Home Aviação de Ataque F-35 vai operar com limites nos voos supersônicos

F-35 vai operar com limites nos voos supersônicos

3976
86
F-35C da Marinha dos EUA

Pentágono decide contornar grandes falhas do caça que não consegue consertar

WASHINGTON — Um problema que pode danificar a seção de cauda do F-35 se a aeronave precisar manter velocidades supersônicas não vale a pena consertar e será resolvido alterando os parâmetros operacionais, disse o Escritório do Programa Conjunto F-35 ao Defense News em uma declaração no dia 24 de abril.

A deficiência, relatada pela primeira vez pelo Defense News em 2019, significa que, em altitudes extremamente altas, as versões da Marinha dos EUA (F-35C) e do Corpo de Fuzileiros Navais (F-35B) só podem voar em velocidades supersônicas por breves períodos de tempo antes que haja risco de danos estruturais e perda da capacidade furtiva.

O problema pode impossibilitar o F-35C da Marinha de realizar interceptações supersônicas.

“Este problema foi encerrado em 17 de dezembro de 2019 sem mais ações e com a concordância dos serviços dos EUA”, dizia o comunicado do F-35 JPO. “O relatório de deficiência foi fechado sob a categoria ‘sem plano de correção’, usado pela equipe do F-35 quando o valor fornecido para uma correção completa não justifica o custo estimado dessa correção.

“Nesse caso, a solução exigiria um longo desenvolvimento e teste de voo de um revestimento de material que possa tolerar o ambiente de voo por tempo ilimitado, satisfazendo o peso e outros requisitos de uma superfície de controle. Em vez disso, o problema está sendo tratado procedimentalmente, impondo um limite de tempo para o voo em alta velocidade.”

FONTE: Defense News

Subscribe
Notify of
guest
86 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
6 meses atrás

Realmente é um avião problemático e que nunca vai entregar o que prometeu.
Agora é oficial.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Realmente,o F-35 é menos confiável do que seus antecessores,mas acho que você está subestimando a complexidade do projeto.

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

Os números não mostram isso. Allan, o F-35 sofre menos acidentes do que seus antecessores e possui hoje menos deficiências do que um F-16MLU da Noruega. Não é pq os outros programas não são tão transparentes ou se desenrolaram em épocas com menos acesso à informação que eles não possuem seus desafios.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  RICARDO NUNES BARBOSA
6 meses atrás

RICARDO NUNES,eu não disse que os outros projetos não tiveram as suas complicações.O que eu quis dizer foi que o resultado final foi um produto mais confiável quanto suas capacidades e limitações.Não duvido do potêncial do F-35 como caça,mas ele veio com uma quantidade tão absurda de problemas que isso acaba colocando em dúvida as suas capacidades. A prova do que falo é que o próprio comando da US Navy já decidiu que vai construir um caça de projeto próprio depois do F-35.Além disso,Japão e UK,dois dos principais clientes,já decidiram começar seus próprios projetos. Na minha humilde opinião,se todo o… Read more »

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

Allan, o próximo caça da US Navy é o substituto natural do Super Hornet, um caça pesado bimotor. Nunca esteve nos planos da US Navy operar apenas com o F-35C, que surgiu como sucessor da linha Hornet não do Super Hornet. Caças anteriores como F-16, mataram mais de 10 pilotos só em 1988, o F-15 chegou a ser recebido e estocado por problemas de motor. Como eu disse, não é pq os caças anteriores surgiram em um período sem tanto domínio da informação que eles não efrentaram grandes problemas.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  RICARDO NUNES BARBOSA
6 meses atrás

RICARDO NUNES,você está equivocado,aqui está o motivo da USN optar por um caça próprio:
https://www.flightglobal.com/fixed-wing/future-us-navy-fighter-will-not-be-joint-effort-with-usaf/132569.article

A USN não vai operar dois caças,vai usar o F-35 e depois vai operar um de sexta geração.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

A Marinha americana terá, obrigatoriamente, de rever seus conceitos, principalmente no que tange à operação de porta-aviões.
Os novos mísseis anti-navios hipersônicos podem atingi-los a uma distância bem maior que o alcance de seus aviões e a velocidades inimagináveis.
Em um futuro próximo deverão restringir a quantidade desses navios e utilizá-los apenas em conflitos contra países menores ou para mostrar presença contra esse mesmo tipo de país.

