Home Indústria Aeroespacial Programa de ensaios do Gripen E entra na fase tática

Programa de ensaios do Gripen E entra na fase tática

10516
131
Saab JAS 39E Gripen

Radar AESA e demais componentes do sistema de Guerra Eletrônica começam a ser ensaiados

Por Guilherme Poggio

Em recente palestra proferida durante a apresentação do Gripen para a Força Aérea Finlandesa (Programa HX) no final de janeiro o Senior VP e head de Aeronáutica da Saab, Jonas Hjelm, forneceu mais alguns detalhes sobre o programa do caça sueco.

Em relação aos ensaios em voo e verificação de sistemas o programa agora está deixando as questões mais básicas referentes às funções de voo e começa a entrar definitivamente na exploração dos sistemas táticos do Gripen E.

Embora Hjelm não tenha dado maiores detalhes, a Saab a partir de agora começará a testar a ampla gama de opções que o radar de varredura eletrônica AESA Raven ES-05 pode fornecer. Este equipamento conta com um mecanismo rotatório do tipo “swashplate”, que aumenta a área de cobertura lateral do radar para além dos 90º.

Outro pacote de sistemas citado por Hjelm que deverá ser avaliado a partir deste ano é o conjunto de sistemas EW (Guerra Eletrônica). Este é um sistema bastante completo e complexo. Além do próprio radar AESA integram o sistema EW o sistema de alerta de aproximação de mísseis (Missile Approach Warning System – MAWS), cujas antenas têm tecnologia de nitreto de gálio, as iscas (decoys) dispensáveis ativas BriteCloud (da SELEX), o “jammer” (ECM) Arexis e outros.

Mesmo não sendo nominalmente citado por Hjelm o IRST Skyward-G da Selex para detecção passiva de alvos aéreos também deverá ser minuciosamente avaliado.

Outros sistemas táticos como o visor montado no capacete (Helmet Mounted Display – HMD) e o sistema de alerta de aproximação de mísseis (Missile Approach Warning System – MAWS) provavelmente serão ensaiados em breve também. Deve-se lembrar que a prioridade de ambos os clientes é a missão de superioridade aérea.

Na parte industrial o programa começa a se mover definitivamente da parte de desenvolvimento para o setor de produção e entrega de aeronaves. Sendo assim, a partir deste ano ocorrerão as entregas para os atuais clientes do programa, começando pela e Força Aérea Sueca.

Saab JAS 39E Gripen
Subscribe
Notify of
guest
131 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
8 meses atrás

Enquanto estão testando isso ai o F-35 já está voando há tempos….. e custando menos…. e tendo uma vida útil muito maior devido a quantidade produzida, além de ser muito mais moderno….

Enfim. Vamos ficar com esse ai e torcer pra que de certo.

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Eita!! Quem nasceu pra ser vassalo jamais será patrão.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

até poderia concordar com você, mas aí seriam dois falando mer%$.

Sergio
Sergio
Reply to  Gustavo
8 meses atrás

..e se eu me juntar a vocês seriam três…..

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Sergio
8 meses atrás

4!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

MCruel
MCruel
Reply to  Saldanha da Gama
8 meses atrás

What that fuck?

Carlos campos
Carlos campos
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Quantos F35 seriam feitos aqui? o código fonte ia ser nos dado, para integrar a arma que quisessemos ? a tecnologia stealth do F35 ia ser repassada? quanto custa a hora de voo do F35 em relação ao F39?

Sergio
Sergio
Reply to  Carlos campos
8 meses atrás

…não perca seu tempo. Isto só pode ser provocação….

Elint
Elint
Reply to  Carlos campos
8 meses atrás

Esse aí deve ser mais um “daquela turma”…
Não perca seu tempo amigo…

Marcos Deghi
Marcos Deghi
Reply to  Carlos campos
8 meses atrás

A todo o momento temos noticias dos defeitos do F35, ele não manobra bem, ele é motivo de piada em muitos sites especializados, ninguém sabe ainda da vida útil . Esta é a mania do povo de sempre achar o do vizinho melhor. O Gripen é um ótimo caça, baixo custo hora/voo . E o que precisamos

halley
halley
Reply to  Carlos campos
8 meses atrás

que arma fenomenal o brasil pretende integrar no gripen? Bombas mk82 e foguetes? De que adianta ter fábricas aqui com uma suposta transferência de tecnologia para montar menos que 20 caças e em menos de 10 anos as pessoas ligadas ao projeto terem que entregar currículos ou dirigir uber para sobreviver?
Quem falou que o caráter stealth é algo que se “instala” no caça e se remove quando quer?
Ninguém sabe o custo da hora de voo do gripen ainda, certamente será mais baixo do que do F-35, mas daqui uns 15-30 anos o poder da escala fará grande diferença.

