domingo, setembro 25, 2022

Gripen para o Brasil

Quem sabe um dia…

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Praticamente todo brasileiro que gosta de aviação sabe que o equipamento atual do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), popularmente conhecido como “Esquadrilha da Fumaça”, voa com o Embraer EMB-314 (A-29) Super Tucano. E no passado não muito distante a unidade voava com o EMB-312 Tucano (foto abaixo).

É também de conhecimento geral que o T-6 Texan foi empregado pela “Fumaça” durante muitos anos até que foram definitivamente aposentados em 1976.

Menos conhecido do grande público foi a passagem dos CM-170 Fouga Magister (foto abaixo) pela “Fumaça”. Estes jatos de treinamento franceses foram adquiridos pelo Ministério da Aeronáutica em 1968. Apesar de suas qualidades acrobáticas o “Magister” tinha grande limitação de alcance (alto consumo dos motores) e exigiam pistas asfaltadas para operar. Os CM-170 tiveram vida curta na FAB e foram desativados em 1972. A “Fumaça” voltou novamente com os T-6 até o ano de 1976 quando a unidade foi desativada.

Outro fato que também é pouco conhecido foi o uso dos T-25 Universal no renascimento da “Fumaça” no ano de 1982, após um hiato de sete anos aproximadamente. O Universal era uma aeronave de transição e readaptação dos pilotos ao voo acrobático em formação, enquanto o EDA não recebia sua verdadeira e definitiva aeronave, o T-27 Tucano.

O Brasil possui todas estas aeronaves que a “Fumaça” já voou, sendo que três delas (Universal, Tucano e Super Tucano) ainda voam regularmente e um quarto (o T-6) é operado por entidades civis em voos de demonstração. Existe também o Magister, mas que não se apresenta em voo.

No Domingo Aéreo ocorrido na Academia da Força Aérea (AFA) no dia 21/8, o público que foi ao evento teve uma grata surpresa. Uma formação com aviões A-29 Super Tucano do EDA, liderados por um T-6 de uso civil e com a pintura da “Fumaça”, fez passagens aéreas sobre a AFA.

Quem sabe um dia o público também possa ver não só o A-29 junto com o T-6, mas também em formação com o T-27, o T-25 e o Magister.

Quem sabe um dia…

- Advertisement -

32 Comments

Subscribe
Notify of
guest

32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Burgos

Quem tem história faz fumaça !!!
Parabéns a Esquadrilha da fumaça de ontem, hoje e amanhã !!!
O futuro é agora !!!💪🇧🇷🚀

Saldanha da Gama

E se me permite?
Quem tem fumaça, faz história….

Burgos

Sim !!!
Que seja🤣
A ordem não importa 👍

Oseias

Poggio, não deixa a turma na imaginação não!
Faz uma edição dessa foto e coloca o T-27, o T-25 e o Magistere, juntamente com o A-29 e o T-6 que ali estão.

109F-4

O T-6 fez o papel de A6M Zero em muito filme antigo sobre a II GM…

A6Mzero

Qual filme ?

Leandro Costa

Quase todos os filmes antigos da Segunda Guerra Mundial, o T-6 fez o papel de A6M-2….

Bota aí ‘Tora! Tora! Tora!,’ ‘Midway,’ ‘O Nimitz Volta para o Inferno…’ a lista é bem grande.

A6Mzero

Tenho que ver mais filmes especialmente esses, mesmo fã do Zero sou mais dos jogos do que filmes…

109F-4

Acho que o 1º sobre a Batalha de Midway; outro sobre a volta no tempo de um porta-aviões americano logo antes do ataque a Pearl Harbor (acho que com Kirk Douglas)…Tem vários outros, que passavam na “Sessão da Tarde”. Não lembro de cabeça os nomes mas identificava logo o avião.

109F-4

Lembrei: “Nimitz: de volta ao Inferno”

Leandro Costa

Tem uma série altamente fictícia em que eles foram muito usados também, chamada ‘Baa Baa Black Sheep’ sobre o esquadrão VMF-214 “Black Sheep” de Gregory Boyington (MoH) durante a Segunda Guerra Mundial. A série é… digamos… ‘um produto do seu tempo.’ Não tem NADA de realística nela. Lembro que no primeiro episódio quem faz uma ponta como General Claire Chennault é o mesmo ator que faz o Cmte. Lassard da Loucademia de Polícia. O próprio Boyington aparece em uma cena. Só tem uma coisa realista no seriado, que são as belíssimas imagens aéreas de diversos modelos do F4U Corsair duelando… Read more »

Pecatoribus

Que eu saiba foi em Tora, Tora, Tora.

Pecatoribus

“As aeronaves japonesas no filme eram treinadores americanos AT-6 e BT-13 altamente modificados. Os caças, “Zeros”, eram AT-6s, os bombardeiros de mergulho, “Vals”, eram BT-13s e os torpedeiros e bombardeiros de nível, “Kates”, consistiam em frentes e asas AT-6 e caudas BT-13.”
(https://m.imdb.com/title/tt0066473/trivia/?ref_=tt_ql_trv)

Luiz Trindade

É… Quem sabe um dia o brasileiro dá valor a história para saber de onde viemos, porque nós estamos aonde estamos e para aonde queremos ir! Por enquanto…

Rinaldo Nery

Nosso problema é o REVO e pousar com tanque cheio…. Hahahahaha
Desculpa, não resisti.

santiago

Interessante que essa sempre foi uma formação possível de apresentar já que a esquadrilha (oi e depois br) sempre estavam com os t6 no pátio do domingo aéreo. Lembro de ver a passagem de t27 com o a29 em um dos anos , quando estavam finalizando a troca das aeronaves. Resumindo, o evento é muito bom , mas dava para melhorar ainda mais. Aeronaves que ficam em exposição estática no “canto” e quando decolam não fazem se quer uma passagem. Aeronaves de grande porte que chegam cedo e saem tarde, parece que na surdina … todo mundo ficou encantado com… Read more »

Clésio Luiz

Era essa a unidade voada pelo Cel. Braga?

Clésio Luiz

Olhando na internet, parece que o dele está em um Museu.

Leandro Costa

Clésio, o dele está no MUSAL.

Sensato

Onde merece estar pra ser devidamente reverenciado.

Leandro Costa

Eu concordo, Sensato. Como o exemplo demonstrado nas fotos, sempre se pode conseguir um outro T-6 para se pintar com as cores da época e usar em vôo. O do Braguinha merece estar no museu.

QBoaVida

Eu me recordo de um ano inteiro de apresentações da “Esquadrilha da Fumaça” utilizando o AT-26 Xavante em 1981. Todos estavam baseados em Parnamirim, no antigo CATRE. Seguramente aeronaves do Esquadrão “Joker”. Apresentações espetaculares! Já li relatos oficiais de que eles fizeram, sim, parte da história da “Fumaça”. Os 40 anos da FAB foram comemorados com uma apresentação deles no CATRE, por exemplo.

Last edited 26 dias atrás by QBoaVida
Rinaldo Nery

Essa esquadrilha do 2°/5° GAV, de AT-26, tinha outro nome. Alouette.

Rinaldo Nery

O atual cmt da Aeronáutica, TB Baptista Jr, voou nela, como Capitão.

QBoaVida

Obrigado pelas suas preciosas informações, Rinaldo Nery. Jamais esquecerei aqueles dias. Eu morava com meus pais, na vila militar, bem debaixo de um possível ponto zero daquelas manobras de fazer inveja aos “Frecce Tricolori”. Acredito que quem pôde prestigia-los sempre terá um gosto de quero mais vendo uma esquadrilha de A-29.

Rinaldo Nery

O líder era o Vergara, um ex fumaceiro do T-6.

Gustavo

Fumaça é uma história linda.
E olha como são as coisas, no domingo aéreo pensei o mesmo, e SE pudéssemos colocar o Magister em condições de voo outra vez e fizéssemos este voo histórico.
Ainda bem que não fui o único a pensar nisso.
Quem sabe um dia…

Josias Rodrigues das Neves Santos

Seria legal aproveitar os F5 que sairão de serviço na FAB 🙅🏾‍♂️👍🏾

Leandro Costa

Eu discordo Josias. Prefiro que se use um produto nacional mesmo, sem contar que os F-5 que darão baixa já vão estar cansados e vão ter que puxar bastante G’s. Melhor continuar com os A-29.

Gustavo

Torço que nossos F-5 sejam vendidos para nossos amigos uruguaios que carecem de caça e o F-5 seria um salto tecnológico para eles, tamanha a defasagem deles.

Igor Lima

Caríssimos, boa noite.
Alguma chance da FAB usar os F5 em exibições aéreas, quando aposentarem? Algo no estilo F-16 “Thunderbirds”, F-18 “Blue Angels” ou ainda, como a Patrouille Suisse?
Um grande abraço à todos!

Rinaldo Nery

Nenhuma.

Últimas Notícias

Os EUA perderam a supremacia convencional, precisam de investimento para manter a dissuasão

A China avançou tanto e tão rápido em seu poder aéreo e espacial que a capacidade da Força Aérea...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -