Home Aviação Comercial Boeing deve cortar produção do Dreamliner e empregos com demanda em queda

Boeing deve cortar produção do Dreamliner e empregos com demanda em queda

1310
23

A Boeing Co. está pronta para cortar a produção do 787 Dreamliner pela metade e anunciar reduções da força de trabalho quando reportar ganhos no primeiro trimestre nesta semana, disseram pessoas familiarizadas com os planos.

Os detalhes das mudanças na produção da linha comercial da Boeing ainda estão sendo finalizados e determinarão o número de empregos a serem eliminados por meio de demissões e aquisições, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas, pois as discussões são confidenciais. A fabricante de aviões planeja reduzir a produção mensal do Dreamliner, que começou o ano em 14 jatos, para uma taxa de um dígito.

Dave Calhoun, diretor executivo da Boeing, sugeriu que medidas dolorosas seriam necessárias quando alertou os funcionários no mês passado de uma “nova realidade” com um mercado de aviões a jato muito menor quando o mundo emergir da pandemia de coronavírus. Prevê-se que as vendas aéreas globais caiam US$ 314 bilhões este ano, segundo um grupo comercial do setor, e as viagens podem não se recuperar totalmente até meados da década.

O cenário proibitivo deixa a Boeing, com sede em Chicago, sem decisões fáceis. A Airbus SE, sua rival europeia, já anunciou planos para reduzir a produção em cerca de um terço. As duas empresas provavelmente gastaram quantias recordes de caixa no primeiro trimestre: 6,5 bilhões de euros para a Airbus e US$ 8 bilhões para a Boeing, segundo cálculos do analista Carter Copeland, da Melius Research.

FONTE: Bloomberg News

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Calmon
Pedro Calmon
5 meses atrás

Corte para la’ de otimista. Era para ser muito maior, e pode acabar sendo. A queda da demanda e’ altissima. Muitas das empresas aereas ja’ estabelecidas podem falir nos meses e mesmo que isso nao ocorra, e o volume de passageiros pode nao se recuperar tao cedo. Vai sobrar aviao usado em bom estado no mercado e com o preco do petroleo la’ embaixo, a pressao para modernizacao da frota simplismente deixa de existir. Um resgate financeiro por parte do governo Americano deve acontecer, pois existe a questao da industria de defesa e aidna mais importante, governo americano tem um… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Pedro Calmon
5 meses atrás

O preço do petróleo so vai ficar baixo enquanto a pandemia durar.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Augusto L
5 meses atrás

Verdade, existe muita demanda represada. Vamos ter muito o que os economistas chamam de “destruição criativa” mas o consumo não vai ficar nessa pasmaceira por muito tempo.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
5 meses atrás

Seria politicamente complicado para a Boeing fazer a joint venture com a EMBRAER e desembolsar bilhoes enquanto ao mesmo tempo pedir auxilio financeiro ao governo Americano.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Pedro Calmon
5 meses atrás

Os americanos acham que o preço que a Boeing estava oferecendo para comprar a Embraer era muito alto, acima do que realmente valia, agora com a Boeing precisando do governo ela terá q ficar mais atenta a opinião pública.

É engraçado, ja que os brasileiros acham exatamente o contrário.

Michel C
Michel C
5 meses atrás

“As duas empresas provavelmente gastaram quantias recordes de caixa no primeiro trimestre: 6,5 bilhões de euros para a Airbus e US$ 8 bilhões para a Boeing,” Realmente não cabe comprar a Embraer numa situação dessas. E já q o destino da Embraer não é virar uma Bombardier, resta ser comprada por uma chinesa ou virar pó. Tomara que o governo consiga preservar a paret militar e de defesa.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Michel C
5 meses atrás

Virar pó? Gente, nem quando era estatal virou! A Embraer tem uma base de clientes mundiais, claro que a crise é geral e proporcional ao tamanho das montadoras, mas ela vai passar por isso. Acho tb que outro comprador vai se interessar pela parte Comercial, serão so chineses?

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Marcelo Andrade
5 meses atrás

A esta altura do campeonato, qquer coisa pode acontecer com qquer uma dessas empresas. A Airbus tb é global, a situação está ruim mas poderá piorar mais ainda … claro assim como melhorar … no momento não há como ninguém dizer com segurança real o que ocorrerá com a Airbus, Boeing ou Embraer, parece ainda estar cedo para saber como o mercado ficará após essa ” gripezinha ” ou ” marolinha “. Como diria o padre Quevedo, bola de cristal ” nom ecxiste “.

Antoniokings
Antoniokings
5 meses atrás

E a Airbus também anunciou que está perdendo dinheiro e que a sobrevivência da empresa está em risco.
É grave a crise no setor.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

A Airbus anunciou hoje perdas líquidas de 1.36 milhões de euros em 2019, devido a multas de 3.6 milhões de euros num caso de corrupção e por encargos relacionados com revisões de contratos de exportação de aviões militares. Em 2018, o grupo aeronáutico europeu Airbus registou um lucro líquido de cerca de 3.000 milhões de euros. A Boeing estava interessada em obter os recursos de engenharia da Embraer que são considerados altamente no setor. Esses recursos seriam bem-vindos em novos programas de aeronaves, como o novo avião de médio mercado (NMA),o fabricante americano não apenas enfrenta a tarefa de projetar… Read more »

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  Antoniokings
5 meses atrás

O setor de serviços vai ser dizimado, vamos emergir (quem sobreviver) em um mundo bem diferente do que estamos acostumados.
Quem teria coragem de comer um Sushi?

