no momento.

francisco

Na minha modesta opinião, é preferível comprar um grippen novo do que três aviões usados e em fim de vida.

Rodolfo

Nao tem dinheiro pra caça 4.5, imagina programa de 5a geraçao, e agora com a crise fiscal no horizonte esquece. A decada de 2020 se encaminha pra mais uma de estagnação econômica. Enquanto nao houver reforma do estado e diminuição de gastos, o orçamento pra material de defesa, ciencia e tecnologia, VLS, sub nuclear irão continuar a conta gotas.

MMerlin

Olha lá.
Segundo palavras do Major Bombonato, a aeronave já possui a suíte necessária para combate ar-superfície e reconhecimento.
Para quem achava que a aeronave aguardava uma atualização para tal missão…

Last edited 18 dias atrás by MMerlin
Santamariense

MMerlin, as aeronaves não precisam de atualização. As capacidades estão lá. O que está em andamento é a capacitação da FAB como um todo, envolvendo todos os setores, serviços, departamentos, comandos, etc, envolvidos de forma direta ou indireta, com a aeronave. Assim, temos a IOC e a FOC. Abaixo, as definições usadas pelos EUA para cada uma delas: – IOC é definido como o estado alcançado quando uma capacidade está disponível em sua forma mínima utilizável. O Departamento de Defesa dos Estados Unidos opta por usar o termo capacidade operacional inicial ao se referir ao COI. Para uma aquisição militar… Read more »

MMerlin

Sim. Lembro da conversa entre você e o Nery a respeito destas questões.
Apenas apontei a declaração porque, lá atrás, surgiram comentários dizendo que o Gripen (a aeronave não seus usuários) não estava apto à ataques ar-superfície.

Bardini

“…não estava apto à ataques ar-superfície” . E tecnicamente, não está. . A primeira etapa com o objetivo de obter o IOC nos próximos meses, começou um bom tempo atrás, com campanhas e testes de disparo de mísseis IRIS-T e Meteor. Inicialmente, estes caças vão ter apenas capacidade air-to-air. . Os testes com armamentos ar-to-ground ainda não foram realizados. E além disso, a quantidade adquirida de armamentos deste tipo, até o momento, é tão pequena que praticamente só servirá para se implementar estas capacidades na FAB no decorrer dos próximos anos… . O Gripen só vai estar full operacional, com… Read more »

Last edited 17 dias atrás by Bardini
Santamariense

Entendo. Valeu, abraço.

Bueno

FOC não é restritamente do projeto ,do produto ,em si ?
Pelo que vc esta descrevendo , esta bem, bem abrangente, coloca até unidade militar /organizações.

FOC descrito pela FAB, Capacidade Operacional Completa (Full Operational Capability – FOC, na sigla em inglês). O certificado FOC confirma que o projeto cumpre todos os requisitos definidos pela FAB e que a aeronave é capaz de realizar todas as missões para as quais foi projetada.

Last edited 17 dias atrás by Bueno
Santamariense

Bueno, eu coloquei o que os EUA usam como conceitos de FOC e IOC. Já o conceito da FAB, que você colocou, parece centrar-se na aeronave. Mas, se pensarmos de forma mais abrangente, para que a aeronave opere de forma plena precisa de uma cadeia toda ao seu redor, como treinamento, manutenção, pessoal técnico em EW, reconhecimento, armamento e mais uma infinidade de outras coisas. Então, acredito que, no final, ambos conceitos querem dizer a mesma coisa.

Bueno

Sim , eu entendi sua colocação , penso que a atrelar um certificado operacionalidade do Produto com questões que não são propriamente do produto pode trava sua promoção no mercado. O produto/Protejo Gripen terá um FOC , um certificado operacionalidade, uma força aérea terá que ter os requisitos estabelecidos para sua operacionalidade, é a força que se adequara ao produto, e é o que esta sendo feito. Gere um outro certifica não amarrado ao produto, da Força igual ao Certificação do FORPRON. Penso que pelo fato dos EUA desenvolver os seus produtos, é um pouco diferente, eles projetam produtos para… Read more »

Last edited 17 dias atrás by Bueno
Marcelo Andrade

A aquisição de uma aeronave não tem nada a ver com o Programa F39. o pessoal ainda não entendeu! Não que eu seja a favor de F16, mas ontem ao saber do fim do suporte aos A1 e a sua retirada de serviço em 2025, comecei a me preocupar. Alias, alguem viu ou ouviu qualquer relato da SAAB ou Embraer sobre o assunto F16? Então, acalmem seus corações, segue o jogo……

Last edited 18 dias atrás by Marcelo Andrade
Fernando Vieira

A SAAB e a Embraer não vão falar nada com relação ao F-16 porque elas não tem nada a ver com isso. A compra do F-16, se ocorrer, será feita pelo governo brasileiro junto ao governo de algum país estrangeiros que esteja vendendo o caça, como os argentinos estão fazendo. SAAB e Embraer não tem ingerência nem nada a ver com isso. Isso não quer dizer que elas gostarão disso, a se concretizar esse negócio elas podem até emitir uma nota de descontentamento ou algo assim, mas não creio que farão. Agora comentar rumo, aí é que seria tiro no… Read more »

Neto

Uma boa resposta sobre como tratar essa sobreposição de caças é a carta aberta de Nunão:

https://www.aereo.jor.br/2024/06/20/um-pais-com-linhas-de-producao-de-gripen-e-super-tucano-nao-deveria-recorrer-a-cacas-usados/

O Poker, e a doutrina de ataque ao solo, tendo o esforço de implementação movido para ser em paralelo ao GDA acredito ser o melhor esforço doutrinário e financeiro possível.
.
Vai ter um buraco? Ele já existe.

Ivan herrera

É, sem comentários, colaboração real parte 100, episódio 1000, vamos aguardar né, estou jovem ainda rssss

Nilo

Sua irritação, está com os vídeos informativos frequentes do efetivo andamento do projeto? No congresso no CREDI os oficiais na apresentação do projeto Gripen os oficiais da FAB saíram consternados pela recepção comportamento disperso de boa parte dos parlamentares presentes a sessão.

Ivan herrera

Geralmente quando estou rindo, não estou irritado.

Marcelo Andrade

sim, vou ver muita gente aqui queimar a lingua ou os dedos, assim como foi com o KC390, subs Riachuelo, Fragatas, a turminha do contra são sempre os mesmos desde 2009

Ivan herrera

São mesmo, estou aqui desde essa época, torço pelo gripen mesmo que demore as entregas.

Ronaldo Rangel Pires

As entregas estão atrasadas porque os pagamentos também estão. Pague em dia e receberá em dia.

Dudu

“A diferença entre o pessoal do marketing para o pessoal de vendas, é que estes sempre sabem quando aqueles estão mentindo.”

Ditado do mundo corporativo.

Last edited 18 dias atrás by Dudu
Bernardo Santos

A Saab é muito boa em propaganda.

Rafael Coimbra

É uma pena que esse avião será caro p manter em alguns anos… teremos poucas células voando pelo mundo, se chegar a 250 é muito… vai acontecer o mesmo que aconteceu com o A-1… a história se repete…. Esse deve ser o principal motivo da FAB estar pensando em um caça de prateleira e com milhares de células voando por muito tempo.

Leandro Costa

E que não tem metade da capacidade da aeronave demonstrada nesse vídeo, diga-se de passagem.

Carlos Campos

O motor dele que é o mais caro de manter, é um motor amplamente usado em outros caças, então não acredito em aumento de preço expressivo na manuntenção.

Leandro Costa

Legal, nesse até o IRST dá uma ‘piscadela’ para os negacionistas.

Bueno

Nos comentários do Youtube a galera mandando recado contra a ideia de compra do F16
kkk , contei 4 a 5 e tem apenas 4h de video publicado

Santamariense

Eu não entendi teu comentário.

Bueno

No video postado no youtube o pessoal fez comentários reclamando da possível compra do F16 , contei agora uns 12 comentários sobre o F-16

Last edited 16 dias atrás by Bueno
Santamariense

Ah, certo. Obrigado.

Jota

Nilo, concordo com você, isso é um erro de planejamento pega o dinheiro dos f16 aumenta os lotes de gripen, e dá um jeito dos f5 e tucanos aguetarem até a entrega. O dinheiro gasto com a transferência de tecnologia não foi pouco. E investir em aviões velhos que provavelmente precisaram de revisão e atualizações para sem usados com segurança é brigadeira mesmo que os f16 fossem zero bala seria contra pois tira dinheiro do programa gripen que uma aeronave superior em vários aspectos. Tem menor rcs, menor custo de hora de voo, maior velocidade, já está integrada com o… Read more »

Abymael

A colaboração: comprar F-16 usado kkk

Cesar

Hoje li o seguinte (não sei se é notícia velha, enfim): Em um grande projeto estratégico, Grécia anuncia modernização de sua Força Aérea com a aquisição de dezenas de caças F-35 dos EUA e Rafaeles francesesPIB da Grécia: 217 bilhões PIB do Brasil: 1,92 trilhão Ambos de dólares. Estão comprando 40 F35 e 20 Rafales. Enquanto isso, por aqui, algumas dificuldades para pagar 36 gripens E pensando em uma solução mais barata do século passado (F-16) Bom, a Grécia deve vender uns mirage 2000 pelo que li, então Fica a dica pra FAB e pros governos de direita e esquerda… Read more »

Rodolfo

PIB nao e tudo, a maioria dos operadores de F35 tem economias menores que a brasileira em PIB bruto. Portugal deve ser o proximo a anunciar o PIB é menos da metade do estado de SP.
Tem q ver a situação fiscal, a Grecia hoje ta melhor que a 10-15 anos qdo quase sairam da UE. E como membro da OTAN e rivalidade historica com Turquia, precisam gastar 2% pib em defesa.
A situação fiscal no Brasil ta piorando. O GF tem que cortar gastos.

Eduardo Jardim

Boa noite foristas.

