Home Aviação de Caça Segundo jornal francês, Brasil vai comprar 100 mísseis Meteor para caças Gripen

Segundo jornal francês, Brasil vai comprar 100 mísseis Meteor para caças Gripen

22252
262
Caça Saab JAS 39E Gripen voa com mísseis Meteor
Caça Saab JAS 39E Gripen com mísseis Meteor

O jornal francês La Tribune noticiou ontem que a Força Aérea Brasileira deverá assinar em breve um contrato com a MBDA para a aquisição de 100 mísseis BVR Meteor.

O míssil ar-ar Meteor para combates além do alcance visual já foi testado em dois protótipos do caça Gripen E, atualmente em desenvolvimento para as Forças Aéreas da Suécia e do Brasil.

O Meteor é um programa colaborativo europeu entre o Reino Unido, França, Itália, Espanha, Suécia e Alemanha. A arma é planejada para ser o míssil BVR primário de todos os modernos caças europeus: Gripen, Eurofighter e Rafale.

Diz-se que o Meteor tem de 3 a 6 vezes a performance cinemática que qualquer outro míssil ar-ar do seu tipo.

A chave para a alta performance do Meteor é seu motor foguete ramjet, que lhe permite manter alta velocidade em direção ao alvo, tornando a manobra evasiva virtualmente inútil, segundo o fabricante.

O Saab Gripen C foi o primeiro caça a disparar o míssil Meteor. O primeiro lançamento ocorreu em 2006.

Míssil MBDA Meteor Beyond-Visual Range (BVR)
As cargas externas do Gripen E. Clique na imagem para ampliar
As armas e cargas externas do caça Saab Gripen E. Clique na imagem para ampliar

262 COMMENTS

  1. Nada novo no cenário. Quem viu o Meteor no mockup do Gripen NG já desconfiava que a SAAB e a FAB não faz merchandising de graça

    Aqueles são os armamentos do Gripen NG da FAB

      • Curto alcance? O melhor míssil BVR do Ocidente (quiçá do mundo)? Só pode chamar ele de curto alcance se vc for comparar com um iCBM.

        • E o Gripen da FAB, além do melhor míssil BVR do mercado, terá também o melhor WVR, o Diehl IRIS-T, já adquirido. Sobre essa quantidade de Meteor, boa parte deverá ser da versão de treinamento.

          • Não, são 100 mísseis puros mesmo. Só ver o valor do contrato de 200 milhões de euros , que deve incluir uns de treinamento tb

        • Não discordei do míssil em nenhum momento, acho ele excelente, só acho que também deveríamos comprar mísseis de longo alcance!

          • Eu li que o Meteor tem um alcance de 100km, me corrijam se eu estiver errado, se estiverem lançando uma nova versão vem a pergunta, o Brasil irá comprar a primeira, ou a segunda versão do míssil?

          • O peso do míssil tem 185 quilogramas, vocês não estão confundindo quantidade do peso com o alcance do míssil não?

          • Meireles…..
            O METEOR é o míssil BVR ocidental mais avançado e com o maior alcance. Vc pode encontrar de repente algum equivalente russo, mas no geral o METEOR é superior
            E o alcance dele é de (muito) mais de 100 KM.

        • O único míssil que o os EUA pagam pau se chama S-400, a qualidade técnica de informação de vocês não é das melhores, há décadas que um míssil com o alcance de 100km poderia se chamar de longo alcance, a Russia tem míssil BVR com o alcance de 200km, a metade de 200km é quanto? Então porque um míssil com a capacidade de 100km e um com a capacidade de 200km podem ser chamados ambos de longo alcance? Existe aquilo que está na prateleira de vendas, e existe a carta na manga, os radares dos navios, submarinos, aviões, e mísseis brasileiros não se comparam aos radares dos países de primeiro mundo, os radares dos países de primeiro mundo são melhores, com o maior alcance, os mísseis também, por isso que o Brasil é chacota dos países de primeiro mundo, até pra pensar vocês lerdos.

          • Meirelles…
            Então corre lá na Raytheon e na Hughes e avisa eles para pararem de gastar dinheiro com a pesquisa do AIM120 de nova geração que eles estava fazendo para superar o METEOR.

          • Cada míssil é designado pra uma missão especifica dentro do envelope da missão, na prateleira das forças armadas faltam mísseis com alcance de 100km, 150km, e 200km, talvez já deve até existir mísseis BVR com mais de 200km de alcance, só não estão na prateleira, as forças armadas precisam ter as mesmas capacidades de alcance, e de combate que os países de primeiro mundo tem, mas se você acha Roberto Medeiros que o Brasil só tem que ter mísseis BVR de curto alcance, melhor ir pra guerra com arcos e flechas como os índios, assim economizaremos dinheiro.

          • “…míssil BVR de curto alcance…”
            JESUS!!!!
            Avisa dessa nova Classificação de mísseis para o comando da FAB…. tá igualzinha aquela que propuseram no Império: criar no Exército Imperial unidades de Infantaria a cavalo e cavalaria à pé….
            Para encurtarmos e vc parar de fazer vexame com o pessoal aqui:
            Já que vc conhece, qual o míssil superior ao METEOR que o Brasil deveria ter comprado para a arena BVR do GRIPEN????

          • Detalhe : nem tenta comparar com o R77 Russo. Ele é do nível do AIM120 de última geração. Nem o Americano e nem o Russo, atualmente são páreo para o METEOR.

          • Pra mim menos de 100km de alcance já é de curto alcance, eu não sou o tipo de bobo que segue o manual da prateleira a risca, e fica achando que conhece tudo que foi desenvolvido só porque leu alguns manuais dos produtos das prateleiras, os projetos secretos não tem manuais, aprende esse pequeno detalhe, poque isso faz uma enorme diferença.

          • kkkkkkkkkkkkkkkkk

            Então o míssil Meteor é o melhor míssil da atualidade no seu ponto de vista?

            Aí sempre quando a guerra começa o tia San sempre tira os projetos secretos das cavernas do Batman, tira até um disco voador, mas ninguém vê porque ele voa na velocidade da luz, um país que tem um investimento defesa de $700 bilhões por ano vai perder em tecnologia pra quem?
            700×24 que são apenas 2 anos é =$16.800 trilhões
            Acorda criança, tira a chupeta da boca.
            Para de contar histórias de pescador, você está parecendo contador de piadas, daqui a pouco eu vou rolar no chão aqui de tanto rir você!

          • Meireles,
            A terminologia mais atual para mísseis ar-ar segue mais ou menos o seguinte:
            Curto alcance: até 20 km Ex: Sidewinder, Piranha, R73, ASRAAM, A-DARTER
            Médio alcance: 20 a 100 km Ex: Sparrow, Derby, AIM-120A/B, R77, R27, PL12, MICA
            Longo alcance: entre 100 e 200 km E: AIM-120 C7, R77I, Meteor (??) AIM-120D, Derby-ER, Phoenix,
            Muito longo alcance: acima de 200 km: R37, KS172 , PL15

          • Dinheiro ajuda muito, mas não é garantia de excelência.
            Basta ver o novo caça do Tio Sam pagando mico ano após ano.

