segunda-feira, setembro 27, 2021

Gripen para o Brasil

SkyWest encomenda 16 novos jatos Embraer E175 para operar com a Delta Air Lines

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

São José dos Campos – SP, 9 de agosto de 2021 – A Embraer concluiu um acordo de venda de 16 novas aeronaves E175 para a SkyWest (NASDAQ: SKYW) para operar na rede da Delta Air Lines (NYSE: DAL). Os novos aviões vão se somar aos outros 71 jatos E175 que a SkwWest já opera e voarão exclusivamente para a Delta Air Lines sob um Contrato de Compra de Capacidade (CPA, na sigla em inglês). O valor do contrato, que será incluído na carteira de pedidos (backlog) da Embraer do terceiro trimestre de 2021, é de US$ 798,4 milhões, com base nos atuais preços de lista.

Com entrega prevista para 2022, as aeronaves, que possuem 76 assentos e configuração de três classes, serão entregues nas cores da Delta Air Lines.

“A SkyWest opera mais jatos E175 do que qualquer outra empresa do mundo. Com essas aeronaves, teremos cerca de 240 aviões do modelo E175 operando com companhias aéreas na América do Norte. Estamos orgulhosos por alcançar dois milhões de horas de voo no E175 este mês. Nossos clientes adoram o E175 e temos grande confiança na nossa parceria com a Embraer, a qual apreciamos muito”, disse Chip Childs, Presidente e CEO da SkyWest.

“A excelente parceria com a SkyWest continua com esse novo fornecimento para a Delta Air Lines. O E175 é a espinha dorsal do mercado regional da América do Norte e, à medida que a indústria da aviação começa a emergir da pandemia, vemos uma demanda crescente de longo prazo por aeronaves com tamanho adequado para fornecer uma operação lucrativa em conectividade doméstica. O E175 tem sido crucial para as operadoras, pois são perfeitamente adequados para reconstruir rotas, adicionar frequências e capacidade incremental para atender à recuperação da demanda doméstica”, disse Mark Neely, Diretor de Marketing e Vendas para as Américas da Embraer Aviação Comercial.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde sua fundação, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

39 Comments

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos 10

Dá-lhe versão antiga.
Como se pode ver, os sindicatos estão pouco se importando com redução de ruído, de consumo e de emissões.
Depois vem falar da Amazônia.

Caerthal

Não há aeronave a jato mais mais avançada que atende ao acordo com os sindicatos em termos de MTOW.

Zé Mané

Recentemente viajei de Zurique a Liubliana, na Eslovênia, num E190 E2 da Swiss. Um dos vôos mais desconfortáveis que já fiz. Configuração da cabine era 2×2. Assentos apertados nas laterais e na frente. Pernas tinham de ficar abertas para se ter algum conforto, mas ficava-se “batendo coxa” com o passageiro ao lado. Embora usada em curtas e médias distâncias e tecnologicamente avançada, aeronave muito desconfortável para os passageiros.

Leandro Costa

A configuração dos assentos é escolhida pelo cliente.

Ivan cioni

Voei no Embraer 195 de Recife pra Fortaleza….e achei muito confortável!!!!! Parabéns Embraer pelo excelente avião !!!!!!!!!!!!

Caerthal

Você poderia ir em um 737, com assentos mais estreitos e com 1/3 deles espremidos no meio.

Matheus

Isso é mentira. A Swiss nem voa Embraer hahahahha ela voa o A220.

Leandro Costa

Pode ter sido da Helvetic.

Charles Dickens

Voa a Helvetic, cujas passagens são compradas pelo site da Swiss, check-ín feito nos balcões da Swiss e pintura das aeronaves igual às da Swiss.

Bueno

É Zé mané mesmo…. kkk

Não é Manezinho de Floripa.

Sequim

Sério que o problema da EMBRAER são os sindicatos? Mesmo? Ou seria a política entreguista irresponsável deste desgoverno de m#%$@rda, que quase vendeu uma empresa estratégica dessas?

Marcos 10

Sim, o problema da não entrega dos E175E2 são os sindicatos de pilotos que impõe restrições de peso para as aeronaves regionais nos EUA.

EduardoSP

“Sindicatos que impõem” é uma visão maniqueísta.
Sindicatos negociam com empresas. As restrições existem porque as empresas concordaram com elas.

Sequim

Exato, meu caro. Somente na mente neoliberalóide de alguns para acharem que sindicatos, sozinhos, têm poder de impor algo. Falta lobby eficiente da EMBRAER para driblar essas restrições.

Fernando EMB

Claro que são negociadas, mas partindo de uma imposição sim do sindicato dos pilotos que lá, nos EUA, tem muita força!!!!
Somente na mente tacanha de alguns falta a vontade de pesquisar.

Last edited 1 mês atrás by Fernando EMB
Sequim

Fernando EMB, “mentes neoliberalóides” não foi dirigido a você. Caso tenha se sentido ofendido, minhas sinceras desculpas.

EduardoSP

Se os sindicatos de pilotos tem força nos EUA, é uma característica do país. Aqui eles não apitam nada. Talvez a Embraer devesse ter considerado essas restrições ao desenvolver o 175E2 e não ter ficado esperando uma flexibilização das cláusulas.

Em geral, países em que a representação de trabalhadores é mais forte e a prática da negociação coletiva mais disseminada, são mais desenvolvidos.

Evidentemente isso implica restrições para os empresários. Por isso eles não gostam de sindicatos.

Fernando EMB

Eduardo se fossem levadas em consideração as Scope Clauses como algo imutável, talvez o E175E2 nunca viesse a existir.
Não seria possível desenvolver o E175E2 na restrição de MTOW atual.
Então a decisão foi desenvolver o melhor avião, mesmo que não cumprindo as Scope Clauses. Por dois motivos… Pode ser interessante para outros mercados e as Scope Clauses podem mudar um dia. Se mudar, o avião estará pronto. Se não mudarem as regras das Scope Clauses temos o E175E1.
Na minha opinião estratégia acertada.

A C

Alias, Marcos, os sindicatos sao de fato muito fortes na America do Norte. Um fato interessante aconteceu no mes passado com um colega no Canada. Durante um voo comercial um passageiro apresentou um problema urgente de saude e a tripulacao decidiu fazer um pouso de emergencia na cidade mais proxima. No caso um aeroporto internacional. O fato eh que a companhia nao opera nessa cidade. Quer dizer, nao hah equipes de abastecimento, bagagem, servico ao cliente em terra, etc… O passageiro/paciente foi devidamente socorrido mas por determinacao do sindicato, a tripulacao nao poderia decolar naquele dia pois ficaria caracterizado como… Read more »

Fernando EMB

Sequim, sim os sindicatos dos pilotos nos EUA impõe as Scope Clauses, e isso tem impedido a venda do E175E2 para aquele que é o grande mercado para uma aeronave da sua categoria. Mas também, por outro lado, permitem a venda (com certos limites) do E175 de primeira geração, que está nadando de braçada naquele mercado.

Elias

Visão míope a sua , começou o processo nos governos anteriores e encerrando ( desfeito) no atual governo boa capitão !!’

Allan Lemos

Esse governo errou ao permitir a venda da Embraer, mas tenho certeza de que se fosse o PT, eles também teriam vendido a empresa caso o comprador fosse chinês. Todos os políticos brasileiros são entreguistas, independente de serem de esquerda ou de direita. Um quer o Brasil de pernas abertas para a China e o outro para os EUA. Todos querem que o Brasil permaneçam eternamente na condição de colônia, só o que muda é o colonizador.

Mas para ser justo, o único político que eu vi se manifestando contra a venda da Embraer foi o Ciro.

Sequim

Isso são ilações, suposições da sua parte de que um eventual governo de esquerda permitiria a venda da EMBRAER para empresas chinesas. Isso não muda o fato de que este desastroso desgoverno de m$%#@rda , realmente, compactuou na desnacionalização da EMBRAER, e que isso não vingou por pura sorte, em mais inegável ataque ao patrimônio nacional. O resto é conversa mole pra boi dormir.

Allan Lemos

Não são ilações, mas fatos, se o governo passado permitiu passiva e vergonhosamente que a Petrobrás(que tanto dizem defender) fosse tomada por um governo estrangeiro, só porque este era parceiro político-ideológico, você acha mesmo que eles impediriam a China – que se encaixa na mesma categoria- de adquirir a Embraer? Acorde para a vida, cara. Ou você também acredita no coelhinho da Páscoa?