Qual seria a possibilidade da FAB equipar as bases de Santa Cruz e Santa Maria com o Gripen a partir da 13° unidade? Ou a partir da 11° unidade?

Essas bases precisam de quais adaptações? O que seria necessário para equipar as unidades dessas bases?

Bota todo o dinheiro, cada centavo no Gripen, dois esquadrões dividindo as aeronaves.

Rinaldo Nery

O pai do Bombonato foi cmt do 1°/16° GAV Um dos fundadores do Adelphi. Tive o privilégio de conhecê-lo. Faleceu num ataque simulado no estande da Marambaia, em 1998. Hoje empresta o nome ao aeroporto de Uberlândia. A Sara foi do 2°/6° GAV. Fui seu cmt lá.

Santamariense

Eu ia perguntar exatamente isso, se havias algum grau de parentesco entre o oficial do vídeo e o oficial falecido em 1998. O tenente-coronel César Bombonato faleceu quando pilotava o A-1A 5516.

Rinaldo Nery

Isso. Estava estafado pela preparação da ida à Red Flag. O Salvattore, seu Operações, acabou assumindo a função.

Santamariense

Alfredo Salvatore Leta. Li muitos artigos dele, sobre voos de experimentação de caças, em revistas como a Força Aérea, depois dele ter ido para a reserva.

Rinaldo Nery

Salvatore, hoje, gerencia as concessionárias FIAT da família, no Rio.

Santamariense

Ah, tá certo. Isso dá dinheiro…heheheh

francisco

Trocar os gripens por qualquer caça usado.só seria aceitável, caso o Brasil estivesse na iminência de uma guerra. Quando a aquisição de usados seria mais rápida do que fabricar novos.

Luís Henrique

O que a FAB analisa é adquirir F-16 usado para substituir os AMX e não o Gripen.
Alguns entendem que esta opção está sendo considerada porque os Gripen estão demorando para chegar e portanto a opção de substituir AMX por Gripen demoraria muito.
Mas eu acho que este não é o motivo principal, o motivo principal é o dinheiro.
Cada Gripen E custa cerca de U$ 85 mi. Enquanto que um F-16 usado pode sair por cerca de U$ 14 mi.

Portanto a lógica não é somente de maior rapidez de implantação mas também de ‘capacidade’ financeira.

Plinio Jr

E não é só o AMX, pode colocar aí tbm parte da frota de F-5Ms.

Dudu

“Dinheiro não aceita desaforo” A partir do momento em que os suecos, pressionados por um terceiro governo cancelou a licença para a Embraer – coproprietaria intelectual do Gripen F – fabricar o Gripen F no Brasil, rasgando parte do acordo que assinaram em 2014 de venda com transferência de tecnologia do Gripen E e direito ao desenvolvimento e fabricação do Gripen F por parte do Brasil, o sinal vermelho já deve ser ligado. _________________________ para tentar convencer que o Gripen E é capaz de fazer o que o Gripen F será capaz. E que por isso vale a pena manter… Read more »

Santamariense

Meu Deus, cara! Tu continua com isso? Desapega! Me diz qual a diferença tecnológica em construir um Gripen F em relação ao Gripen E? Me diz, qual sistema vai ter no Gripen F e que não vai ter no E? Tu insiste nisso, mesmo eu, o Leandro e mais outros tendo te explicado as capacidades dos sensores e da fusão de dados do Gripen. Pelo que tu fala, parece que o Gripen F é outro avião em relação ao E…mas, não é!! Por mais que tu tente, isso não vai mudar…

Leandro Costa

Ei… pega leve com o cara. Afinal ele matou a charada do Super Tucano com armamento nuclear integrado 😛

Santamariense

🤣🤣🤣

Wilson

Que eu saiba, posso estar errado, o “F” é o biposto de treinamento, que não supera as capacidades e tecnologias do “E”. Ao contrário, treinadores podem mesmo ser inferiores aos aviões de combate em alguns aspectos (vide o contrapeso do F-5F).

Last edited 13 dias atrás by Wilson
Fernando "Nunão" De Martini

Wilson,

Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar.

O Gripen F tem todos os sistemas do Gripen E. Inferioridade apenas pela menor capacidade interna de combustível e, muito ligeiramente (ao menos previsto) em desempenho. De resto, tem as mesmas capacidades do E, podendo oferecer algumas capacidades extras em algumas missões pelo tripulante extra.

Jurandir de Souza Martins

Eu só sei que a escolha da Saab e do modelo gripen 39 e fechamento do contrato foi do governo Lula no segundo mandato, se não me engano. Inclusive Lula foi pessoalmente a Suécia pra conhecer a linha de montagem.

Jurandir de Souza Martins

Desculpe, a fechamento do contrato foi no governo Dilma em 2013, mas a escolha foi no do Lula. Acho que o emblolio é questão de prioridades do momento atual e não questão política ou técnica.

Jurandir de Souza Martins

Corrigindo, o fechamento da compra foi no governo Dilma, 2013, mas a escolhas no governo Lula. Acho q o emblolio é problema de prioridades do momento atual e não técnico e nem político.