          • Eu arriscaria esses números relativos ao alcance dos diversos mísseis:
            AIM-120A/B: 60/70 km com NEZ de 20 km
            AIM-120C5: 80/100 km com NEZ de 20/25 km*
            AIM-120C7: 110/120 km com NEZ de 30 Km*
            AIM-120D: 160/180 km com NEZ de 40 km*
            R77: 80 km com NEZ de 20 km
            R77I: 110/120 km com NEZ de 30 km*
            Meteor: 150/160 km com NEZ de 60/80 km
            Derby: 50/60 km com NEZ de 15 km
            Derby-ER: 100/120 km com NEZ de 30 km**

            *Lembrando que contra alvos no limite do alcance os Amraams C e D podem implementar o modo “loft”
            ** lembrando que no final da trajetória o Derby-ER pode ignitar seu motor terminal (dual pulse)

          • É isso aí Bosco.
            Meirelles,a tabela acima mostra o q eu falei.
            Detalhe: Segundo ja vi em algumas fontes, o METEOR teria um alcance de mais de 200 KM, com uma NEZ de 100 KM.
            Mesmo assim fica a minha pergunta para o Meirelles. Seguindo a tabela acima,
            O q q vc disse mesmo do METEOR?

          • Meireles.
            O site só confirmou o que eu já tinha lido em outras fontes. E é o mesmo q eu estou defendendo desde o início desta discussão e vc vinha contestando.
            Resumindo: Só confirma que atualmente o METEOR é o melhor míssil BVR do Ocidente, quiçá do mundo.
            Como eu disse desde o início

          • Meireles: o Brasil e chacota dos paises de primeiro mundo por causa de comentaristas desentendidos como voce. Comparar S-400 com Meteor? nao sao nem da mesma categoria cara!

  2. Acho pouco com todo respeito, sei que pelo que a gente tem atualmente é um salto na velocidade da luz ,mais fico pensando tantos anos pra adquirir um vetor aéreo digno pra o Brasil e defender o povo brasileiro ,sinceramente caros leitores não vamos usar a emoção pra isso, mais em termos de quantidades de vetores pra quantidades de mísseis está pouco, 200 seria o tamanho ideal. Mais fico feliz mesmo assim

    • Qual a sua formação e/ou experiencia com equipamentos militares para saber qual a quantidade ideal de alguma coisa para as forças armadas ?

      • São 36 caças comprados (os bi-place também podem ser usados para combate) o Gripen leva 6 misseis Ar-Ar em configuração Full Ar-Ar mas vamos considerar 4 misseis Ar-Ar por aeronave com dois tanques de combustíveis extras

        Fazendo contas de padaria

        36×4 = 144 misseis Ar-Ar para equipar todas as aeronaves com o minimo de armamento necessário para combate Ar-Ar

        • VICTOR, Temos que considerar algumas informações. Por exemplo: Este é um primeiro lote de 100? E O Croongarma de entregas destes mísseis e dos caça Gripen? É provável que estão comprando considerando as entregas dos primeiros lotes do gripen.

          • Concordo Bruno, também acredito que seja apenas um primeiro lote para os primeiros Gripen porem estava respondendo o comentário do Daniel mostrando que com um simples calculo já mostra que 100 misseis não completam 36 aeronaves.

        • Victor,
          Nessas contas de padaria você acha que esses misseis são utilizados para treinamento e desfile aéreo?
          Se for para um possível conflito, com certeza o movimento é outro e as Forças vão se equipar para esse fim, hoje não temos ameaças para os caças voarem 100% armados o tempo todo.

        • “Gripen leva 6 misseis Ar-Ar em configuração Full Ar-Ar”
          .
          Poderia levar 9 mísseis…
          .
          “mas vamos considerar 4 misseis Ar-Ar por aeronave com dois tanques de combustíveis extras”
          .
          Poderia levar 2x IRIS-T, 5x Meteor e 2x Tanques.

        • Certo, enquanto isso os mísseis de curto alcance a gente joga fora né?
          Nem quem tem dinheiro pra fazer isso voa exclusivamente com mísseis de longo alcance, imagina só um país como o nosso!
          São mais de 2 mísseis por aeronave, o resto pode completar com mísseis por infravermelho e já era. Não tem porque criar caso dessa vez.

          • F-35 voa em sua versão furtiva. o ultimo Abate do F-18 foi com um AIM-120 a uns 800 metros salvo engano, esses misseis de longo alcance atuais que não sejam de grande porte vem com um grande aspecto de manobra, não é tão critico voar sem eles na verdade

      • E qual é a sua formação Daniel? Teve a oportunidade de responder de maneira técnica e não falou absolutamente nada de relevante. Estamos falando aqui como o amigo Victor falou . Amigo entenda uma coisa ter um vetor e não armar ele na quantidade ideal é a mesma coisa de ter uma Ferrari e não ter dinheiro pra um seguro. E esse papo de que não precisamos disso ou aquilo porque somos neutros e pacíficos não tem nenhum cabimento, se for assim não era pra comprar o gripen ,ficava com o f5 atualizando até 2300. É cada coisa que se lê aqui.

      • Um país continental com uma força aérea menor que a de Portugal. Que acha? Estamos bem só para se defender da Bolívia. Kkkk

    • É o melhor míssil BVR do mundo em sua categoria, mas também é provavelmente o mais caro.
      Eu acredito que a parceria com a África do Sul avance e inclua o Unkhonto e o Marlin. Assim a FAB terá 2 mísseis BVR no futuro para os Gripen E/F.

      100 Meteor da para acabar com qualquer força aérea da região.
      Fora os A-darter.

      Por enquanto está de ótimo tamanho, para somente 36 Gripen.
      No futuro, com mais 1 ou 2 lotes de caças e amadurecendo a ideia de partir para o Marlin ou não, a FAB pode comprar mais.

    • Amigo, não sei se é de seu conhecimento que mísseis tem validade e que como graças a Deus não temos conflitos, seria empatar muito dinheiro nisso em detrimento de outras áreas muito carentes de nossa defesa. Particularmente, não creio num pedido tão grande ( 100 unidades ), até pelos parcos recursos que dispomos no momento.

      • Fato : 100 meteors de fato é melhor que nenhum!
        Fato : 100 meteors não é o suficiente para dissuasão contra uma potência militar (somente uma potência militar é capaz de representar um risco significativo a soberania nacional brasileira)!
        Fato : somente uma capacidade nativa de desenvolvimento, produção e demanda desse tipo de arma pode representar uma verdadeira capacidade de soberania em relação a defesa!
        Nesse sentido , estamos muito longe de termos uma real capacidade de dissuasão!!!!!

        • Alexandre,
          Nem 100 Meteor, nem 1000 em estoque.
          Para combater com uma potência em pé de igualdade tem que ser ao menos semelhante o que nem de longe vamos ser.
          Com relação a 100 é melhor que nada, concordo. Mais do que isso tem que vir mais aeronaves para poder utilizar.

          • FLIGTH_FALCON
            Esse é o ponto! Nossa doutrina de defesa aponta para uma posição de resiliência, pois sabemos que apenas uma potência militar é capaz de impor um risco de fato a nossa soberania!
            Nesse caso , na impossibilidade de se contrapor de forma nivelada cabe a Brasil se dedicar em desenvolver tecnologias e meios de produção capazes de suprir as forças armadas de meios para um tetro de operações condizentes a doutrina estabelecida!!!

          • Se acham 100 mísseis pouco… Quem diria a Argentina que declarou guerra ao Inglaterra com 5 Exocet! Rsrsrs

          • E ainda assim, afundou um navio de carga inglês com blindados; e os EUA forçaram que a França entregasse os códigos remotos dos mísseis, e depois pelo que soube, eles erraram os alvos e outros ficaram inoperantes.

          • Pois é, a questão dos códigos é sempre complicada. Em um incidente com país aliado da França os mísseis podem não servir de nada

      • Diria até, que é mais do que suficiente, para um país que graças à Deus não tem inimigos potenciais de vulto, no máximo uma Venezuela por hora enquanto o que tá maduro não apodrece, ou uma Bolívia que recebe os roubos (carros) ocorridos aqui e manda de volta a corrosão da sociedade(drogas) e o Paraguai com a fera livre de acari.

        • Bom Dia JL,só uma pequena discordância de Ti tu disse que o Brasil não tem inimigos potenciais ou seja inimigos declarados,mas o Brasil não pode também ficar neste tipo de conclusão a vida toda pois não se sabe o dia de amanhã,o louco do Maduro já deixou isso vem claro colocando o sistema Antiaéreo S-300 na divisa da Venezuela com Pacaraima,então não podemos insistir nesta infantilidade de ficar subistimando os outros países vizinhos e o Meteor é o melhor míssil que se tem na atualidade, também o míssil AIM-120,A-ADARTER,SPARROW, PYTHON-4,mas de todos o METEOR é o melhor

          • Colega, está de sacanagem né? Não cabe nem comparação. Desde a WWII indiscutivelmente quem controla o céu controla a guerra. Estamos diante de uma excelente notícia, que coloca o Brasil num patamar indiscutivelmente superior a qualquer coisa do resto da América Latina, a par com países mais sérios e em quantidade decente.

    • A minha opinião sobre o assunto: 100 Meteor é muito bom, principalmente para os padrões da FAB.

      Para os 36 Gripens atuais é Ok. Segura as pontas em um primeiro momento de embate regional (nenhum míssil tem um KD de 100% então teria que repor)
      Dito isso de 100 mísseis para 144 e deixar os 36 aviões com 4 mísseis cada é uma quantidade boa e não é um pulo tão grande. Você não vai voar com os 4 mísseis ao mesmo tempo e vai manter um estoque legal.

      Também não é um número absurdamente grande pra quem já tá comprando 100

      Dito isso, se forem adquiridos mais Gripens (oque todos aqui esperamos) acho que é de acordo entre todos que mais lotes de Meteor tem que vir também.

      “Ah mas o Gripen é multifuncional e nem em todas as missões vão ser Ar-Ar”

      Concordo TOTALMENTE entretanto justamente por não termos muitos e que na primeira fase de um eventual conflito todos eles estariam voltados em garantir supremacia aérea e como ninguém no continente tem uma defesa AA relevante (tirando a Venezuela) isso se faz primariamente derrubando a aeronave inimiga.

    • Pô é o começo e para Tempos de Paz está Ótimo. , Além do Salto para o que há de ponta em armamento .
      Temos outras prioridades em termos de aquisições de Defesa , ex Bateria Anti Aérea , vamos assim , Devagar e Sempre e no que há de melhor qualidade .

    • Com 100 meteor se destrói qualquer força aérea da América do Sul. Não precisamos de mais do que isso, até porque esses mísseis tem prazo de validade.

    • Mísseis ar-ar BVR são equipamentos de uso restrito.em situação de conflito se tivermos que usar mais de 100 e provavelmente porque estaríamos lutando contra todos os nossos vizinhos ou contra os EUA/OTAN é só são para 36 caças, alem disso a validade deles não é a mesma vida útil do avião que vai utilizá-lo.

    • Vou escrever algo que já tinha escrito aqui antes porem que não foi postado (não tenho ideia do porque)

      Se a noticia for verdade (que é muito boa por sinal) sair de 100 misseis para 144 não seria tão caro até porque como todos sabem compras em grandes quantidades faz o valor unitário diminuir, seria mais caro? com certeza, porem não penso que seria o fim do mundo.

      144 misseis podem ser muito porem é cada um dos Gripens com armamento ar-ar com direito a realizar uma surtida e nada mais, sim estamos em paz porem na hora do vamos ver não podemos esperar que encomendas de armas chegue a tempo (principalmente vindo do outro lado do oceano)

      vamos fazer um exercício aqui:
      A Colômbia tem 21 aeronaves Kfir
      Peru tem 17 MiG-29 e 18 Su-25
      Venezuela tem 23 Su-30MK2 e 16 F-16A (duvido que todos estejam operacionais, mas vamos fingir que é o pior cenário e que eles estejam)
      (só contabilizei aviões que seriam importantes serem destruídos em um primeiro momento)

      Imaginem que para por cada uma dessas aeronaves no chão seria preciso usar dois misseis (uma estimativa padrão, dificilmente se tem abates no primeiro disparo)

      Para acabar com a Força Aérea colombiana seria precisos 42 misseis
      Para fazer o mesmo com o Peru seria preciso 70 misseis
      com a Venezuela seriam precisos 78 misseis.

      Sim eu sei, nem todas essas aeronaves estão operacionais, mas na visão dos nossos vizinhos estamos nos armando e seria natural eles fazerem o mesmo.

      Por isso que eu acho que 144 misseis seria um numero ok para se manter com o primeiro lote de Gripens, não é muito e nem é pouco. apesar de ter uma data de validade os misseis não vão vencer da noite para o dia e imagino que daria, com esse numero bater qualquer Força Aérea Regional e manter um estoque.

      Eu não acredito que esse vai ser o único lote de misseis entretanto, espero ver mais deles no futuro junto com mais compras do Gripen

      • Concordo com você amigo ,se esse pessoal conseguisse interpretar meu texto ficaria sem tanto lunatismo , digo e repito fiquei muito feliz com a aquisição, mais em termos de quantidades de vetores pra de mísseis a quantidade não é ideal ,caso alguém rebata que sejam de uma maneira contundente e não com lunatismo dizendo que pra América do Sul tá ótimo ou isso ou aquilo ,no texto eu citei quantidade de vetores pra quantidades de mísseis. A muito anos acompanho o blog e nunca comentei mais é claro ver o nível de lunatismo da galera daqui ,fala técnica quase nenhuma ,agora a nível de emoção, é demais .

    • Caros amigos se equipar-mos os gripe a apenas com o meteor, aí realmente precisamos de mais lotes porém estamos esquecendo dos a-dartes, numa configuração de 6 pods, talvez se utilize 2 meteors e 4 a-dartes ou vice versa.
      Esse lote de 100 mísseis (um dos mais avançados do mundo) já é um hiper salto para nossa fab.

    • Independente da quantidade, o que eu acho estranho é a divulgação da mesma, se essa notícia realmente for verdadeira.

  3. Sinceramente não sei se é realmente a hora.
    Antes de mais nada as aeronaves tem que ser recebidas e internalizadas na FAB.
    A FAB tem que conviver com o novo brinquedinho, antes de pretender tuna-lo.
    Já chega a abrobinha do WAD, desculpa bem carinha pra arrumar serviço pra a Elbit fazer.
    Temos que antes de mais nada, comprovar o custo da operação da nova aeronave e o que isso entrega lá na ponta, no aumento e na melhoria da capacidade de dissuasão da FAB .
    Vamos cuidar do arroz com feijão, bife e salada; antes de pretendermos comer caviar.

  4. Muito bom, mas só acredito depois do contrato assinado. Recentemente foi divulgado que a Luftwaffe irá adquirir 150 deles por US$ 323 milhões. Isto nos dá uma base de valor.

  5. Pois é, dizem que não há verbas para terminar um projeto nacional, mas para comprar armamento importado há.
    Os infelizes cancelam o MAR-01, não buscam uma integração na versão ar/ solo do MT-300, nem a versão Ar/mar do MANSUP , SMKB, FPG-82 etc.
    Mas vão comprar o Meteor.
    Daqui a pouco compram também o Taurus Kaped .
    Credo melhor nem dar idéias.
    Não tem jeito mesmo !