Denis
Denis
Reply to  halley
8 meses atrás

É, daqui a trinta anos o poder de escala fará mesmo efeito: o Tio Sam não vai poder bancar uma frota composta apenas de F-35. HOJE eles já não podem.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  halley
8 meses atrás

A Embraer taí a anos, os engenheiros iam continuar trabalhando depois em outros projetos…. quem foi que disse que carater Stealth se instala em um caça e pode ser removido? eu não disse, vc que inventou essa loucura, eu falei de tecnologia stealth, vc sabe o que é tecnologia?

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  halley
8 meses atrás

Você sabe quais as armas a FAB já comprou para o Gripen? Vamos a lista inicial: Mísseis ar-ar – A-Darter e IRIS-T (WVR) e Meteor (BVR) Armas ar-superfície – Bombas Guiadas SPICE 250 e SPICE 1000, além de kits de guiagem Laser Lizzard, para transformar bombas de emprego geral em LGB. Aguarda-se definição de outras armas ar-superfície, incluindo o míssil antinavio. E o míssil de cruzeiro MICLA-BR será integrado ao Gripen, também. É possível que outras armas já integradas ou em fase de integração ao Gripen E/F venham a ser adquiridas, como as SDB (Small Diameter Bombs) e outras. Além… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Carlos campos
8 meses atrás

Boas perguntas amigo! E sabemos que a resposta seria não…

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Carlos campos
8 meses atrás

Quantos Gripen o Brasil irá vender para o MUNDO??? Os Suecos irão deixar??? Teremos grana para financiarmos os compradores??? Gosto do Gripen e acho que a escolha foi certa, porém até a pagina 2… da 3 em diante o Presidente já estava bebado e continuava a pensar que falava com o Frances.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Ricardo Bigliazzi
8 meses atrás

Quem disse que a FAB escolheu o Gripen para exportar para o mundo? Ele foi escolhido por atender as necessidades da FAB. Apesar disso, em cada Gripen E/F exportado pela Saab haverá conteúdo brasileiro, pois não haverá duplicação de esforços na produção de partes/sistemas para a aeronave.

José Carlos
José Carlos
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Você esta muito mal informado colega, o F-39 Gripen é perfeito para as necessidades do Brasil e foi a escolha da FAB e não temos nada para reclamar ou contesta exceto a quantidade de unidades ainda adquirida e sobre a demora não tem atraso tudo esta dentro do cromograma que é perfeitamente normal no desenvolvimento de caças a unica demora foi no programa do governo o FX-2 que se arrastou a bastante tempo.

Eduardo
Eduardo
Reply to  José Carlos
8 meses atrás

Olha, perfeito ele não é para o Brasil, sua autonomia é baixa para um país que mais é um continente. Perfeito ele é para a Suécia.

Todavia, foi a melhor compra dentro do programa FX-2.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Eduardo
8 meses atrás

Autonomia dele é baixa? compara ele com F18SH ou SU35 em autonomia e se surpreenda

NEI
NEI
Reply to  Carlos Campos
8 meses atrás

CARLOS CAMPOS: AUTONOMIAS
GRIPEN NOVO 3.200KM
F-18 3.300 KM
GRIPEN ANTIGO 1.900 KM

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  NEI
8 meses atrás

Errado: Gripen C (a versão atual) – 3.200km de alcance
Gripen E (versão nova, adquirida pela FAB) – 4.070km.
Rafale – 3.700 km
Super Hornet – 3.330km
Colocando em perspectiva o que representa o alcance de 4.070km, os dois C-130HM da FAB que levaram os corpos das vítimas do acidente da Chapecoense na Colômbia, voaram 2.700km entre Manaus/AM e Chapecó/RS. Quem diz que o Gripen NG não tem autonomia suficiente para o Brasil é completamente desinformado ou age com má fé, mesmo.

Daniel
Daniel
Reply to  Eduardo
8 meses atrás

Eduardo.
Muito mal informado você.
Pesquise no google autonomia da versão E.
A versão C sim, é bem limitada.

gabriel
gabriel
Reply to  Eduardo
8 meses atrás

Quanta bobagem, o caça foi adaptado para o tamanho do Brasil, com adoção de tanques externos de combustível!!!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  José Carlos
8 meses atrás

São viúvas,apenas viúvas a lamentar,nada mais…

O futuro e a realidade é o Gripen-E ,junto com R-99/E-99 Meteor,Iris-T e MTC-300.

Oseias
Oseias
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

A questão do F-35 é o custo de manutenção. É como carro importado com cambio automatico e 10 anos de uso: o preço é quase igual a de um popular, mas pobre não aguenta manter.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Oseias
8 meses atrás

Perfeito o comparativo Oseias. Tem muito mimado que não sabe o que é pagar contas e acha que tudo é fácil.

Denis
Denis
Reply to  Clésio Luiz
8 meses atrás

Concordo.

Observador
Observador
Reply to  Clésio Luiz
8 meses atrás

Vish, falou tudo!!!
No Brasil tem muita gente que tem o olho e as vaidades maiores do que o bolso. Basta olhar os pátios de apreensão. Muitos veículos e coisas caras apreendidas de pessoas que “metem os pés pelas mãos”.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

“Enfim. Vamos ficar com esse ai e torcer pra que de certo”. O amigo faloa como se o Gripen fosse um monte de estrume sem valor… Se informe sobre o Gripen meu caro,não falta material na web,e daí se o sorvedouro de dólares americano já está voando?! Parabéns ou problema deles. Precisamos de F-35 para quê se iremos ter a superioridade aérea da América do Sul?! Há não ser que um dos nossos vizinhos comprem algo bastante avançado que ponha em risco nossa defesa,mas duvido muito,pois nossos vizinhos com seus Kfirs,MiG-29,M-2000 e F-16 e SU-30,acho que não temos oque temer… Read more »

Halley
Halley
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

apesar de concordar em partes com você, o F-35 não é para nosso bico. Se operar amx e F-5 já é difícil, imagine um caça avançado. Sem falar que somos subdesenvolvidos. Aqui só prospera corrupção e farra. Os americanos em sua grande sabedoria vetariam a venda.
Para mim, tivéssemos ficado com o F-16 no FX1 já estaria de bom tamanho. Mas a tal da ToT é a sempre a desculpa para alguém embolsar uma grana, beneficiar empresas amigas, etc.

Marcelo Machado
Marcelo Machado
Reply to  Halley
8 meses atrás

A ToT é realmente uma oportunidade para o lobby e tráfego de influência. Obtivemos várias tecnologias sem ToT. Missil anti navio, missel de cruzeiro e até o missil anti radiação que não saiu, mas poderia ter saído. Tecnologia de ponta se conquista com pesquisa (e também com inteligência). Preferiria comprar um caça de prateleira mais barato e investir o resto em pesquisa nessas áreas estratégicas.

Denis
Denis
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Você está brincando, não está?

José Gomercino C Fernande souza
José Gomercino C Fernande souza
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Vc como muitos não sabe o que fala

Welt
Welt
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Bateu o recorde do Kings.

manuel flavio Vieira
manuel flavio Vieira
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Em setembro de 2018 o F35 estava com mais de 917 programas com problema. 15 meses após ele estava com 837 programas com problema. A capacidade de aparecerem problemas nesse caça ao longo do tempo impressionante. Mas dizem “ah mas ele vende bem”. Se os americanos tivessem decidido comercializar o F117 (com todas as limitações que ele tinha) venderia bem pelos simples fato de ser stealth. Nenhuma Força Aérea que pretende não depender de coalizão em conflito compraria apenas o F-35. Não tem como depender só dele, assim como com o F117(que era um caça-bombardeiro). Furtivos, mas com limitações até… Read more »

Tulio Rossetto
Tulio Rossetto
Reply to  Rui Chapéu
8 meses atrás

Bateu o recorde de dislikes eu acho kkk

Fabio Araujo
Fabio Araujo
8 meses atrás

O programa esta dentro do cronograma ou sofreu algum atraso? E qual a previsão de rebebermos o primeiro Gripen aqui no Brasil?

Celso S
Celso S
Reply to  Fabio Araujo
8 meses atrás

Ano que vem.

Ronaldo
Ronaldo
Reply to  Fabio Araujo
8 meses atrás

Boa Tarde Fábio Araújo,eu também estou ansioso para saber quando vai ser entregue aqui no Brasil as primeiras aeronaves Gripe E NG,acho que está demorando demais ou estou muito ansioso,bom se está dentro do cronograma eu não sei acontece que agora temos que aguardar pra ver né!

Um abraço!!!

lord es
lord es
Reply to  Ronaldo
8 meses atrás

olá pessoal, vi que só em 2021 vão chegar mais 4 Gripens NG.
veja neste link tem o novo cronograma de entregas
https://estrategiaglobal.blog.br/2019/10/gripen-e-ultima-aeronave-sera-entregue-em-2026.html

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Ronaldo
8 meses atrás

Esse radar com os meteors vai ser show de bola

MMerlin
MMerlin
Reply to  Leonel Testa
8 meses atrás

Mais que isto. O uso conjunto dos dois equipamentos será o mais eficiente meio de dissuasão aérea da América Latina.

Elint
Elint
Reply to  MMerlin
8 meses atrás

Sim!
E com nossos EMB-145 AEW&C”!
Aí sim, “se cae el bigote del pajarito”

Jundiaí
Jundiaí
Reply to  Leonel Testa
8 meses atrás

Leonel to esperando a confirmação dos RBS 15 ai vai ser show mesmo, abraço.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Fabio Araujo
8 meses atrás

O F-39E FAB 4100 deve vir para o Brasil no fim deste ano ou início de 2021. Os demais, a partir de 2021, também.

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Fontoura
8 meses atrás

Isso, ele deverá vir até o final de 2020 para o Brasil, mas não será entregue à nenhuma unidade/esquadrão . Permanecerá na sua campanha de testes, certificações, etc….junto aos orgãos como IPEV, CTA, Embraer, etc…As primeiras entregas para Unidades Aéreas ocorrerão no segundo semestre de 2021.

Curiango
Curiango
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Sera verdade q os 4 primeiros viram sem a totidade da eletronica q faz o GNG ser jm 4++?

Daglian
Daglian
Reply to  Curiango
8 meses atrás

É óbvio que não é verdade. Não entendo de onde vêm tantas maluquices sobre o programa Gripen BR.

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Daglian
8 meses atrás

Vem da longa história de recebermos caças pela metade… cada esquadrão com um padrão… 3 padrões de A-1 por ex. Mas…. torço muito para que essa vez seja diferente, acredito sim que o F-39 foi a melhor escolha.

Daglian
Daglian
Reply to  Rafael Coimbra
8 meses atrás

Não me recordo de recebermos caças pela “metade”. Recebemos quase que exatamente o que compramos. O que foi aventado é a possibilidade de recebermos 4 Gripens capengas para só então começarmos a receber caças 100% funcionais. Isso não faz sentido algum, tendo em vista que temos engenheiros trabalhando no desenvolvimento da aeronave e que a FAB/Governo Federal pagarão por produtos completos.

Mesmo quando recebemos nossos Mirage 2000 e F-5, eles não vieram “pela metade”, mas sim como o nosso dinheiro e disposição política poderiam comprar.

MMerlim
MMerlim
Reply to  Rafael Coimbra
8 meses atrás

Rafael, a necessidade, o processo, a contratação e a produção do programa atual é totalmente diferente de todos os projetos que já passaram pela FAB.
O profissionalismo dos envolvidos no processo é rivalizados apenas pelos principais projetos em andamento das demais integrantes das FA.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Daglian
8 meses atrás

É o contrário…. Inclusive foi noticiado aqui.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Curiango
8 meses atrás

Sim. As primeiras aeronaves não serão verdadeiramente multifuncionais.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Wellington Góes
8 meses atrás

Isso não quer dizer nada, Wellington. Apenas reflete o fato de que as primeiras unidades serão na versão IOC (Inicial Operacional Capability). O mesmo vale para os Gripen E suecos. Nesta fase, a ênfase é na capacidade ar-ar. À media que o programa de entregas e as homologações vão ocorrendo, novas capacidades são agregadas, até que se atinja a FOC (Full Operacional Capability), quando todas as armas, sistemas (incluindo os pods de missão) e modos do radar são plenamente integrados e funcionais. Isso deve ocorrer lá por 2024-2025. Completamente normal e ocorre com todo avião de combate, como o F-35,… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Curiango
8 meses atrás

“Sera verdade q os 4 primeiros viram sem a totidade da eletronica q faz o GNG ser jm 4++?”

Até onde sei, o hardware virá completo para as capacidades multimissão contratadas, mas as missões homologadas inicialmente, seja por software, seja por comprovação das capacidades, serão as missões ar-ar. Já na época das últimas entregas, conforme avance a certificação, o treinamento e os softwares, deverá ser atingida a capacidade plena.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
8 meses atrás

Algumas pessoas viajam na maionese,uns dizem que quando chegarem aqui estarão até defasados…

Chegarão aqui no padrão MS-21,pacote de software em implantação no período 2018-2020

Nossos últimos Gripen serão entregues em 2026,mas por volta de 2021,as aeronaves produzidas até aquele ano serão atualizadas com a configuração denominada N1(MS-22),que deverá ser a configuração de série do caça,

As aeronaves que saírem da linha de produção a partir desta época, incluindo o modelo F (biposto), já terão, de fábrica, a configuração de projeto N1 instalada.

Estou equivocado Fernando?

Flanker
Flanker
Reply to  Fabio Araujo
8 meses atrás

O cronograma de entregas foi espichado. Inicialmente, o cronograma previa a entrega, ano que vem, dos primeiros 11 aviões e os últimos 10 em 2024. Agora, com os novos prazos e quantidades, serão entregues, no ano qur vem, 4 aeronaves e as duas últimas em 2026.

ALEXANDRE
ALEXANDRE
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Brasil não é pra amador

Denis
Denis
Reply to  ALEXANDRE
8 meses atrás

Brasil acima de todos! (Modo irônico ligado).

RPiletti
RPiletti
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Neste caso, em 2022 será o fim da superioridade aérea dos Sukhois e F-16 na AS…

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

“(…) a FAV não possui nada que chegue perto de um E-99. Esse sim game-changer”.

Demais! E para melhorar, a FAB opera o vetor há 20 anos! Olha o tempo de desenvolvimento de doutrinas e de requisitos para o E-99M!

Abraços.

ADAIR HAMES
ADAIR HAMES
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Concordo com vc. Equipamentos estratégicos fazem vencer uma guerra!

