terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

Destroços do caça stealth F-35 britânico são encontrados no fundo do mar

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Conselheiro de Segurança Nacional do Reino Unido confirma que foi encontrado o jato avançado que caiu do porta-aviões

O caça F-35B do porta-aviões HMS Queen Elizabeth da Grã-Bretanha que caiu no mar este mês foi encontrado, confirmou o Conselheiro de Segurança Nacional do Reino Unido.

A Marinha Real e seus aliados patrulham o Mediterrâneo Oriental há duas semanas no local onde o jato de £ 100 milhões (US$ 133 milhões) caiu depois que o piloto ejetou na decolagem.

“Meu entendimento é que os especialistas sabem onde está a aeronave. Sim, nós a localizamos”, disse o Conselheiro de Segurança Nacional, Sir Stephen Lovegrove. “Ainda não içamos o avião.”

Questionado pelos parlamentares, Lovegrove pareceu indicar que havia alguma atividade ou interesse russo em torno do local do acidente.

Mas ele disse ao comitê de defesa da Câmara dos Comuns que medidas foram tomadas para proteger o equipamento altamente sensível e secreto do jato stealth.

Imagens da câmera de circuito fechado de TV do HMS Queen Elizabeth no passadiço foram publicadas nas redes sociais mostrando o F-35 se aproximando do ski-jump no final do convés de voo em uma velocidade muito baixa.

Quando a aeronave tombou sobre a borda, o piloto foi imediatamente ejetado e o jato caiu no mar. O aviador britânico sofreu alguns ferimentos, mas sobreviveu.

Navios de guerra e embarcações de recuperação, junto com submarinos, foram enviados rapidamente para o local, possivelmente ao sul de Creta.

“A recuperação do gravador de dados de voo e dos destroços são realmente vitais para uma investigação precisa para determinar as causas do acidente”, disse Lovegrove na terça-feira.

“Claramente, a recuperação rápida da aeronave é o que gostaríamos de fazer e estamos trabalhando em estreita colaboração com os aliados na mecânica disso, mas não posso entrar em muitos detalhes sobre isso por razões de segurança operacional.”

Tobias Ellwood, o presidente do comitê, levantou a questão das capacidades subaquáticas de última geração da Rússia para rastrear naufrágios e mapear a atividade no fundo do mar.

“É uma preocupação sua que os russos estejam nas proximidades e também procurando o F-35?” Perguntou o Sr. Ellwood.

Lovegrove respondeu: “Estamos cientes das capacidades submarinas russas e você está certo em identificá-las como sendo de última geração”.

Mas ele disse que precauções estão sendo tomadas para garantir que a tecnologia do F-35 permaneça confidencial.

O revestimento do jato seria considerado um grande prêmio, pois poderia permitir que os rivais replicassem suas capacidades furtivas ou dar a eles uma capacidade maior de abatê-los.

Oficiais do Ministério da Defesa estão preocupados com os russos, que têm uma base naval em Tartus, na Síria, a mais de um dia de navegação de distância.

FONTE: The National News

- Advertisement -

59 Comments

Subscribe
Notify of
guest
59 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
angelo

O q China e Russia não levaram….deixaram pra trás…kkkkk

Teropode

É mesmo ? Que bacana né ?

Roberto

Hora que um bireator faz falta.

edlustig

e como faz…….

Antoniokings

Pois é.
Erro crasso dos americanos.
Criaram um avião que, não obstante seus problemas recorrentes, não tem tamanho, alcance e potência suficientes para operar em ambientes mais desafiadores como o Extremo Oriente..
Li um interessante artigo em que um oficial americano (se não me engano) considera que os EUA não tem condições aproximar seus porta-aviões das costas da China ou da Rússia.
Desta forma, esses aviões não podem alcançar os distantes alvos nessa região.

