segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

Intendência da Aeronáutica: suporte logístico contínuo às Operações e Exercícios da FAB

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Atividade comemora 76 anos de história e apoio aos militares da Força Aérea Brasileira

No dia 23 de agosto, a Força Aérea Brasileira (FAB) celebra o 76º aniversário da Intendência da Aeronáutica, que foi criada em 1945 em função da crescente necessidade de aprimoramento do quadro, motivada pela experiência da Segunda Guerra Mundial. A atividade é tão antiga quanto a própria Instituição.

E no exercício de um trabalho permanente de suporte ao cumprimento da missão da FAB, uma vertente da logística é voltada a apoiar o militar em situações de ajuda humanitária, calamidade pública, desastres naturais, acidentes aéreos, ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e, principalmente, em conflitos: trata-se da Intendência de Campanha.

Focada nos resultados operacionais que se buscam alcançar, a Intendência de Campanha tem como objetivo prover apoio de alojamento, alimentação, higienização (banho e sanitários), áreas de recreação e de manutenção do bem-estar e da moral, a fim de proporcionar a recuperação diária dos militares, de modo que, longe de suas casas, de seus familiares, e sob condições de elevado estresse, eles possam seguir a rotina de trabalho.

A maior parte do material de campanha utilizado nas operações da FAB concentra-se no Grupamento de Apoio Logístico de Campanha (GALC), localizado no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro (RJ). Em situações de crise, em um período de 24 a 48 horas, a logística operacional deve estar pronta para operar na plenitude. E, dependendo da região e do tipo de operação, são separados os equipamentos e insumos necessários.

Estrutura

Segundo o Chefe do GALC, Tenente-Coronel Intendente Luciano Antônio Araújo dos Santos, a Intendência de Campanha da FAB, cujo acervo encontra-se concentrado no GALC, conta com barracas de campanha de diferentes tipos, inclusive infláveis, as quais permitem uma montagem rápida, dependendo da situação de emprego. “Tais barracas podem ser empregadas para as mais diversas finalidades, como alojamentos, refeitórios e salas de reunião. Para climatizá-las, em dias quentes ou frios, a Intendência de Campanha conta com climatizadores específicos, de variadas capacidades, os quais garantem o bem-estar dos ocupantes, independentemente da temperatura exterior”, completou.

Além disso, o Tenente-Coronel Antônio informou que o GALC conta com diferentes estruturas de cozinha, entre elas uma industrial em container, capaz de oferecer grande quantidade de refeições, bem como soluções para missões de menor vulto, fornos combinados, entre outras. “Para os serviços de limpeza pessoal, existem os Módulos de Higienização a Pontos Remotos (MHPRE) – containers sanitários com chuveiro elétrico, vaso sanitário, pia e mictório, além da lavanderia de campanha. Para alimentar e fazer funcionar toda essa estrutura, o GALC também conta com tanques flexíveis para armazenamento de água, fossas para escoamento do esgoto, caminhão-tanque para combustível e geradores de energia.”, finalizou.

Intendência: um quadro multidisciplinar

O quadro de Intendência tem um leque de atuação bastante diversificado, que abrange atividades afetas ao Direito, à Administração, à Contabilidade, às Finanças e à Gestão de Projetos. Isso torna as possibilidades de trabalho do Oficial Intendente bastantes diversas.

FONTE: Força Aérea Brasileira

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Adaime

Hoje os exércitos marcham não apenas com seus estômagos, mas com muitas outras necessidades. Aí está a FAB mostrando seu profissionalismo nesta área.

Rinaldo Nery

¨Sobre¨ seus estômagos. Frase de Napoleão.

Camargoer

Olá Colegas. Será que a MB vai implicar com a FAB por ela usar umas barcaças?

Adriano Madureira

Boa !

Jhonn

Boa…kkk, pau que bate em Chico bate em Francisco.

Foxtrot

Olá Camargo.
Bem provável viu, assim como a FAB implica com a MB/EB por uso de aeronaves de asas fixas e com a PF pelo uso de Drones rsrs.

Samuca cobre

A FAB já usa as barcaças a milianos… até fabricam dá uma pesquisada…

Camargoer

Caro Samuca. Claro que é mais barato e simples transportar combustível e materiais usando barcaças. Por décadas, a FAB construiu e pavimentou várias pistas na Amazônia. O EB também usa barcaças e lanchas.

Foxtrot

Isso para mim tem um nome, chama-se falta de integração de meios, equipamentos e táticas.
Precisamos para ontem de um comando conjunto de logística e transporte, comunicações, operações especiais, guerra aero espacial etc etc etc.
Ou seja, precisamos para ontem de FAAs integradas como vem acontecendo há anos no mundo todo!

Agnelo

Sugiro que vc pesquise um pouco outros exércitos bastante experientes, e perceberá que não necessariamente o q boia tem q ser da Marinha, o q voa tem q ser da FA e o q está no solo tem q ser do exército.
As Op Tat e Log são extremamente complexas, para se resumirem nisso.
Sds

Foxtrot

Exercício conjunto não quer dizer “FAA,s integradas”. Sugiro que pesquise também e verá que os Americanos para redução de custos, integração de meios etc tem seus comandos conjuntos coordenados e comandados pelo Pentágono. Tais como Jsoc, Logística e transporte etc. Não é atoa que quando há aquisições, as mesmas são feitas para todas as forças, fuzis, capacetes, caças, lanchas etc etc etc. Se tivéssemos parte disto aqui, não aconteceria essa barbárie que foi aquisição do Gripen sem se pensar na MB (o que pregava o FX-1. “Aquisição de um caça que tivesse em operação e uma versão naval ), LMVx… Read more »

Flanker

Na parte dos caças dos EUA, as compras não são integradas….as vezes, adotam uma mesma aeronave com versões específicas, mas muitas vezes cada Força adota o que precisa. F-15 e F-16 na USAF e F-14 e F-18 na US Navy são apenas alguns exemplos. No caso da mesma aeronave, em diferentes versões, temos p F-4 Na USAF e US Navy e atualmente o F-35 na USAF, US Navy e USMC, cada um com sua versão própria.

Foxtrot

Sim Flanker, as versões as vezes são diferentes, mas a integração é a mesma. Lá eles utilizam o mesmo tipo de rádio, Satcom, fardamento, fuzil, capacete etc etc etc. E tudo isso só acontece com um comando conjunto coordenado por um órgão centralizador, que no caso é no Pentágono. E aqui não temos isso. Olha o exemplo do EB querendo operar os Shepars sendo que a FAB tem os C-130M, C-295, Caravan, KC-390 etc. O EB utiliza suas próprias barcaças sendo que a MB tem seus navios fluviais, barcaças etc. O EB comprou as Guardians, sendo que temos as Raptor,s… Read more »

Vitor

Você comentou exatamente o que o Fox disse, e sim, nossas ffaa não se falam como deveriam, a situação é tão complexa que os militares das três forças se conversam esporadicamente, fazendo com que um desconheça o real trabalho do outro, quando na verdade deveriam trabalhar de forma simbiótica. Cada país tem sua particularidade e realidade, mas peguem o Canadá de exemplo, possui uma força armada única, dentro desta força é que existem os ramos navais, terrestres e aéreos, o que com certeza facilita muito o trabalho conjunto. No Brasil foi criado o estado maior conjunto que não faz nada… Read more »

Rinaldo Nery

Assim como a US Navy e o US Army também são muito diferentes. Você é, ou foi, de que Força?

Últimas Notícias

Nova foto do caça furtivo embarcado J-35 da China

Vazou uma nova foto do caça embarcado furtivo J-35 da China, que voou no final de outubro. Na imagem,...
- Advertisement -
- Advertisement -