    • Não existe escala de produção para desenvolver misseis ar-ar BVR nacionais e quanto ao MAR1 e uma arma já ultrapassada em conceito ou alguém pensa que ele seria capaz de neutralizar um S-300 ou SA22 da vida ?

        • Como afirma isso?
          Tem dados técnicos dos testes?
          Tem vídeos de lançamento?
          Trabalhou na Mectron para afirmar isso ?
          Ou só está falando por falar ??

          • Torço para o Brasil entrar em guerra com um país mais tecnicamente beligerante com a atual polícia de compras em detrimento de desenvolvimento.
            Aí quando a grana acabar, terão que colocar nos Gripens cocô e bananas , pois vai ser a única coisa que consiguirá.
            Isso se os 36 Gripens,s, 4 CCT,S, e 4 Scorpone não ferem destruídos no primeiro dia de batalha.
            Toda grande nação hoje teve que viver dias traumáticos em sua história, os Estados unidos passaram em todas as guerras, incluindo a guerra de cessação.
            China foi devastada primeiro com ópio oferecido pela Inglaterra e depois as atrocidades do Japão na WWII.
            Rússia a WWII depois o crápula de Lênin .
            O Brasil sempre teve tudo fácil, sua independência foi um lero lero danado.
            Guerra do Paraguai uma grande covardia contra o Paraguai, mal mal sofreu na WWII.
            Sendo assim não aprendeu nada, pois a dificuldade gera carácter, unidade nacional etc.
            Vendo por essa ótica entende se essa total desnacionalização das coisas.
            Como um filho mimado que nunca passou fome na vida, nunca teve que trabalhar aí quando cresce não conhece o valor das coisas e das pessoas.

          • Pensei em uma forma de justificar um deslike deste comentário. Mas acho que vou deixar sem retórica mesmo…

          • Agradecemos !
            Pode mandar seu deslike, vai se somar aos outros que não me afetam em nada.
            Não busco aprovação em meio a iludidos alienados.
            Mas se .meus comentários trouxer um só que seja a dura e fria luz da realidade me darei por satisfeito.

      • Não existe escala?
        Quanto custa um Meteor ?
        O MAR-01 custaria 1 a 1,5 milhões.
        Isso no início da produção, após industrializado custaria menos.
        Pega sua calculadora e faça as contas para ver se há escala.
        A FAB buscou junto ao congresso 250 milhões para comprar bombas Spacie, com essa verba daria para comprar 250 MAR-01.
        E quem disse que enfrentariamos o S-400?
        Quem garante que não seria um Patriot, Spaider etc..
        E quem disse que o míssil é ultrapassado?
        O mesmo serve para destruição de radares, e isso é imprescindível em qualquer T.O.
        Uma ação dupla entre MT-300 destruindo a defesa aérea de longo alcance do inimigo (seja ele de onde for), e depois o MAR-01 arrasando com o resto.
        Essa técnica fui utilizada na primeira guerra do golfo com grande sucesso.
        E para ser sincero, nem o míssil mais moderno do mundo dedicado a missões SEAD faria frente ao S-400 que além de defesa AAe possui capacidades de defesa ant míssil dentre outras ( se bobear é até Asat ).

        • O MAR-1 seria interessante e importante? Sim! Mas, comparar seu desenvolvimento e compra com a compra do Meteor é comparar pêras com laranjas….se usasse o dinheiro do Meteor para o MAR-1, qual seria o míssil BVR dos Gripen?
          No seu hipotético cenário, de uso combinado entre o MT-300 e o MAR-1, o correto seria o contrário…..primeiro o MAR-1 seria usado para destruir os radares da AAé inimiga E então depois os MT-300 poderiam ser usados…caso contrário, poderiam ser destruídos pelos mísseis AAé, vetorados pelos radares que os MAR-1 não teriam destruído ainda.

          • Caro Flanker não disse para não adquirir o Meteor, só estou mostrando ao forista acima que havendo vontade há escala de produção e aquisição sim.
            O correto seria fazer como a Índia que casa perfeitamente a aquisição com o desenvolvimento local.
            Sim a FAB deve adquirir o Meteor, e em paralelo seguir o desenvolvimento do MAR-01.
            Casando no Gripen sistemas de armas importados e nacionais.
            E quanto ao emprego conjunto do binômio MT-300/ MAR-01.
            Segui o exemplo dos Estados Unidos na primeira tempestade no deserto.
            Onde grande parte da defesa iraquiana foi destruída pelos Tomahawk,s e só após isso é que houve o sharch kill (busca e destruição).
            Lógico que no caso Tomahawk, por possuir cabeça de travamento laser, o mesmo era orientado para o alvo por forças de reconhecimento em solo, drones etc.
            O uso inicial de mísseis de longo alcance seria o ideal para não por vida de pilotos em risco.
            E o MAR-01 é mais que necessário e válido para o emprego atual.
            E será mais que providencial seus desdobramentos futuros ( versões solo/ar, superfície/ar ar/ar com radar passivo, ativo mais moderno, link de dados etc).

  6. Muito bom, porém entendo que antes de qualquer coisa, a FAB (o Brasil) deve urgentemente desenvolver alguma empresa que tenha condições de aproveitar o Know-How que esta sendo adquirido e desenvolver um novo caça. A Saab esta “rifando” o projeto (India, Canadá e quem sabe mais quem), portanto se a EDS (???) imaginar vendas importantes do Gripen, pode tirar o cavalo da chuva. Fui e ainda sou entusiasta do GRIPEN, mas com essas atitudes da SAAB, não vejo futuro para o Brasil, a não ser que aproveitemos a oportunidade do conhecimento para recomeçarmos a andar com as proprias pernas. Vejo tres cenários apenas:
    1 – O Gripen como o F-5 do futuro sendo utilizado por 50 anos e em quantidades absurdamente limitadas.
    2 – Futuras compras de prateleira (retorno ao passado)
    3 – Até o fim da vida util do Gripen nos capacitarmos para desenvolver seu substituto.

  7. Impressionante a quantidade de “especialistas”, profetas do apocaliose e mimizentos falando sobre algo que sequer imaginam sobre defesa e segurança.

  8. Estou vendo muitas analises isoladas referente ao poderoso armamento, não há duvidas quanto à sua capacidade, mas vamos melhorar o raciocínio: já imaginaram o poder da combinação Gripen E + Meteor + E99 ….. A não há combinação melhor na America Latina!

  9. Poucos não?
    Para se aproveitar ao máximo o binômio R99 e Gripen o Meteor é ideal, assim como para se efetuar uma boa defesa aérea, pois os de curto alcance são só como último recurso.
    Se pararmos pra pensar, são 36 aeronaves…4 cada um sem direito a recarga já chegam perto dos 150 mísseis…
    A menos que outro contrato vindouro apareça.
    Chutaria em 300 pra termos o que falar!
    E subindo conforme novas aquisições do Gripen.
    Saldações!!

    • Míssil não pode ficar passeando no caça porque deprecia.

      A menos que tenha alguma mínima ameaça eles vão ficar guardadinhos e vão usar somente os de treino.

      Nesse cenário 100 é mais do que o suficiente.

    • Como missil tem prazo de validade e não estamos em guerra iminente acho que 100 estaria ótimo desde que a FAB faça aquisições em lotes periódicos, mais na frente compra outro lote.

  10. Já sabia sobre a aquisição do Meteor.
    A FAB tentou comprar o Taurus KEPD 500 e infelizmente foi barrado. Então ela foi de bombas israelenses. Talvez com o Brasil sendo um aliado da OTAN, ela possa adquirir o Taurus KEPD 500.

  11. Se for confirmada a informação, muito bom, o conjunto Gripen E + Meteor + Piloto da FAB é de peso, põe a FAB em outro nivel em materia de armas disponiveis.

        • Puxa, no começo achei que vocês dois estavam falando serio. Mas depois percebí que era só brincadeira. Engenharia reversa. Isso é coisa pra disco voador. 🙂

  12. Há umas 2 horas tentei enviar um comentário sugerindo um post sobre os 75 anos do Dia D, já que tivemos aqui 2 posts recentes que abordavam a 2ªGM, mas por algum motivo não foi publicado. Como disse na minha tentativa frustrada de comentário, é um humilde pedido p/ que se honrem aqueles que tanto sofreram nessa importantíssima batalha. Fica o registro.
    Abs.

  13. Ótima aquisição….fazendo o binômio Meteor + A-Darter os nossos Gripens estarão bem armados….

    O pessoal está achando pouco 100 unidades, fazendo contas pra 36 F-39, mas estão esquecendo da disponibilidade dos caças; nunca haverá 100% de disponibilidade.

    • Verdade. Alem do fato de que levar 4 Meteor seria “meio que” um exagero, dado que o PK dele (pelas especificações e analises) é razoavelmente alto em comparação aos demais misseis BVR. O usual deverá ser uma carga de 2 míiseis WVR e 2 BVR. A não ser que decole apenas uma aeronave para interceptação. Aí sim 4 Meteor e 2 A-Darter ou Iris-T. Pelo menos essa é a minha opinião.

  14. Em sendo verdade 100 unidades está de ótimo tamanho. Na verdade acho até uma quantidade exagerada tendo em vista que a FAB pode contar com uma boa quantidade de mísseis BVR de “segunda linha”.
    A USAF até hoje usa o conceito de míssil de primeira linha (AIM-9X e AIM-9X/2 e AIM-C5-7 e D) e míssil de segunda linha (AIM-9M e AIM-120 A/B e muito provavelmente até o Sparrow)

    • Bosco

      Por favor, o nosso míssil de segunda linha não poderiam ser os Derby do F5M? Isso se esse míssil for homologado para o Gripen…

      Curiosidade que eu sempre tive… Por favor, quando passa do prazo de validade do míssil ele é descartado? Ou há como dar uma sobrevida a ele?

      • Leo,
        Sem dúvida o Derby seria o ideal para ser um míssil BVR de segunda linha.
        E sim! Mísseis ao final do prazo de validade podem ser revalidados após uma “reforma”

        • Pensei que essa mania de comparar aeronaves por meio de abates isolados já tinha caído por terra, se forem seguir essa lógica mig-21 é melhor que F-16 block 52.

        • Se o Gripen não é melhor que o Mig-35 porque nunca o abateu, o Viper já abateu algum Gripen então para ser melhor do que ele?
          Meio estranha sua lógica….

        • Infelizmente o cara que cunhou “matador de Sukhois” fez um grande desserviço, criou uma expectativa grande demais, claro que com AWACS, meteor e tudo mais é perfeitamente plausível mas pera lá, o Gripen não é um milagre, pés no chão meu povo, parece que perdemos a humildade só pq estamos de carro novo, outro dia li um sujeito defendendo
          Gripen vs F-35… complicado!

          • Não foi “um cara” que cunhou essa expressão, existe um vídeo promocional da própria Saab que apresenta o Gripen como “Sukhoi Killer”. E não é arrogância dos Suecos, ele foi projetado exatamente para isso, já que a maior hipótese de conflito da Suécia é a Rússia. Os suecos não estão preocupados com a opinião dos entusiastas, esse assunto para eles é sérissimo, é uma questão de sobrevivência

    • Inferior em que? Radar é a diferença é pouca os dois são AESA e AESA de ponta, Sistema de EW do Gripen é tão bom quanto o F16, Armas é Igual, Consciência situacional do Gripen é melhor devido a Fusão de Sensores que é usado junto a seu WAD,

      • Tão bom que ninguém compra. Essa é a verdade. Não foi testado. Pronto. Não existe argumentos essa é a realidade. É um caça inferior com uma boa tecnologia, e ainda não existe. Só protótipos. Ademais, o que existe e tem qualidade é o jas39. A África do Sul mantém eles em porões fechados no subsolo porque não tem dinheiro para mantê-los voando. Fatos. E contra Fatos não há argumentos. O cenário é esse. Simples, só tem que raciocinar. Na Índia ele ficou em último MMRCA, onde o Rafale ficou em 1°, F-18SH 2° e gripen em 3°, com índices muito pequenos frente aos outros. Um monoturbina nunca será melhor que um Birreator. Até que eles utilizam o Su-30 como ponta de lança. Olhe oa caças de supremacia aerea das principais potências e veja qualna realidade. Gripen é um caça simplório, solução simples para países sem dinheiro para força aérea, com números de desempenho que chegam similares ao do F-16 e só. Tirar leite de pedra não tem como. O F-35 é monoturbina mas tem caráter furtivo, o F-22 é Birreator e furtivo, T-50 Pak FA(Su-57)… esses 5°geração. Os de 4° + + geração que são Birreator de “supremacia” aérea são: F-15 Silent Eagle, Su-35, Su-30 MKII, Rafale, EF2000, F-18 SH, J-11esses são pontas de lanças, aniquilar o inimig num primeiro momento, com desdobramentos, apoio awacs e etc. O F-16 superutilizasos como supremacia aérea, Israel F-15 ponta de lança e F-16 defesa, agora com F-35 Furtivo é o melhor exmplo. O Mirage2000 também, na versão 2000-9, já é temerário, contra países pobres sem caças a altura eles são bem utilizados, mas é um caça de defesa de ponto e tático. Assim como, o gripen, j-10, Mig21, jf-17, Hal tejas, Mig-35 que é uma realidade de caça leve com 2 turbinas e deriva do mig29, similar com o Girpen E ou NG que é derivado do Jas39, porém esse monoturbina.

        • “Tão bom que ninguém compra. Essa é a verdade. Não foi testado. Pronto. Não existe argumentos essa é a realidade. É um caça inferior com uma boa tecnologia, e ainda não existe. Só protótipos. ”
          .
          O MiG-35 é uma bela porcaria mesmo… Gostei da sua descrição.
          .
          “Ademais, o que existe e tem qualidade é o jas39.”
          .
          É isso aí, o Gripen é o que há, não essa porcaria de MiG-35.
          .
          “Na Índia ele ficou em último MMRCA, onde o Rafale ficou em 1°, F-18SH 2° e gripen em 3°”
          .
          Aí, t.roll… Não fala besteira. Nem existe esse seu ranking fake, e tem que deixar claro que TODA a concorrência da índia foi forjada para dar Rafale. Não soube dessa notícia, que bombou a pouco tempo? Tá desatualizado…
          .
          “Um monoturbina nunca será melhor que um Birreator. bla blablablalbmallalablalballab… blab… allalablalblalba…. blaballbab”
          .
          Blahhhhh…
          Preguiça de toda esse resto inútil de asneiras…

          • Nossa que descontrole, ofensas gratuitas, Bardini. Infelizmente as pessoas tem opiniões próprias se você não sabe. Cada um com a sua opinião. Infelizmente contra “fatos” não há argumentos. Se eu posto 10% das suas ofensas o meu comentário nem é publicado.

        • Olha cara seu comentário de que Biturbina é melhor que Monoturbina é furada, não exista isso no mundo, um Biturbina a única vantagem é ser mais rápido e levar mais armas, a diferença nem é tão grande assim,
          o JAS 39 é operado por outros países, o Gripen E é a Evolução do JAS 39, nunca vi um caça evoluir e ficar pior, SU30>>>SU35, F/A18 Hornet>> F/A 18 SH, o Gripen vem com sensores mais modernos, o melhor míssil da atualidade, um Radar AESA que só perde para o radar do F35, suíte de guerra eletrônica no estado da arte,,,, o F/A18 SH demorou a vender e nem por isso é ruim, e só Austrália comprou, o Rafale que nasceu superior ao EF demorou a vender, nem por isso é ruim, sendo considerado até mesmo melhor que o F/A18 SH, se colocando como o melhor 4G do ocidente, até mesmo contra o F16….. o Gripen NG é um Projeto Novo, nunca participou de treinamentos, é vdd mas não é ruim por isso, isso é só na sua cabeça, ele vem com a melhor tecnologia do momento, um sistema EW que vai ser Melhor que o Spectra do Rafale, ou seja não deve nada a nenhum outro caça, somente o F35, F22, SU57 e J20

          • Carlos, os caças biturbinas são ponta de lanças dos países que tem melhores forças aéreas no mundo. Pesquise. Mas, a evolução doa caças não é demérito nenhum, pelo contrário. Cada um em sua categoria. Jas39 para o Gripen NG, Mig-29M para o Mig35, F/A-18 para o F-18SH, F-16 suas versões para o F-16 Block 70/72… e assim vai. Temos o nosso F-5 que chegou ao F-5G que seria o F-20, mas o lobby foi tão grande que o Tigershark não poderia nem ser comercializado e foi enterrado de vez. Tem uma frase que eu gosto muito: “Na internet as informações são editadas”. Tem que cuidar muito.

          • O F-35 será a ponta de lança de Israel, Reino Unido, Japão e tantos outros países da OTAN, e adivinha só, é monoturbina…

          • Quando a pessoa usa Ad Hominem em um debate estritamente técnico, mostra que a pessoa tem o seu ego tão inflado a ponto de considerar uma refutação como uma ofensa pessoal e na incapacidade de responder com argumentos racionais parte para ofensas pessoais. Pessoas que tem apego exarcerbado por sua visão de mundo, são as que são consideradas limitadas, pois são incapazes de aprender frente a realidade. Não irei mais perder tempo debatendo com alguém assim, é inútil.

  15. Um míssil no qual forças aéreas de peso com as europeias de primeira linha confiam.
    É aquela coisa, existem dois tipos de forças armadas: as caras e as que não funcionam. Brinquedo de qualidade exige recurso. Pra Alemanha chegou a custar 2 milhões de dólares a unidade, contudo, 2 milhões pra abater um caça inimigo de várias vezes esse valor e ainda salvar o nosso igualmente caro, não tem nem discussão.

  16. Aquela frase do Juniti Saito que o Gripen não assusta mas impõe respeito, acho que cai por terra após essa compra, vai ter Su-30 por ae que vai ter voar na sombra quando nossos Gripens chegarem rsrs…

    • Do jeito que a Venezuela tá, quando os nossos gripens chegarem os SU30 deles já vão estar depenados com as peças sendo vendidas no mercado negro igual os Mi17 sem pás de rotor encostados que foram filmados na base aérea durante os recentes protestos por lá.

      • Acho que a Venezuela nem pagou esses caças a Rússia ainda, se a economia deles continuar indo ladeira abaixo como está, desconfio que vão ter que devolve-los para os russos em forma de pagamento rsrs…

  17. Está havendo uma onda de boas novas.
    O cronograma do F-39 está folgado e pode ser adiantado.
    Belonaves usadas estão sendo procuradas.
    As seções do S-BR2 Humaitá estão sendo entregues rapidamente.
    Nova modernização para 3 fragatas FCN.
    E agora 100 mísseis Meteor.
    Alguém lá em Brasília se tocou ?
    .
    A FAB adquiriu apenas 36 mísseis Derby em 2006 ? Qual o seu prazo de estocagem ?
    .
    O F-5M pode disparar o Meteor ? Seus sistemas permitem integrá-lo ? Ou o míssil é grande para o modelo ?

    • A FAB adquiriu Derby ao longo do tempo. E também já comprou com um bom preço alguns mísseis sul africanos para atirar com o F-5M. O F-5M não pode carregar Meteor.

    • Está havendo uma onda de boas novas.
      O cronograma do F-39 está folgado e pode ser adiantado.

      Mentira, está atrasado um ano e deve atrasar mais ainda, o que não é nada de mais em projetos desta magnitude.

      Belonaves usadas estão sendo procuradas.

      Não há dinheiro para pagar a eventual compra de navios usados, e se o CN não aprovar o aumento da dívida pública estaremos fudid…e mal pagos.

      As seções do S-BR2 Humaitá estão sendo entregues rapidamente.

      O que não garante absolutamente nada que o submarino estará prontificado na data prevista.

      Nova modernização para 3 fragatas FCN.

      Não é modernização é apenas uma troca de hardware e de software do Siconta, o resto vai até moer.

      E agora 100 mísseis Meteor.

      Mais uma vez, este site Francês tem tanta credibilidade quanto uma nota de R$ 3,00. A FAB nunca divulgou quantidades de mísseis adquiridos e não seria agora que o faria, e mais uma vez deve lembra que a nossa condição financeira não permite.

      Alguém lá em Brasília se tocou ?

      Sim,mas não tem o que fazer até a aprovação da reforma da previdência, da autorização do aumento deficit público e das demais reformas em curso, até lá e caldo de cana e paciência.
      .
      A FAB adquiriu apenas 36 mísseis Derby em 2006 ? Qual o seu prazo de estocagem ?
      A FAB não adquiriu 36 mísseis Derby em 2006. Os questão no paiol, ainda tem prazo de validade. O que foi adquirido este ano foram misseis Python V e bombas Lizzard.
      .
      O F-5M pode disparar o Meteor ?

      Não.

      Seus sistemas permitem integrá-lo ?

      Sim, tem barramento ocidental

      Ou o míssil é gra

      Comprometeria todo o desempenho aerodinâmico dele, assim como o Derby também prejudica.

      Sugestão: Pare de viajar da maionese e acreditar em gnomos, duendes e Papai Noel

  18. Segundo a matéria original do La Tribune:
    “Em 2009, a Espanha informou sobre um contrato para 100 mísseis Meteor, que totalizaram 100 milhões de euros. ”

    Se isso for realmente verdade, quanto nos custaria esses 100 míssei?

    • Wlber, a Espanha faz parte do consórcio que desenvolveu e pagou pelo Meteor, e portanto tem compensações financeiras na sua aquisição, nós que poderemos, se a compra for efetivada sermos usuários, teremos que partir do “0” absoluto, portanto teremos de incluir no preço do míssil “solteiro” o custo do treinamento para uso e manuseio, para ferramental e para paio de armazenamento, te digo por experiência eu isto pode custar tanto quanto o valor do míssil.

  19. Pergunta de leigo
    Como faz para testar o míssel bvr meteor ?
    Como a FAB irá validar se recebeu algo realmente bom?

    Eles lança um drone a 180 km do caça e dispara o míssel espera para ver o resultado?

    Ou faz como a Argentina no meio da guerra descobre que seu armazenamento não funciona como o esperado.

    Eles testam aleatoriamente uns 3 mísseis para validar a compra ou fica para o dia da guerra?

    • Interessantes perguntas. Imagino que a campanha de ensaios do MÍSSIL seja responsabilidade do fabricante, são vários envelopes de teste, um dos motivos de custar caro desenvolver.