Roberto

Midway, Mar de Coral, Nova Guiné, Ilhas Salomão, Saipan, Golfo de Leyte, Filipinas, Iwo Jima, Okinawa, Japão. Isso tudo foi conquistado pelos Estados Unidos, em menos de quatro anos, milha por milha, sem a ajuda de ninguém, contra o exército mais violento e cruel que existia, contra a marinha mais tenaz e equipada que existia e no pior canto do mundo. Tudo fazendo uso de porta-aviões equipados com aeronaves que raríssimamente usavam tanques externos. Wildcats, Hellcats e Corsairs nem mesmo tinham combustível nas asas, todo combustível interno era carregado na fuselagem. Mesmo assim conquistaram a superioridade aérea em todo Pacífico… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Roberto
André Macedo

“Sem a ajuda de ninguém” kkkkkkk tá de brincadeira né, da resistência dos chineses até o apoio dos australianos, britânicos e outros e você mete essa? Sem os chineses os Doolittle Raids nem seriam possíveis.

Roberto

Citei as principais batalhas navais da Guerra do Pacífico, onde predominava a ação da U.S. Navy e sua aviação, a participação pouca ou inexistente de aliados nesses teatros, pode ser considerada, com alguma reserva que agora foge à memória, essencialmente nula e sem efeito.
Não confundir com teatros como China, Burma, India, Aleutas e fiascos como Java, Sumatra e Darwin.

André Macedo

Não se pode separar um teatro do outro dessa forma, se as forças japonesas estivessem menos espalhadas o resultado poderia ter sido bem diferente, da mesma forma que os soviéticos pressionaram pela invasão da Itália, pra divergir forças do front oriental.

Roberto

Eu não separei, foi a própria história que o fez.
É fato, pura e simplesmente.

André Macedo

A história americana, você quis dizer kkkkkk

Flanker

Para “cabeças iluminadas” como a tua, os EUA não fizeram nada na 2 GM….já os soviéticos ganharam a guerra sozinhos……até o chinas, que foram invadidos pelos japoneses, tem mais importância no desenrolar da guerra do Pacífico para “inteligências” como a tua. Ora, por favor!!!

André Macedo

Amigão, meu comentário foi claramente em relação aos EUA terem conseguido “sem ajuda”, em nenhum momento menosprezei a atuação deles na guerra, sua cabeça tá tão iluminada que enxerga coisa onde não existe. Melhore sua interpretação,cuidado com o Enem

Flanker

Blábláblá…..ahãm,….conheço bem o discurso de vcs. E interpretação de texto nunca foi meu problema…nem redação. Tive nota máxima nesses quesitos no meu vestibular, há 32 anos.

100nick-Elã

Vestibular para operador de válvula hidra? kkkk

André Macedo

Famosa UNIPINEL.

Antoniokings

Sim. Só que essas batalhas ocorreram em 1940. Estamos chegando em 2040. Hoje, existem meios para alvejar navios a milhares de quilômetros de distância. Segue trecho do artigo: “China e Rússia desenvolveram armamentos que impedem o inimigo de alcançar uma determinada área, e que provavelmente manterão os porta-aviões [dos EUA] a uma distância de 1.000 milhas [aproximadamente 1.800 km], fora do alcance [dos caças-bombardeiros] F/A-18”, aponta ex-capitão em um artigo de opinião publicado no The Wall Street Journal. O militar acrescentou que os F-35B e F-35C, que serão entregues aos militares, conseguem percorrer uma distância de aproximadamente 400 e 625 milhas marítimas… Read more »

Roberto

É uma opinião.
E faz parte do correto conceito de opinião temer que a argumentação contrária esteja certa.
Pois bem, esse militar simplesmente ignora a existência da USAF e sua ação estratégica, fala como se ela não existisse. Ele parece querer que uma aeronave naval tenha o alcance e capacidade de um B-52 de um B-36!

Chris

Fica tranquilo Kings… Ate na prancheta de desenvolvimento… Eles sabiam das limitações. No lugar delas, foram incorporadas outras vantagens…

Se eu fosse vc .. Me preocupava mais com a quantidade de SU-57 e J20 que China e Russia possuem… Pois guerra não é só demonstração de tecnologia !

Antonio Palhares

O contexto era outro. O inimigo não tinha doutrina comprovada para combater no mar e aproveitar o melhor que tinha sua marinha. A China hoje é proporcionalmente muito mais forte do que era o Japão.

AMX

Numa época em que não havia aviação a jato operacional (só esperando algum metido vir dizer ‘tinha sim, tinha sim!’), nem mais países inimigos a lhes fazer frente e nem armas nucleares e, obviamente, com a tecnologia da época.
Serviu só pra demonstrar “conhecimento” mesmo.

Teropode

E por que diabos iriam colar seus PA nas costas destes países ? Vc só lê porcaria , se é que lê alguma coisa mesmo kkkkkk, só um cabeça de peixe para questionar a capacidade de uma nação que neste momento possui um drone circulando o sol ,numa região de temperatura média entre 800 a 1000grsus , e vc achando que não colocar um PA fungando o cangote chinês é um problema relevante pra eles kkkkkkkkkk, sorte sua que o pessoal da Trilogia adora sua sapiência ímpar ……

Flanker

“…não tem tamanho, alcance e potência suficientes para operar em ambientes mais desafiadores como o Extremo Oriente.”

Quanta bobagem…..kkkkkkkkkkkkk

DSC

Menos kings, menos… A verdade é que para uma aeronave com capacidade STOVL, os números e as capacidades do F-35B nos quesitos de raios de combate, poder de fogo, e potência, etc…, são bastante bons.   O F-35B tem tantos hardpoints (10*; 4 internos e 6 externos) que podem ser usados para transportar armamento como os antigos Su-27P/S/UB e Su-33, e mais do que caças como: – MiG-29A/UB/S/SM/SMT/M/M2/K/KUB… – MiG-35S/UB – Gripen A/B/C/D/E/F  – Mirage 2000B/C/D/N… – F-15A/B/C/D/J – F-16A/B/C/D/E/F/V  – F/A-18A/B/C/D Hornet   Também pode transportar mais carga em termos de peso (15,000 lb / 6,800 kg) que, pelo menos, os… Read more »

Last edited 1 mês atrás by DSC
Chris

O que seria deste site sem as pérolas do Kings…

Uma informação p vc ter ideia da força do motor… O F-35B pode decolar na vertical… Não precisando nem de 1 cm de pista !

Os japoneses estão até o colocando em “porta-helicopteros”.

Fora os (tranquilos) passeios dos F-35 sobre a Siria !

Fica tranquilo Kings… É questão de segurança nacional… Qdo o F-35 for isso que vc afirma, nem os EUA vão querer comprar mais ! Imagine os demais países…

Last edited 1 mês atrás by Chris
Emmanuel

O avião foi projetado para ser monomotor.
Se os US quisessem que ele tivesse dois motores o teriam projetado assim.
O que você fala não faz sentido algum.

Roberto

O avião foi projetado para atender a uma necessidade.
No projeto, espera-se alcançar essa necessidade com o máximo de eficácia possível.
Nisso é inevitável que se abra mão, que se renuncie certas qualidades, como um maior grau de segurança em detrimento de outras características supostamente ou forçosamente mais importantes, como o custo de operação.
Em resumo, tal aeronave com um preço quase que impagável, não poderia ser monomotora, teria que obrigatoriamente ter dois motores, porque é inconcebível e inaceitável que se perca um avião caríssimo pela simples perda de seu único motor.

Last edited 1 mês atrás by Roberto
Kubitschek

OK mas tu tá falando do Gripem É? Já saiu de fabrica, mas voa!

Emmanuel

Caças bimotores também caem usando um motor só.
Mas já que você é engenheiro aeronáutico, nos explique por quê o F-35 teria que ter dois motores.
E, principalmente, onde está o erro no projeto do motor do F-35 que faz com que não tenha potência suficiente para a aeronave.

Roberto

Nenhum caça bimotor cai usando um só motor, isso é matematicamente impossível. Ele pode cair por outro motivo, no qual pode ser agravado pelo fato de ter perdido um motor. O que eu disse, ou não me fiz entender, é que, dado o custo individual absurdo da aeronave, seria desejável a redundância de mais um motor. Contudo, e é bom que se compreenda, que a duplicidade ou a multiplicidade de motores não existe primariamente em função da segurança, existe, porém, por conta de uma combinação complexa que envolve a carga transportada, combustível transportado, e o alcance desejado. Uma B-17 não… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Roberto
FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Se eles quisessem um caça stealth bimotor, teriam adaptado o F-22 e criado uma variante naval e outra STOVL, com o mesmo gasto, mas com uma aeronave de preço final dobrado em relação ao F-35.

Emmanuel

O empuxo do motor F-135 (F-35) é de 128KN (28.000 lbf) sem pós combustão. Com pós chega a 191 KN (43.000 lbf). O empuxo do motor AL-41F1 (Su-35/Su-57 – ambos bimotores) é de 107KN (aprox. 24.054 lbf) sem pós. Com pós chega a 143KN (aprox. 39.566 lbf). Se analisar como um único motor, o que é utilizado no F-35 tem mais potência que o do Su-35/Su-57. A diferença é o peso de cada aeronave. O peso vazio do F-35B, que caiu, chega a quase 11 mil quilos. O su-57 18 mil, 9 mil “carregados” por cada motor. Com carga máxima… Read more »

Roberto

Ele sobra potência.

Diga, por que então esse piloto não usou essa ´sobra de potência´ e não salvou o avião?…

Flanker

Roberto, o motor estava “engasgado”, digamos assim. Ele “inspirava”, mas o %pulmão” não enchia.

Roberto

Comentei assim somente para enfatizar que o monomotor uma vez perdido (o motor) não há mais o que fazer.
Muito embora, em casos raros e dependendo do motor, o objeto pode atravessar o motor pelo duto do fan e sair pelo escapamento, moído.
E ainda assim o avião poderia decolar com potência parcial e até voar por algum tempo.
Mas esse caso não teve jeito, não sei se o ski-jump pode até ter atrapalhado um pouco. Não sei, se fosse no USS America, ou ele parava de vez ou saia voando! Quem sabe? rsrsrsr…

Last edited 1 mês atrás by Roberto
Flanker

“…Não sei, se fosse no USS America, ou ele parava de vez ou saia voando! Quem sabe? rsrsrsr…”

Não duvido. Talvez , num convoo como o do America, o acidente tivesse sido evitado. Pelo vídeo, a skijump só atrapalhou.

Leandro Costa

Flanker, eu discordo. Se imediatamente após a liberação dos freios o piloto percebeu o problema, *** acho *** que ele freiaria bem menos no convés do America. Claro que também dependeria do tamanho de pista na rolagem. Meu argumento é que a rampa serviu para ajudar à frear a aeronave, mesmo que não se tenha conseguido fazer isso à tempo de salvar o avião.

Eu realmente tento comentar o menos possível até que notícias da investigação sejam liberadas, mas acho que varia muito.

Leandro Costa

Roberto, eu discordo sobre a motorização. Acho que em uma época em que motores à jato eram mais propensos à falhas isso até poderia ser verdade, mas a muito, muito tempo, aeronaves monomotoras tem operado embarcadas e falhas de motor já eram raras. Mesmo assim, certos bimotores não se salvam dessas mesmas falhas. Um excelente exemplo é o F-14A que tinha um motor problemático (TF-30) cujo compressor stall inclusive matou pilotos, sendo o caso mais famoso o da primeira aviadora naval de F-14 (Kara Hultgreen). Matou até o Goose!!!! (ok, essa foi piada, mas até no cinema isso aconteceu heheheh).… Read more »

Matheus

Nenhum bimotor decola apenas com um motor funcionando. Se fosse um F18, Rafale ou Sukhoi que tivesse tido ingestão de FOD teria caído do mesmo jeito.

Chris

Cada uma… heheh

Evidentemente algo deu errado… Se ele nao pudesse decolar dali, nem sequer o colocariam no navio.

O F-35B pode decolar ate na vertical !

Last edited 1 mês atrás by Chris
carcara_br

A diferença que pro combustível que permite o mesmo alcance o su-35 vai levar 6500kg de armas enquanto o F-35 leva uns 4000kg.
Ou vai levar o mesmo 4000 por uma distância muito maior, então calma lá não vamos comparar abacaxi com bananas.
O motor do F-35 é um derivado do F-22 faça a comparação em relação ao caça americano.

