Home Aviação de Caça VÍDEO: Gripen E testa canhão Mauser de 27 mm

VÍDEO: Gripen E testa canhão Mauser de 27 mm

14076
48
Saab JAS 39E Gripen

O grupo Saab AB divulgou um vídeo em sua página no Facebook que mostra o teste do canhão interno Mauser de 27 mm do caça Gripen E.

O disparo curto de 30 projéteis acerta o alvo na mosca.

O canhão BK 27 ( conhecido também como BK27 ou BK-27) (sigla alemã para Bordkanone, “canhão de bordo”) é um canhão revólver de 27 mm (1.063 pol.) fabricado pela Mauser (agora parte da Rheinmetall) da Alemanha.

Foi desenvolvido no final dos anos 60 para o programa MRCA (Multi Role Combat Aircraft) que acabou se tornando o Panavia Tornado.

O BK 27 é um canhão a gás que dispara uma nova série de projéteis de 27 × 145 mm com um peso típico de projétil de 260 g e um peso total para a munição completa de 516 g (1,14 lb).

O Mauser BK 27 é usado no Panavia Tornado, no Alpha Jet, no JAS 39 Gripen e no Eurofighter Typhoon.

O canhão de alto desempenho é operado por um sistema a gás com acionamento elétrico totalmente automático e tem uma cadência de tiro seletiva de 1.000 ou 1.700 disparos por minuto.

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
angelo
angelo
1 mês atrás

Sai da frente……

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

E vamos avançando nos testes!

Jonny BR
Jonny BR
1 mês atrás

Perdoem, mas quantos rounds o Grifo leva consigo?

Haroldo
Haroldo
Reply to  Jonny BR
1 mês atrás

Pense desta forma. Qualquer avião leva menos de UM minuto de disparo contínuo do canhão. E se você precisa usar o canhão, é que os mísseis de longa falharam, os mísseis de curta falharam.

Nilo Rodarte
Nilo Rodarte
Reply to  Haroldo
1 mês atrás

Ou seja, na dúvida tenha um canhão e teste ele periodicamente para ter certeza que funcione. Vai que…

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Haroldo
1 mês atrás

Ou…
Para salvar o couro de alguma unidade precisando de close air support.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Pensei exatamente nisso. Ou mesmo interceptar e fazer tiro de aviso ou mesmo abater um avião clandestino que não merece gastar míssil.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Haroldo
1 mês atrás

Um minuto? Está mais para 5 segundos. 10 em alguns casos.

Quem for caçador da FAB pode explicar melhor, mas acho que em combate dificilmente se faz disparos de mais de 1 segundo contínuo.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Jonny BR
1 mês atrás

120, segundo a Wikipedia. Se eu fiz os cálculos corretos, dá ~4,5s de disparo contínuo no modo de 1.700 dpm, ou 9,5s no modo 1.000 dpm.

Não sou piloto de caça, mas quando jogava simuladores, cada rajada era meio segundo. Se depois disso não resolver, é porque você errou e continuar segurando o gatilho só provocará sorrisos no adversário, que estará felicíssimo em saber que sua munição já era.

ph4nt0m
ph4nt0m
Reply to  Jonny BR
1 mês atrás

A cinta leva 1200 rounds. São menos de 10 segundos de acionamento em caso de disparo continuo, oq geralmente não é o caso.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Vamos seguindo em frente, contando os dias.

IBIZ
IBIZ
1 mês atrás

A joia da coroa do Gripen é o BVRAAM Meteor!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
1 mês atrás

Mauser. Eta nome com tradição!!!

Tutu
1 mês atrás

OFF

Esse canhão na sua versão naval (Rheinmetall MLG 27) daria uma bela arma secundária para as classe Tamandaré.

https://youtu.be/uzpZJAVNDUk

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tutu
1 mês atrás

ate porque como usaremos no Gripen, as municoes deverao ser nacionalizadas.

José Luiz Santista
José Luiz Santista
1 mês atrás

Felizmente o Gripen tem um canhão orgânico e não em um pod. Por mais que avancem todos os mísseis e armas inteligentes os canhões são vitais. Sendo indispensáveis em muitas funções. Uma delas são os tiros de advertência ou quando se deseja apenas danificar um alvo sem abate- lo ou destrui-lo totalmente. Talvez avanços futuros produzam outras soluções. Mas no tempo presente. São indispensáveis. Leitura interessante é ver a falta que a arma orgânica fez para os pilotos de F 4 Phanton no Vietnam e para os piloto árabes nas versões sem canhão do Mig 21 na Guerra do Yom… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  José Luiz Santista
1 mês atrás

Chaffs, Flares, guerra eletrônica e agora laser, podem despistar um míssil. Mas nada disso faz efeito em um projetil.

Em época de caças stealth, canhão se tornou a arma mais furtiva, pois não dispara nenhum aviso na suíte defensiva de caças modernos, que podem derrotar um míssil por diversos meios. E mesmo o disparo de canhão seja detectado, não tem absolutamente nada que o alvo possa fazer depois do disparo.

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

As capsulas não são ejetadas depois do disparo?

Hamilton
Hamilton
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Não tem cápsulas, o projétil é impulsionado por gases.

Flanker
Flanker
Reply to  Hamilton
1 mês atrás

Sério? Tem certeza?
“…um peso típico de projétil de 260 g e um peso total para a munição completa de 516 g”
O que seria então essa diferença de peso entre o projétil é a munição completa?
O sistema a gás faz em uma explicação bem simplificada, a arma ciclar….carrega a munição e prepara para o próximo disparo….

Observador
Reply to  Hamilton
1 mês atrás

Tem sim amigo. Cápsulas com propelente de base tripla. Os gases não impulsionam o projétil e sim o mecanismo que aciona os projéteis.
Inclusive como está na matéria, o projétil pesa 260 grs e a munição completa, com cápsula e propelente, 516grs.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Jugger, se der uma boa olhada na imagem colorida dele disparando, verá que alguns gases saem por uma janelinha que aponta para baixo. Não apenas gases, mas os cartuchos são ejetados ali e como pode supor, é beeeeem rápido.

Posso apostar que o próximo teste dele deve ser em vôo justamente para verificar se a ejeção desses cartuchos não está ocasionando qualquer problema com diferentes cargas bélicas ou até mesmo em relação à fuselagem em si, mas acho que não deve haver problema algum.

Welington S.
Welington S.
1 mês atrás

A ”Lurdinha aérea” aí

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Puxa, nomeio a minha de Lurdinha também!!!!

Flanker
Flanker
Reply to  Saldanha da Gama
1 mês atrás

Do que é qie vcs estão falando? Traduz, por favor…

Cesar
Cesar
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Lurdinha era o apelido que os pracinhas da FEB deram à MG42 alemã. Tem até uma música da época sobre isso chamada Sinhá Lurdinha: “Mas onde eu vi muito tedesco Foi lá no monte de Castelo Mas onde eu vi muito tedesco Foi lá no monte de Castelo Mas onde eu vi muito tedesco Foi lá no monte de Castelo Subindo ao monte Eu encontrei Sinhá Lurdinha Tava toda afobadinha Querendo me pegar Joguei-me ao solo E comecei a rasteja-la Farejava, farejava Mas nada de me encontrar Mas onde eu vi muito tedesco… Logo em seguida Vinha o tal de… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Cesar
1 mês atrás

kkkk, muito bom!!!! Parabéns!!! Nossa História Militar merece ser contada, sempre!!!! Lurdinha tb era o nome da Metralhadora do Tenório Cavalcanti, que era uma MG42

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Marcelo, no caso do Homem da Capa preta, era uma MP-40 mesmo. Eu acredito que os jornais da época perceberam que era uma submetralhadora alemã da época da Segunda Guerra Mundial e associaram ao apelido Lurdinha e o apelido pegou. Coisa típica de repórter…

Flanker
Flanker
Reply to  Cesar
1 mês atrás

Valeu! Não sabia desse apelido…..obrigado!

nonato
nonato
1 mês atrás

Um canhão da década de 1960…
Nessa posição não atinge o IRST etc?
Não deveria ser mais à frente?
Logicamente a SAAB sabe o que está fazendo.
Mas achei o local muito recuado.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  nonato
1 mês atrás

IRST está na parte de cima do nariz, e o canhão na parte de baixo. Se for mais à frente existe o risco, mesmo que pequeno, de que um cartucho ejetado pelo canhão possa ser ingerido pela entrada de ar do motor, dependendo do tipo da manobra sendo feita, ou que a vibração do conjunto possa afetar aviônicos, etc. É por isso que os testes são feitos, para sanar quaisquer dúvidas. Mas salvo engano, o arranjo do canhão é mais ou menos o mesmo que nos Gripen anteriores, então não deve ter qualquer problema.

J C LARA
J C LARA
1 mês atrás

Desculpe a ignorância, mas aqui vai uma pergunta de leigo e entusiasta : Em apoio aéreo aproximado esse tipo de canhão faz algum estrago nos tanques dos países vizinhos aqui na América do Sul?

Cristiano
Cristiano
Reply to  J C LARA
1 mês atrás

Não sou especialista mas se acertar com certeza faz um estrago !!

Você tem que analisar a velocidade que esse projétil vai estar viajando quando atingir o alvo, mesmo com 260g, se multiplicar pela velocidade o impacto vai ter uma força gigantesca..

Agora o difícil deve ser acertar o alvo pilotando um jato em alta velocidade.

J C LARA
J C LARA
Reply to  Cristiano
1 mês atrás

Claro que é uma plataforma diferente, mas também a alta velocidade. Os pilotos do A-10 Warthog conseguem atingir os tanques e fazer um belo estrago.

nonato
nonato
Reply to  Cristiano
1 mês atrás

Como faz CAS?
É possível direcionar o canhão para baixo?

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  nonato
1 mês atrás

Nonato, é só apontar a aeronave para baixo, mais ou menos o que se faz desde o Fokker Eindecker.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  J C LARA
1 mês atrás

A princípio não deve fazer tanta coisa assim não. Isso vai depender bastante da munição. O canhão GAU-8 do A-10 foi pensado para se combater blindados, e portanto tem munição especial para esse trabalho. Claro que levar um petardo de 27mm causa algum dano. Pode arrebentar esteiras, danificar equipamentos eletrônicos, e dependendo de onde pegar pode ter uma blindagem mais fina causar alguma(s) penetração (ões), mas é improvável que vá destruir o blindado. Acho mais provável que o danifique e o tire de combate por algumas horas. Claro que o ideal seria que não fosse preciso utilizar o canhão contra… Read more »

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  J C LARA
1 mês atrás

Amigo fazer faz, em uma emergência de combate se necessário, mais não é projetado e nem adequando para isso, esse canhão do Gripen é para combate ar-ar a curta distancia e possivelmente se necessário contra aeronaves de baixa perfomance e helicópteros por falar em helicópteros contra tanques como você esta perguntando usaríamos o AH-2 Sabre e também para o apoio aéreo aproximado o A-29 Super Tucano

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  J C LARA
1 mês atrás

Eu diria que depende de onde acertar. A blindagem principal de um tanque é a frontal. Eu diria que a parte traseira seria a mais vulnerável.

Mas nessa missão, eu diria que o armamento contra blindados seria outro, como foguetes com cabeça de guerra anti-blindagem, bombas leves (mk81, mk82) e mísseis ar-terra.

Hoje em dia está muito perigoso caças operarem abaixo de 5.000 m por causa da grande proliferação de MANPADs como o Igla (que inclusive o Brasil tem), então empregar canhão contra blindados é o último recurso.

Daniel
Daniel
1 mês atrás

Quanto aos mísseis, já não estaria na hora do MD assinar o contrato para aquisição, haja vista que estamos a um pouco mais de um ano da entrada operacional da aeronave?

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Aparentemente já foi assinada alguma aquisição de armamento inicial para os Gripen sim, inclusive um primeiro lote de 100 Meteors. Mas estou falando de cabeça e não sei dizer se a aquisição foi adiante, mas tendo à acreditar que foi sim.

Daniel
Daniel
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Tivesse assinado já estaria em algum lugar a notícia, pois todo o processo de compra pelo governo tem que ser divulgado.
Bobear usarão os Derbys como tampões.

Last edited 1 mês atrás by Daniel
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Então, eu estava com preguiça de pesquisar, até porque você era o maior interessado, mas uma rápida pesquisa no google por ‘FAB compra meteor gripen’ deu alguns diversos links, inclusive esse:

https://www.rfi.fr/br/economia/20190612-em-meio-cortes-na-fab-governo-acerta-compra-de-misseis-europeus

Que inclusive o Poder Aéreo noticiou que isso aconteceria com uma semana de antecedência:

https://www.aereo.jor.br/2019/06/06/segundo-jornal-frances-brasil-vai-comprar-100-misseis-meteor-para-cacas-gripen/

Não tenha medo de pesquisar sobre qualquer coisa na internet.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

comment image

Em tempo, até agora essa é a pintura mais “fera” que vi do Novo Gripen E.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Pena que tais testes não usem uma aeronave real como alvo ou uma chapa de algum tipo de material metálico…

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Adriano, esse canhão já foi testado até em combate. Tornados, Typhoons, etc. Este teste do vídeo é parte da campanha de ensaios do Gripen E, e como os sistemas se comportam durante os dispsros. Não é para testar o canhão e sim a plataforma como um todo.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás
Luiz Antonio Mendes de Resende
1 mês atrás

Tecnologias puras para defesa aérea e espacial , qual a altura maxima que este caça alcança ?