Adriano alves da Silva
Adriano alves da Silva
5 meses atrás

A Boeing está Colhendo o que Plantou.

Capa Preta
Capa Preta
5 meses atrás

A China realmente deu um dos tiros mais certeiros da história. Só não vê quem e cego ou está se fazendo de cego por ser simpatizante do partido chinês.

Julio
Julio
Reply to  Capa Preta
5 meses atrás

A diplomacia dos Remédios e Equipamentos Hospitalares empregada pela China numa crise aguda como essa, não pegou nada bem.

Já existe políticos no Japão, Estados Unidos e na Alemanha que falam abertamente em conceder financiamento públicos para que as empresas de seus países que possuem fábricas instaladas na China mudem de país. Preferencialmente retornando aos países de origem.

Não se engane, nessa crise não teve uma nação que ganhou alguma coisa. E a médio e longo prazo a China terá o maior prejuízo de todos. Pois, muitas das plantas instaladas lá tendem a se mudarem.

V12 aero
V12 aero
5 meses atrás

Boeing guarda um dinheirinho para indenizar a Embraer. Hehe…

Teropode
5 meses atrás

Normal , esta pandemia afetou seriamente o transporte aéreo, as companhias teráo que pedir ajuda aos governos para pagarem salários e honrar compromissos com fornecedores , uma bola de neve , isto explica a pressa dos governos em afrouxar as quarentenas , uma observação; se fosse neste tempo a Airbus também não compraria a bombardier , o futuro ta incerto neste momento e para aqueles que sonham com a criação de uma embraer 2 estatal , esqueçam pois o ambiente atual contam8nado com sindicalistas , não permite a gestação e o crescimento de algo como a grandeza da Embraer, aliás… Read more »

EduardoSP
EduardoSP
5 meses atrás

Aguardando para ter notícias da redução no nível de atividade da Embraer. Os segmentos nos quais ela obtém mais receita (aviação comercial e executiva) foram brutalmente afetados. O corte terá de ser profundo

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  EduardoSP
5 meses atrás

Que corte onde precisar, de preferência poupando os engenheiros diretamente responsáveis por desenvolvimento de projetos. O que nao pode é demitir gente qualificada e envolvida diretamente na produção.

filipe
filipe
5 meses atrás

O Panorama esta mau para todos, a AIRBUS também vai despedir em massa, vai reduzir a produção em 1/3 e segue o mesmo caminho da concorrente BOEING, é inevitável , sobrou a COMAC da China que também é capaz de não sobreviver por falta de encomendas no sector tudo por causa das falências das grandes corporações do transporte aéreo comercial. É muito triste , a EMBRAER sem o apoio estatal não vai sobreviver.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
5 meses atrás

O Departamento do Tesouro americano estabeleceu o dia 1º de maio como o prazo final para as empresas americanas se candidatarem a alguns dos bilhões reservados para “negócios críticos para manter a segurança nacional”. O problema é quais os termos que o governo estabelecerá para emprestar o dinheiro e se a Boeing estará disposta a aceitá-los… A Boeing pediu um resgate de 60 bilhões de dólares para a indústria aeroespacial dos EUA,devido as perdas com a pandemia de coronavírus. É algo duro para a Boeing: Pandemia,problemas com o 737 MAX,aeronaves aterradas no mundo todo,suspensão ou cancelamento de aquisição do modelo,problemas… Read more »

Eduard Jacob
Eduard Jacob
5 meses atrás

Parece que o sonho da boeing, está virando pesadelo…

Carlos Campos
Carlos Campos
5 meses atrás

Boeing ta beira do abismo. Credibilidade baixa, coronavirus, má gestão de projetos. Etc. A verdade é q eles não tem condições de comprar a Embraer mesmo com dinheiro em caixa. Pois em momentos de crise 4 bi é muita coisa…. Se a China comprar a Embraer q mantenha os empregos no Brasil. Todos eles

Leonardo Costa da Fonte
Leonardo Costa da Fonte
Reply to  Carlos Campos
5 meses atrás

Os chineses consideram os trabalhadores brasileiros caros e vagabundos. Já li isto várias vezes. Eles estão acostumados com trabalhadores que recebem salários muito baixos, sem direitos trabalhistas, que trabalham uma carga horária muito alta, e eficientes no que fazem. Muito diferente do que temos no Brasil. O principal ativo da Embraer é a área de projetos. O resto não vale muita coisa. A lógica seria manter a área de projetos no Brasil (enquanto os engenheiros chineses aprendem) e transferir as linhas de produção para a China.