  20. Meteor, tem uma NEZ de 50-60 km, alta probabilidade de kill, de uma saraivada de 2 misseis lancados há 100km.
    Um verdadeiro matador.
    Eu realmente duvido de 100 misseis, a FAB, não comprou nem 100 Derbys

    • Bom dia Augusto L. O SIPRI fala que o Brasil adquiriu cerca de 200 derby s está no site do SIPRI acredito que eles têm acesso as melhores informações. Se é verdade não posso afirmar mas é uma fonte mais confiável do que apenas palavras.

      Alex Tiago
      Sds

  21. Tomara que a MBDA mande junto com os mísseis bons contêineres de armazenamento e estocagem porque se deixar pro pessoal da FAB cuidar disso vão acabar igual os 10 AMXs inutilizados por falta de cuidado no armazenamento.

  22. É a única compra de prateleira já feita na história do brézil que eu concordo…. não vai dar pra desenvolver um míssil com esse teor de tecnologia agora e ele é imprescindível para defesa aérea contra caças cada vez mais modernos.. Podem até vir pra cá mas vão ter que pensar um pouco rs

    • Vou na sua trilha, melhor esperar para ter uma definição melhor do que, quando e quanto será comprado.
      Pode ser o Meteor? Sim, mas não podemos nos esquecer que o atual governo, tem um grande viés para Israel e EUA em detrimento a Europa (no caso HOJE a Alemanha), lembrando que Israel hoje já é um grande fornecedor de equipamento militar para a FAB (chega a ser uma parceira).
      Para mim como leigo, tem todo o sentido a dobradinha Gripen com Meteor, mas sinceramente não vou ficar surpreso se outro míssil for selecionado.

  23. Qual o alcance? 100 unidades é um valor ótimo, tendo em vista que não vai ter apenas este míssil, teremos complementos de outros também. Mas o que precisamos são de mísseis com alcance longo, de pelo menos 180 km.

    • Mas que mania de querer sair correndo enquanto nem andar se sabe.
      Míssil ar-ar(na real qualquer míssil quase) tem valores MUITO variáveis de distância alcançada. O Meteor não tem seu alcance máximo divulgado, ao invés disso, divulgando sua NEZ de 100km. Essa, provavelmente se refere a NEZ em condições ideais de operação, mas não existe nenhuma necessidade no Brasil de míssil superior ao mesmo. É uma bala de prata, que não deve pra nenhum ar-ar do planeta.
      Pra quem está saindo dos 50/60km do Derby já é grandes coisas!

  24. Excelente notícia, se for confirmado de fato a compra um lote com 100 mísseis não é nada mal e levando em consideração que a FAB pode comprar novos lotes colocará a FAB como uma força aérea temida, ainda mais com Gripen.

  25. Esperem pela chegada dos tais misseis. Conselho: Esperem sentados, porque vai demorar…. Eu não acredito em Papai Noel, alguém aqui acredita? Me desculpem mas não custa lembrar que estamos no Brasil.

  26. repetindo um comentário que vi aqui: E-99 + Gripen E/F + Meteor + A-darter + baixo rcs = pense 1000x e multiplique por mais 600x as suas intenções de adentrar nos céus do Brasil.

  27. Não entendo o questionamentos de alguns em relação o alcance.
    Pelo que se ler por ai não há mísseis ar-ar com capacidade superior ao Meteor no mercado, no máximo equivalente. Alguns chegam a declarar 250 km de alcance, mas isso é a capacidade balística e provavelmente não é de utilidade alguma. Os mísseis ar-ar perdem energia e no alcance máximo mal conseguem manobrar, o que importa a no escape zone . Tenho já lido que um caça armado com o Meteor tem uma capacidade de sobrevivência 6/8 vezes superior que um oponente equipado com AIM-120.
    Ou será que aqueles que falam de pequeno alcance pensam que é um míssil de cruzeiro, só pode .
    A notícia em si é ótima, até a quantidade é considerável. A Espanha que possui algo como 70 Typhoons fez uma ordem de 100 unidades, então o Brasil apenas com 36 Gripens não me parece ruim, muito pelo contrário. O único questionamento que se pode fazer é sobre a vericidade da notícia e quando teremos essa hipotética FAB equipada com Gripens e Meteor.

    • Thiago,
      No geral eu concordo com você mas há de se ter em mente que nada na tecnologia militar é imutável e o conceito de NEZ não é exceção. Esse é cum conceito que rapidamente está ficando obsoleto tendo em vista a evolução da tecnologia missilística.
      O Meteor adota um motor aspirado para ter maior tempo de queima e portanto, maior NEZ, mas há outros que adotam métodos não convencionais para ampliar seu alcance.
      Não há o que se falar em NEZ num míssil que adota o conceito de trajetória “loft” (adotada pelo que si inicialmente pelo Phoenix e pelas versões C e D do Amraam). Também não há o que se falar sobre NEZ em mísseis que adotam o conceito de “dual pulse” como o Derby-ER.
      Em tese a NEZ do Meteor seria da ordem de 60 a 90 km, com alcance nominal de 150 a 200 km, bem melhor que a NEZ de mísseis como o Amraam AIM-120A.
      Em relação a mísseis como o AIM-120D e Derby-ER sequer se aplica o conceito de NEZ tendo em vista que em todo o percurso do míssil (160 e 100 km respectivamente) é possível a esse dois exemplo que citei manter um alto fator g.

      • Bosco, o conceito de NEZ não se resume somente à manobrabilidade do míssil no final do percurso. Você com certeza sabe disso. Um exemplo: caso o caça inimigo saiba que um míssil esta vindo ao seu encontro, ele pode mudar a direção e acionar os pós-combustores, em velocidade máxima fugindo do míssil, se o alvo estiver próximo do limite de alcance do míssil, a hora que o míssil chegar lá, o alvo estará ainda mais distante.
        Por isso, mesmo para esses 2 mísseis citados por você, o conceito de NEZ pode continuar válido, ainda que de outra maneira.

        Obs.: Segundo a Rafael o I-Derby-ER possui 80% da capacidade do Meteor, porém custando 1/3 do valor. E é superior ao AIM-120C7 e mais barato também.
        O nosso I-Derby-ER poderia ser o Marlin em parceria com a África do Sul.
        Portanto esta possível aquisição de 100 Meteor está mais do que suficiente.

        • Luís,
          Com certeza isso pode acontecer.
          Mas tecnicamente o conceito de NEZ talvez não se aplique nesse caso que você citou onde o alvo foge do envelope cinético do míssil que já teria seu propelente consumido e estaria seguindo pela inércia, sendo que , literalmente falando, a NEZ seria a distância em que o alvo não consegue escapar manobrando e que coincide geralmente com a distância em que o míssil atinge com seu motor ligado ou logo após.
          Mas realmente não tenho certeza e você pode estar certo.
          Valeu!

  28. Não é novidade, há alguns anos um amigo que estava por dentro dessas coisas à epoca que o gripen foi escolhido, disse que os Meteor estavam no pacote de armas , que alias é bom e não é apenas esse míssil, disse que os europeus tinham aprovado a venda, e só os alemães que bateram o pé. Mas mesmo essa questão já tinha sido resolvida.

  29. Considerando o teatro sul-americano e a quantidade de misseis que a FAB costuma comprar, 100 são uma excelente notícia, mas só acredito vendo. Aposto em 64 no máximo e sendo realista em 36.

    • Os comentários mostram a complexidade para se agradar um ser humano.
      1) O Meteor é considerado por vários especialistas como o melhor míssil ar ar do mundo;
      2) A FAB nunca teve uma capacidade sequer parecida com isso em toda sua história.
      Mas tem gente criticando.
      Se a reportagem fosse que o Chile comprou o Meteor e vai integrá-los a seus F-16, estariam os comentários cheios de elogios a Força Aérea mais profissional das Américas e que a FAB não compra porque gasta dinheiro pagando pensão para as filhas dos militares.
      É coisa de maluco.