Last edited 1 mês atrás by carcara_br
Emmanuel

A diferença é que o F-35 vai ver o Su-35 primeiro.
O caça russo vai brilhar mais que árvore de natal no radar do caça americano.
Essa é a diferença em quem leva mais carga, Su-35, Mig-31, F-15, e aquele que mata primeiro, F-35.
O “istelfi” não tem que levar mais carga, tem que não aparecer para o inimigo.

carcara_br

Ai os russos (serve pro gripen tb) acertam na ECM, ou desmontam a guerra em rede americana e obrigam os stealth ligarem seus radares. Empurram o F-35 pra distância de detecção dos sensores passivos/ativos
Veja, não precisa ter um ECM melhor, basta ser suficiente pra levar a distância de detecção pra algo razoável.
Mas confia, na propaganda funciona 100%, na propaganda a terra é uma esfera perfeita, não existe nem relevo na propaganda não existem táticas…

Chris

Essas especialistas brasileiros.. Sabem mais do que os engenheiros e governos que gastaram bilhões no avião… Kkk

Se o F-35 tiver que carregar vários misseis externos, pra precisar de 2 motores. Ele nem vai pro combate.

SU-57 é um apenas um avião comum, com baixa assinatura no radar.

O F-35 foi totalmente desenvolvido pra não ser visto e pra guerra eletrônica. Um só motor até diminui mais a assinatura no radar ! E o dele é ainda de baixa emissão térmica.

Ja sao mais de 1000 fabricados, com capacidade nuclear. Melhor ninguém subestima-lo.

Last edited 1 mês atrás by Chris
carcara_br

Começou com a simples constatação de uma característica básica do caça que lhe confere uma vulnerabilidade inerente. Partiu pra comparação sem sentido e agora temos o manifesto da superioridade da engenharia e governo de um lado ignorando completamente o outro. quem está subestimando as coisas aqui mesmo?

Chris

E pra carregar misseis internos… Não precisa carregar muito peso.

Henrique

A hora que alguém prestar atenção e não deixar uma capa qualquer entupir o motor do avião faz falta…

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Maurício.

No texto é mencionado o revestimento, aqui umas fotos do F-22 sem revestimento algum, bem interessante:
https://www.instagram.com/p/CWp9fE5s-ic/?utm_medium=copy_link

https://www.instagram.com/p/CWfefKwszvx/?utm_medium=copy_link

FERNANDO

Well, bom para eles.

Teropode

Quando rolam para a decolagem o F35B o faz com o posicionamento da tubeira principal em um anglo pre determinado , se por algum motivo o piloto selecionou errado a posição ou o automático selecionou errado , certamente a velocidade no deslocamento seria bem menor , não suficiente para a impulsão horizontal e prejudicando a impulsão vertical que perde eficiência por causa do deslocamento horizontal , isto explica não desconfiarem da potência , descarta o erro triplo da não retirada da capa , aposto nisso pessoal , aceito uma Amarula , a Trilogia paga 👍👍👍👍👍👍vou printar 😌

Last edited 1 mês atrás by Teropode
Teropode

A palavra é “configuração” dos propulsores 🤭🤭🤭🤭

André Macedo

Assina mais um cheque em branco e manda pra Lockheed, o importante é espernear e dizer que o bicho é revolucionário.

Carlos Gallani

Quem desdenha quer comprar!

Bruno Vinícius

Desconfio seriamente que não é preciso envolver a LM para relembrar a equipe de suporte do avião que é preciso remover a capa protetora antes de ligar o motor.

Kubitschek

Interesse russo é cortina de fumaça para desviar da barbeiragem. Deviam chamar os russos para redesenhar essa rampa.

Carlos Gallani

Quanto custa uma capa na RN?
De 5 libras até 100 milhões!
(Imaginem o quanto está sendo gasto nesse resgate!)

carcara_br

Deve ser uma capa chique, coisa de rico, poliaramida e resistente à bala. Dá próxima já sabem, vão fazer um desenho capaz de ser cortado pelo motor do F-35.

Carlos Gallani

Pense grande, um motor que mastigue e cuspa a capa de poliaramida resistente a bala!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Se uma aeronave, por mais moderna que seja, precisa da ação de um piloto para decolar, ela está sujeita a acidentes, o piloto sempre estará sujeito a errar. Se uma aeronave, por mais moderna que seja, encontra-se em uma pista onde há aves (por exemplo), está sujeita a acidentes. Uma ave pode ser aspirada para dentro do motor e causar problemas. E mesmo que esta aeronave decole sem piloto e em espaço livre de agentes externos, ainda assim pode sofrer uma pane mecânica e acidentar-se do mesmo jeito. Se F-35s caíssem como Migs21 a gente até poderia dizer que foram… Read more »

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -