sexta-feira, dezembro 3, 2021

Gripen para o Brasil

Embraer apresenta o A-29 Super Tucano em feira de Defesa na Ucrânia

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Nesta semana, a Embraer estará no XVII International Exhibition, Arms and Security 2021 em Kiev, na Ucrânia, apresentando o A-29 Super Tucano. O evento começou no dia 15 e vai até dia 18 de junho.

Por vários anos, a Ucrânia está à procura de um sucessor do velho treinador a jato L-39 Albatros e depois que uma delegação da Força Aérea Ucraniana visitou o Brasil em 2019, demonstra um interesse especial no Embraer EMB-314/A-29 Super Tucano.

O Comando da Força Aérea da Ucrânia relatou em meados de agosto de 2020 que consideram o A-29 um candidato sério.

Cockpit do A-29 Super Tucano

- Advertisement -

65 Comments

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan Lemos

Os russos podem não gostar de uma possível venda.

Elias

Problema é deles kk

Allan Lemos

Não é assim que a geopolítica funciona. Ela é um xadrez que o Brasil não sabe jogar.

Tutu

Eles pensaram nisso quando armaram a Venezuela até os dentes?

Allan Lemos

Quem disse que a Venezuela está armada até os dentes?

Tutu

Milhares de fuzis AK-104, 24 Su-30MKV, mísseis R-77, R-73, 300 unidades de artilharia antiaérea rebocadas de 23 mm ZU-23/30M1-4, várias centenas de mísseis antiaéreos Igla-S, pelo menos 11 baterias Pechora-2M S-125, 12 SAMs Buk-M2E e três baterias S-300VM Antey-2500, mais de cem T-72B1, e além disso tem várias dezenas de BTR-82, BMP-3, helicópteros Mi-8, Mi-35…..

Observe quantos bilhões de dólares a Rússia já ganhou vendendo para Venezuela.

Allan Lemos

Até parece que isso tudo ai funciona.

Tutu

Não importa se hoje isso tudo funciona ou não, importa que os venezuelanos pagaram, e na época paragaram quase à vista para Rússia.

Tutu

Pagaram*

Flanker

Não interessa se funciona ou não. Como vc citou a geopolítica, interessa é que esses armamentos foram vendidos para a Venezuela. E os russos venderam sem se importar. Então, o Brasil deve fazer o mesmo, sem se importar se os russos vão
gostar, ou não.

Allan Lemos

Até porque o Brasil tem o mesmo peso geopolítico da Rússia, todo mundo sabe disso.

De qualquer forma eu não disse que o Brasil deveria ou não vender o equipamento, vocês é que estão tirando essa conclusão da b****. Apenas mencionei a possibilidade de manifestação contrária da Rússia.

Flanker

Ué, tá nervoso?? Não gosta de opinião contrária? Eu só disse que o Brasil tem que vender pra quem quiser comprar. Ponto!! O resto todo é conclusão e nervosismo teu!

Teropode

GAME OVER !

Nerudarruda

Então devemos nos abster de vender o A-29 aos ucranianos Para não melindrar os russos?

Allan Lemos

Por acaso eu escrevi isso no meu comentário?

Tomcat4,2

Azar o deles, cada um no seu quadrado.

Hellen

Esse avioes para os russos sao só alvos !!!!!
Esse interesse todo no super tucano é so para os yankees da um descontao no seu AT-6 wolverine !!!!

Fernando EMB

Azar o deles se forem adquirir um produto claramente inferior (o Wolverine).

Last edited 5 meses atrás by Fernando EMB
A6MZero

Como CAS/COIN o Wolverine é inferior sim ao A-29, mas quanto a uso exclusivo como treinador o AT-6 tem certa vantagem afinal é uma aeronave mais “dócil” e projetada especificamente como treinador.

Fernando EMB

A6MZero. Concordo. Mas pelo que entendi eles querem uma aeronave com capacidade CAS.

A6MZero

Sendo assim o ST é uma escolha melhor afinal se capacidade CAS/COIN é necessária ele desempenha de uma forma muito mais eficiente.

Meu comentário foi no sentido de que para que se destinaram as aeronaves, se for exclusivamente para treinamento o AT-6 tem vantagem, já para executar missões mais complexas o A-29 é uma aeronave superior.

Last edited 5 meses atrás by A6MZero
Nilo

Certamente, e se o ST ganhar deverá ser o mais bem armado e com sistemas aviônicos mais robutos das Forças Aereas em decorrencia dos recursos envolvidos no ambiente conflito. Deverá se uma aeronave altamente utilizada, até mais que na Colômbia. Certamente que EUA terá um campo de teste do ST de muitos ganhos de conhecimento.

Flanker

“Certamente que EUA terá um campo de teste do ST de muitos ganhos de conhecimento.”

Se a venda for feita pela Sierra Nevada, pode ser. Se for pela Embraer, aí já não acredito.

André Macedo

Não faltam exemplos dos EUA vendendo produtos “inferiores” aos montes, agora mesmo eles estão vendendo um protótipo cheio de problemas para 80% dos seus aliados, fora a pressão na Coreia do Sul para adquirir os helis americanos que tinham se provado inferiores kkkkkk

Denis

Rapaz, é incrível como esses caras rasgam as calcinhas pelo F-35. Basta alguém tocar na ferida que já vem uma chuva de negativações. Você está certo no seu comentário, André.

Last edited 5 meses atrás by Denis
André Macedo

Também não entendi, não meti política nem nada no meio, me limitei aos fatos kkkkkk

Max

Haja calcinhas!!

sergio

E com base em que informação vc afirma isso ?

Jose Carlos

Da mesma forma que os Caça tanques Brasileiros fizeram com os poderossissimos carros de Combate Russos na Guerra do Lib ano contra o Egito. Não subestine as táticas de Guerra nos campos de Batalha.

Saldanha da Gama

Foi a líbia de kadhafi usando o Cascavel

Otavio

Explique essa sua teoria. Queremos saber.

Max

Verdade, tiro ao tucano não queima filme do wolverine !!! Estratégia de marketing é o q conta. Tucano subiu Sierra Nevada, e congelou …

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Se os russos não gostam, provavelmente é mais uma razão pros ucranianos comprarem!

M.@.K

Desculpem minha ignorância, mas no caso da utilização de MAA, como é feita a aquisição dos alvos? não teria que haver um radar para isso? Pelo que vi o A29 não teria este equipamento, estou correto? agradeço desde já as explicações.

Flanker

Sou leigo, vou falar o que sei e, quem souber mais, corrija o que eu escrever errado: Os mísseis ar-ar que o A-29 está apto a utilizar são os WVR, com guiamento infravermelho, tipo Sidewinder, Piranha, etc. A aeronave manobra para colocar o míssil em posição adequada de lançamento, conforme a característica de cada modelo de míssil ou ainda utiliza o capacete com mira montada no visor para adquirir o alvo e logá-lo na cabeça do míssil. Assim que o míssil adquire o alvo, ele emite um sinal no painel/HUD/visor do capacete e emite também um sinal sonoro, avisando o… Read more »

M.@.K

O meu amigo, muito obrigado pela explicação. Minha dúvida surgiu pq em uma das configurações, om se utiliza o MAA não há Flir. Achei que era necessário ou um radar ou um flir para esta operação. E sendo assim, é uma operação um tanto rústica fazendo a aquisição visual (é certo que não não é BVR), mas me parece ser meio impreciso passível de eventual “fogo amigo” com outras aeronaves amigas no cenário. Valeu!!!!!!!

Marcelo Mendonça

Os mísseis IR possuem buscador próprio, são do tipo fire and forget. Além disso, já existem aqueles que são usados em conjunto com as miras no capacete (HMD), aí ele é disparado para onde o piloto está olhando e seu buscador entra em ação para achar o alvo.

M.@.K

Hummmm entendi, o próprio míssil é o designador do alvo, por assim dizer, e o vetor de ataque. Se eu entendi, qdo o alvo aparece no HMD na verdade ele esta mostrando o que o míssil está vendo.. Valeu pela colaboração meu velho!

Marcelo Mendonça

Não, ele é apontado para onde o visor do capacete esta mirando, depois de disparado ele busca o alvo. Obviamente há míísseis que possuem uma ampla área de busca, mas os IR não atiram para trás por exemplo e o piloto pode olhar para trás disparar pelo HMD, o mísssil sair do trilho, fazer uma curva de 180º e ai, somente ai, seu sensor vai detectar o alvo. quando ele saiu, não tinha lozalizado ainda, foi para onde foi mandado. O aviso de que ele achou um alvo é normalmente sonoro. Lembra do filme Top Gun, aquele pi pi pi… Read more »

M.@.K

Opa, sim consegui entender, sim, ele pode indicar a “proa” do míssil pelo visor do capacete, indicando o quadrante e depois de disparado, o míssil vai para o grau indicado e inicia a procura do alvo no local indicado… de certa forma é até bem simples. Eu acha que mísseis para atingirem um quadrante de 180° tivesse que ter um radar de cauda ou coisa assim. Com relação ao Top Gun, sim lembro da cena de combate… por falar nisso, vou assistir novamente.. hehehe Valeu. Forte Abraço!!

Flanker

É um conjunto de sistemas, incluindo o piloto, os sistemas de mira da aeronave e do HMD somados à cabeça de guiamento do míssil. Os mísseis, depois de lançados, agem por conta própria no rastreio do alvo durante toda a trajetória. Os mais modernos possuem alta capacidade off-boresight, aliada à aquisição via HMD.

M.@.K

Legal Flanker, consegui entender bem as explicações, que no meu ver até não é tão complicado assim… muito obrigado!

Leandro Costa

M@K, o caso é que mísseis ar-ar guiados por radiação infra-vermelha não precisam de radar para travarem em um alvo.

M.@.K

Obrigado meu bruxo! como já havia jogado alguns jogos de simulador, achei que tis armas de alcance visual tivessem que ter algum dispositivo como radar ou flir para a aquisição do alvo e que nesse caso, parece ser um pouco impreciso. Valeu pelo tempo disposto para resposta. Forte Abraço.

M.@.K

Obrigado aos colegas que dispuseram um pouco de seus tempos para me explicar. Valeu!!!!

Maurício Veiga

Muita picuinha acima do painel, isso prejudica a visão do piloto, parece uma gambiarra!!! Como se vê claramente falta espaço no painel, hora de incluir um display único assim como no Gripen com o intuito de racionalizar o espaço disponível devido as dimensões limitadas da cabine!!!

Leandro Costa

Ficar bêbado e postar é sempre problemático Maurício. Sugiro largar o copo antes de encostar no teclado.

William Duarte

É por isso que fico sempre com um copo em uma mão e a garrafa na outra, bem longe do teclado. kkkkkkkk

Rinaldo Nery

Ou parar de fumar erva estragada….

Flanker

Esse é o painel dianteiro atual dos A-29 da FAB. Acho que uma modernização já cairia bem.

images (51).jpeg
carcara_br

Vamos mandar a real, mesmo sendo a melhor do mercado não é uma aeronave capaz de mudar o equilíbrio de forças naquela região. Comprar aeronaves pra apoio aéreo aproximado achando que vai usar impunimente sobre as regiões separatistas onde a Rússia desdobra 100 mil militares em poucos dias é desperdício de dinheiro e provocação gratuita.
É o tipo de venda que se rolar rolou, mas precisa ser muito bem acertada pra não gerar prejuízos desnecessários em outras áreas.

EduardoSP

Se vai substituir o L-39 Albatroz entendo que a função primária a ser desempenhada deve ser de treinador avançado. Nesse caso a capacidade de ataque terrestre é útil com o ferramenta para a instrução de pilotos, e somente seria utilizada em combate em situações muito específicas.

carcara_br

Obrigado Eduardo, isso ameniza bastante as perspectivas.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Eles querem o avião para as funções dele: treinamento avançado e contra-insurgência. Não há nenhuma intenção de usá-lo para dogfight com SU-35 ou SU-57…

angelo

Trocar um treinador a jato por um turbo hélice; tá certo? faz sentido?

Fernando EMB

E porque não??? Foi o que a FAB fez.

Marcelo Mendonça

Se cumprir a missão….economia de recursos

joel eduardo soares

A metralhadora .50 browning é eficaz quando empregada contra um tanque russo?

Marcelo Mendonça

Acho que deve deve depender mais da munição do que o calibre não?

Flanker

Qual tanque? Contra um MBT, ninguém vai usar uma .50. Já contra alguns blindados de transporte, talvez e contra veículos sem blindagem ou com blindagem leve, provavelmente sim. Para atacar veiculos blindados pesados, podem usar mísseis tipo o Hellfire.

José Selayzim

Embraer está entre as melhores empresas do mundo junto com Petrobrás e Embrapa, não entendo a razão que leva à empresa tanta pressão para buscar parcerias ou mesmo comprador … ela corre um imenso risco ao associar a uma maior e desaparecer como a terceira mundial na fabricação dos produtos dela que são líderes em seus mercado. O que mais essa Embraer quer? Deixar de ser a terceira de fabricação de aviões de passageiros e a primeira no rank mundial com seus aviões e vir a desaparecer sendo apenas a parceira de uma gigante que a engoliria e digeriria e… Read more »

Fernando EMB

Está falando do quê mesmo??

Leandro Costa

Aparentemente havia um computador com o site aberto em algum bar com birita com muito etanol bem barata, Fernando. Liga não hehehehe

Roberto Eduardo Henrique Pesserl

A configuração dele é excelente. Não tem missão que não possa assumir. E Como estamos nos aproximando da Ucrânia para propostas militares de ambos os lados, talvez dê certo essa venda.

Cary

Embraer, orgulho do Brasil, a maior produtora de aviões sediada no Hemisfério Sul e América Latina

Últimas Notícias

Do ’14-Bis ao 14-X’ – a história por trás da Operação Cruzeiro

O projeto 14-X foi batizado desta forma em homenagem ao centenário, em 2006, do primeiro voo do 14-Bis A história...
- Advertisement -
- Advertisement -