Sargento Pincel
Sargento Pincel
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Kings, não só a USnavy mas todas as marinhas do mundo visto que todas as potências tem algo parecido em seus arsenais. Assim como os encouraçados caíram na 2GM, os porta-aviões também terão contra-medidas que os deteram…. a briga de caro e rato não termina!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Sargento Pincel
6 meses atrás

Sargento Pincel

Assino embaixo.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Fica tranquilo, Antonio !

É apenas um pedaço do revestimento stealth que acaba se soltando.

Em condições de vida ou morte, o piloto vai pisar fundo sim !

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Chris
6 meses atrás

Chris

O único problema é que mesmo pisando fundo e soltando revestimento o inimigo vai alcançar o F-35.

Carlos p silva
Carlos p silva
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Pronto. Se eu fosse da casa Branca contratava você imediatamente.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos p silva
6 meses atrás

Não precisa
Tem gente que acabou de sair do emprego lá em Brasília e que já está familiarizado com os assuntos americanos.

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

Não estou equivocado Allan, quem de fato acompanha os programas sabe que a US Navy vai operar com 2 esquadrões de F-35C e dois do caça 6G. Faça uma pesquisa básica e descubra que os números de F-35C para US Navy nunca visaram substituir todos os caças. A US Navy opera com cerca de 700 caças e o F-35C sempre teve como alvo a produção de 300 e poucas unidades. Se informe melhor.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  RICARDO NUNES BARBOSA
6 meses atrás

Se você ler o artigo que eu mandei,percebe que a operação de dois caças jamais faria sentido.Aliás,a escolha pelo F-35 era justamente para que todos os ramos das Forças Armadas americanas que operam aeronaves,operassem apenas o menor número possível de aparelhos diferentes,dessa forma jamais faria sentido os oficiais decidirem embarcar nesse programa já que toda a economia seria perdida já que a USN iria operar dois caças diferentes. O F-35 não irá substituir todos os Super Hornets devido a uma mudança de visão estratégica da Marinha,que terão outras prioridades,como o desenvolvimento de um caça de 6th geração.Em suma,eles perceberam que… Read more »

Sergio
Sergio
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

….P….eu pensei que a luta livre tinha acabado !!!!!
:0…

Sergio
Sergio
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

ALLAN LEMOS…. Você ganhou !!!!! 3 Rounds a 2….
Ou seja. O projeto é espetacular demais para executá-lo….
…e ainda querem compará-lo aos projetos do F-15, F-5, F-18……..

Sergio
Sergio
Reply to  Sergio
6 meses atrás

TAEKUSPA…..

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  RICARDO NUNES BARBOSA
6 meses atrás

Interessante é que o F-35 tem um motor de 43000 lbf enquanto o do F-16C possui 32000 lbf. No entanto, o F-35 não se comporta a contento, sendo pouco manobravel e limitado em velocidade… Muito estranho.

Raphael
Reply to  Adriano RA
6 meses atrás

Gordo e pesado, 43000 lb de empuxo não foram suficientes, o F-35 é igual aquele gordo que vai correr na praia cheio de parafernália eletrônica, fica bufando o tempo todo e se acelerar um pouco rasga o short.