      • Espera chega Marcelo, se tratando de Brasil, espera chegar, não hora que tiverem 12 Gripens com os brinquedos nas asas a gente comemora!

      • Os comentários mostram a complexidade para se agradar um ser humano.
        1) O Meteor é considerado por vários especialistas como o melhor míssil ar ar do mundo;

        Pois é Marcelo, mas é preciso ter cuidado com isto também, pois como tu bem disse, se tratam de opiniões e não de fatos. Ele, Meteor poderá até ser um dos melhores, mas após ser testado operacionalmente em combate real, até lá é uma “opinião”.

        2) A FAB nunca teve uma capacidade sequer parecida com isso em toda sua história.

        É verdade, se a compra for efetivada.

        Mas tem gente criticando.

        A critica desde que embasada faz parte do “show erótico”.

        Se a reportagem fosse que o Chile comprou o Meteor e vai integrá-los a seus F-16, estariam os comentários cheios de elogios a Força Aérea mais profissional das Américas e que a FAB não compra porque gasta dinheiro pagando pensão para as filhas dos militares.

        Bem, são duas afirmações, a FAB, realmente compromete seu orçamento com previdência, e isto é um fato. A FACH é uma das forças aéreas latino americanas mais bem equipadas e que usa com muita responsabilidade seus orçamento, é também um fato.

        É coisa de maluco

        É preciso analisar os FATOS.

  30. Se for confirmado, será uma excelente aquisição. Tendo visto os comentários anteriores, só tenho a dizer o seguinte:
    * Até onde eu sei, o Brasil não tem inimigos declarados.
    * Não tem intenção de invadir ou intervir militarmente em nenhum outro pais.
    * Quando falamos de forças armadas no Brasil, só me vem a mente a palava DEFESA.
    * Não sei de um pais vizinho que tenha caças ameaças, que superem o numero 36 (Nº de Gripens) muito menos 50 (metade dos misseis, contando 2 por abate).
    * Potencias militares estão em outros continentes. Mesmo usando porta aviões, teria de se levar em conta os riscos, custos e tempo para se orquestrar uma incursão, alem de haver grandes chances de outra super potencia intervir por vieses politico e econômicos, se tratando do “Brasil”.
    * Desde o fim da 2ª Guerra não me lembro de ter visto mais de 6 caças voando em formação para alguma incursão.
    * A fabrica dos misseis ainda não fechou. Sempre haverão bons misseis a venda.
    * Por fim, vamos por os pés no chão, porque não estamos no meio na 3º Guerra mundial, nenhum pais tem arriscado tantos caças assim de uma vez, alem do mais contra grandes investidas, só EUA, Russia, e China “talvez” teriam chances, o resto tem que comer muito arroz com feijão mesmo.

    • Isso aí.
      Sobre o último tópico… Rússia e China… condições somente com inexistentes bases no continente, pois não possuem NAes para operar tão longe.
      GB e França teriam até mais condições, mas… vamos falar sério, né…

      • Acho que nessa parte me espressei mal e fui mal interpretado. Eu quis dizer:
        Caso “estes países” sofressem um grande ataque, por exemplo um ataque conjunto, não que atacassem o Brasil.
        Desculpa a falta de clareza nessa parte. Mas concordo contigo.

  31. Quem aqui protege a casa como se o rambo fosse invadi-la?

    garanto que um muro cheio de caco de vidro e um três-oitão já garante a segurança da maioria das casas.

    lógica parecida aqui no Brasil.

    temos de entender que não estamos nos protegendo de um ataque dos EUA ou da Rússia. Nosso sistema de defesa busca apenas uma dissuasão em nível América do Sul.

    nenhum de nossos vizinhos tem mais que 40 jatos de alto desempenho em seu arsenal. e mesmo estes não contam com sistema de defesa equivalente ao nosso e nem nos ameaçam.

    E ainda mais, nenhum deles conta com mísseis como o Meteor.

    100 parece pouco, mas já é mais que suficiente para uma nação em tempos de paz e sem vizinhos ameaçadores.

    Se o clima político esquentar, compramos mais.

    lembrando que cada meteor custa algo em yorno de 2.000.000 de dólares, fora outros custos de integração e manutenção.

  32. Meu Deus, pensei que desta vez eu leria 107 comentário do tipo que bom, uma boa escolha, bom pra FAB, poderia ser outro mas esse serve, gente vamos usar o bom senso não dói.

  33. A Alemanha comprou 150 por US$ 323 mi mais US$ 175 mi de integração. Temos a grana para comprar 100? Teríamos que pagar essa integração ou tá no preço que os Suécos cobraram? Ainda assim, seria uma compra de quase 1 bi de reais. Será?

    • O Meteor já está integrado ao Gripen. Aliás, o Gripen C foi o primeiro caça a integrar o Meteor. A torcida organizada fica de mimimi, mas a verdade é que nós compramos um baita caça. Com Iris-T e Meteor não vai ter pra ninguém na América Latina, quiçá no Hemisfério Sul

      • Não tem torcida organizada, tem sim gente tentando distorcer fatos como você e outros analisando fatos.
        O Meteor foi integrado e homologado no Gripen, porém até o presente momento foi integrado, mas não foi ainda homologado no NG, pois demandará ensaios de voo e lançamentos e diversos parâmetros de voo, porque provavelmente o NG tem perfis aerodinâmicos diferentes do NG que provocam vórtices de vento diferentes. Uma das razões da “preferência” da FAB pelo meteor é que não seriam necessários gastos e custos com integração de outro míssil neste momento, fato este que também levou a compra do Iris T em detrimento de outros pois a Saab o fez de “grátis” em função de ele ter sido escolhido pela Força Aérea Sueca.
        E aproveito para te lembrar que independente de comprar é preciso saber e poder manter e operar…….

  34. Impressionante que sempre tem os do contra, míssil tem data de validade e não tem troca gratuita, portanto, como não estamos em nenhum tipo de litígio esta quantidade supre perfeitamente a necessidade, me lembra as prováveis compras de ocasião da marinha e do exército, criticam etc e tal, mas lembrando sempre é melhor ter 1 de boa qualidade do que não ter nada.

  35. Lembrando que a França entregou o códico de seus mísseis que a Argentina operava para o inimigo. Ninguém deveria confiar em mísseis franceses a partir deste ponto…

    • O míssil foi desenvolvido em conjunto por vários países europeus.

      Os mais complicados no quesito “liberar armas” são os alemães, que estão barrando algumas exportações recentes.

  36. Poderiam me explicar ” prazo de validade”? O que tem no míssel que perde a validade? Combustível? Ogiva? Desde já agradeço.

    • Depende. No meio de um conflito certamente seria uma péssima ideia divulgar isso. Em tempo de paz pode ser um meio de dissuação, isto é, um recadinho para que ninguém ache que nos atacar seria um passeio

  37. Só eu penso que essa belezinha seria uma delícia se fosse integrado numa possível versão avibras-saab-ericson do Astros 2020 Anti Aéreo?
    Imaginem só o mercado potencial que isso teria…

  38. Essa é uma informação sensível! Vocês acham que iriam mesmo tornar público a quantidade exata de mísseis que vão adquirir??????

  39. A FAB já está testando o míssil MTC 300 no caça F5. Acho que ninguém esperava tão rápido.
    Brasil uma potência em projeção !

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here