MMerlin
MMerlin
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Concordo. E primeiro, os SU30 precisam estar em condições de voo. O que tenho minhas dúvidas de quantos.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Concordo Poggio. Na minha afirmação já estava levando em consideração todo o pacote. Atualmente não vejo como o E-99 poderia atuar em toda sua plenitude tendo os F-5 como caças principais da FAB.
E-99 + F-5 vs Su-30 é uma incógnita, ainda assim penso que a vantagem seria para o bimotor, quando a análise parte para E-99 + F-39 a situação muda drasticamente e é neste cenário que afirmo que a superioridade aérea seria atingida.
E caso a análise for contra os F-16, lá no oeste existe um Phalcon… seria mais complicado, porém creio que teríamos vantagem…

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Bom mesmo era de 2026 a 2029 vir mais uns 18 /24 ai sim teriamos uma Força Aerea de respeito

manuel flavio Vieira
manuel flavio Vieira
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

O orçamento aprovado pelo Congresso para o projeto do Gripen E/F ficou maior. Subiu para R$950 milhões.

Mauro
Mauro
8 meses atrás

Esse caça é muito fera.
Será o maior salto tecnológico da história da FAB.
Faz frente a qualquer caça moderno do mundo, exceto o F-35, isso apenas e tão somente, se ele for realmente furtivo, o que não sei se realmente é.
Pelo menos a sua emissão de IR pode ser detectada pelo IRST do Gripen, isso sem dúvida.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Mauro
8 meses atrás

F-22 também entra na exceção… e alguns orientais também devem beliscar esta condição…

Mauro
Mauro
Reply to  RPiletti
8 meses atrás

Só ponho minha mão no fogo pelo F-22. Não citei o F-22 por achar que é outra categoria.. os demais pra mim são mais marketing.

Denis
Denis
Reply to  Mauro
8 meses atrás

Concordo em 100%. O F-22 é o suprassumo. Se a Lockheed tivesse investido em blocks superiores do F-22, em vez de apostar tudo nessa bomba do F-35, ele seria o vetor mais avançado, atualizado e letal do mercado, e também o mais confiável da geração.

“Ah, mas o F-22 não pode ser vendido pro exterior”! Vende a versão pelada, oras.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Mauro
8 meses atrás

Com certeza o F-35 tem uma assinatura IR bem grande. A furtividade cobrou seu preço no desenho do avião, de modo que não é a toa que sua velocidade máxima é de Mach 1,6 mas por tempo limitado, devido ao efeito do atrito sobre o revestimento anti-radar. A baixa velocidade máxima nem é coerente com o tamanho do motor que enfiram alí….Atrito resulta em calor… e calor vai brilhar no IRST do Gripen.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás
Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Leandro Costa
8 meses atrás

https://www.aereo.jor.br/2019/06/12/f-35-velocidades-supersonicas-podem-causar-grandes-problemas-no-revestimento-furtivo/

Divirta-se também. Sabe o significado de “danos térmicos”?

Marketing é uma coisa, a realidade é muitas vezes diferente.
https://images.app.goo.gl/vmr6qvF5YtDDtFXo8
Diferente, né?

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás

Marketing funciona em mão dupla…

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás

Não se trata de apenas ver, tem que saber enchergar. Vá no intervalo 10 a 20 segundos, por exemplo, e tenta enchergar uma genuína imagem no espectro infra vermelho. Imageamentos na faixa IV (ou IR, como preferir) são muito empregadas aqui e pelo mundo afora, não necessariamente em aeronáutica, revistas de aviãozinhos e blogs amadores.

bjj
bjj
Reply to  Leandro Costa
8 meses atrás

Leandro

Eu não duvido que o F-35 tenha recebido recursos para diminuir a assinatura IR, mas o link em questão não me parece uma bom argumento. Perceba que a matéria compara a assinatura térmica do F-35, com, olha só, helicópteros, e nós também nem sabemos a distância em que ambos estavam do Flir, o que é um fator fundamental. Mas é interessante notar a diferença de temperatura da fuselagem do F-35 quando ele está efetivamente “voando” de quando ele está pousando verticalmente. Isso mostra como o atrito aerodinâmico, mesmo em velocidades não muito altas, pode fazer grande diferença.

manuel flavio Vieira
manuel flavio Vieira
Reply to  Leandro Costa
8 meses atrás

Escuta, vc não parou para pensar que existem imagens de FLIR por aí captadas de caças monomotores e autor evitou e foi pegar o de um helicóptero? Todos caças modernos tem tratamento para reduzir a assinatura térmica dos gases das turbinas. O que o autor dessa resenha (não dá nem para chamar de artigo) fez foi enrolar trouxa.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  manuel flavio Vieira
8 meses atrás

Então faz o seguinte. Compara com a do Super Hornet e com a do Typhoon…

https://www.youtube.com/watch?v=LrBGUgSBbUI

Denis
Denis
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás

Assinatura de radar grande, o F-35? Assim, você me obriga a ser advogado do diabo, amigo.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás

O problema do revestimento só ocorreu em altitudes Extremamente altas. E já foi corrigido.
A velocidade máxima do F-35 é de 1.930 km/h. Superior aos 1.915 do Super Hornet e aos 1.912 do Rafale.

bjj
bjj
Reply to  Mauro
8 meses atrás

DCS O IRST do F-35 tem a vantagem de cobrir 360 graus, mas o IRST do Gripen tem a vantagem de operar em ondas longas de infravermelho, o que garante, em tese, maior alcance. O Skyward, do Gripen, é uma geração mais nova e de melhor desempenho do Pirate que já era muito provavelmente o IRST de maior desempenho, em termos de alcance, dentre todos os caças legados. O Pirate conta com alcance declarado entre 80 e 150 km contra caças a depender de condições climáticas e posição/velocidade do alvo, desempenho que teria melhorado ainda mais após atualizações de software,… Read more »

Adriano RA
Adriano RA
8 meses atrás

A SAAB está apostando forte na suite de EW do novo Gripen. Convenhamos, de nada serve ter um caça furtivo cujo radar não consegue travar no Gripen oponente, ao ponto de se chegar perto demais… Não acho que os suecos estão brincando neste ponto.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás

O Gripen terá seus trunfos. Tenho certeza disso. Os suecos não estão brincando. Mas o senhor acha que os americanos e mais 12 potências militares parceiras no F-35 estão brincando? A suíte de guerra eletrônica do F-35 é 10 x mais poderosa que a de qualquer caça de 4a geração. O Gripen E também promete uma suíte EW bem melhor que à do Gripen C, porém ao que tudo indica ficará abaixo da do F-35, pois o radar Raven não terá os recursos para atuar na EW, e o APG-81 atua em conjunto com os outros sistemas da aeronave, o… Read more »

Bryan
Bryan
8 meses atrás

O Gripen E deixou de ser sueco para ser também brasileiro.

Halley
Halley
Reply to  Bryan
8 meses atrás

não amaldiçoa a criança que ela ainda está em desenvolvimento.

Robsonmkt
Robsonmkt
8 meses atrás

O que significa dizer que o Gripen foi avaliado na Finlândia sem que radar, IRST, MAWS entre outros sistemas de guerra eletrônica tivessem sido plenamente explorados pelo fabricante do caça. Do ponto de vista de mercado, este caça está nascendo, no mínimo, com um ano de atraso.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
8 meses atrás

Pelo que andei lendo,a linha de montagem em Linköping é projetada para produzir 24 aeronaves por ano.

Por quê não entregar tudo em um ano? Qual o fator que impede isso? Acredito que seja mais interno do que externo,não?

Alguém poderia me esclarecer o porquê do esticamento do Cronograma?

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
8 meses atrás

comment image

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
8 meses atrás

Adriano, basta você ler e ver o vídeo da matéria de onde saiu esse cronograma.

As entregas foram esticadas porque o prazo de pagamento também foi esticado.

https://www.aereo.jor.br/2019/09/19/video-projetos-estrategicos-da-aeronautica-na-credn/

Bille
Bille
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
8 meses atrás

Buenas!

Infelizmente essa esticada nas entregas ocorre para todos os projetos da FAB e das FA. Sempre se recebe menos dinheiro, cronogramas são ajustados, e mesmo se o orçamento seja suplementado no fim do ano, a empresa não consegue entregar, porque pra entregar teria que começar a produzir lá atrás quando não tinha dinheiro.

É um problema perene, que causa um sucateamento monstro.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
8 meses atrás

Huuuum… Obrigado Fernando ! Então foi um fator interno mesmo,ou seja: Money…

Flanker
Flanker
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
8 meses atrás

Simples!! É só pagar….dinheiro pra lá.. .caça pra cá! Foi divulgado inicialmente que a FAB somente começaria a pagar os caças a partir da entrega do último, mas isso mudou. O programa está sendo pago já há alguns anos.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
8 meses atrás

Adriano, não é muito eficiente mobilizar recursos humanos e materiais para produzir 24 caças em um ano, 12 no outro e depois mandar todo mundo embora para casa e fechar a fábrica.
É importante que a produção dure tempo suficiente para se conseguir novas encomendas e para que seja possível desenvolver a aeronave enquanto ele está em produção.
O KC-390, por exemplo, só tem 33 encomendas. Sua cadência de produção será a mínima necessária para manter a produção ativa enquanto procuram novos clientes.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  EduardoSP
8 meses atrás

Faz sentido Eduardo,não deixar a planta ociosa,mas mesmo assim,também não há a encomenda sueca para ser entregue?