O F35 ainda terá muito mais problemas com o tempo, tem muita situação ainda não testada, quem não entrou no programa não se arrependeu

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  RICARDO NUNES BARBOSA
6 meses atrás

Não adianta “cavar um buraco no meio de um oceano” caro Xara, os Red Boys nunca darão o braço a torcer. Uma coisa não entendo, e essa coisa é a preocupação monstruosa da China e de sua Irmã menor em terem aviões como o F35 e o F22…

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
Reply to  Ricardo Bigliazzi
5 meses atrás

Acho que foi mais uma “modinha”. Quando os americanos desenvolveram o F35, os outros dois sentiram a obrigação de desenvolver seus próprios projetos. Mas afinal, qual deles está 100% operacional e livre de problemas? Nenhum.

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Tua opinião é muito boa e baseada em argumentos técnicos. Vai lá e alerta a todos na USN ou no congresso americano.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Jagderband#44
6 meses atrás

E precisa?

Ivanmc
Ivanmc
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

.

Sergio
Sergio
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Antoniokings….Não fique chateado não !!!!! Os “deslikes” devem ser daqueles que sonham que daqui a 20 anos todos os problemas estejam corrigidos…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Sergio
6 meses atrás

Sérgio

E eu não sei?!?!?!?
Até lá, até os americanos estarão comprando aviões chineses.
kkkkkk

Carlos p silva
Carlos p silva
Reply to  Antoniokings
6 meses atrás

Os Argentinos que o digam. O Armamento chinês é Top….kkkkkk

Joelson Cesário da Costa
Joelson Cesário da Costa
6 meses atrás

Sai (zica).. em nome de Jesus!

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Joelson Cesário da Costa
6 meses atrás

Jesus tem mais o que fazer. Não vai se meter nisso.

Marcelo
Marcelo
6 meses atrás

Engracado que a parte traseira das 3 versoes eh a mesma e soh anunciaram problemas nas versoes B e C por coincidencia sao as que tem pouquissimos clientes externos…

Salim
Salim
Reply to  Marcelo
6 meses atrás

Marcelo, concordo com sua observação, revestimento e deriva a priori são semelhantes, porque restrição somente nas versões B e C!?!! Mistério.

Kleber Peters
Kleber Peters
Reply to  Salim
6 meses atrás

Talvez a A, por ter asa diferente, crie um padrão de fluxo de ar que não afete a região como nas outras duas. Hipótese viajante na maionese…

Marcelo
Marcelo
Reply to  Kleber Peters
6 meses atrás

A versao A e a B tem a mesma asa…

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Salim
6 meses atrás

já respondeu o mistério, a versão A tem mais clientes, para não criar problemas de imagem externa, a versão A não precisa ser anunciado esse problema.

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
Reply to  Italo Souza
5 meses atrás

Mas se realmente for um defeito no projeto, ele vai aparecer. Independente da vontade do marketing americano.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
6 meses atrás

F-35B and F-35C Horizontal Tail Durability at Sustained Supersonic Flight The F-35B and C deliver on all performance requirements. The potential for tailboom or horizontal tail damage during prolonged supersonic speeds was found in the highest extremes of flight testing conditions that are unlikely replicated in operational scenarios. In fact, there have been no cases of this issue occurring in the operational fleet. Additionally, this is not identified as a safety of flight concern. We implemented a change to the coatings on the horizontal tails and tail boom beginning in Lot 8 that increases durability and resolves this concern. This… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Rui Chapéu
6 meses atrás

Prezado: tecnicamente a limitação esta referida à fadiga do material, fenomeno que esta diretamente relacionado à quantidade de ciclos de carregamento mecânico imposto à estrutura, ou seja, resulta em ter que limitar o tempo total operado sob certas condições. Até aí tudo bem. Isso ocorre em locomotivas e triciclos….o detalhe que deixa curioso é a ligação com o revestimento tipo RAM. Creio que nos limites citados – voo supersônico a grandes alititudes – é possível que o revestimento esteja descolando da superficie onde foi aplicado, resultando com que ocorram vibrações excessivas devidas à iteração da rugosidade aumentada com o fluxo… Read more »

Thales
Thales
Reply to  Rui Chapéu
6 meses atrás

Quando observei a primeira foto desse aviao achei a expessura do corpo do caza muito maior do que se espera desse tipo de equipamento. Talvez essa expessura esteja criando vibracoes indesejaveis na regiao do leme.

JT8D
JT8D
Reply to  Thales
6 meses atrás

Os caras gastam bilhões de dolares, usam as técnicas de projeto mais avançadas e você só de bater o olho já percebeu que tava tudo errado. Vai pra NASA meu filho!

Allan Lemos
Allan Lemos
6 meses atrás

O F-35 é o exemplo de “o barato sai caro” do mundo militar.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

Ou do ‘certo que deu errado’.

João Ramos
João Ramos
Reply to  Allan Lemos
6 meses atrás

Ou do “caro sai mais caro ainda”.

Diego
Diego
6 meses atrás

São muitos erros num projeto caro, parece até que não teve a devida importância, já que não seria exclusivo dos americanos. É como se fosse um avião protótipo, e os EUA vendem ele assim mesmo com defeitos. Mas vender para aliados aviões invencíveis como f22, b2, jamais. Acho que deu pra entender.

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
6 meses atrás

O problema só ocorre nas versões B e C e somente no limite do envelope de voo (próximo de 50.000ft). As chances de um piloto chegar a esses parâmetros de voo na versão B e C são tão pequenas que simplesmente não vale apena tentar corrigir. No Golfo, nenhum caça em combate aéreo passou de Mach 1, no Vietnã o único que passou de Mach 1.4 caiu com pane seca. E no pior dos casos, o piloto pode extrapolar o limite de tempo em pós-combustão e assumir o risco de danificar os profundores, mesmo neste caso existe chance do dano… Read more »

Pedro
Pedro
6 meses atrás

Resumo da M….: Um Tu-22M pode vir rápido a alta altitude que o F-35 vai se arrastando para tentar intercepta-lo, dando tempo para fazer seu ataque e voltar, mesmo nao detectando o F-35 por ser furtivo.

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
Reply to  Pedro
6 meses atrás

Primeiro, o F-35C não é interceptador da frota, essa tarefa é do Super Horner e do futuro caça 6G. Segundo, basta o F-35C não voar no limite de 50.000ft que ele poderá usar PC sem restrições. Terceiro, Tu-22M pode lançar o novo Kh-32 (900km) fora do envelope de qualquer caça.

Salim
Salim
Reply to  Pedro
6 meses atrás

Resumo, náo e assim que funciona, náo e supertrumfo.

Manock
Manock
6 meses atrás

Não pode voar quando tem passarinhos; Não pode voar quando está relampeando; Não pode voar muito rápido senão solta pecinha…

e a jaca era francesa?

hahahahaha

ANDRE LUIS DE BARROS
ANDRE LUIS DE BARROS
Reply to  Manock
6 meses atrás

Essa foi a melhor! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Kemen
Kemen
Reply to  Manock
6 meses atrás

Não pode apagar incendio com extintor, lembra…

Corsádio-DF
Corsádio-DF
6 meses atrás

O interessante é que a princípio o F-35 não era planejado para voos supersônicos, pelo menos esse foi um dos motivos do Brasil nem considerar sua aquisição e nem fazer parte do projeto.

Mauro
Mauro
6 meses atrás

Zicado for ever.

Gabriel BR
Gabriel BR
6 meses atrás

Meu conselho para os países do mundo é : Esqueçam o F-35, vão de Rafale F4 e apostem suas fichas no desenvolvimento que anule a tecnologia stealth

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel BR
6 meses atrás

Gabrel BR

Perfeito.
Esta tecnologia stealth, além da eficácia duvidosa, traz muitas limitações ao desempenho das aeronaves.

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
Reply to  Gabriel BR
6 meses atrás

Único problema é que seu conselho vai contra o que os operadores querem. Querem algo sobrevivente e eficaz, RCS pequeno não envolve apenas alcance radar, torna a EW mais efetiva. Essas decisões são tomadas com base em estudos de efetividade e sobrevivência após milhares de simulações.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
6 meses atrás

Sei que desenvolver uma nova tecnologia tem muitos altos e baixos, erros de projetos, erros de execução, falta de qualidade dos componentes, tudo isso pode ocorrer e dar dor de cabeça, mas me parece que no caso dos F35 isso ocorreu além do normal!

Elcimar menassa
Elcimar menassa
6 meses atrás

bom devem corrigir nas fabricações posteriores né? ou mesmo assim encarece o projeto,que já nasceu caro diga-se, fazer essa mudança em células a serem fabricadas.

Kleber Peters
Kleber Peters
Reply to  Elcimar menassa
6 meses atrás

Pelo último parágrafo da notícia se percebe que não terá correção. Nem nos atuais, nem nos novos.

carvalho2008
6 meses atrás

e assim, o Gripen NG vai se consolidando como o monoreator mais moderno e de custo benefício no mercado….

vamos torcer para desempenhar sem surpresas…sem falhas….

carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

E ainda tem o super-cruise do gripen…o que mostra a importancia deste quesito no projeto.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Caro carvalho, concordo, mas você ou alguém tem alguma notícia recente sobre essa capacidade, no Gripen E? A SAAB não tocou mais no assunto (supercruseiro) e acho isso estranho…

JT8D
JT8D
Reply to  Adriano RA
6 meses atrás

Sugeri essa pergunta quando o editor viajou à Suécia. Até agora nenhuma resposta.

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Se ele se “engraçar” muito perde a turbina, alguns sites estão dizendo que os EUA não vão permitir um concorrente, mesmo que não seja stealth.

EduardoSP
EduardoSP
6 meses atrás

Na foto outro bilionário fracasso da US Navy, o DDG 1000.
E tem ainda o EFV dos marines, o VXX também dos marines, o helicóptero Comanche do exército e por aí vai.
Muito dinheiro dá nisso.

Sergio
Sergio
6 meses atrás

Sabem daquela sensação de que compraram uma Ferrari para fazer off road ????????
…..

Alexandre
Alexandre
6 meses atrás

O GRIPEN NG com 10 hard points, podendo levar 7 misseis ar-ar bvr, em torno de 6 toneladas de carga , raio de combate ar-ar de 1300+ km, mach 2 de velocidade, capacidade de super cruise, excelente radar AESA, excelente IRST, excelente sistema de guerra eletrônica, excelente data link, baixo custo de manutenção e operação e ainda entregando um RCS baixo, torna a escolha da FAB a melhor possível. Veja que dos critérios acima, o F 35 só teria uma vantagem no RCS e uma ligeira vantagem na tecnologia embarcada. Mas em padrão stealth perde nos outros critérios como carga… Read more »

Kemen
Kemen
Reply to  Alexandre
6 meses atrás

É isso, eu até acrescentaria algumas coisas mais, parabens a FAB pela excelente escolha, pena que com os sucessivos cortes de verba o programa possa demorar um pouco mais…

Raphael
Reply to  Alexandre
6 meses atrás

Os EUA não irão praticar exercícios simulados com o F35 vs Gripen E, e nem vão autorizar FA que operem o F35

Alexandre
Alexandre
Reply to  Alexandre
5 meses atrás

Não Eis os fatos: O F35 pode até ter melhor aceleração, mas em manobrabilidade perde até para um F 16, isso ficou claro em matéria postada aqui mesmo. No caso do F 35 C isso é muito pior, porque o mesmo só consegue 7 G em manobras contra os 9G + do Gripen NG! O raio de combate de um Gripen E/F em configuração ar-ar com 4 meteor e 2 Iris-T é de 1300 km + meia hora on station, isso é praticamente igual ao raio de combate do F 35 em configuração stealth, só que com apenas 4 misseis… Read more »

Cesar
Cesar
6 meses atrás

Acho que todos esses problemas relatados do f-35 não existem. É uma manobra do pentágono para pegar mais dinheiro dos países que estão nesse negocio em conjunto, e usar eles em outros programas da força aérea. Assim os outros países pagam para os EUA para desenvolver armas para os EUA. Jogada de mestre.

Kemen
Kemen
6 meses atrás

Só podem interceptar “teco-teco” até uma solução final e definitiva, é comico! kkkkkkkk
Vão de Super Hornet, esqueçam esse avião-problema.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
6 meses atrás

É o mesmo que ter um V12 e andar a 40 com a criança no autódromo, o contribuinte americano é um trouxa mesmo kkkkkkk

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
6 meses atrás

A principal informação não foi divulgada, (e não será) , até que velocidade pode ir ?? e por quanto tempo se poderia sustentar a velocidade supersônica ?? Tipo uma “conta de padaria” mesmo se não pode por 20 segundos, eventualmente poderia por 10 segundos ?

Todos os caças tem limites de operação, Mais num tipo tão moderno tal limitação na minha opinião é inaceitável,

Esse F-35 C foi empurrado para A USN, com certeza agora vão ter mais uma motivo para desenvolver seu próprio caça

Kemen
Kemen
Reply to  Rodrigo Maçolla
6 meses atrás

E a velocidade máxima teórica não é la essas coisas…

Wellington Góes
Wellington Góes
6 meses atrás

E segue o calvário….

Italo Souza
Italo Souza
6 meses atrás

Em resumo “eiiitaaaaa”,
Segura que tá difícil.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
6 meses atrás

O tucano vai poder interceptar o Deus Vivo!?!?
Rsrsr

Vilha
Vilha
6 meses atrás

Pelo visto entregar o que promete e ainda barato, ta longe de ser realidade. Sorte americana da última safra ainda ser extremamente eficiente e numérica.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
6 meses atrás

Ainda bem que não diminuiram o velocidade para subsônica neh?!? Senão seria o cumulo do ridículo não cumprir um dos principais propósitos que era ser supersônico tal habilidade que os AV-8 Harrier não eram!

Wagner
Wagner
Reply to  Luiz Trindade
6 meses atrás

Estar limitado a voar supersônico por 40 segundos (B) e 50 segundos (C) é na prática ser subsônico. Mas posso estar errado.

Marcelo Machado
Marcelo Machado
6 meses atrás

Uma coisa não faz sentido. Como seria concebível que as forças armadas americanas divulgassem tão claramente uma enorme deficiência em um de seus meios mais importantes?? Isso deveria ser um segredo super bem guardado! Não imagino que os EUA tenham sido ingênuos ao ponto de divulgar isso!

Wagner
Wagner
6 meses atrás

Inacreditável a defesa religiosa que tantos fazem à essa jaca. Mais ou menos assim: “- O F35 é um super caça stealth com supercruise” ” – Mas o canhão não funciona e manobra pior que caças de 4a geraçao!” ” – Quem precisa de canhão e capacidade de manobra? Isso é passado! Ele tem supercruise é stealth e tem super consciência situacional” ” – Mas na prática ele não pode voar supersônico porque senão despedaça, não pode tomar chuva porque o revestimento zilionario stealth não aguenta, a visão noturna do capacete é ruim com força e a transmissão de dados… Read more »

Gustavo Figueira Rosa
Gustavo Figueira Rosa
5 meses atrás

O problema pode impossibilitar o F-35C da Marinha de realizar interceptações supersônicas.
Como o avião vai defender a frota se não pode realizar interceptações supersônicas?

Wagner
Wagner
5 meses atrás

Fonte?

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
5 meses atrás

Vish . . . Fico imaginando “a cara” do Departamento de Defesa dos EUA quando mandarem essa recomendação para os aliados que compraram esse avião. Ou melhor, que compraram esse caríssimo protótipo.