Rodrigo Maçolla

US$ 798,4 milhões, é um Belo contrato em amigos !!! Parabéns a Embraer

JuggerBR

Impressionante seguir vendendo uma versão antiga, tendo uma versão mais avançada disponível, com zero vendas até agora. Não seria o caso de rever esse projeto para adequar a aeronave nos limites do sindicato?

Rafael Cordeiro

Interessante que sem ver o seu comentário, escrevi praticamente a mesma coisa. A versão antiga só vende ainda por causa das cláusulas sindicais, onde o E175-E2 não se encaixa e não acredito que a EMBRAER tenha tanta força perante aos sindicatos para que se mude as regras.

Fernando EMB

Isso não é possível sem ter de partir do zero num novo projeto, o que é inviável no momento.

Rafael Cordeiro

Se a EMBRAER tivesse mantido o MTOW do E175 no projeto do E175-E2 estaria voando alto com esse modelo, sendo que se tem notícias de que ele está pronto desde 2019. Só a TransStates Airlines tinha assinado carta de intenção de compra de 100 aeronaves E175-E2, porém as cláusulas sindicais em relação ao MTOW impediram o fechamento do acordo. Na minha humilde opinião, acredito que a EMBRAER deveria estudar a possibilidade de se modernizar o projeto do E175 de modo a reduzir emissões, ruídos e consumo de combustível, empregando materiais mais leves na construção e substituindo os motores, tudo isso… Read more »

Fernando EMB

Rafael, isso já foi feito. O E175 vendido hoje já passou por um processo de melhoria que reduziu o ruído e reduziu em 6% o consumo de combustível.
Ir além disso já foi feito na forma do E175E2, só que passa pela adoção de novos motores, que são muito mais econômicos mas também muito mais pesados, inviabilizando manter o MTOW.
A solução seria se partir do zero, do clean sheet, mas só fica muito caro e demorado.

Rafael Cordeiro

Muito obrigado pela informação Fernando EMB, não sabia dessas melhorias no projeto do E175.

Se desse pra fazer uma lipo no E175-E2 seria interessante, mas estamos falando da redução de aproximadamente 6 toneladas para se chegar no MTOW aceitável nas cláusulas sindicais, daí já é demais, só um novo projeto mesmo.

Caerthal

As novas turbinas GTF da PW são muito silenciosas e econômicas, porém bem mais pesadas e de maior diâmetro. Ou seja não há ter um avião de mesma capacidade respeitando o peso de 76 mil libras.

Carlos Campos

explixa essa situação MTOW e os sindicatos, estou perdido.

Marcos 10

Companhias regionais tem salários mais baixos. Para evitar que companhias regionais entrem em concorrência com grandes companhias, o sindicato dos pilotos colocaram cláusula limitando o peso das aeronaves regionais. Daí que vende E1 e não vende E2 da linha 175.

Carlos Campos

mas em que isso contribui positivamente para os pilotos? só perguntado mesmo, e obrigado pela resposta.

Fernando EMB

Fácil… As restrições limitam o número e tamanho de aeronaves nas empresas regionais, que pagam menos, mantendo voos nas empresas mainliners que pagam mais.

Caerthal

Iniciar uma carreira como piloto regional pode permitir o sujeito a pagar os seus estudos e acumular experiência para depois pilotar aeronaves maiores e receber um salário maior, em uma empresa também maior. Por outro lado na aviação regional os custos com pessoal tendem a pesar mais em uma base unitária ($/assento.milha).

A C

A familia E2 serah bem representada na America do Norte atraves E195-E2 que serao operados pela Porter AL no Canada. O modelo tambem servirah rotas nos EUA e a tripulacao estarah sujeita a outras regras.

Last edited 1 mês atrás by A C
Tomcat4,2

Mais uma notícia fantástica(desta empresa que só dá orgulho aos brasileiros patriotas) que deixa aquele…”será por quê que estavam vendendo a Embraer pra Boeing, cadê a tal situação terrível, horrível de empresa descendo a ladeira caso não se juntasse a outra ?????”

Últimas Notícias

TV Brasil compra direitos da série ‘Águias de Fogo’ de 1968, que fazia homenagem à FAB

Segundo o site O Antagonista, a emissora pública TV Brasil comprou por R$ 40 mil os direitos de “Águias...
- Advertisement -
- Advertisement -