Acho que não ficaria tão ociosa,afinal eles tem que entregar os 87 caças da força aérea sueca.

nonato
nonato
8 meses atrás

Como puderam mostrar essas funções com radar AESA, IRST, etc se não testaram?
Ou seja, demonstraram um caça pela metade, sem alguns dos principais trunfos?
Não entendi a lógica.
Os filandeses comprarão pelo preço baixo confiando no que ainda falta?
Ou reduzirão a nota do desempenho?

nonato
nonato
Reply to  Guilherme Poggio
8 meses atrás

Bom dia, Poggio.
Mas uma diferença é que o Gripen diz ser um novo avião.
E parte dessas novidades seriam justamente esses aviônicos, sensores, etc.
No caso dos outros concorrentes, na minha opinião, o F 35 sendo uma máquina, já apresenta as maiores características tais como furtividade, motor, etc.
Quanto aos outros, algumas inovações sempre haverá, mas é diferente de um caça dito “novo”, mas que ainda não usa alguns dos seus principais trunfos, tais como radar AESA, IRST, guerra eletrônica etc.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  nonato
8 meses atrás

Nonato, o Gripen 39-7 tem testado estes sistemas faz tempo. No entanto, acredito que nunca foram completamente avaliados como um conjunto ( fusão de dados, etc) na plataforma final. Com certeza chegaram à Finlândia com algo bem interessante para mostrar, mas ainda com algumas limitações que serão sanadas nos testes deste ano e do próximo.

nonato
nonato
Reply to  Adriano RA
8 meses atrás

Sem radar AESA, por exemplo.
Faz uma diferença enorme.
Alcance, discrição do radar.
Se um radar convencional tem um alcance de 150 km e o aesa 230, isso faz toda diferença num confronto com outros caças filandeses usados no teste.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  nonato
8 meses atrás

Mas Nonato, o Gripen que foi para a Finlândia possuía sim o radar AESA e todos os demais sensores (ao que se sabe). Só que ainda não foram exaustivamente testados.

Denis
Denis
8 meses atrás

Para quem estava ansioso por notícias do radar AESA.

Nolasco
Nolasco
8 meses atrás

IRST Skyward-G pode detectar aviões sem estar com pós-combustão a quantos quilômetros de distância? Qual seria o ângulo de visada dele?

Oseias
Oseias
8 meses atrás

Esse super trunfo contra o F35 não faz muito sentido. Na nossa vizinhança não há expectativa de nenhum avião de 5ª geração em um país hostil num horizonte próximo.
Eu quero saber é se o Gripen derruba SU-30 cucaracho. Se derrubar, está ótimo.

Wellington Rossi Kramer
Wellington Rossi Kramer
Reply to  Oseias
8 meses atrás

Oseias, seria legal também “derrubar” alguns F-35 na Red Flag.

Dranuits
8 meses atrás

Futuramente será mais ou menos assim: quem utiliza o F35 e os alvos.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Dranuits
8 meses atrás

O tempo vai mostrar se você está certo ou não. Eu tenho certeza de que ele é excelente em ataque a alvos bem protegidos e deve mesmo fornecer a todos uma ótima consciência da situação no campo de batalha, mas não creio que seja tão bom quanto pintam em atuar como caça de superioridade aérea.
Países que dependerem exclusivamente dele pra defender seus céus podem ter problemas no futuro.
Não acho que a USAF vai fazer isso, e ela sabe porque.

Silver Eagle
Silver Eagle
Reply to  Dranuits
8 meses atrás

Na minha humilde opinião, seria interessante ver como os “poderosos” 5° geração, lidariam com uma formação de Gripens puxada por um Gripen F, com alguns pods interferidores sob as asas, suportados por um E-99…

EDUARDO DE SOUSA PEREIRA
EDUARDO DE SOUSA PEREIRA
Reply to  Silver Eagle
8 meses atrás

Será top ver os resultados da participação da FAB com o Gripen E na redFlag junto com F-35.

LUIZ CARLOS - PARÁ DE MINAS - MG
LUIZ CARLOS - PARÁ DE MINAS - MG
8 meses atrás

Prefiro mil vezes, o padrão de pintura dos suecos . show!

Super Tucano
Super Tucano
8 meses atrás

Com Helmet Mounted Display (HMD) disponível, é possível não ter Head Up Display no avião?

Renato
Renato
8 meses atrás

Certas discussões não miram objetivamente o problema.
Brasil acertou sob todo e qualquer aspecto a sua escolha através do alto comando da FAB.
Quanto ao F-35, sabe aquela velha história da MICROSOFT sempre afirmar que a próxima versão do sistema ser mais avançado e sem bugs?
O americano é imbatível no marketing no mundo.
Essa estratégia de vender muitos produtos não totalmente testados e cheio de bugs, nós remete ao eterno WINDOWS da MICROSOFT.
O próximo será melhor mais avançado e sem bugs.
Alguém acredita?

EDUARDO DE SOUSA PEREIRA
EDUARDO DE SOUSA PEREIRA
8 meses atrás

O mais interessante, lendo os comentários, é que a comparação do Gripen E/F e suas capacidades se dá apenas com o F-35, ou seja nem com Typhoon ou Rafale.rs
Já subimos o nível do padrão de nossa força aérea com o que há de melhor dentro do melhor custo benefício em valores de operação/manutenção e entregando o estado da arte na aviação de caça/ataque/superioridade aérea.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  EDUARDO DE SOUSA PEREIRA
8 meses atrás

Mais uma bateria de testes para montar o novo Gripen E. Enquanto isso o dinheiro vai e os caças seguem outros rumos. Podem acabar na força aérea Sueca, se for necessário.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Luiz Floriano Alves
8 meses atrás

Se refere aos Gripens destinados ao BR? Em caso de urgência, sim, poderiam ser utilizados por eles, mas neste caso, o caldo estaria bem engrossado por lá…

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  EDUARDO DE SOUSA PEREIRA
8 meses atrás

Prezado, entendo que o lobby em prol do F35 é imbativel, mas embora tanto o F35 quanto o Typhon/Rafale, sejam, até onde os parcos dados com os quais contamos, excelentes , digo que o Gripen é um oponente à altura. Para a FAB nenhum deles seria tão eficiente quanto, porque nós temos (já temos certo?) sistema integrado que jamais teríamos com qualquer das outra opções citadas. Não que tais outros vetores não sejam integrados em seus países de origem de forma ate muito mais complexa em quantidade, qualidade, eficiência e eficácia. O detalhe: códigos abertos…

Rommelqe
Rommelqe
8 meses atrás

Um fato é que a maioria das observações aqui no blog (várias excelentes e proativas com dados concretos) raramente se referem ao Gripen como uma plataforma integrada e interligada em um sistema mais complexo do que um único vetor operando isolado. Por exemplo, se considerarmos um elemento (um f39E agregado a um f39F) operando em conjunto com um E99 certamente teremos condições de monitorar e combater de forma ativa qualquer eventual ameaça . É claro que não estamos aqui querendo ter a pretenção de enfrentar um porta aviões e todo o seus agregados de apoio e combate. Voltando aos sensores… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Rommelqe
8 meses atrás

Esse alcance de 150 km está exagerado. Alguns IRST indicam 50 a 90 km de alcance, sendo 50 para alvos vindo de frente e 90 para o alvo de “costas” mostrando as tubeirss do motor. E já li até em Máximo de 140 km. Mas o máximo é visualizando as tubeirss do motor, com o melhor céu possível, etc. Na prática será sempre menos que isso. Contra um caça de 5a geração, como o F-35 onde existe um grande trabalho na redução da detectabilidade da aeronave também no infravermelho, esse alcance também será menor ou bem menor. O F-35 Não… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Luís Henrique
8 meses atrás

Veja entre outras, a referencia “Generating 3D depth map using parallax” US10484667B2……

Luís Henrique
Luís Henrique
8 meses atrás

Caso o Brasil siga o caminho de maior alinhamento com os EUA e caso ocorra um milagre no orçamento e tenhamos condições, o F-35 B seria um excelente caça para a MB e também seria um excelente caça para a FAB compor um MIX com os Gripen E/F.

A busca da FAB é para 108 caças.
Um mix ideal seria 72 Gripen + 36 F-35.
+ 24 F-35 para a MB.

Elintão
Elintão
Reply to  Luís Henrique
8 meses atrás

E de onde você vai arrumar todo esse dinheiro para adquirir, operar e manutenir durante todo o ciclo de vida do equipamento???
Vai tirar de onde amigo? Da saúde? Da educação? Dos transportes? Da segurança pública, que já está totalmente apodrecida?
Somente um presidente muito saco roxo e um Congresso absurdamente alinhado e aparelhado pra fazer isso aí.
Mas nunca aconteceria. Isso não rende votos e não ganha eleição.

Renato
Renato
8 meses atrás

A pergunta é: quando o Brasil e a SAAB iniciarão o projeto do caça de 5ª geração?

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Renato
8 meses atrás

Acho que conversações sobre caça 5G com suecos,somente daqui a 20-30 anos,dependendo das melhoras orçamentarias e financeiras.

Não esquecendo que após 26 ou antes,pode-se haver a assinatura de um novo lote de 36 aeronaves,como se fala,apesar que como diz a lenda,poderia ser 108 aeronaves para a FAB.

então um provável 5G seria empurrado bem para a frente.

ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
ANTONIO OLIVEIRA DOS SANTOS JUNIOR
7 meses atrás

Povo acha que o Maduro ou o Chile são páreos para o Brasil!
Ó coitados

Roger
Roger
6 meses atrás

Pessoal, viram que a Saab criou um game(Gripen Fighter Challenge) p/ pilotar o Gripen? Legalzinho. #ficaadica. Hehehehe. Tá na Play Store(Android) e para IOS(loja apps da apple) também.