segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

OGMA reforça colaboração com a Pratt & Whitney na manutenção dos motores GTF

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br
  • Novo acordo assinado entre a OGMA, uma empresa do Grupo Embraer, e a Pratt & Whitney inclui agora a manutenção dos motores GTF das aeronaves Embraer E190-E2 e E195-E2
  • A OGMA juntou-se à rede GTF MRO da Pratt & Whitney no ano passado, quando foi anunciado que asseguraria a manutenção aos motores GTF PW1100G-JM, da nova geração de aeronaves comerciais, nomeadamente a família Airbus A320neo
  • O projeto com a Pratt & Whitney envolve um investimento de 80 milhões de euros, expande a gama de serviços de manutenção de motores da OGMA, cria quase 500 postos de trabalho nos próximos anos e permite à empresa triplicar o seu volume de negócios para quase 600 milhões de euros por ano

A OGMA, uma empresa do Grupo Embraer, assinou hoje, 19 de novembro, um novo contrato com a Pratt & Whitney que reforça a colaboração entre as duas empresas, iniciada há um ano. Este acordo, assinado na presença do Primeiro Ministro, Antônio Costa, garante que Portugal assegurará a manutenção do motor PW1900G das aeronaves Embraer E190-E2 e E195-E2.

Em novembro de 2020, a OGMA foi anunciada como um centro de manutenção autorizado para a Pratt & Whitney, um dos maiores fabricantes mundiais de motores aeronáuticos. Nessa altura, foi formalizado um acordo que permitiu à empresa portuguesa desenvolver competência para assegurar a manutenção do motor Pratt & Whitney GTF™ PW1100G-JM. Este ano, essa capacidade passa a incluir o motor PW1900G.

Este foi o culminar de um projeto desenvolvido pela OGMA, com o apoio da Embraer, que permitiu à empresa expandir o seu âmbito de atividade na área da manutenção de motores, marcando a entrada da área de manutenção, reparação e revisão da Pratt & Whitney em Portugal.

Ao longo do projeto, com um maior impacto entre 2022 e 2023, espera-se a criação de cerca de 300 empregos diretos altamente qualificados. Com este novo contrato, a partir de 2027, é prevista a criação de cerca de mais 200 postos de trabalho.

A OGMA investe um total de 80 milhões de euros nesta colaboração, principalmente nos primeiros quatro anos do projeto, numa etapa estratégica que permitirá à empresa alargar o seu âmbito de atividade na área da manutenção de motores, captar novos negócios nas próximas décadas e triplicar o volume de negócios, atingindo os 600 milhões de euros por ano. Durante o período de 30 anos da vigência do contrato entre a OGMA e a P&W, prevê-se um volume de negócios superior a 13 mil milhões de euros.

Os motores GTF da Pratt & Whitney constituem uma nova geração de motores turbofan de alto bypass, que começaram a operar em 2016, permitindo operações com redução de até 16% no consumo de combustível, até 75% de redução nas emissões de ruído e até 50% de redução nas emissões regulamentadas em comparação com a geração anterior de motores.

Para Alexandre Solis, CEO da OGMA, “este reforço da colaboração com a Pratt & Whitney é o reconhecimento de uma colaboração iniciada há um ano entre duas empresas que procuram a excelência e qualidade nos seus produtos. É também uma valorização do compromisso e experiência das nossas equipes”.

“Estamos satisfeitos por ver o papel da OGMA como membro da nossa rede GTF MRO expandir-se para englobar o PW1900G”, afirma Marc Meredith, diretor executivo do GTF Engine Aftermarket na Pratt & Whitney. “A relação entre a Pratt & Whitney, a Embraer e a OGMA tem sido inestimável e estamos confiantes de que a capacidade e experiência da OGMA serão um trunfo relevante para a rede, uma vez que continuamos a apoiar a nossa crescente frota global de motores GTF com serviço de classe mundial”.

“Adicionar a capacidade de manutenção dos motores PW1900G é um passo importante para a consolidação da OGMA como centro de serviço de referência para motores GTF para operadores de E-Jets E2, além de representar um reforço da estratégia de diversificação de negócios da Embraer em Portugal, contribuindo para a satisfação dos nossos clientes e para gerar novas receitas nos próximos anos”, disse Johann Bordais, Presidente e CEO da Embraer Services & Support.

Sobre a Pratt & Whitney

A Pratt & Whitney é líder mundial na concepção, fabricação e serviço de motores de aviões e helicópteros, e unidades auxiliares de potência. Para saber mais visite o site www.prattwhitney.com. Para receber comunicados de imprensa e outras notícias diretamente, inscreva-se aqui.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer possui negócios nas áreas da aviação comercial e executiva, defesa e segurança e aviação agrícola. A empresa concebe, desenvolve, fabrica e comercializa aviões e sistemas, prestando serviço e suporte pós-venda aos clientes.

Desde a sua fundação em 1969, a Embraer já entregou mais de 8.000 aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave Embraer descola em algum lugar do mundo, transportando mais de 145 milhões de passageiros por ano.

A Embraer é a maior fabricante de jatos comerciais até 150 lugares e a maior exportadora de produtos de alto valor acrescentado do Brasil. A empresa detém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e centros de distribuição de componentes, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Sobre a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal S.A.

Fundada a 29 de junho de 1918, a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal S.A assenta a sua atividade em duas áreas de negócio – Manutenção, Reparação e Revisão Geral de Aeronaves e de Motores e Componentes de Aviação Civil e Defesa, e Fabrico e Montagem de Aeroestruturas para aeronaves civis e militares.

Desde a sua privatização, em 2005, a OGMA é detida em 65% pela Airholding SGPS (100% EMBRAER) e em 35% pela idD Portugal Defence (100% Estado Português).

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

2 Comments

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jorge Miguel Carvalho

Estou surpreso. Até que enfim uma privatização resultou em uma mais valia para Portugal.

As OGMA há muito eram um sorvedouro de dinheiro público. A TAP devia ser a próxima.

Carlos

Isso é conversa do “Dejá vú” porque não foi a privatização que deixou de ser sorvedouro de dinheiro público porque a FAP continua a ser o principal cliente das OGMA e já anteriormente as OGMA reparavam motores Rolls-Royce para aviões e construíram aviões tal como os mais de 1800 Pilatus PC-12 e procure “OGMA, an aeronautics history” e verá que desde 1987 as OGMA exportavam mais do que os serviços que prestava à FAP como tal não é a privatização mas aa boa gestão, em vez de colocar os boys do partido no poder, deviam colocar sempre bons gestores, gestores… Read more »

Últimas Notícias

Nova foto do caça furtivo embarcado J-35 da China

Vazou uma nova foto do caça embarcado furtivo J-35 da China, que voou no final de outubro. Na imagem,...
- Advertisement -
- Advertisement -