terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

Saab expõe na ExpoDefensa 2021 e oferece seu caça Gripen para a Força Aérea Colombiana

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

No marco da ExpoDefensa 2021 que se realiza em Bogotá, Colômbia, a empresa sueca Saab oferece uma ampla gama de produtos na área de segurança e defesa. Um dos produtos com destaque nesta exposição é o Saab Gripen, caça com grande capacidade para atender às necessidades da Força Aérea Colombiana.

Entre as qualidades que aprimoram o Gripen como alternativa para a Força Aérea Colombiana está a capacidade de ser um caça interoperável e multifuncional, capaz de realizar com sucesso uma variedade de missões Ar-Ar, Ar-Terra, bem como funções especializadas, como inteligência, vigilância e reconhecimento.

E, graças ao seu avançado sistema de suporte à missão, o piloto pode operar em diferentes funções simultaneamente, pois o Gripen pode integrar uma ampla variedade de armas para todos os tipos de missões. A aeronave oferece consciência situacional total graças ao datalink tático e ao sistema de fusão multicamadas que combina informações de todos os sensores, incluindo o radar AESA.

Outros aspectos que afetam a proposta do Saab Gripen para a Colômbia estão na operação da aeronave, que seria sem restrições de uso, com total independência para o usuário. Isso, somado à oferta de uma “solução de financiamento flexível”, garantida pelo Governo da Suécia, sem dúvida torna o Gripen um modelo certamente “atraente” para ser adquirido pela Força Aérea Colombiana.

Na ExpoDefensa 2021, um simulador de voo Saab Gripen de alta definição foi instalado no estande da Saab. Além disso, outros produtos importantes da empresa estão em exposição, como:

  • Soluções AEW&C para vigilância aérea
  • Simulador de defesa aérea RBS 70 NG
  • Família de radar Giraffe
  • Soluções navais como o 9LV Combat System e o submarino A26

Deve-se lembrar que a Força Aérea Colombiana (FAC) opera uma frota de caças IAI Kfir desde 1991, os quais, embora tenham sofrido várias modificações e atualizações, necessitam de substituição.

A FAC estaria verificando as opções disponíveis além do Saab Gripen, como o Lockhedd Martin F-16 e o ​​Typhoon.

FONTE: Saab, via TallyHo

- Advertisement -

66 Comments

Subscribe
Notify of
guest
66 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bardini

Seria engraçado ver as discussões pela internet, se a Colômbia comprar um Gripen mais capaz que os da FAB.

JT8D

Você recebe aquilo que você paga. Se eles quiserem comprar um Gripen folheado a ouro, qual o problema?

Bardini

Nenhum, uai. Mas que ia ter gente dando ataque, ia.
.
Por mim, se comprarem Gripen E/F, mesmo que não seja folheado a ouro, é lucro, já que ao menos alguns sistemas/componentes são feitos aqui. E se as aeronaves fossem montadas na linha de produção que bancaram com dinheiro público, melhor ainda.

Last edited 1 mês atrás by Bardini
JT8D

O que quer que aconteça, a única certeza é que vai ter gente reclamando de alguma coisa

Thiago A.

Se o caça colombiano for menos capaz o pessoal atento aos mínimos detalhes nem irá notar ou comentar, serão só aplausos : ” oh como eles são sérios com a defesa diferente daqui que é só camarão, com certeza os melhores caças da AL” -e isso até antes da entrega da aeronave rsrsrsrs
O mesmo de sempre. Freud explica isso por favor!

Jodreski

Gripen Meet ficaria tb mais interessante! Mas do meu ponto de vista não é questão de dar ataque ou não. O fechamento do contrato com o Brasil viabilizou o Gripen E também à força aérea sueca, foi o primeiro contrato de venda de um produto que ninguém mais quis apostar, pq se não fosse a venda ao Brasil somente os Suecos que seriam os operadores dele até o presente momento e arcariam sozinhos com os custos de desenvolvimento. Então eu acho que a FAB poderia sim ter negociado melhor o contrato e a nossa versão deveria ser idêntica à Sueca.… Read more »

Marcos

Na verdade o gripen E só os Suécia terão, a FAB vai F39 e lambe os beiços.

Flanker

Que mistureba tu fez, hein?

Bruno

Tá bem ai amigão ? rs….

carcara_br

Sim pq comprar equipamento militar é igual fazer compra no super mercado, entra e pega o que puder pagar. Não existem níveis de acesso a tecnologia.

Henrique

Que se dane se comprarem o Gripen da igual ao da Suécia (que supostamente é a versão mais pika dos Gripens)… to interessado é que se a compra acontecer o custo de aquisição de um segundo ou até um hipotético 3º lote pro Brasil vai baixa o preço

Zeus

E o que seria “mais capaz”?
Aquele sistema modular de contra medidas projetado para atuar contra S-400 e SU-57?
Uma capacidade inútil na A.Latina?

No mais, segundo divulgado, as versões de Suécia e Brasil são idênticas.

Para quem levantou a possibilidade de comprar velharias de capacidades limitadas como Thypoons Tranche 1, o provável é que se escolherem o Gripen, ou será o C/D ou o E com configuração inferior à da FAB.

Porém como o governo da Colômbia é submisso aos estadunidenses, não será surpresa de escolherem qualquer versão do F-16, inclusive usada.

carcara_br

Sabedoria desbalanceada, é um Deus entre os mortais…

Last edited 1 mês atrás by carcara_br
Allan Lemos

Não a vejo como inútil. Ela é como seguro, é melhor ter e não precisar do que que precisar e não a ter.

Saldanha da Gama

Meu caro, inútil até tornar-se trágica!!!! Se precisarmos, teremos logo a mão para instalar? ou vamos ter que fazer licitação, pedir permissão ao congresso etc…Abraços

Marco Eu

Para a Colômbia, comprar o Tiphoon não é um bom negócio. A Colômbia não vê vantagem em se aproximar tanto assim da Inglaterra, porque eles são neutros nos assuntos internos da Colômbia e no máximo oferecem uma força moral. O USA já é bem próximo da Colômbia e colocam dinheiro e armamento na Colômbia, eles podem e vão fazer lobby para a Compra do F-16, mas para a Colômbia comprar F-16 seria “mais do mesmo” , e não iria diferenciar muito a sua armada das forças aéreas na América latina…. lembrando que a Venezuela tem alguns F-16 obsoletos lá, mas… Read more »

Rogério Loureiro Dhiério

Você acabou de abrir tal discussão.
Jogou faísca no Álcool. kkkkk

J R

Os Super Tucanos deles já são muito superiores aos nossos, não seria nada diferente do que é hoje.

Marco Eu

Besteira. Eles desenvolveram melhorias no SPtucano porque eles continuam em conflito com revolucionários e traficantes às magens de suas fronteiras. Lembre-se de que a Argentina na guerra das Falkland também deu uma aprimorada nos seus caças com Tecnologia interna, chegando até mesmo a lançar mísseis anti-navios desses aviões que não eram fabricados para essa missão, e conseguiram causar muitos danos ao Reino Unido. Tem um ditado que se encaixa bem nessas situações: “a necessidade faz o sapo pular”
O Brasil desenvolveu o Tucano e eles têm a receita do bolo podendo fazer com esse bolo o que bem quiser.

Carlos Campos

Se for um Gripen com Radar melhor, ou já com POD externo de EW, só assim para ser superior. e no papel.

Australopitécus

A Arabia Saudita tem F-15 mais avançados que os EUA por exemplo.
Mas e as outras variáveis? Quantidade, treinamento, armas, suporte, logística, etc, etc.. Nem só de tecnologia se faz uma guerra.

Last edited 1 mês atrás by Australopitécus
Marco Eu

Lembrete: a própria Suécia que é a Exportadora da Tecnologia dos Gripens NG também não possuem o NG na sua armada….eles estão desenvolvendo e recebendo esses exemplares juntamente com os seus Clientes que os compraram. Os USA também receberam os F-35 junto com os países que entraram no projeto de construção (é claro que eles já tinham o F-22 operacional) , mas o F-22 é muito muito caro de operar. E o caso de Rússia é similar , eles vendem e oferecem a todo lado os SU-35 e Migs modernos que tem pouco na sua frota. E o SU-57 não… Read more »

Kornet

Olha lá o trilho da discórdia.
Mudando de assunto muito bom a aquisição dos Spikes pelo EB.

carcara_br

Essas extremidades, quais histórias será que elas contam? Vamos saber algum dia…
Eu não tenho a menor dúvida que é uma aeronave muito boa pra américa latina, Só de não ter problema com ventinho na pista como os F-16 chilenos já diz muito sobre esse projeto fantástico dos suecos…

Roberto

Talvez a melhor foto que já vi de um Gripen, mesmo sendo uma maquete.
Melhor ângulo, todo armado, a sonda estendida e boa camuflagem. Porém, o que chama a atenção é a boa disposição das insígnias nacionais, coloridas e bem posicionadas.
A Força Aérea Brasileira, no futuro, com mais tempo e vontade, poderia pensar um melhor ornamento nos seus Gripens, com a mostra dos emblemas e faixas dos esquadrões. Muito embora, a pintura (camuflagem) escolhida tenha ficado muito boa.

Last edited 1 mês atrás by Roberto
Wellington Kramer

Pintura de baixa visibilidade não combina com colares e indicações coloridos. Essa pintura da maquete serve apenas à feira.

Roberto

Um assunto tratado aqui em grande parte de forma amadora, despretensiosa, sem conhecimento e de maneira inutilmente irreverente até mesmo por parte daqueles de quem se espera certo conhecimento no assunto. Recomendo a leitura do excelente Figther Combat: Tactics and Maneuvering de Robert Shaw, o autor dedica um pequeno capítulo sobre o assunto ao final do livro.Shaw, um experiente aviador naval, piloto de caça, argumenta que pequenas marcas ou insígnias coloridas nas aeronaves não fazem a menor diferença no combate aéreo, e que, na verdade, a camuflagem, não sendo de uma cor muito berrante, como o vermelho, pouco importa. Pintura… Read more »

81b76bd058811131bf579faa411ad745.jpg
Last edited 1 mês atrás by Roberto
Flanker

Concordo. Marcações como a FAB coloca em seus aviões, como os símbolos dos esquadrões nas derivas dos F-5M, não interferem em absolutamwnte nada e dão uma identidade para as aeronaves. Talvez o cocar da FAB nas cores tradicionais, também seria bacana. Entretanto, também acho bonitas as marcações em baixa visibilidade.

Roberto

O cinza de baixa visibilidade quando comparado com o que já teve na aviação, é sem dúvida uma cor morta, sem o menor apelo.
Para efeito de comparação veja esse antes e depois:

48967300332_3a77c8069b_b.jpg
Roberto

E agora o mesmo avião em cinza:

60222_1559143255.jpg
Last edited 1 mês atrás by Roberto
Flanker

Verdade. Mas, os anos 50, 60 e 80 do secúlo passafo etam prolifi os nas cores, emblemas, símbolos, emblemas, etc. Dos anos 90 para cá, se apostou bem mais na discrição.

Wellington

Olá Roberto. Não tenho conhecimento suficiente para discutir sobre o que fala o autor, mas imagino que existam outros que defendam o contrário, tanto que o padrão das FFAA americanas não utiliza mais cores berrantes como no passado, seja em cocares, escudos ou inscrições. Não me parece coerente, achismo meu, que uma pintura de baixa visibilidade, seja aos olhos, ao radar ou aos sensores infra-vermelhos, tenha partes que destoem dela. Em tempos de paz, tudo bem, mas quando a furtividade se faz mais necessária, não me parece coerente. Também gostava daquelas pinturas coloridas, sobretudo da US Navy. Quando criança comprei… Read more »

Roberto

Sim. É um assunto vasto. O autor ensina até técnicas para melhorar a acuidade visual durante o combate, ensina que tudo deve ser fosco na cabine para não refletir internamente no canopy e confundir. Ele até mesmo é contrário à viseira do capacete em certas situações. Vale lembrar que aqueles F-16 do Alasca pintados de preto, cinza e branco são praticamente impossíveis de acompanhar visualmente quando sobre o terreno na época de inverno e, por outro lado, os egípcios arruinaram toda a camuflagem de seus F-16 quando tiveram que pintar imensas faixas laranjas para não serem confundidos com os F-16… Read more »

Wellington

O que deve ter acabado também deve ter sido a pintura vistosa dos capacetes dos pilotos da US Navy.

Maurício.

Wellington, já que tocaram na tal da pintura, concordo com o Roberto, um “cocarzinho” ou qualquer outra marcação pequena não deve fazer a menor diferença.
Sou um nostálgico:

20161110_195540.jpg
Jefferson Henrique

Esse padrão poderia voltar né? Muito melhor do que os de agora.

João Adaime

Além de alguns componentes serem brasileiros, a Embraer poderia entrar em negociações com a Saab para dar manutenção a estes caças.
Manutenção aqui na América do Sul seria uma vantagem a mais para os colombianos.

Pedro Fullback

Pq seria vantagem? Seria vantagem apenas para os brasileiros! A Colômbia quer fomentarem a sua indústria, então, a política de comprar armas de prateleira está acabando.

Clésio Luiz

Mais rápido tratar com um vizinho, com relação já estabelecida de apoio militar (Tucano e Super Tucano), do que com outro país do outro lado do mundo.

E qual é a compra pela Colômbia que não vai ser de prateleira?

Paulo

Será que os Colombianos vão cair ? corre enquanto pode!

Mayuan

Esclarece pra gente, qual você julga ser a melhor opção pra Colômbia e qual teria sido a melhor para o Brasil?

Wellington Kramer

Comentário nonsense.

Roberto

O avião ainda sofre modificações um tanto elementares.
O sensor transportado parece ter sido deslocado um pouco no sentido diagonal, para justamente dar mais espaço para os ainda ausentes mísseis laterais sob a fuselagem.

12.PNG
Renato

Parece não meu caro, foi deslocado para dar espaço para mais dois pilones sob a fuselagem.
Elevando assim para 10 o número de pontos duros disponíveis.
Existem caças que levam mais carga? Claro que sim, mas para a categoria de um monomotor médio, não está nada mal.

Last edited 1 mês atrás by Renato
Rogério Loureiro Dhiério

A meu ver seria a opção mais sensata de curto, médio e longo prazo para a FAC.

F-16 já deu, logo logo se aposenta na sequência do F-18, e o Typhon demandaria um pacote de atualizações cara demais para uma célula já usada.

Welington S.

Enquanto o Tio Sam tiver o braço forte ali na Colômbia, a opção pelo Gripen vai ficar difícil.

Rogério Loureiro Dhierio

Exatamente. Realidade nua e crua.

Vão de F_16.

Teropode

Impossível , se não venderem mais uns 40 para o Brasil e ganharem a Finlândia fornecendo 50 vertores o Gripen EF simplesmente desaparece ….

Flanker

Eu acho que o Gripen vai ser um divisor de aguas na FAB. Vetor completo, capaz e relativamente barato. Porém, é nesse último quesito que mora o perigo. Novas vendas precisarào ocorrer, e em quantidades razoáveis, para tornar esse vetor dentro de valores aceitáveis de operação e manutenção. Com somente os 96 atuais, será caro, bem caro, para operar e manter!!!

Carlos Campos

O Itamaraty devia se esforça por essa venda com partes feitas no Brasil.

Rodrigo LD

Eles não tem verba nem pra F-16 de segunda mão e tem gente achando que vão comprar Gripen….de Saab na América Latina, vai ser só o Brasil.

Paulo

Como se o Gripo fosse grande coisa.

pupu

a Colômbia e a maior aliada yanke na região.
eles vão fazer de tudo para agradar as forças armadas colombianas !
não vai demorar para os yankes resolverem Cuba e Venezuela.
ainda mais com a China acossando Taiwan
Rússia no cangote de Ucrânia .
cuba e Venezuela será a resposta americana no tabuleiro
tropas americanas na Colômbia será muito rim pra nós !
acabará com a nossa influência regional de vez !

Fabricio Lustosa

Q influência regional brasileira é essa jovem??? Kkkkkkkk…. O atual governo chegou a cogitar a instalação de bases dos EUA em território brasileiro. Do México para baixo é tudo quintal, colônia e aterro sanitário dos EUA. E alguns tem até orgulho “verde amarelo” disso.

Emmanuel

Colômbia não tem recursos para Gripen E.
Isso é uma realidade deles e da maioria das forças armadas sulamericanas.
Até o Chile, que é o país mais organizados com suas forças, usa F-16 usado.
A Colômbia vai de F-16 porque é o que dá para comprar.
Sorte tem a FAB de operar 36 Gripen E. Se dependesse de metade do Congresso continuaria voando o que tem por mais 20 ou 30 anos.

Welington S.

O maior problema que vejo no Chile, ao qual eu já falei aqui, é a questão política. De repente, explode alguma coisa na política deles, pronto, atrasa aquisições e projetos militares. É por isso que, por mais que o Chile já tenha demonstrado interesse em ter F-35, eles vão continuar com o F-16 por mais longos e longos anos. O Tio Sam, assim como na Colômbia, tem um braço muito forte ali.

Adriano Madureira

E quanto ao suporte econômico do plano Colômbia Emmanuel? Há 20 anos foi assinado o Plano Colômbia pelos presidentes Andrés Pastrana e Bill Clinton, que movimentou cerca de USD 10 Bilhões em 15 anos e foi renovado pelos sucessores.  Em 2009, Barack Obama e Álvaro Uribe Vélez anunciaram novos acordos que deram aos EUA a permissão de instalar sete bases militares no território colombiano.  Já em 2019, a Casa Branca destinou US$ 418 milhões para o combate às drogas na Colômbia. Mas como sabemos essa história de plano colômbia e sua luta antidrogas não passa de falácia e engodo americano, as intenções… Read more »

Emmanuel

Tá…tentei entender o que você escreveu. Mas assim, vamos supor que aconteça, hipoteticamente, uma guerra entre Venezuela e Colômbia. Será uma guerra entre eles dois, pois, os US não vão poder intervir diretamente no conflito. Trump queria chutar a bunda de Maduro e não o fez, não porque não poderia fazê-lo, mas porque pegaria muito mal em todo a América Latina. Até Bolsonaro foi contra e conversou com o presidente americano sobre isso. Uma coisa é ter base americana, outra é usar. Cuba tem base americana e nem por isso o regime da família Castro caiu. Outra coisa é a… Read more »

Camargoer.

Caro Emmanuel. Durante a crise com a Venezuela, o governo brasileiro agiu como agente provocador em favor de Guaidó. O Itamaraty atuou para desestabilizar Maduro. Lembro que na época, comentei que o Brasil estava cometendo um enorme erro ao se alinhar aos EUA invés de mediar um acordo entre a oposição e o governo em torno de eleições livres. No fim, quem fez esta mediação foi o México, que culminou com as recentes eleições regionais na Venezuela, enquanto que o Brasil ficou de fora do processo.

Inácio Augusto de Almeida

A FORÇA AÉREA COLOMBIANA comprou algum Gripen?
Comprou?
O Brasil comprou.
Para economizar desfez a compra de parte dos KC-390 fabricados pela EMBRAER.
Coisas do Brasil.

Hellen

A SAAB ja pode esquecer dessa venda,na colombia possui 8 bases americanas e quem manda no Governo la é os Falcões de Washington e vai ser obrigados a comprar avioes americanos !!!!
Os americanos tiraram as Farc da lista de grupos terrorista ontem !!!

Reinaldo Deprera

Já imaginou a motivação dos pilotos da fuerza aerea bolivarianesca no caso da Colombia receber Gripens NG?
O Gripen NG é o coveiro da Sukhoi.

Save Ferris!

SGT MAX WOLF FILHO

TOMARA QUE COPREM QUANTO MAIS GRIPENS VOANDO, MAIS BARATA FICARÁ A MANUTENÇÃO, E TOMARA QUE ELES TAMBEM VENHAM COMPRAR UNS KC 390, É MAIS FACIL A VENEZUELA ATACAR O BRASIL QUE A COLOMBIA!

Last edited 1 mês atrás by SGT MAX WOLF FILHO
Bruno

Meu Deus..Venezuela vai atacar quem ? Povo viaja legal na maionese, mostarda, ketchup….

Em tempo, seria interessante sim ver a FAC com Gripens fabricados aqui, por n motivos. Torcer para que um dia isso seja realidade.

Last edited 1 mês atrás by Bruno
Luiz Trindade

Eu acho que seria uma ótima opção para substituir o Kfir. A FAC ganharia muito operando esse caça com toda tecnologia que hoje o Gripen embarca. Seria um ganho enorme de operacionalidade porém acho que os EUA vão fazer pressão para comprarem os F-16.

Marco Eu

Seria muito bom se a Colômbia escolhesse o Gripen NG , já que o Brasil poderia entrar na cadeia de produção, gerando lucro para o Brasil e também geração de alta Tecnologia e know-how importantes para fazerem o país se tornar um exportador de tecnologia, que é muito mais rentável para este país do que exportar comodities como minério e agropecuária. Além aproximar a Colômbia com o Brasil ainda mais politicamente. Um governo colombiano de Direita e conservador também ajudará a virar o viés socialista e comunista presente na América latina e que está levando países como Bolívia, Argentina e… Read more »

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -